Grêmio 1 x 0 Botafogo

Grêmio 1 x 0 Botafogo
Libertadores 2017

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Semana contra as Drogas

Polícia Civil lança Semana contra as Drogas
23/06/2009 13:36



O Denarc — Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico — se especializa na luta contra os crimes de tráfico e associação ao tráfico. Antecipando-se ao dia 26 de junho, Dia Internacional de Combate ao Tráfico de Drogas, lança a semana contra as drogas, com a campanha “Salve vidas denunciando ao DENARC”.

Nesta segunda-feira (22/06), será realizada palestra pela Divisão de Prevenção e Educação (Dipe), às 19 horas, na Rua Novo Hamburgo, nº 1079, na Câmara Municipal de Vereadores, na cidade de Dois Irmãos (RS). Ocorrerá distribuição de camisetas do Disque-Denarc 0800 518 518 (conforme foto), cartilhas e folderes da campanha de combate às drogas, coordenada pelo Denarc.

De acordo com o diretor do Denarc, delegado João Bancolini, a magnitude do problema, verificada nos últimos tempos, ganhou proporções graves, sendo hoje um problema de saúde pública. Por isso, não podemos fazer vistas grossas à realidade brasileira, pois ela reflete-se em vários segmentos da sociedade, tais como: acidentes de trânsito, de trabalho, violência doméstica e um crescimento assustador da criminalidade (furtos, roubos e homicídios). O combate às drogas deve se dar também no âmbito educacional, psico-social, econômico e principalmente, preventivo e educativo.

Tratando de combate, o delegado Bancolini informa que profissionais, como médicos, enfermeiros, professores, psicólogos, assistentes sociais, entre outros, devem estar atentos aos sintomas das vítimas usuárias de drogas e, imediatamente, comunicarem ou denunciarem o fato às autoridades competentes.

Com o objetivo de municiar estes especialistas o Denarc realizará palestras, cursos para prevenir e educar, durante os próximos meses. Também distribuirá materiais voltados as suas práticas. O projeto se estende a todo o Rio Grande do Sul, devendo-se apenas solicitar os referidos cursos ao departamento (Dipe/Denarc), através do e-mail denarc-dipe@pc.rs.gov.br ou pelo telefone número (51) 3288 9965, em horário comercial.

Para Bancolini o principal motivo da campanha “Salve vidas denunciando ao Denarc”, é justamente acabar com a venda de drogas, assim, garantindo a proteção, o que incentivaria a denúncia para coibir este tipo de delito.


Calendário de eventos do Denarc:

Segunda-feira (22/06), às 19 horas – Abertura da semana de combate às drogas - Palestra da Dipe na Câmara Municipal de Vereadores em Dois Irmãos (RS) sobre “Prevenção ao uso indevido de drogas”.Local: Rua Novo Hamburgo, nº1079-Centro- Dois Irmãos- RS

Terça-feira - (23/06), às 9h40min – Palestra da Dipe na Escola Estadual Érico Veríssimo em Esteio (RS)
Local: Rua Santana nº 253 –Esteio - RS

Quarta-feira - (24/06), manhã – Incineração de drogas autorizadas pela Justiça

Quinta-feira – (25/06), 9h30min – Palestra na Associação Cristã de Moços (ACM)
Local: Rua Santa Catarina nº105 - Zona Norte –POA

Sexta-feira (26/06)- às 14 horas – Palestra da Dipe no Colégio Estadual Inácio Montanha
Local: Av. João Pessoa – bairro Azenha –POA

Domingo (28/06) - manhã – Apoio - Caminhada contra as drogas na Redenção


ESTRUTURA DO DENARC

O Denarc tem a Divisão de Prevenção e Educação (Dipe), coordenada pelo delegado Roberto Leite Pimentel, que está voltada ao desenvolvimento de programas, cursos e palestras de prevenção à disseminação do tráfico e uso de drogas, atividade esta que aproxima o Denarc da comunidade. Somente no ano de 2008, foram realizados pela Dipe 95 cursos e palestras entre os meses de maio a setembro, atingindo aproximadamente 7.555 pessoas, que poderão repassar aos seus municípios, informações especializadas no assunto.

