Grêmio 1 x 0 Botafogo

Grêmio 1 x 0 Botafogo
Libertadores 2017

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Brasil de Farroupilha 0 x 0 Glória (01/07/2015) parte 93

Comentário do Leitor

Tese de Doutorado

Realmente é o que falta mas esta ganhando importantes aliados,JUSTIÇA GLOBAL.

A felicidade esta porque parte do Relator da COMISSÃO DA VERDADE DA ESCRAVIDÃO NEGRA DA OAB/RJ Dr Wilson Prudente Procurador do Ministério Publico do Trabalho.

Essa tentativa de "estruturar a natureza" é absolutamente ineficaz, pois não existe qualquer garantia com relação ao que irá ocorrer amanhã, tudo muda, nós brasileiros negros e brancos atualmente temos como exemplo o “Lava Jato”.

Temos a esperança de que uma vez que tenhamos garantido nosso relacionamento, nossa carreira, nosso casamento, todos os nossos temores irão imediatamente desaparecer.

Parabéns!!!

Luiz Otávio de Brito

De: Pesquisadores_Negros_PUC-Rio@yahoogrupos.com.br [mailto:Pesquisadores_Negros_PUC-Rio@yahoogrupos.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 5 de agosto de 2015 09:34
Para: Wilson Prudente
Assunto: [Pesquisadores_Negros_PUC-Rio] Enc: DEFESA DE TESE DE DOUTORADO.CONVITE AOS AMIGOS


Caro. Dr. Wilson Prudente. Bom Dia.

A sua presença, entrega e luta pela verdadeira e legítima Causa Negra é que nos honram, cidadãs e cidadão negros. A sua tese de doutorado vem corroborar com a sua seriedade no combate no racismo, e incansável luta pela igualdade racial. Costumo dizer aos negros mercadores do racismo, que  deveriam se mirar em exemplos como o seu. Com toda certeza, a Causa Negra não estaria tão banalizada enxovalhada.

Sua tese, JUSTIÇA GLOBAL: Cotas Raciais no Supremo Tribunal Federal, aclara como uma luz de justiça para iluminar a treva branca que paira sobre o Supremo Tribunal Federal. Instituição que, aliás, por justiça, mérito e conhecimento deveria ter a presença do Dr. Wilson Prudente.  

Obrigado por mais esse presente para a negritude, e esse alerta à sociedade brasileira.

Abraços.
Flávio Leandro

----- Mensagem encaminhada -----De: "wilson prudente wilson.prudente@gmail.com [discriminacaoracial]" <discriminacaoracial@yahoogrupos.com.br>
Para: discriminacaoracial@yahoogrupos.com.br
Enviadas: Quarta-feira, 5 de Agosto de 2015 8:01
Assunto: [discriminacaoracial] DEFESA DE TESE DE DOUTORADO.CONVITE AOS AMIGOS


Queridos amigos.
Quero me dirigir também aos fundadores e hoje integrantes da Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra no Brasil - OAB/Pará e Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil - OAB.
Tenho a honra de estar dividindo com vocês minha experiência e meus esforços intelectuais, na qualidade de Relator dessas relevantes Comissões Republicanas.
Quero me dirigir também ao conjunto da intelectualidade negra, especialmente, aqueles que são filiados a ABPN e que participam do COPENE.

Quero me dirigir também aos Jovens intelectuais negros, com distinção ao Coletivo Justiça Negra Luiz Gama. 

Vou me dirigir agora as mulheres engajadas na Macha de Mulheres Negras.
Enfim, quero Convidar o conjunto da militância do Movimento Negro. 

No dia 19/08/2015, às 15:00 hs, na Sede do IUPERJ (Rua da Assembleia, 10, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro). Vou defender minha Tese de Doutorado em Ciência Política e Relações Internacionais pelo IUPERJ.

O título é: JUSTIÇA GLOBAL: Cotas Raciais no Supremo Tribunal Federal. O Regime Internacional de Combate ao Racismo. Tenho certeza que essa Tese de Doutoramento será um instrumento de avançado alcance na desconstrução do mito da democracia racial e na busca de uma sociedade e de um mundo inspirado no multiculturalismo e na rejeição ao racismo.
--
Wilson Prudente
Procurador do Ministério Público do Trabalho
http://twitter.com/Wilson_Prudente


Geledés

Você está recebendo as atualizações do Portal Geledés.
Portal Geledés
Para sair desta lista, clique aqui.

Geledés

Em defesa dos direitos humanos. Combate ao racismo, preconceito, discriminação e violência contra a mulher.

