Rádio WNews

sábado, 9 de julho de 2011

DVD Consciência Negra

Folha Metropolitana

 

Amigos e colegas:
Acabo de ser demitido da Empresa Jornalística Folha Metropolitana um ano, um mês e quatro dias depois de ser contratado para ser repórter de política. Este não é meu primeiro trabalho e nunca tornei público o motivo da saída por julgar que admissão e demissão fazem parte da liturgia das empresas. Logo, jamais exporia as razões da saída, se o motivo fosse contenção de despesas, qualidade do trabalho prestado, incompatibilidade entre mim e a chefia...
Desta vez, porém, é diferente: a minha demissão ocorreu porque noticiei em primeira mão e venho acompanhando o caso de nepotismo na Secretaria de Estado da Energia, sob o deputado licenciado José Aníbal (PSDB). A notícia está na página 10 da edição desta quinta-feira do jornal Metrô News.
Na segunda-feira, fui para uma entrevista com o deputado Carlos Roberto de Campos (PSDB-SP), munido de várias perguntas, uma das quais sobre nepotismo. O Metrô News vem acompanhando o episódio da contratação de Mateus Achilles Gomes pelo secretário-adjunto da Pasta, Ricardo Achilles, desde o início de junho.
Uma das estratégias era ver a opinião de Carlos Roberto sobre o caso ocorrido na pasta comandada por José Aníbal, uma vez que o PSDB é muito veemente nas críticas contra irregularidades. Carlos Roberto não foi induzido ou coagido a falar, mas falou e criticou severamente Ricardo Achilles e o colega de ninho, José Aníbal. A matéria foi publicada hoje, claro, com o consentimento do editor-responsável.
Nesta tarde, Carlos Roberto foi à redação, conversou com a direção do jornal e exigiu que o veículo desse uma resposta. A resposta foi a minha demissão.
Acho que devo dar essa explicação a todos os que me acompanham diariamente, seja por meio das das reportagens da Folha Metropolitana e do Metrô News ou na coluna 'Em Off', que mantinha às quartas e sextas-feiras.
Aproveito para agradecer o carinho dos colegas e me desculpar por possíveis desencontro de ideias. Creiam, sempre coloquei a lealdade e o respeito acima dos interesses diversos que permeiam o posto que ocupava. Nunca pactuei com interesses outros que não fosse o de dar a notícia da forma mais correta. Nunca usei do cargo para fins de ética duvidosa. Nunca aceitei barganhar a notícia. Nunca 'carlosrobertei', nem 'anibalizei' meu trabalho.
Peço que me ajudem a multiplicar essa mensagem indignada. Reitero: entrar e sair de empresas é fato comum e essa não é a primeira vez que acontece. Nunca, porém, tornei público o motivo da saída, por entender que essa é uma particularidade que cabe a patrão e a empregado. Dessa vez, porém, minha saída teve motivação política. Por trabalhar de forma correta, acabei punido.
O ciclo na empresa está terminado.
Um forte abraço a todos.
+++
A reportagem abaixo foi a primeira denúncia que apontou o episódio de nepotismo na Secretaria de Estado da Energia, comandada por José Aníbal, e foi publicada no Metrô News em 03.06.2011.
clip_image001
O secretário de Energia José Aníbal, que homologou a contratação do sobrinho de seu adjunto. Foto: Divulgação.
Ricardo Filho
O secretário-adjunto de Energia do Estado, Ricardo Achilles, mantém um sobrinho na Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae). A estatal do governo estadual é subordinada ao titular da pasta, José Aníbal, e por extensão ao próprio Ricardo Achilles. Matheus Achilles Gomes, advogado, foi contratado há aproximadamente um mês para trabalhar no departamento jurídico da Emae. Pelo trabalho, o sobrinho do sub-secretário terá salários mensais de cerca de R$ 8 mil.
Para o órgão, não há ilegalidade no fato. Em nota a Secretaria de Energia defende a contratação: “O advogado Mateus Achilles Gomes é contratado pela Emae, empresa controlada pelo Governo do Estado, que tem total autonomia administrativa e funcional. O colaborador desempenha adequadamente suas funções e não há nenhuma restrição ou impedimento legal ao seu exercício profissional”.
A contratação de Gomes teria sido aprovada pelo deputado federal (PSDB) licenciado e chefe da pasta, José Aníbal. Ricardo Achilles é o braço direito e homem de confiança do secretário de Energia desde a época em que Aníbal era vereador em São Paulo, entre 2005 e 2006.
Quando voltou à Câmara dos Deputados, em 2007 (Aníbal foi deputado pela primeira vez em 1989), o tio de Matheus Gomes o acompanhou a Brasília. Ano passado, Ricardo Achilles ajudou Aníbal a se reeleger. O secretario é um dos cotados para disputar a Prefeitura de São Paulo pelo PSDB no próximo ano.
Errata: Embora seja da confiança de José Aníbal, não é Achilles que acompanha o deputado desde a época da vereança em São Paulo, mas o sobrinho Mateus Achilles Gomes.

Veja as outras matérias sobre o caso de nepotismo na Secretaria de Energia:
José Antonio dos Santos da Silva
51.91792404 - Claro
51.95284570 - Vivo
53.99491618 - Vivo
51.84908721 - Oí
51.82490039 - Tim
"Quem é de Axé diz que é!

"Ogun ko nife o si ewu lona wa"
"Com a proteção de Ogun não haverá nenhum perigo em nosso caminho".

Assistente Supervisor
Forever Living Producto Brasil
"Ubunto" é uma antiga palavra Africana, cujo significado é: "humanidade para todos".
Ubunto também quer dizer "Eu sou o que sou devido ao que todos nós somos".