Na parte investigativa, o departamento possui a Divisão de Investigação do Narcotráfico (Dinarc), que é divisão operacional, responsável pela repressão ao tráfico e consumo de substâncias entorpecentes. Ela é composta por quatro Delegacias do Narcotráfico e pela DPPA/COT, contando, ainda, na sua estrutura com um Depósito de Drogas e um Arquivo/Almoxarifado. A divisão é comandada pelo delegado Luis Fernando Martins Oliveira e tem a colaboração dos delegados de polícia Márcio Zachello (1ªDIN); Cleber dos Santos Lima (2ªDIN), Cleomar Marangoni (3ªDIN) e Daniel Ordahi (4ªDIN).

Possui ainda, a Divisão de Informações Criminais (DIC), que tem como atribuição fundamental o serviço de análise criminal. Além do processamento de informes relativos à ação de narcotraficantes, mantém atualizado o banco de dados, bem como subsidia a área operacional da Dinarc e, ainda, as Divisões Regionais Metropolitanas (DRM’s) e as Delegacias Regionais de Polícia (DRP’s). A Divisão de Informações Criminais do Denarc exerce suas atividades com uma visão técnica voltada para o futuro, dando ênfase a toda atividade desenvolvida na área de inteligência policial.

DIA INTERNACIONAL DE COMBATE AO TRÁFICO DE DROGAS

Em 1987, a Assembleia Geral da ONU decidiu celebrar, todos os anos, a 26 de Junho, o Dia Internacional contra o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas, como forma de expressar a sua determinação em reforçar a ação e a cooperação, no intuito de alcançar o objetivo de uma sociedade internacional liberta do abuso de drogas. Esta medida foi tomada a 7 de Dezembro de 1987 (resolução 42/112), na seqüência de uma recomendação da Conferência Internacional sobre o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas, realizada em 1987, que, no dia 26 de Junho, aprovou o Plano Multidisciplinar Geral sobre Atividades Futuras de Luta contra o Abuso de Drogas.

Fonte: Ascom/ PC

Polícia prende pedófilo

Polícia Civil prende pedófilo em Gravataí
23/06/2009 13:51


Agentes da 1ª Delegacia de Polícia de Gravataí prenderam às 8h30min dessa segunda-feira (22/06), no interior da Prefeitura Municipal de Eldorado do Sul um homem de 20 anos, o qual teria abusado sexualmente de uma criança de apenas nove anos idade. O crime teria ocorrido no dia 13 de junho, em camping localizado no Distrito de Morungava, interior de Gravataí. O autor era estagiário da Prefeitura e também instrutor de um grupo de escoteiros do município.

O fato ocorreu no interior da barraca de camping na qual o instrutor dormiu acompanhado de um dos seus alunos. Segundo informações da polícia de Gravataí, a criança foi obrigada a praticar relações sexuais com o suspeito. O delegado Anderson Spier, titular da 1ª DP de Gravataí, representou pela prisão preventiva e mandado de busca e apreensão na residência do autor. Foram apreendidas e localizadas dezenas de revistas pornográficas, jogos, e DVDs de conteúdo erótico, além do computador do suspeito. Também foi recolhida uma lista de sites pornográficos visitados pelo autor.

O equipamento apreendido será entregue para a perícia e as investigações terão prosseguimento, inclusive com os depoimentos dos demais escoteiros do grupo, visto que há suspeitas de que o autor tenha abusado de outras crianças. O detido foi encaminhado ao Presídio Central.

Fonte: Ascom/ PC

Brigada apreende cigarros

Brigada Militar apreende cigarros contrabandeados em Porto Alegre
23/06/2009 13:59


Na manhã desta terça-feira (23/6), na avenida Circular, Vila Jardim, em Porto Alegre, o Comando de Policiamento da Capital montou grande operação, após receber denúncia anônima de que no pátio de uma empresa de transportes havia cigarros contrabandeados dentro de um caminhão com milho. Foram utilizadas viaturas da Agência de Inteligência do CPC e do 11° Batalhão de Polícia Militar.