Ações afirmativas no Brasil: Debate com Carlos Alberto Medeiros no coletivo Justiça – Luiz Gama

Like Ações afirmativas no Brasil: Debate com Carlos Alberto Medeiros no coletivo Justiça – Luiz Gama on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Ações afirmativas no Brasil: Debate com Carlos Alberto Medeiros no coletivo Justiça – Luiz GamaMamapress apresenta o vídeo de nossa parceira Cultne, da palestra do do professor e ativista negro Carlos Alberto Medeiros, na qual ele discorre sobre o processo de construção do racismo à brasileira do final da escravidão até hoje. Uma aula imperdível para todos os interessados. Por Bruno Cândido Do Mama Press Saiu no CULTNE TV – Projeto […] Leia mais »

Neo fascismo ronda a classe média

Like Neo fascismo ronda a classe média on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Neo fascismo ronda a classe médiaComo os fascistas chegam ao poder Por André Araújo no O Cafezinho  Renzo de Felice, professor de História da Universidade de Roma, falecido em 1997, é por unanimidade considerado o maior historiador do Fascismo italiano. Sua monumental biografia de Benito Mussolini, em 4 volumes e 6.000 páginas se alinha com mais 8 livros, do qual […] Leia mais »

Querida “patroa” Branca

Like Querida “patroa” Branca on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Querida “patroa” BrancaApesar de não compreender muito bem o que faz com que alguém se sinta a vontade para expor a imagem de seus funcionários, vou relevar essa instância de abuso por entender que, por você ser artista de TV, o conceito de privacidade possa ter se perdido ao longo da sua trajetória. No mais, fica a dica: não é nada […] Leia mais »

A perspectiva do feminismo negro sobre violências históricas e simbólicas

Like A perspectiva do feminismo negro sobre violências históricas e simbólicas on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
A perspectiva do feminismo negro sobre violências históricas e simbólicasEste artigo foi escrito como texto-base para participação no debate de lançamento do livro Bala perdida: a violência policial no Brasil e os desafios para sua superação, em 29 de julho de 2015: “Violência policial: causas, efeitos e soluções”.  * * * Por Djamila Ribeiro, no Boi Tempo É fundamental explicitar as grandes distâncias que ainda separam […]Leia mais »

Ser gay não é uma escolha e é tão natural quanto ser heterossexual

Like Ser gay não é uma escolha e é tão natural quanto ser heterossexual on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Ser gay não é uma escolha e é tão natural quanto ser heterossexual“Ser homossexual na nossa sociedade é um caminho mais difícil. Se fosse uma escolha, as pessoas não escolheriam”, diz o psicólogo Marcos Roberto Vieira Garcia Por Yannik D’Elboux Do Uol Até a década de 1970, a homossexualidade era considerada doença. Foi somente em 1973 que o homossexualismo, palavra antigamente usada para designar a condição, deixou de […]Leia mais »

Donas da Favela: a grande arte de travestis no Piscinão de Ramos

Like Donas da Favela: a grande arte de travestis no Piscinão de Ramos on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Donas da Favela: a grande arte de travestis no Piscinão de RamosBotar a cara no sol e praticar nado sincronizado nas lágrimas das inimigas. Pois sambar é preciso, e viver é muito mais perigoso se você é transgênero no Brasil. Por Leonardo Mendes Do DCM A expectativa de vida por aqui gira em torno dos 35 anos, e talvez isso favoreça o aparecimento de uma figura arquetípica, […] Leia mais »

Afronta, mídia negra e livre

Like Afronta, mídia negra e livre on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Afronta, mídia negra e livreA jornalista Etiene Martins, de 31 anos, é a responsável pelo primeiro jornal independente de Belo Horizonte dedicado à cultura negra Por  Camila Eiroa Do Revista Tpm “Não era possível gostar de ser negra por não me enquadrar nos padrões de beleza das revistas. Era frustrante.” É o que diz Etiene Martins, enquanto lembra que […]Leia mais »
Copyright © 2015 Geledés Instituto da Mulher Negra
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no Portal Geledés.

Geledés Instituto da Mulher Negra
Rua Santa Isabel 137 - 4º andar
São PauloSP 01221-010
Brazil

Add us to your address book


sair desta lista    atualizar preferências
 

Genocídio e Desmoralização



De: Pesquisadores_Negros_PUC-Rio@yahoogrupos.com.br [mailto:Pesquisadores_Negros_PUC-Rio@yahoogrupos.com.br]
Enviada em: quinta-feira, 6 de agosto de 2015 14:12
Para: discriminacaoracial@yahoogrupos.com.br
Assunto: [Pesquisadores_Negros_PUC-Rio] Auto de Resistência, Conselhos de Defesa dos Negros e Movimentos Negros: Genocídio e Desmoralização.


Meus Amigos e Minhas Amigas.

Figuras do movimento negro tem se levantado contra mim por causa das minhas referencias ao CEDINE – Conselho Estadual dos Direito do Negro; e o COMDEDINE, Conselho Municipal de Defesa dos Direitos dos Negros, ambos do Rio de Janeiro. 

Esses dois lixos existem para o nefasto e sujo papel do governador e do prefeito do Rio alegar a presença de negros em seus governos. É o que ocorre também com a latrina política chamada SEPPIR, criada para sempre ter um negro ou uma negra na foto de posse do (a) presidente da república.
Pesquisas recorrentes sobre os inúmeros assassinatos cometidos pela polícia do Rio, e justificada como auto de resistência, tem assustado e criado perplexidade na sociedade carioca e fluminense. Tudo porque 73% das mortes são de jovens negros.  A perplexidade está no fato de que em 92% não ficou provado a resistência armada por parte dos jovens.

