Grêmio 1 x 0 Botafogo

Grêmio 1 x 0 Botafogo
Libertadores 2017

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Entrada de 2014

Gustavo Telles e Os Escolhidos parte 11

Imagens

 

Mídia Brasileira

Em Sexta-feira, 22 de Setembro de 2006 3:37, Vanderley Caixe escreveu:
 


Carta O Berro.
repassem.
 
 
----- Original Message -----
 

JAKSON FERREIRA DE ALENCARA mídia brasileira mantém sua tradição de parcialidade

Os jornais e revistas de grande circulação, as redes de TV e rádio de grande audiência, nestas eleições de 2006, mantêm sua longa tradição de apoiar forças de direita, conservadoras e contra a distribuição de renda no país. A opção por esse lado feita pela mídia fica evidenciada pela má cobertura do caso do dossiê contra José Serra. A mídia está apostando, junto com todos os demais apoiadores de Geraldo Alckmin, todas as últimas fichas que tinham para a campanha no caso desse dossiê, procurando transformá-lo no grande escândalo que ele não é. Com isso pretende dar um alento à agonizante campanha do PSDB/PFL que até o momento não conseguiu empolgar a população e fazer frente ao projeto político do presidente Lula e do PT, prestes a ser reeleito. A atitude de tucanos e pefelistas e da mídia que lhe é forte aliada demonstra desespero na reta final da campanha, partindo para o jogo de “ou tudo ou nada” e, como mau perdedores, vendo que vão perder o jogo, tentam melá-lo e tentam ganhar a eleição “no tapetão”, já que no voto, as pesquisas demonstram que eles estão com muita dificuldade.

É importante que se diga que não é a primeira vez que a mídia brasileira apóia forças políticas do atraso:
- é a mesma mídia que foi fortemente contra o governo de JK;
- a mesma que foi contra o governo de Getúlio Vargas e seu projeto nacionalista e popular, levando-o ao suicídio;
- a mesma mídia que apoiou o golpe militar de 1964;
- a mesma que apoiou a ditadura (e hoje posa de santinha, dizendo que foi contra a ditadura ou escondendo que foi a favor);
- a mesma que abafou a campanha das “diretas já”;
- a mesma que na eleição de 1989 tentou convencer a população que o Lula e o PT eram responsáveis pelo seqüestro do empresário Abílio Diniz;
- a mesma mídia que apoiou Collor e editou o debate final naquela eleição em favor dele;
- a mesma mídia que abafou a crise econômica e o fato de que o Brasil estava quebrado durante a eleição de 1998, para que assim FHC pudesse ser reeleito.

Essa mídia, que deveria ter por missão informar a população, assume a missão de julgar e condenar e faz isso de maneira precipitada com muita gente da sociedade, queimando na fogueira da má cobertura jornalística vários dos melhores quadros políticos do país, da mesma forma que fez no caso da Escola de Base em SP. Nesse caso a mídia pré-julgou e pré-condenou os proprietários dessa escola como pedófilos, os quais, antes de qualquer investigação consistente na justiça, foram execrados publicamente, como as “bruxas” da idade média que eram queimadas em fogueiras em público. Só agora, anos depois, vários meios de comunicação estão sendo condenados na justiça a pagar indenizações aos donos da Escola de Base porque se investigou e se comprovou que eles não eram pedófilos coisa nenhuma.

No caso do dossiê contra José Serra é evidente que a grande mídia desviou o foco do dossiê em si, de seu conteúdo, dos indícios de envolvimento de políticos tucanos na máfia dos sanguessugas, usando como cortina de fumaça o possível envolvimento do PT com a divulgação desses indícios. Como se adquirir informação e querer divulgá-las fosse um grande crime escandaloso que não é. Ir atrás de documentos que comprovam envolvimento de adversários em certas máfias pode até ser arriscado e suspeito, mas não tanto quanto a mídia tenta convencer a sociedade. O caso não tem nada que justifique todo esse alarde a não ser a vontade de certas forças políticas de melarem a eleição e desvirtuá-la, de modo que não reflita a vontade evidente da população.

