Rádio WNews

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Show 14 Anos da Jady Ohana



14 Anos da Banda Jady Ohana



Deputada Estadual Marisa Formolo

Leia a notícia na íntegra clicando no título
Caso não queira mais receber nossos e-mails,
Descadastre-se aqui

Deputada Estadual Marisa Formolo

Leia a notícia na íntegra clicando no título
Caso não queira mais receber nossos e-mails,
Descadastre-se aqui

Deputada Estadual Marisa Formolo

Leia a notícia na íntegra clicando no título
Caso não queira mais receber nossos e-mails,
Descadastre-se aqui

Edital Cultura 2014



editalcultura

Calendário de Oficinas para auxiliar os candidatos do Concurso Cultura 2014

RIO GRANDE DO SUL

Gravataí/RS
04/09/2013 – 19h
Grupo Escoteiro Murialdo
Av. José Loureiro da Silva, 900 - Centro

Porto Alegre 
05/09/2013 – 14h
Sala P. F. Gastal /Usina do Gasômetro – 3º andar

10/09/2013 – 14h
Representação Regional Sul
Rua André Puente 441 – Térreo

17/09/2013 – 14h
Museu de Artes do Rio Grande do Sul Ado Malagoli
Praça da Alfândega, s/n°

Caçapava do Sul
09/09/2013 – 19h
Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul
Rua Barão de Caçapava, 621

Rio Grande
10/09/2013 - 16h
Prefeitura Municipal de Rio Grande – Sala Multi Uso
Largo Eng. João Fernandes Moreira, s/n

Caxias do Sul
10/09/2013 – 19h
Cento de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho
Rua Luiz Antunes, 312, Bairro Panazzolo


Canela
13/09/2013 – 19h
Câmara de Vereadores de Canela
Rua da Carlinda, 485


SANTA CATARINA

Joinville
09/09/2013 – 19h
Centro de Eventos Cau Hansen
Av. José Vieira, 315

Florianópolis
10/09/2013 – 19H
Centro Integrado de Cultura
Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica


PARANÁ

Curitiba
06/09/2013 – 14h
Teatro Londrina – Memorial de Curitiba
Rua Claudino dos Santos, s/n – Largo da Ordem

Cascavel
17/09/2013 – 19h
Auditório da Biblioteca Pública
Rua Panamá, 2786

Guarapuava
20/09/2013 – 19h
Casa de Cultura
Rua Alcione Bastos, 511


Mensagem

Amigos,
 

Como se trata de um dos maiores sonhos da humanidade, vamos ajudar na sua realização. 

Próxima sexta-feira!
  
Por favor faça circular, não guarde só para você e nem apague.

Este ano há muitos diagnosticados de câncer que têm estado próximo de nossos lares.
Por todos os amigos, família, seres queridos e aqueles que não conhecemos...

Sexta-feira é o dia mundial do câncer.
  
Agradeço que reencaminhe.
É uma pequena oração.
Só uma linha.
Senhor Deus, rogo-te por uma cura para o câncer. Amém! 

O único pedido é que mantenha este e-mail a circular, ainda que só seja para uma pessoa mais. 
Pela memória de alguém que você conheça que foi vencido pelo câncer ou que ainda vive com ele.
Uma vela não perde nada quando acende outra vela.
Por favor, mantenha esta vela acesa!!!
Imagem removida pelo remetente.
 
 
 
 
 
 
 
 

Inter de Lages SC



Inter estreia em programa de licenciamento de marcas de clubes catarinenses
O Internacional de Lages é o mais novo integrante do Futmarcas, projeto que reúne os principais clubes catarinenses em torno em ações de licenciamento de marcas e produtos. O projeto, vinculado à Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina, tem hoje dez integrantes. Inter e Figueirense foram as adesões mais recentes.
Com a adesão, o Colorado Lageano participará na próxima semana da terceira edição da Feira Futmarcas, evento em que os integrantes do projeto vão não apenas expor produtos oficiais, mas também debater ações de licenciamento conjunto. A feira será realizada nos dias 9 e 10 (segunda e terça-feira), no Centro de Eventos da Univille, em Joinville.
Além de Inter de Lages e Figueirense, fazem parte do projeto Avaí, Criciúma, Chapecoense, Joinville, Metropolitano, Brusque, Camboriú e o Juventus de Jaraguá do Sul. O Inter vai expor alguns de seus produtos oficiais no espaço reservado aos estandes dos clubes, mas vai aproveitar o evento especialmente para conhecer projetos de licenciamento de marca de clubes que têm iniciativas do gênero há mais tempo.
A integração entre os clubes nas ações de licenciamento é uma maiores características do Futmarcas. "Os clubes têm que ser adversários só dentro de campo. Fora dele, quanto mais unidos estivermos, melhor para todo mundo", diz o presidente do Inter, José Carlos Susin.