O Anuário Brasileiro de Segurança, Publicado em 2014, mostrou que jovens negros e pardos são os preferidos pelos policias militares fluminense em forjar morte com auto de resistência. Segundo um coordenador do programa de justiça da ONG Conecta Direitos Humanos- Parece que essa polícia, a PM Fluminense, é treinada para enxergar o jovem negro como potencial inimigo – Afirma.

Eu pergunto: O que faz o CEDINE junto ao governador e às autoridades policiais fluminenses para mudar essa cultura? Não é o Conselho de Defesa do Negro? Por que não defende os jovens negros assassinados pela polícia? Por que não acaba de uma vez por todas com as dores, lágrimas e sofrimentos das negras mães desses jovens?  Existe em tão para quê?
As centenas de Conselhos de Defesa dos Negros, existem pelo Brasil, tem como única e primordial função defender os governos as quais estão encabrestados, quando esses governos são responsabilizados pelas mortes dos jovens negros. É o caso do lixo CEDINE.
A cada morte desses jovens, são no mínimo dois por semana, Governo, Policia Militar e CEDINE se unem para soltarem as frases feitas de sempre: – Estamos todos muitos indignados e estarrecidos em relação aos fatos. Tudo não passa de um fato isolado.

E as lágrimas das mães, avós, irmãos e familiares dos jovens assassinados? São fatos isolados?

Os Conselhos ditos de Defesa dos Negros publicam em seus sites fotos de crianças e jovens negros, todos sorridentes e felizes. Uma grande farsa para justificar os gastos com dinheiro público com coisa nenhuma. Faz uma carnavalização virtual, dissimulada e mentirosa, mas sem verdadeiras políticas públicas, programas sociais e projetos efetivos para solução para a infância e para a juventude negra. Carregam o mesmo ranço malígno dos movimentos negros: debatem, palestram, discutem, dissertam, apresentam o orçamento, embolsam a grana e recomeçam o mesmo ciclo vicioso.

Conselho de defesa dos Negros e Secretaria da Igualdade Racial, agregados aos governos ou aos partidos políticos, funcionam apenas como nefasto balcão de negócios, onde a Causa Negra e a Causa Quilombola são descaradamente negociadas. Eis o porquê de tantas mazelas, tantas enxovalhação, tantos genocídios, tantas discriminações, tanta exclusões e tanto racismo massacrando a negritude brasileira.

Outro lixo carioca é o tal de COMDEDINE – Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro, latrina politiqueira usada pelo prefeito Eduardo Paes para esconder a cruel exclusão dos negros na administração pública municipal do Rio. É gritante e preocupante a visível ausência da negritude na organização dos jogos olímpicos. 

 Sou branco, mas longe de mim me envolver na questão, só que é muito estranho não encontrar negros nos corredores da sede do comitê olímpico – desabafou um amigo da administração do evento. E o que faz o COMDEDINE para reverter essa cruel situação? Será que da mesma maneira que o senhor prefeito, o esse lixo também entende que não existem profissionais negros (as) capazes para assumir cargos ou ocupar espaços na organização dos jogos olímpicos? Gostaria de obter essas respostas.
Cada vez mais a Causa Negra é enxovalhada, e tem virado motivo de piadas nas redes sociais por causa de ingerências malfadadas de elementos dos movimentos negros. Agora mesmo estamos sendo ridicularizados pela mídia por causa de uma foto sem nenhum propósito em ofender a negritude.
Uma atriz e apresentadora publicou na sua página social a foto das duas babás sem os tradicionais uniformes brancos. Pois bem, aquela velha e conhecida turminha dos movimentos negros emergiram das suas latrinas entreguistas com acusações infundadas, chamando a atriz e apresentadora desinhazinha. A negritude brasileira não precisa desse tipo de reação. É maléfica a Raça e a Causa Negra. A própria mãe das jovens, negra e combatente, reagiu contra os energúmenos autores da desnecessária polêmica. Várias páginas sociais estão fazendo piadas contra a negritude por causa dessa besteira.
A luta da negritude brasileira está perdendo a essência, o valor e a sua legitimidade exatamente por causa dos CEDINES, COMDEDINES, dos SEPPIR e dos movimentos negros da vida. Essa corja de velhacoutos, usurpadores, fomentadores do racismo, e capachos de politiqueiros, precisam pagar, à luz da justiça, por tantos danos morais, econômicos, sociais e culturais causados à negritude Brasileia.
Basta de a negritude brasileira virar motivo de chacotas e perder a legitimidade da sua luta por causa desses vendilhões da Raça.
Querem fazer gracinhas? Procurem um circo. Mas façam gracinhas com as suas insignificâncias. Não com a Causa Negra.
Abraços a todos.
Flávio Leandro
Cineasta, Professor de Produção de Cinema e Vídeo, Professor de Produção Teatral.




__._,_.___