Na sede da transportadora foram encontrados dentro do caminhão carreta mais de 100 mil maços de cigarros. Foram apreendidos uma caminhonete F1000 e um Fiat Siena, que eram utilizados na distribuição do contrabando. As seis pessoas que estavam na transportadora foram conduzidas para Delegacia de Polícia.

Fonte: Ascom/ BM

Modelo Negra é a campeã de desfile do SPFW

Modelo negra é a campeã de desfiles do SPFW
Gracie Carvalho pisou em 29 passarelas só na semana de moda paulista e diz que cor da pele nunca favoreceu nem atrapalhou.. ..

http://revistaepoca sp.globo. com/Revista/ Epoca/SP/ 0,,EMI78507- 15571,00- MODELO+NEGRA+ E+A+CAMPEA+ DE+DESFILES+ DO+SPFW.html


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .
__._,_.___

Velha-Guarda Imperadores do Samba


PrezadoAmigo( a):

Tenho a satisfação de convidar-lhe para mais um encontro da Velha-Guarda Imperadores do Samba, que será uma oportunidade muito especial de nos reunirmos e, juntos, confraternizar mais um almoço que tem como objetivo principal a “Integração de Alas”.

É com muita satisfação que a “Ala Povo Meu” participará de nosso almoço.

O almoço acontecerá na sábado, 04/07/09, a partir das 12h, na quadra da vermelho e branco (Av. Padre Cacique, 1567).
Aos convidados caberá o pagamento no valor de R$12,00.

Espero que esse almoço se torne uma recordação muito feliz para todos nós que participamos do evento.

Com afeto, já agradecendo antecipadamente por sua presença,







Vilmar Fernando Belíssimo

Presidente



Ibanez dos Santos

Vice-Presidente



Glaci Conceição da Silva

Secretária



João Restori

1º Tesoureiro



Juacy Joaquim dos Santos

2º Tesoureiro

__._,_.___

Preconceito piora o desempenho escolar

18 de junho de 2009 | N° 16004
Alerta Voltar para a edição de hoje EDUCAÇÃO
Preconceito piora o desempenho na escola
Estudo feito na rede pública a pedido do MEC mostrou que uma das experiências mais nocivas é o bullyingAlunos zombando de outros alunos, de professores ou de funcionários do local onde estudam é, mais do que brincadeira de mau gosto, sinal de pior rendimento escolar. Uma pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a pedido do Ministério da Educação (MEC) demonstrou que, quanto mais preconceito e práticas discriminatórias existem em uma escola pública, pior é o desempenho de seus estudantes.

Entre as experiências mais nocivas vividas por esses jovens está o bullying, que é a humilhação perante colegas por motivo de preconceito.

Para chegar a essa associação entre o grau de intolerância e o desempenho escolar, o estudo considerou os resultados obtidos por alunos na Prova Brasil de 2007, exame de habilidades em português e matemática realizado por quem cursa da 4ª à 8ª série do Ensino Fundamental da rede pública. A conclusão foi que as escolas com notas mais baixas registraram maior nível de aversão ao que é diferente. O MEC não informou que medidas pretende tomar a respeito dessa constatação.

As consequências são mais graves quando as vítimas de zombaria são os professores.

– A conjectura que podemos fazer é que o bullying gera um ambiente que não é propício ao aprendizado – afirma o economista José Afonso Mazzon, coordenador da pesquisa.

Levantamento aponta impacto da religião

De acordo com o estudo, as vítimas mais frequentes de bullying são, respectivamente, negros, pobres e homossexuais.

– O indivíduo que nasce negro, pobre e homossexual está com um carimbo muito sério pela vida toda – diz Mazzon, para quem o preconceito vem de fora da escola, normalmente da própria família.

