Rádio WNews

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Glória 2 x 0 Aimoré dia 03/02/2010





Fotos Glória x Panambi






Fotos da confusão do amistoso Glória x Panambi

Fotos Chegada da Governadora Yeda Crusius no Rodeio de Vacaria RS






Veja mais fotos no Orkut Jornal Negritude

Desfile do 28º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria RS






Veja mais fotos no Orkut: Jornal Negritude

Fotos do 28º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria RS





Fotos do 28º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria RS





Conhecidos os Primeiros Campeões da Artistica

Conhecidos os primeiros campeões da artística

Três troféus foram conquistados por concorrentes de entidades de Vacaria

Na noite desta quinta-feira,04/02, foram conhecidos os primeiros campeões da parte artística do Rodeio de Vacaria.
Destaque para três troféus que foram entregues a representantes de CTGs de Vacaria:
Categoria intérprete vocal prenda mirim, terceiro lugar para Caroline Elizabete de Souza Lima do CTG Porteira do Rio Grande. A vencedora foi Larissa Campos Brito do CTG Sinuelo da Feitoria.
Na categoria gaita piano mirim, o terceiro lugar é de Thaise Dalmolin do CTG Rancho da Integração. Em segundo lugar Erico Vargas da Silva Junior do CTG Sentinela da Querência. O vencedor da categoria foi Igor Rodrigues Cardoso do CTG Rodeio Serrano.



Rádio Fátima AM (Jornalismo), 05/02/2010, 08h21

Tendências/Debates

TENDÊNCIAS/DEBATES


É preciso olhar para a frente
WADIH DAMOUS




--------------------------------------------------------------------------------
A OAB do Rio vai lançar a Campanha pela Memória e pela Verdade, o que inclui a defesa da abertura dos arquivos da ditadura militar
--------------------------------------------------------------------------------