Orsegups é a nova patrocinadora do Inter para a temporada 2013
A Orsegups, empresa que atua no ramo de segurança privada e também na terceirização de serviços especializados, é a mais nova patrocinadora do Internacional de Lages. A parceria foi acertada na semana passada.
Pelo acordo, a Orsegups vinculará sua marca ao Colorado Lageano até o fim da temporada 2013. A nova parceira já mostrou ser pé quente: na estreia da marca da Orsegups no uniforme do clube, o Inter derrotou o NEC, em casa, por 3 a 0, e com grande exibição da equipe.
Fundada em 1977, a Orsegups é o maior grupo de segurança privada do Sul do país. Com matriz em São José, o grupo, que atua em Santa Catarina e também no Paraná, tem escritório regional em Lages e uma unidade operacional em Curitibanos. Entre as empresas ligadas ao grupo estão Back, Casvig e Visal.
O Inter dá as boas vindas ao novo parceiro e manifesta a certeza de que a união será vitoriosa tanto para o clube quanto para a patrocinadora.

NOS ANEXOS:
- Parte da linha de produtos oficiais do Inter de Lages
- Banner da III Feira Futmarcas
- A Orsegups nas camisas dos zagueiros Erlon (esq.) e Alan (Foto: Dorotóvio Couto)

-- 
Inter de Lages
Imprensa

www.interdelages.com.br

Guarda Municipal

Estive na Delegacia de Policia de Vacaria RS para verificar sobre um convite de esclarecimentos onde estou inquirido na qualidade de Autor/investigado de um TC.1035/152710/B em tese  desacato. Só porque filmei o vídeo e me posicionei sobre o caso de invasão a domicilio na casa da Família Watras, onde fui atendido pela Inspetora de Polícia Adriana Estela Guerreiro Batista o qual percebi está do lado Guarda Municipal já tomou posição no fato. Ai não conseguimos ser interrogado somente para o dia 09/09/2013. Como mencionei num outro vídeo que postei sábado em respeito aos palhaços uma classe artística nobre, mas vou chamar isso de idiotice. Aqui em Vacaria RS não se tem liberdade imprensa e expressão, o espaço para a Guarda Municipal foi dado não quiseram usar o espaço, eu sou o dono do Jornal mas não o dono da verdade. A Guarda Municipal ao invés de estar processando jornalistas e criminalizando os mesmos por atender telefone celular deveriam olhar para si procurar corrigir os erros dos seus agentes e não acobertá-los tentando calar a imprensa. Tenho profundo respeito e carinho por essa instituição, mas não foi o jornal negritude que usa do dinheiro do povo para invadir casa e dar voz prisão, ferindo a constituição e o Artigo 144 paragrafo 8. Não somos os criminosos simplesmente emitimos a nossa opinião não somos pagos para proteger e esconder sujeira de A, B ou C. Com certeza isso é politicagem suja e barata do sr. Prefeito cassado Elói Poltronieri que tem interesse de criminalizar o nosso jornal.

14 Anos de Jady Ohana Show de Gravação do DVD









P1010601

LBV


Personalidades gaúchas participam da campanha de Natal da LBV
Na terça e quarta-feira, 20 e 21, a Legião da Boa Vontade recebeu dezenas de artistas e personalidades para a gravação de videoclipe institucional e para a sessão de fotos da tradicional campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!.
A iniciativa visa mobilizar a população para doar alimentos não perecíveis, que serão entregues, em cestas, às famílias em situação de pobreza atendidas ao longo do ano nos programas socioeducativos da LBV, e as apoiadas por organizações parceiras da Instituição, propiciando um Natal sem fome e mais feliz.
Para cumprir com esse compromisso, a LBV recebeu o apoio de colaboradores e voluntários, bem como de artistas e personalidades da mídia que buscam despertar na população o espírito de Fraternidade Ecumênica e mobilizá-la a fazer doações.
Na capital gaúcha, a ação contou com o apoio do renomado fotógrafo Michael Paz, além dos grupos musicais: Chimarruts, Tchê Barbaridade, Tchê Garotos e Pura Cadência; do jornalista Leo Meira; do cantor Daniel Torres; do ator Felipe Kannenberg; do humorista André Damasceno e dos apresentadores de TV: Edieni Ferigollo, Cláudio Cezar Freitas e Volmir Martins.
As gravações ocorreram no Centro Comunitário de Assistência Social Alziro Zarur da LBV, localizado na Av. São Paulo, 722, esquina com a Av. São Pedro, no bairro São Geraldo. As doações para a campanha podem ser feitas nesse mesmo endereço ou pelo site www.lbv.orgPara outras informações, ligue: (51) 3325-7018.