Foram entrevistadas 18,5 mil pessoas entre alunos, pais, diretores, professores e funcionários de 501 escolas de todo o Brasil. Entre os estudantes, participaram da pesquisa os que cursam a 7ª ou 8ª série do Ensino Fundamental, o 3º ano do Ensino Médio e o antigo supletivo, o EJA (Educação para Jovens e Adultos). Do total de estudantes, 70% têm menos de 20 anos.

O estudo mostrou ainda que alunos com forte participação religiosa tendem a ser mais preconceituosos, principalmente em relação a homossexuais. A maioria dos estudantes que participaram do estudo é católica (65%). Evangélicos são o segundo maior grupo (31,2%).

Outra constatação foi que os veículos de comunicação – rádios, TV, jornais e revistas – servem como ferramenta de combate ao preconceito. Pessoas que têm mais contato com a mídia demonstraram maior tolerância, diferença percebida principalmente em questões de gênero, deficiência, étnicas, raciais e de geração.



MultimídiaDiscriminação nas escolas públicas
Fonte: Zero Hora

AGAFAL

Porto Alegre, 18 de junho de 2009.



Senhores.



A AGAFAL – Associação Gaúcha de Doença Falciforme, através da presente, vem à presença dessa Entidade, para comunicar a composição de sua Nova Diretoria eleita em dois de junho de 2009.Para o biênio 2009 – 2011.



Esta Associação aproveita a oportunidade e informa a Vossas Senhorias, que está a disposição para quaisquer esclarecimentos, caso haja necessidade, sobre esta Associação, no seu novo endereço eletrônico, agafalpoa@gmail. com



Em nome da nova direção da AGAFAL,renovamos nossa manifestação de apreço e consideração.



Atenciosamente.



Neusa Carvalho – Presidente

Helena Costa – Vice Presidente

DIRETORIA



NEUSA MARIA DA ROCHA CARVALHO HELENA MARI ROCHA DA COSTA

PRESIDENTE VICE PRESIDENCIA



NILZA LESSA SUZANA AMARAL

TESOUREIRO 2º TESOUREIRO



JANINE ELISA RANGEL MARIA MADALENA S. SANTOS

SECRETÁRIA 2º SECRETÁRIA.



COMISSÕES

DIVULGAÇÃO

Drª. CRISTINA BITTAR



PLANEJAMENTO

Drª. LUCIA MARIANO DA ROCHA SILLA

Drº. JOÃO RICARDO FRIEDRISCH



SOCIAL

ROSAURA FERREIRA

EVANDOIR CARVALHO DOS SANTOS

NARA ADRIANA DA SILVA RODRIGUES

__._,_.___

No Brasil é Duro ser Negro

Estimados, recebi e achei muito importante em repassar para que possam fazer sua avaliação.



Asé.



José Antonio dos Santos da Silva






--------------------------------------------------------------------------------

De: uniafro@yahoogrupos .com.br [mailto:uniafro@ yahoogrupos. com.br] Em nome de Lilian Almeida
Enviada em: terça-feira, 23 de junho de 2009 19:39
Para: Lilian Almeida
Assunto: [uniafro] "Então é verdade, no Brasil é duro ser negro?"












----- Mensagem encaminhada ----
De: Jesiel Oliveira Filho



---------- Forwarded message ----------
From: hederandrade
Date: 2009/6/22


"Então é verdade, no Brasil é duro ser negro?"
A mais importante atriz de Moçambique diz ter sofrido discriminação racial em São PauloEliane Brum


Revista Época

Fazia tempo que eu não sentia tanta vergonha. Terminava a entrevista com a bela Lucrécia Paco, a maior atriz moçambicana, no início da tarde desta sexta-feira, 19/6, quando fiz aquela pergunta clássica, que sempre parece obrigatória quando entrevistamos algum negro no Brasil ou fora dele. "Você já sofreu discriminação por ser negra?". Eu imaginava que sim. Afinal, Lucrécia nasceu antes da independência de Moçambique e viaja com suas peças teatrais pelo mundo inteiro. Eu só não imaginava a resposta: "Sim. Ontem".