A SECCIONAL da OAB no Estado do Rio vai lançar nos próximos dias a Campanha pela Memória e pela Verdade, o que inclui a defesa da abertura dos arquivos da repressão política na ditadura militar. As razões que justificam a campanha são muitas. Há, em primeiro lugar, razões humanitárias. A mais evidente delas diz respeito ao elementar direito das famílias de desaparecidos políticos de dar-lhes uma sepultura.
Aliás, esse direito é recorrente na história da humanidade. Provavelmente, a primeira menção a ele se dá na "Ilíada", de Homero (século 8 a.C.), que nos fala de interrupções nos combates na Guerra de Troia para que os exércitos homenageassem seus mortos e enterrassem seus corpos.
Séculos depois, Sófocles tratou do tema em sua peça "Antígona", encenada na Grécia em 422 a.C., como bem lembrou Marcello Cerqueira em recente artigo na edição de dezembro de 2009 da "Folha do IAB" (Instituto dos Advogados Brasileiros).
Assim, desde que a humanidade se reconhece como tal, é respeitado o direito das famílias de enterrar seus mortos. É o que faz, aliás, Antígona, na citada peça de Sófocles. Ela cavou com as próprias mãos a sepultura do irmão Polinices e pagou com a vida o desafio às ordens de Creonte, rei de Tebas. Polinices fora condenado à morte e a não ter direito a uma sepultura, para que seu corpo ficasse à disposição de cães e aves de rapina. Ele -a exemplo do que se repetiria com outros personagens até nossos tempos- desafiara o déspota de então.
No Brasil, conhecem-se casos de mães que, durante décadas, recusaram-se a mudar de endereço ou a trocar a fechadura da porta de casa, na esperança de que um filho preso um dia reaparecesse.
Sabe-se de muitos natais em que famílias prepararam a ceia deixando uma cadeira vaga na mesa, enquanto esperavam, em vão, o retorno de um ente querido para festejar a data com os seus.
Conhecer o destino dos desaparecidos políticos, saber em que circunstâncias morreram, quem os assassinou e a mando de quem é um direito das famílias. Tanto quanto dar-lhes uma sepultura digna. Tal como quis Antígona para seu irmão Polinices.
Mas não só razões humanitárias exigem a abertura dos arquivos da repressão política.
Os que se opõem a ela e propugnam que se ponha uma pedra sobre o assunto lembram a necessidade de olhar para o futuro, e não para o passado. É argumento de peso. Afinal, o ressentimento é, sempre, mau conselheiro. Na vida pessoal e na política.
Mas justamente a necessidade de construir um futuro democrático é que torna necessário o conhecimento dos horrores acontecidos durante a ditadura. Mesmo que isso signifique submeter a sociedade a um verdadeiro choque e desagradar aos militares.
Arrastar o lixo para baixo do tapete só fará com que ele possa ressurgir mais tarde. Já a luz do Sol sobre o acontecido fará com que se criem anticorpos, impedindo a repetição da barbárie.
O golpe de 1964 é, até hoje, cultuado nos quartéis. Chegou-se ao ponto de, no primeiro governo Lula, um ministro da Defesa demitir-se por não obter apoio do presidente ao questionar uma ordem do dia, lida nos quartéis, de exaltação à ditadura.
Ora, não é assunto exclusivo das Forças Armadas o tipo de formação ministrada aos nossos jovens que se dedicam à carreira militar. Ao contrário, essa questão é de interesse da sociedade. Não é aceitável que novas gerações de militares sejam formadas com mentalidade antidemocrática.
As Forças Armadas devem ser doutrinadas e preparadas para defender a Constituição e o Estado de Direito.
Também para isso é importante a abertura dos arquivos. Ela trará para o centro da reflexão o papel desempenhado pelas Forças Armadas na ditadura e sua herança até hoje.
É mais fácil defender o direito à memória e a abertura dos arquivos da repressão esquivando-se do conflito com as Forças Armadas e afirmando que elas não participaram, como instituição, de torturas e assassinatos.
Mas isso é falso. Ainda que torturadores e assassinos tenham sido ínfima minoria dentre os militares, eles não agiram à revelia do comando.
Suas ações tiveram o aval dos chefes das Forças Armadas e da ditadura.
É por isso que, hoje, o espírito de corpo se faz presente quando se fala em trazer luz sobre o que aconteceu ou em punir executores diretos dos crimes.
Vivemos, então, uma situação "sui generis". Quase 25 anos depois de passarmos a um regime civil, os militares ainda se arvoram no direito de determinar os limites até onde podem ir a democracia e o conhecimento de nossa história recente.
Por isso também, abrir os arquivos é essencial para quem quer construir um Brasil melhor. Isso é o que se recomenda para quem olha para a frente. Daí a Campanha pela Memória e pela Verdade.



--------------------------------------------------------------------------------



-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Patrice Lumumba


Patrice Lumumba, o genocídio FORGOTTEN Black Face
03 de fevereiro de 2010 06:13:00 Por: Carlos Ml. Vega Bolaños

O mês de Janeiro de cada ano, embora o poder da mídia global que permite apagar a memória histórica da existência do genocídio de negros na África, liderados pelas potências ocidentais no seu desejo de estar na grande riqueza de seus povos, Vale a pena recordar o grande líder negro e Patrice Lumumba.


O mês de Janeiro de cada ano, embora o poder da mídia global que permite apagar a memória histórica da existência do genocídio de negros na África, liderados pelas potências ocidentais no seu desejo de estar na grande riqueza de seus povos, Vale a pena recordar o grande líder negro e Patrice Lumumba.

49 anos atrás, Patrice Lumumba, chefe do governo da República do Congo, foi assassinado por uma conspiração organizada pelo governo belga, com a cumplicidade dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e as Nações Unidas. Seu corpo ordenou o Congo para a ditadura de Mobutu voraz e uma sucessão de guerras sangrentas. Por mais de quarenta anos tem mantido silêncio sobre esse crime, onde há rumores de que seu corpo e dos outros parceiros, foram dissolvidos em ácido sulfúrico para não deixar vestígios.