No período medieval, muitas das que eram chamadas bruxas não eram bruxas coisa nenhuma, eram pessoas denunciadas como tal por algum inimigo ou adversário que queria se ver livre delas. Até certo ponto, no processo de caça às bruxas havia leis que determinavam que quando fosse comprovado que alguma denúncia de bruxaria era falsa, os falsos acusadores deveriam ser punidos severamente. Mas com o tempo a caça às bruxas, que já não era uma prática sensata, descambou mais ainda e aboliu a lei que protegiam as pessoas contra falsas acusações. A partir daí, muito mais gente inocente foi queimada nas fogueiras, muitas pessoas que incomodavam por ter atitudes ou comportamentos que desagradavam pessoas conservadoras foram assim eliminadas.

A atitude da mídia brasileira em pleno século XX e XXI tem muitas semelhanças com a medieval caça às bruxas, queima na fogueira da execração pública muitas pessoas contra as quais não pesa nada de real contra. Entretanto, ela procura nos fazer acreditar que há fatos comprovados contra essas pessoas e que são graves, simplesmente porque são de pensamento político diferente da ideologia de direita encarnada por esses jornais, revistas, rádios e TVs. Se há ou não fato graves, seria interessante deixar a justiça investigar e julgar, pois esta função pertence ao poder judiciário e não à mídia.

Entretanto, essa mídia, que conforme elencado acima, tanto agiu contra a vontade da população com sucesso em tempos passados, parece já não ter o mesmo poder atualmente, porque vem há um ano e meio agindo intensamente para pôr o presidente Lula na fogueira e não consegue, ele vem mantendo sua larga vantagem nas pesquisas de intenção de voto. Ao que tudo indica o povo está vacinado contra esses posicionamentos da mídia, criou anticorpos a eles e já não acredita mais tanto nessa mídia. Não era para menos, depois de tantos anos de história em que a imprensa no Brasil vem se posicionando ao lado errado e contra o povo, não era de se estranhar que ela começasse a perder a credibilidade. Se o povo ainda desse tanta crença à mídia, evidentemente Geraldo Alckmin estaria disparado na frente em todas as pesquisas, já que a grande mídia tão obviamente o apóia com unhas e dentes, mesmo que ainda tentando convencer alguns desavisados de que seja imparcial e isenta.

Mas é importante que se diga que na democracia, uma imprensa livre e democrática é necessária e ajuda o bom funcionamento das instituições. A mídia brasileira, salvo raras exceções, ainda não atingiu esse ideal de ser livre e democrática, ela pertence a algumas poucas famílias, é um oligopólio e defende certas oligarquias do país. É mais do que evidente que para melhorar o Brasil não será suficiente uma reforma política, é preciso fazer também uma reforma da mídia, é preciso democratizá-la, é preciso diversificá-la, para que ela não continue sendo propulsora de um pensamento único. Enquanto isso não acontece, é importante que os cidadãos conscientes desse país comecem a usar sua força contra esses meios de comunicação parciais que fazem má cobertura jornalística da vida política, deixando de assinar certos jornais e revistas e dando preferência a outros, deixando de dar elevadas audiências a rádios e TVs tão tendenciosas e favoráveis a forças políticas do atraso.

É hora de dizer um basta contra essa má imprensa. O assinante tem força sobre jornais e revistas, pode cancelar suas assinaturas, o cidadão pode querer diversificar suas fontes de informação, deixando de se informar apenas por certa poderosa rede de TV e suas afiliadas, bem como deixando de lado rádios ligadas a esses oligopólios de comunicação. Seria muito bom se reforçássemos a opção por meios de comunicação melhores e alternativos como Carta Capital, Caros Amigos, Brasil de fato, pelo site Carta Maior, pelo site da Adital, pelo Observatório da Imprensa e outros e fôssemos deixando de assinar os jornais e revistas de maior circulação e diminuindo a audiência de certa poderosa rede de TV do país (que se acha no direito de ser a “senhora do destino” nacional).
 