Lucrécia falou com ênfase. E com dor. "Aqui?", eu perguntei, num tom mais alto que o habitual. "Sim, no Shopping Paulista, quando estava na fila da casa de câmbio trocando meus últimos dólares", contou. "Como assim?", perguntei, sentindo meu rosto ficar vermelho.
Ela estava na fila da casa de câmbio, quando a mulher da frente, branca, loira, se virou para ela: "Ai, minha bolsa", apertando a bolsa contra o corpo. Lucrécia levou um susto. Ela estava longe, pensando na timbila, um instrumento tradicional moçambicano, semelhante a um xilofone, que a acompanha na peça que estreará nesta sexta-feira e ainda não havia chegado a São Paulo. Imaginou que havia encostado, sem querer, na bolsa da mulher. "Desculpa, eu nem percebi", disse.

A mulher tornou-se ainda mais agressiva. "Ah, agora diz que tocou sem querer?", ironizou. "Pois eu vou chamar os seguranças, vou chamar a polícia de imigração." Lucrécia conta que se sentiu muito humilhada, que parecia que a estavam despindo diante de todos. Mas reagiu. "Pois a senhora saiba que eu não sou imigrante. Nem quero ser. E saiba também que os brasileiros estão chegando aos milhares para trabalhar nas obras de Moçambique e nós os recebemos de braços abertos."

A mulher continuou resmungando. Um segurança apareceu na porta. Lucrécia trocou seus dólares e foi embora. Mal, muito mal. Seus colegas moçambicanos, que a esperavam do lado de fora, disseram que era para esquecer. Nenhum deles sabia que no Brasil o racismo é crime inafiançável. Como poderiam?

Lucrécia não consegue esquecer. "Não pude dormir à noite, fiquei muito mal", diz. "Comecei a ficar paranoica, a ver sinais de discriminação no restaurante, em todo o lugar que ia. E eu não quero isso pra mim." Em seus 39 anos de vida dura, num país que foi colônia portuguesa até 1975 e, depois, devastado por 20 anos de guerra civil, Lucrécia nunca tinha passado por nada assim. "Eu nunca fui discriminada dessa maneira", diz. "Dá uma dor na gente. "

Ela veio ao Brasil a convite do Itaú Cultural, que realiza até 26 de junho, em São Paulo, o Antídoto – Seminário Internacional de Ações Culturais em Zonas de Conflito. Lucrécia apresentará de hoje a domingo (19 a 22/6), sempre às 20h, a peça Mulher Asfalto. Nela, interpreta uma prostituta que, diante de seu corpo violado de todas as formas, só tem a palavra para se manter viva.

Lucrécia e o autor do texto, Alain-Kamal Martial, estavam em Madagáscar, em 2005, quando assistiram, impotentes, uma prostituta ser brutalmente espancada por um policial nas ruas da capital, Antananarivo. A mulher caía no chão e se levantava. Caía de novo e mais uma vez se levantava. Caía e se levantava sem deixar de falar. Isso se repetiu até que nem mesmo eles puderam continuar assistindo. "Era a palavra que a fazia levantar", diz Lucrécia. "Sua voz a manteve viva." Foi assim que surgiu o texto, como uma forma de romper a impotência e levar aquela voz simbólica para os palcos do mundo.

Mais tarde, em 2007, Lucrécia montou o atual espetáculo quando uma quadrilha de traficantes de meninas foi desbaratada em Moçambique. Eles sequestravam crianças e as levavam à África do Sul. Uma menina morreu depois de ser violada de todas as maneiras com uma chave de fenda. Lucrécia sentiu-se novamente confrontada. E montou o Mulher Asfalto.

Não poderia imaginar que também ela se sentiria violada e impotente, quase sem voz, diante da cliente de um shopping em um outro continente, na cidade mais rica e moderna do Brasil. Nesta manhã de sexta-feira, Lucrécia estava abatida, esquecendo palavras. Trocou o horário da entrevista, depois errou o local. Lucrécia não está bem. E vai precisar de toda a sua voz – e de todas as palavras – para encarnar sua personagem nesta noite de estréia.

