Rádio WNews

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Entrevista do Técnico Paulo Porto do Glória Parte 3

- Leandro Rodrigues jogou a ultima partida do gauchão pelo São Luiz, ele tinha ficado uma semana parado. com dor no tornozelo, quase vinte dias que não treina chegou aqui nós colocamos ele a treinar nos últimos dias, ele não tinha condições de jogo 90 minutos e a movimentação dele no jogo ele não tinha mais perna, como ele esta movimentando no inicio e por isso tiramos e tinha o Simovic que estava inteiro no banco.
Reportagem de Paulo Furtado

Lei Cria Atendimento Especial a Mulher Vítima de Violência

Sancionada lei que cria atendimento especial à mulher vítima de violência
27/04/2010 15:00


A governadora Yeda Crusius sancionou projeto de lei que cria regime especial de atendimento à mulher vítima de violência doméstica e familiar, nos serviços públicos de Saúde, de referência em cirurgia plástica, no âmbito do Rio Grande do Sul, se o dano físico necessitar de procedimento cirúrgico estético reparador. A Lei 13.448 foi publicada no Diário Oficial do Estado de sexta-feira (23).

Caracteriza-se o dano físico-estético quando a mulher apresentar, em decorrência de violência doméstica e familiar, qualquer deformidade ou deficiência em relação aos parâmetros clínicos-estéticos reconhecidos pela comunidade médica. Além do regime especial ou preferência no serviço, lei prevê capacitação e treinamento de profissionais para acolhimento e assistência às vítimas.

Após a efetiva comprovação da agressão sofrida pela mulher e da existência de dano à integridade física, atestado por laudo, os serviços de saúde adotarão as medidas necessárias para que seja realizado, prioritariamente, procedimento cirúrgico. Em seguida deverá ser feita, mediante autorização da vítima, a inscrição em cadastro único a ser mantido pela Secretaria da Saúde. O procedimento deverá nortear a ordem de atendimento, ressalvando-se os casos de risco iminente de dano irreversível, que impliquem na necessidade de intervenção imediata dos profissionais responsáveis pelo atendimento. O projeto, de autoria do deputado Raul Carrion (PCdoB), foi aprovado por unanimidade no Legislativo.

Resgate da dignidade

"Estamos desenvolvendo programas e ações que conscientizem e coibam a violência doméstica, resgatando a dignidade e a cidadania da população feminina", destacou a governadora. Yeda Crusius lembrou que estão sendo abertas Delegacias da Mulher no Estado. "Criaremos agora as condições para que sejam atendidas as vítimas de agressão que apresentarem cicatrizes e outros danos físicos incapacitantes, que as obriguem a abandonar suas rotinas", disse, salientando que a idéia é que o tratamento as devolvam à vida.

Em dezembro, Yeda sancionou projeto, de autoria da deputada Zilá Breitenbach (PSDB), que institui 7 de agosto Dia Estadual em Comemoração à Lei Maria da Penha. A data busca divulgar a lei que protege as mulheres contra a violência e tem o objetivo de valorizar e apoiar a realização de encontros, exposições, estudos, debates, eventos e atividades relacionadas à família e à mulher gaúcha. A Lei Maria da Penha estabeleceu medidas para prevenir, punir e erradicar a violência contra a mulher e a eliminação de todas as formas de discriminação.

Fonte: Portal do Governo do Estado

Bichos e Amigos

Bichos & Amigos estréia novo endereço do brechó

Neste domingo, dia 2 de maio, será realizado o primeiro brechó do ano da ONG Bichos & Amigos, estreiando a nova sede - rua Aliança, 289, Jardim Lindóia, a duas quadras do Shopping Lindóia, Porto Alegre. O evento acontece das 10h às 18h, com venda de roupas femininas, masculinas e infantis, calçados, bijouteria, enfeites, livros, CDs, LPs, equipamentos e outros. Toda a renda obtida é destinada ao sustento de mais de 150 gatos e cachorros acolhidos pela entidade, além de tratamento veterinário, esterilização e despesas afins. Informações em www.bichoseamigos.org.br, 51-8461-5077 ou bichoseamigos@bichoseamigos.org.br. Os animais agradecem