 

_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Regional Sul

Para 
Hoje em 4:52 PM

Boletim Extra Comunicação Regional Sul
Editais Palmares 25 anos: Confira os projetos habilitados



Banner-Editais-Palmares-25-anos-660x301_2.png


Foi publicado no dia 13 de janeiro (ontem), o resultado preliminar da fase de habilitação dos Editais Palmares 25 anos: 1º Imagens da Memória e 3º Ideias Criativas. Foram recebidas ao todo 408 inscrições (3º Ideias Criativas: 307 e 1º Imagens da Memória: 101) de projetos que buscam a valorização da presença histórica da população negra no Brasil e na promoção da resistência cultural negra.

De acordo com os editais, os candidatos não habilitados poderão interpor recursos no prazo de até 5 (cinco) dias corridos a contar de 13 de janeiro de 2014, por meio dos formulários disponíveis nos links abaixo.
                          


Caixa de texto: Expediente MinC – Representação Regional Sul
Rua: André Puente, 441/6º - Porto Alegre - RS - CEP: 90.035-150
Chefe da Representação Regional Sul: Margarete Moraes - margarete.moraes@cultura.gov.br
SNC, Editais e CEUs das Artes: Eleonora Kehles Spinato -  eleonora.spinato@cultura.gov.br
PRONAC e PRONATEC: Leila Rosso Betim - leilabetim@gmail.com 
PRONATEC: Ricardo Atti - ricardoatti@hotmail.com  
PRONAC:  Clara Cristina Zitkoski - Atendimento ao proponente: das 9h30min às 12h e das 13h30min às 18h
Email: atendimentopronacsul@cultura.gov.br
Comunicação: Mariana da Rosa - comunicacaosul@cultura.gov.br
Rede de Cultura e Saúde e Pontos de Cultura: Henry Soares - henry.soares@cultura.gov.br 
Site: www.cultura.gov.br  
Facebook: MinC Representação Regional Sul
Telefones: (51) 3204.7600

 

Outras Palavras

 5 Dez 2013


Imagem inline 1


Imagem inline 1
Boletim de Atualização - Nº 339 - 4/12/2013


Imagem inline 1
Primavera Árabe: em fase de desconstrução?
Noam Chomsky abre avaliações sobre movimento, que completa três anos. Para ele, 
momento é difícil, “mas fagulhas explodirão em chamas novamente”. Entrevista a Michael Bröning (Outras Palavras)
Por que o Uruguai não é aqui?
Festa de rua celebra domingo, em SP, país que conquistou casamento homossexual, direito a aborto e legalização maconha. Que condições políticas tornaram isso possível?Por Gabriela Leite
Petróleo, diplomacia e poder global
Há um século, combustível é essencial para viabilizar projetos nacionais relevantes. Por isso, no Brasil, leilões são ainda mais incompreensíveis. Por Mauricio Metri (Outras Palavras)

De que servem os golpes de Estado
Honduras: em meio a acusações de fraude eleitoral, relatório revela: elite que derrubou “populista” Zelaya apropriou-se de toda a nova riqueza, desde 2009. Por Vinícius Gomes
Gays palestinos, cansados de perguntas incômodas
Diante de campanha internacional lançada por Israel para se autopromover como “tolerante”, eles respondem: “não há libertação sexual em meio ao apartheid” (V.G.)
SP: No palco, mensagem de Teerã
Com inovações formais e repercussão mundial, “Coelho Branco, Coelho Vermelho” segere que experimentação artística já não é atributo exclusivo dos ricos. Por Maurício Ayer (Outras Palavras)

--
Boletim de atualização do site Outras Palavras. A reprodução é bem-vinda. Interessados em recebê-lo devem clicar aqui. Para deixar de receber, aqui. Acompanha nossas novidades também no Facebook e Twitter.