"Fiquei pensando", me disse. "Será que então é verdade? Que no Brasil é difícil ser negro? Que a vida é muito dura para um preto no Brasil?" Eu fiquei muda. A vergonha arrancou a minha voz.

.

Lindo Dia

Poa, 24/06/09

Olá!

Dei uma passadinha por aqui,

só para ver como você estava e te desejar um

ÓTIMO DIA!!!

Lembre-se, hoje é um dia muito especial,

Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,

Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.

Bom Dia!!!

Beijos.

Deise Nunes.

AMUCSER se reune em Vacaria RS

AMUCSER se reune em Vacaria
O encontro acontece nesta quarta feira,dia24/06com a presença do Secretário Estadual de Ciência e Tecnologia

Nesta quarta feira Associação dos Municípios dos Campos de Cima da Serra – promove reunião - almoço em Vacaria . Estarão no encontro o Secretário Estadual de Ciência e Tecnologia Artur Lorentz que irá falar sobre a nova Lei para a pesquisa cientifica e tecnológica . Também estarão no encontro Presidente da Fepagro Benami Bacaltchuk e o Reitor da UERGS professor Carlos Alberto Martins Callegaro que na ocasião assinará um convênio com a Prefeitura de Vacaria . Administração vai reapassar 45 mil reais para serem investidos no laboratóro de informática e na biblioteca . Fazem parte da AMUCSER os Municipios de Vacaria , Bom Jesus ,
São José dos Ausentes , Jaquirana , Monte Alegre dos Campos , Campestre , Ipe , Muitos Capões , Esmeralda , Pinhal da Serra e André da Rocha .

Rádio Fátima AM (Jornalismo), 24/06/2009, 07h52

Mobilização Nacional

Rio de Janeiro, 24 de junho de 2009
Mobilização Nacional em Defesa dos Direitos Quilombolas
A Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas organiza, para o dia 25 de junho de 2009, Mobilização Nacional em Defesa dos Direitos Quilombolas. Somos cerca de 5.000 Comunidades Quilombolas em todo o Brasil. Atualmente, vivemos um momento de ataque aos direitos Quilombolas, garantidos na Constituição Federal de 1988. O Decreto 4887/2003 hoje sofre ameaça pela ADI 3239, do STF, de autoria do Democratas. Projetos de Lei e de Emenda Constitucional no Congresso Nacional também questionam nossos marcos legais.
•Exigimos a regularização de nossos territórios tradicionais, conforme estabelecido no Artigo 68 do ADCT da Constituição Federal!

•Exigimos a manutenção e o fortalecimento de nossa base legal, com ênfase para o Decreto 4887/2003!

•Exigimos a implementação efetiva de políticas públicas sociais, de infra-estrutura e econômicas que reduzam a vulnerabilidade de nosso povo e respeitem nossa cultura, usos e costumes!



Como você pode participar?
Através do acompanhando da transmissão do evento no site www.mocambos.net e também mandando mensagens de texto e/ou audiovisual para o seguinte endereço de Skype (pesquisa no skype) Mobilização Quilombola “mobilização.quilombola” ou adicionar com e-mail:. conaqsecretaria@yahoo.com.br . E...



Assine o Manifesto pelos Direitos Quilombolas



MOBILIZAÇÃO NACIONAL EM DEFESA DOS DIREITOS QUILOMBOLAS

Data: Quinta-feira, 25 de junho de 2009

Local: Esplanada dos Ministérios, Bloco A, Caminhada até Praça dos 3 Poderes. Horário: Início da Concentração às 14 horas



Conheça e acesse: www.global.org.br




Este e-mail foi enviado com a ferramenta de envio de e-mail da Ethymos, o "Jaiminho", que está de acordo com as políticas anti-spam. Você pode cancelar e deixar de receber se você quiser.

Alerta contra o Crack