Casos da Lei Maria da Penha em Vacaria RS

Polícia registra aumento nos casos de Maria da Penha

Só neste final de semana foram três casos de agressões contra mulheres registrados na Delegacia de Polícia de Vacaria. De acordo com o delegado responsável, Vitor Fernando Boff, os registros de Maria da Penha vem crescendo a cada mês. Ele tem solicitado ao Poder Judiciário, em média, cinco medidas protetivas por semana, tendo em vista que muitas vítimas são ameaçadas de morte pelos seus companheiros.
A medida protetiva é solicitada somente em casos mais graves, as demais ocorrências seguem com a tramitação normal na Delegacia da Mulher e depois no Poder Judiciário.
Entre os casos mais graves registrados neste final de semana está o de uma mulher, de 45 anos, que foi agredida pelo companheiro. Ela foi socorrida pela Brigada Militar e encaminhada ao Hospital Nossa Senhora da Oliveira. O agressor responderá a processo judicial e poderá ser condenado a três anos de prisão.



Rádio Fátima AM (Jornalismo), 26/04/2010, 08h45

News Negro

Conselho Municipal de Cidadania Negra realiza debates para definir ...
Rondoniaovivo
As constantes reuniões realizadas na Fundação Iaripuna, dão conta dos trabalhos do Conegro, para definição do calendário de atividades do ano de 2010. ...
Veja todos os artigos sobre este tópico

Após polêmica racista, STJD denuncia Danilo e Manoel
Estadão
Depois da polêmica racista protagonizada por Danilo, do Palmeiras, e Manoel, do Atlético-PR, na última quarta, ambos acabaram denunciados no Superior ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Após ofensa racista, Palmeiras teme represálias da torcida
Estadão
O Palmeiras viajou na noite desta segunda-feira para Curitiba preocupado com a segurança. Após a confusão envolvendo o zagueiro Danilo com Manoel, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Torcida do Coritiba fez manifestação racista no Atletiba
Furacao.com
A rivalidade sadia do futebol foi substituída por uma lamentável ação racista de torcedores do Coritiba no clássico Atletiba do último domingo, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico

Skinheads são presos por espancar morador de rua negro
Jornal do Estado
Um homem negro de 22 anos foi agredido e xingado de "macaco" e "preto" na noite de sábado, quando passava pela Rua Formosa, na região do Vale do Anhangabaú, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Danilo ouve coro de racista na volta à Arena da Baixada
Terra Brasil
De volta à Arena pela primeira vez desde que deixou o time rubro-negro, em litígio com a diretoria, no final de 2008, Danilo ouviu o coro de racista por ter ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Atleticanos vão pintar a cara contra o racismo
Furacao.com
Uma série de manifestações da torcida atleticana marcará a revolta dos torcedores contra o ato racista protagonizado pelo zagueiro Danilo contra Manoel, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Diego Souza se diz preparado para clima hostil na Arena
Estadão
A polêmica de cunho racista envolvendo o palmeirense Danilo eo atleticano Manoel tem tudo para influir diretamente no jogo desta quarta-feira, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
O Coritiba pode ir a julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva ...
Paraná-Online (Assinatura)
Também chamam a torcida do Coxa de nazi, pelo clube ter descendência alemã, como se todo alemão fosse racista. Quem discrimina mesmo? esperar oq de um time ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Para futebol, cuspe é pior que ofensa racial
Gazeta do Povo
Caso seja comprovada a atitude racista, o ex-jogador do Atlético também poderá responder ao artigo 243-G (praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Torcida faz protesto, xinga e pressiona, mas esquece Danilo após ...
iG Esporte
Ofensa racista levou torcedores do Atlético-PR a pintarem o rosto de negro Antes mesmo da bola rolar na Arena da Baixada, o palmeirense Danilo já era o nome ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Atlético-MG, Palmeiras e Vitória passam para as quartas de final
Jornal do Comércio
A partida, na Arena da Baixada, era a mais esperada da rodada, por conta da injúria racista de Danilo a Manoel no jogo de ida. Mais cedo, Vasco e Santos se ...
Veja todos os artigos sobre este tópico


