Grêmio 1 x 0 Botafogo

Grêmio 1 x 0 Botafogo
Libertadores 2017

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Glória 2 x 1 São Luiz (41)

Glória 2 x 1 São Luiz (40)

Novelas do Passado - Cavalo de Aço







Fonte: Google

Inveja do Estados Unidos da América

Foto: Google

Essa semana a cena que chocou o mundo um policial branco que trabalhava numa Escola nos Estados Unidos arrastou uma menina negra na sala de aula com extrema violência. O policial norte-americanos foi demitido.
Infelizmente no Brasil isso não acontece os policiais racistas e violentos continuam no serviço público vivendo as nossas custas, ferindo as leis e os direitos humanos. Eu que já sofri muita violência policial aqui em Vacaria RS por policiais racistas e violentos. Em 1992 quando era candidato á Vereador pelo PT e Coordenador do Movimento Negro Unificado tive a bandeira do partido quebrada por um sargento marginal, que hoje está aposentado e é alcoólatra e viciado em drogas, nada aconteceu com ele na época, pois os companheiros do partido não deixaram que fizesse um registo de ocorrência. Em 1994 outro policial militar marginal por causa de uma mulher me perseguiu o qual tive que denunciá-lo na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa o qual me perseguiu se utilizando da farda e da viatura do Estado para resolver problemas pessoais comigo, hoje está aposentado como sempre vivendo as nossas custas nada aconteceu com ele. Em 1995 quando vim do Congresso Nacional do MNU fui vitima novamente dessa vez na época de viatura PATAMO que aterrorizava as pessoas de bem tipo da Rota de São Paulo, numa batida policial aliás os mesmos policiais marginais amigos do soldado, usava trança rastafari fui agredido e jogado a minha cabeça contra a parede, tinha sido identificado por ser Paulo Furtado, líder do Movimento Negro e inimigo de um PM, um desses policiais racistas foi assassinado em 2005 por um marginal no Bairro Municipal morreu como um covarde na frente do seu filho. Em 1996 um policial civil marginal hoje virou Comissário de Polícia e continua na ativa me agrediu numa academia o qual era aluno de capoeira e hoje o Meste Pop Line casado com uma vacariana e é Vereador em Curitiba-PR está bem vivo para contar história desse policial mau elemento que está aí enganando na vida pública. Tive que levar esse policial a Comissão de Direitos Humanos de Porto Alegre, graças na época Deputado Estadual Luciana Genro na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e na Ouvidoria da Segurança Pública do RS, nada aconteceu em termos de Vacaria RS tudo foi jogado para baixo do tapete. Em 2006 já como editor do Jornal Negritude em plena praça Daltro Filho as 09 horas da manhã fui detido e algemado  elevado para a Delegacia de Polícia Civil como marginal sem motivos ia acessar a internet na época na antiga Casa Verde do então na época Deputado Estadual Francisco Appio, o Estado do RS foi condenado a me indenizar por danos morais e o processo está parado nos embargos infringentes.
Claro que não sou o único negro a sofrer , a violência policial vários foram perseguidos  no Brasil, mas aqui em Vacaria RS a população de bem se cala  e não tem coragem de fazer o enfrentamento a esses maus policiais civis e militares que cometem delitos e deveriam ser expurgados do serviço público. Mas tem muita coisa podre e imunda nesse Brasil, o caso dos jornalistas que foram espancados e feridos nos Protestos de 2013 por policiais militar fazendo o seu trabalho nada aconteceu e tudo foi esquecido.  Infelizmente esse maus servidores que deveriam zelar pela ética e a segurança nada acontece com eles nem punição. Tenho inveja dos Estados Unidos lá as leis funcionam são sumários com quem merece.

Foto de Uma Leitora Comprova os Pinheiros de Araucária

No local onde está riscado numa foto antiga enviada por uma leitora ao Jornal Negritude mostra onde é atualmente a residência do Prefeito Municipal Elói Poltronieri e outras moradias no local havia pinheiros de Araucária, segundo a Lei de Proteção Ambiental é proibido o corte de vegetação nativa. Fica aí o questionamento e as pessoas que moram no local que forneçam as devidas explicações. A nossa intenção é informar e esclarecer o público.