_______________________________________________
Boletimdiplo mailing list
Boletimdiplo@listas.tiwa.net.br
http://listas.tiwa.net.br/listinfo/boletimdiplo
Descadastrar: envie email a Boletimdiplo-unsubscribe@listas.tiwa.net.br

Veja

19 de dezembro de 2013
------------------------------------------------

Caro leitor, aqui estão os destaques de VEJA desta semana.

VEJA.com - veja@abril.com.br

***********************************************

Edição da semana (nº2353 - 25 de dezembro de 2013)

[As virtudes de 2013]
A prisão dos mensaleiros, as manifestações, os black blocs, ciência, censura: o ano que se encerra apresentou complexas questões éticas para o Brasil

Índice da edição 
http://veja.abril.com.br/revistas/

[Tecnologia]
-----------------
Ao adquirir a empresa de robôs que imitam seres vivos, o gigante da internet aposta na onipresença da computação em nosso dia a dia

[Legislativo]
-----------------
Saiba quais são os senadores e deputados federais que mais trabalharam em 2013 por um país moderno e competitivo

[Brasil]
-----------------
O efeito Aécio
Candidatura do senador do PSDB mineiro tornou-se irreversível e os economistas preveem que, se ela se mostrar viável, a euforia com o Brasil voltará aos mercados

[J.R. Guzzo]
-----------------
A cara do Brasil

[Roberto Pompeu de Toledo]
-----------------
Conto de Natal

[Internacional]
-----------------
O golpe das diárias fantasmas
O enriquecimento de Néstor e Cristina Kirchner já tem uma boa explicação. Um empreiteiro amigo pagava por reservas nos hotéis da presidente, mesmo sem usá-las

***********************************************

[Destaques on-line]
-------------------

[Balanço da carreira]
-------------------------------
VEJA.com traz um guia para orientar no balanço profissional e ajudar a planejar aprimoramentos ou mudanças de rota. O guia foi produzido com a ajuda de três especialistas: Bruna Dias, gerente de carreiras da empresa de seleção e recrutamento Cia de Talentos, Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas e autor do livro Seja a Pessoa Certa no Lugar Certo, e Bianca Trombelli, coach de carreira.


[Enquetes]
-------------------------------
Participe de duas votações no site de VEJA: - Na primeira, você escolhe o mais marcante fato do ano - entre eles, a prisão dos mensaleiros, a renúncia de Bento XVI, a chegada de Francisco e os protestos pelo país. - Na segunda, elege a personalidade de 2013, numa votação organizada em parceria exclusiva com o Twitter no Brasil.


[Tesouros de Pelé]
-------------------------------
O livro As Jóias do Rei, do jornalista Celso de Campos Jr., sobre objetos da coleção pessoal de Pelé, chega às lojas neste fim de ano. Em VEJA.com, leia com exclusividade um dos capítulos e confira fotos inéditas.


[]
-------------------------------



***********************************************

Colunistas

[Blog]
-------------
Reinaldo Azevedo
Sem palanque
Campos, que deu uma de joaninha, está conhecendo o lado vespa de Marina Silva
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/

[Radar on-line]
-------------
Lauro Jardim
Bola em jogo
Globo quer renovar time de comentaristas para 2014; Saiba quem é o primeiro alvo
http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line

[Coluna]
-------------
Augusto Nunes
Direto ao ponto
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes

[Coluna]
-------------
Ricardo Setti
Retrospectiva
http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/

[Blog]
-------------
Leonel Kaz
Patavinas de melhoras
http://veja.abril.com.br/blog/leonel-kaz/

[Nova Temporada]
-------------
Fernanda Furquim
The Vatican
http://veja.abril.com.br/blog/temporadas/

[Quanto Drama!]
-------------
Patrícia Villalba
Adoráveis
http://veja.abril.com.br/blog/quanto-drama/

[Espelho meu]
-------------
Lucia Mandel
Creme e poros
http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/

***********************************************

[Blogs da redação]
-------------------

[Fotografia]
-------------
Sobre Imagens
Sebastianópolis
http://veja.abril.com.br/blog/sobre-imagens/

***********************************************
http://www.veja.com.br