África do Sul celebra fim do apartheid
Tudo Global (Blogue)
No início do século 20, os descendentes dos colonos já promulgavam leis que garantissem o poder sobre a população negra. A partir de 1948, a segregação foi ...
Veja todos os artigos sobre este tópico

|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||

Oitvano Homicídio em Vacaria RS

Registrado o oitavo homicídio de 2010 em Vacaria

Através de uma denúncia anônima, a Polícia Civil encontrou um homem morto em uma casa, na Rua Belo Horizonte, bairro Imperial.
Ele apresentava vários ferimentos, especialmente na cabeça. A suspeita é que um facão tenha sido utilizado na morte dele. A porta da residência estava aberta e o cadáver em estado de decomposição.
A Polícia trabalha para identificar a vítima. Segundo relato de moradores das proximidades ele trabalhava em Antônio Prado e possivelmente tenha sido morto no domingo, pois passava os finais de semana em Vacaria.



Rádio Fátima AM (Jornalismo), 28/04/2010, 08h55

Entrevista Técnico Paulo Porto do Glória parte 3

- Nós iniciamos o jogo é estávamos querendo jogar a bola curta campo que a bola não parava não tinha condições especialmente do lado oposto das sociais aqui lá não tinha condições de jogo, então é claro que a gente alertou nós já tinha-mos conversando antes de entrar em campo hoje a gente tinha que jogar conforme as condições do campo, mas graças adeus a gente tomou o gol no inicio e logo em seguida conseguiu virar fazer 2 x 1 e terminando o segundo tempo, deu condição de a gente melhorar no segundo tempo o jogo como deveria ser jogado e o segundo tempo não temos nada a reparar porque tivemos qualidade e muita raça e confiança.
(Conitnua na proóxima edição)
Reportagem de Paulo Furtado

Ruy Carlos Ostermann


Constrangedoramente pessoal
Ruy Carlos Ostermann

Decidi, sem nenhum ressentimento prévio, refazer o lugar dos meus livros nas estantes que circundam minha mesa de trabalho (papéis, livros, cola, carimbo, pente, mais papéis de outra procedência, uma pilha de CDs, dois cadernos, uma fita verde, dois esparadrapos, um marcador de páginas quebrado, um pote de cerâmica com esferográficas, um pincel ressecado, dois lápis sem ponta, uma escova de roupa, várias borrachinhas e clipes, um pouco de pó, outro tanto de cupim). Estantes que entram pelo corredor, sem sucesso. Falta espaço, sobram livros, ou vice-versa.

Sempre há surpresas e, de alguma forma, a biografia recente fica atualizada. Já falei do último Nabokov. Ele, agora com duas edições impecáveis e elegantes, está num lugar proeminente, quase iluminado pela franja que vem da janela que abre para o pátio e as árvores. É uma conquista desses tempos apressados de leitura oblíqua. Já viajou comigo, voltou para a beira da cama, saiu de lá outro dia cheio de anotações e entusiasmos (foi do que escrevi) e agora repousa no lugar preferencial, entre outros Nabokovs e não muito longe do Noam Chomsky, o que só pode ser melhor entendido pelo caráter acidental da ordem ortográfica.

Mais nenhuma surpresa. A lenta e nova acumulação dos livros só me dá orgulho. As identificações começam antes de 1950, são escritas de um modo que só abandonei bem mais tarde: o de resumir meu nome como Ruy Carlos, e em letra redonda de alfabetizador.

Agora é um traço com direito a um corte no L, que tem certa nobreza ou significa, sem que eu soubesse, uma advertência aos pósteros e a mim mesmo.

Refazer o lugar dos livros na estante é uma experiência constrangedoramente pessoal.