Nadiele Bortolin
Assessoria de Comunicação da LBV/RS
(51) 3325-7018

Penitenciárias Privadas



Penitenciárias privadas batem recorde de lucro com política do encarceramento em massa
Um único complexo penitenciário na Geórgia tem superavit anual de 50 milhões de dólares

  "A nossa companhia foi fundada no princípio que poderíamos, sim, vender prisões. Da mesma forma como se vendem carros, imóveis ou hambúrgueres".  Simples e objetivo, um dos fundadores da CCA (Corrections Corporation of América), responsável pela privatização de dezenas de penitenciárias nos EUA, define sua área de atuação.

Desde a inauguração em 1983, a empresa passou a fazer parte do seleto grupo das multibilionárias dos EUA com um "produto" no mínimo controverso: prender pessoas. A lógica de mercado é simples: quanto mais presos os centros penitenciários abrigam, mais verbas federais são repassadas para a CCA e outras prisões, aumentando gradativamente os lucros. Segundo o instituto
 Pew Charitable Trusts, o setor registra recordes consecutivos de lucro no decorrer dos últimos anos e é o segundo mais rentável aos investidores do país.

O maior complexo penitenciário da CCA em Lumpkin, Geórgia, por exemplo, recebe 200 dólares por cada preso todos os dias, rendendo um lucro anual de 50 milhões de dólares. Além disso, a empresa potencializa os vencimentos cobrando cinco dólares pelo minuto das ligações telefônicas - provavelmente a taxa por minuto mais cara do planeta. Os presos que trabalham no local - não importa quantas horas - recebem um dólar pelo dia trabalhado.

“Prender pessoas virou um negócio absolutamente lucrativo para iniciativa privada em especial para os lobistas que vão até Washington para garantir que as leis e a legislação do país funcionem para garantir que os pobres continuem sendo enviados ao cárcere”, afirma o cientista político Chris Kirkham ao portal
 Huffington Post.

Com a implantação da dinâmica de mercado às prisões, a população carcerária dos EUA teve um crescimento de mais de 500% - valor que representa 2,2 milhões de pessoas nas prisões norte-americanas. Os EUA, aliás, abrigam 25% da população carcerária do mundo.

Assim como Kirkman, ativistas sociais e grupos ligados aos Direitos Humanos acusam o governo e a iniciativa privada de promover uma “máquina”, que “gera pobres e marginalizados” para serem enviados à prisão mais tarde. “É um sistema de encarceramento massivo. Ou seja, você precisa promover a pobreza e não oferecer suporte – como educação de qualidade. Então, não resta outro caminho a não ser a criminalidade e, depois, a prisão. É um círculo que ajuda a manter as penitenciárias privadas lucrando”, afirma o ativista norte-americano Michael Snyder.

Os EUA gastaram cerca de 300 bilhões de dólares desde 1980 para expandir o sistema penitenciário. A justificativa oficial de Washington  para a utilização de prisões privadas, reiterada ao longo dos anos, é que compensa pagar uma quantia per capita às penitenciárias por preso a ter que arcar pelos custos de manutenção das prisões.
 
Situação dramática para negros

Se no contexto geral a política de encarceramento massivo já é crítica para as camadas populares, quando observado apenas entre os negros, o cenário é ainda mais dramático: estão presos 40% dos homens negros entre os 20 e 30 anos que não concluíram o ensino médio. Segundo o instituto de pesquisas sociais Pew Charitable Trusts, homens negros que não tiveram chance de concluir os estudos têm mais chances de serem presos do que conseguirem um trabalho.

Segundo dados oficiais, cerca de metade da população carcerária dos EUA é composta por negros. Em contrapartida, 12% da população norte-americana é composta por afro-americanos. “A pobreza é uma armadilha para a prisão. E quem mais sofre com isso são os negros que são estão em desvantagem na sociedade norte-americana”, afirma o professor da sociologia de Harvard, Bruce Western.