Página pessoal -
http://joseantoniodossantosdasilva.blogspot.com
http://twitter.com//JASSRS62
Página da UNEGRO Nacional - www.unegro.org.br
__._,_.___
|

Mensagem

Recados para Orkut

TVCom - Questão Racial parte 2

Transplantados maioria são Brancos


Homens brancos são maioria dos transplantados. Negros e mulheres têm menos acesso a cirurgias, segundo Ipea

Date: 2011-07-08

Estudo inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que os efeitos das desigualdades sociais brasileiras se estendem às cirurgias de transplantes de órgãos como coração, fígado, rim, pâncreas e pulmão. A maioria dos transplantados são homens da cor branca.

Agência Brasil - EBC

08/07/2011 - 14h37
Saúde
Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Estudo inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que os efeitos das desigualdades sociais brasileiras se estendem às cirurgias de transplantes de órgãos como coração, fígado, rim, pâncreas e pulmão. A maioria dos transplantados são homens da cor branca.

De acordo com o estudo, de quatro receptores de coração, três são homens; e 56% dos transplantados tem a cor de pele branca. No transplante de fígado; 63% dos receptores são homens e 37% mulheres. De cada dez transplantes de fígado, oito são para pessoas brancas.

Segundo a análise do Ipea, homens e mulheres são igualmente atendidos nos transplantes de pâncreas; mas 93% dos atendidos são brancos. A maioria absoluta de receptores de pulmão também são homens (65%) e pessoas brancas (77%). O mesmo fenômeno ocorre com o transplante de rim: 61% dos receptores são homens; 69% das pessoas atendidas têm pele clara.

“Verificamos que o conjunto de desigualdades brasileiras acaba chegando no último estágio de medicina”, aponta o economista Alexandre Marinho, da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, um dos autores da pesquisa. Ele e outras duas pesquisadoras analisaram dados de 1995 a 2004, fornecidos pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO).

O economista não estudou as causas do fenômeno, mas disse à Agência Brasil que a preparação para o transplante pode explicar as razões da desigualdade. Para fazer a cirurgia de transplante, o receptor deve estar apto: eventualmente mudar a alimentação, tomar medicamentos e fazer exames clínicos – procedimentos de atenção básica.

Segundo Marinho, quem depende exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) - cerca de três quatros da população brasileira - sai em desvantagem, porque tem dificuldade para receber remédios, fazer consultas e exames clínicos. “A situação onera quem tem menos condições de buscar alternativas.”

“O sistema é desigual na ponta [cirurgia de alta complexidade] porque é desigual na entrada”, assinala o economista, ao dizer que quando o SUS tem excelência no atendimento o acesso não é para todos: “Na hora que funciona, quem se apropria são as pessoas mais bem posicionadas socialmente”.

Conforme Marinho, os planos de saúde são resistentes a autorizar procedimentos de alta complexidade, como as cirurgias de transplantes, por causa dos custos. “Os hospitais privados preferem atender por meio do SUS porque sabe que paga”.

O estudo sobre a desigualdade de transplantes de órgãos está disponível no site do Ipea. Segundo Marinho, o documento foi postado ontem (7) e ainda não é do conhecimento do Ministério da Saúde.

De acordo com os dados do Sistema Nacional de Transplantes (SNT), há 1.376 equipes médicas autorizadas a realizar transplantes em 25 estados brasileiros (548 hospitais).

Edição: João Carlos Rodrigues


Agência Brasil - EBC

José Antonio dos Santos da Silva
51.91792404 - Claro
51.95284570 - Vivo
53.99491618 - Vivo
51.84908721 - Oí
51.82490039 - Tim
"Quem é de Axé diz que é!

"Ogun ko nife o si ewu lona wa"
"Com a proteção de Ogun não haverá nenhum perigo em nosso caminho".

Assistente Supervisor
Forever Living Producto Brasil
"Ubunto" é uma antiga palavra Africana, cujo significado é: "humanidade para todos".
Ubunto também quer dizer "Eu sou o que sou devido ao que todos nós somos".

Página pessoal - http://joseantoniodossantosdasilva.blogspot.com
http://twitter.com//JASSRS62
Página da UNEGRO Nacional - www.unegro.org.br
__._,_.___
 

Mensagem


Os Videos Mais Acessados do Youtube do Jornal Negritude

 
Cada dia no gráfico mostra o número total de visualizações realizadas durante aquele dia.
Meus vídeos
Para ver todos os seus vídeos, vá para sua lista de uploads.
/my_videos
Vídeo
Exibições (% do total)
Atenção
Jantar do PTB de Vacaria RS
10,9
Entrevista com João Amaro Borges
10,2
Entrevista com Cris Pereira Ator
7,7
Marta - Autoria de Paulo Furtado
4,7
Jesus Cristo - cover de Roberto Carlos
3,0
Desfile de Brigada Militar de Vacaria RS no dia 07 de Setembro 2010
3,0
Paulo Furtado na Tribuna Livre
2,7
Entrevista Cristiano Taffarel Goleiro do Glória
2,2
Ensaio da Banda Lingerie de Vacaria RS Parte 2
2,0
Desfile do dia 07 de Setembro 2010 em Vacaria RS
2,0
Quem está assistindo aos vídeos deste canal?
Não há dados suficientes para exibir informações demográficas. Tente selecionar um período ou uma região diferente.
Qual a popularidade dos meus vídeos em relação aos enviados por outros usuários?
mais populares
menos populares

Paulo Furtado