O pensamento de Lumumba, era um perigo para os operadores dos povos Oeste Africano, foi ministro, líder, inimigo do colonialismo e pioneiro para a unidade dos povos Africano e sua libertação. Ele procurou a descolonização do Congo e destruir completamente o presente potências coloniais europeias em África, erradicar a indignação e espoliação que durante séculos tinha sido o continente, essa pessoa não merece continuar a viver e, portanto, foi forjada ela assassinou poucos meses tomada do poder na República do Congo.

A 49 anos desde o assassinato do líder Africano Patrice Lumumba, em sua terra natal, a República Democrática do Congo, a guerra é um genocídio escondidos que já produziu mais de 5 milhões de mortes nos últimos anos, este genocídio pode ser interrompido, mas a comunidade internacional, as democracias do Norte não querem parar, fazendo o Congo, em pessoas ativas crucificado.

A ironia: ter grande natural como tendo a República Democrática do Congo, tornou-se uma tragédia.
Nas montanhas do leste do Congo são os minerais valiosos, tais como coltan e nióbio, bem como ouro, diamantes, cobre e estanho. Coltan, abreviação de Columbo-tantalita, é uma idade de solo de três bilhões de anos. Ele é usado para produzir condensadores de nióbio para lidar com o fluxo de energia a partir de telefones celulares. Cobalto e urânio são essenciais para a indústria nuclear, químico, aeroespacial e armamentos militares. Cerca de 80% das reservas mundiais de coltan estão no Congo.

Ao verificar esses minerais escassos é uma guerra tremenda. As companhias de energia quer controlar a mineração da região. Conclusão: "Por que essas empresas procuram minerais genocídio" e também estão destruindo o segundo verde do planeta depois da Amazônia também ameaçado.
Quando se trata de agir em África, existe uma discriminação inerente.

Ele disse que o ex-coordenador da ONU operações humanitárias, Jan Egeland, que, juntamente com 15 outros líderes do mundo de grande valor, assinou uma carta aos chefes de Estado dos países da União Européia para chamar a atenção para a falta de ação internacional no leste da RDC.

Jan Egeland, que durante seu mandato na ONU, sempre teve uma reputação de dizer as coisas diretamente, sem rodeios, disse: "Nunca houve essa hesitação quando tentou intervir nos Balcãs, no Iraque ou no Oriente Médio. Certamente não havia nenhum, mas quando se trata de intervir em crises Africano parece como se a vida humana não tem o mesmo valor em toda parte. "Esta é a dupla moral praticado pelos defensores dos direitos humanos no mundo.
Zenit, a agência de notícias do Vaticano, disse recentemente que "a crise humanitária mais negligenciadas no nosso planeta é o Congo". De tempos em tempos nos meios de comunicação desde a tragédia teares não há como esconder isso. Mas o que é dito, ainda é ridícula e insultuosa em relação à magnitude da barbárie e do genocídio. E sem lágrimas, sem desculpas, sem propósito de emenda.

Basicamente, não só África discriminar quando há guerras que estão predando os inocentes cavar alguma coisa, mas vale mais a pena e descobrir que por trás desta guerra está escondendo como o poder de interesses E.U.A., Inglaterra, Holanda e Bélgica, que apóiam o regime de Kagame no Ruanda, cujos aeroportos ir para esses países o coltan premiado (essencial para o fabrico de armas, telefones celulares e laptops de última geração, etc) que os soldados extrato com o trabalho forçado de crianças e jovens em Kivu, leste e transportado em caminhões e helicópteros para Kigali. É triste notar que, em muitos casos, estas hesitações "para os problemas Africano poderia ser uma forma disfarçada de permitir que os eventos se desdobram rentável para os mais poderosos, embora à custa de milhões de inocentes morrem.

Hoje, mais do que nunca, compreender as razões pelas quais uma janeiro de 1961 foi cruelmente assassinado Patrice E. Africano patriota Lumumba, um ser humano, por isso era impossível continuar com a vida, cometeu o pecado capital da África Outro sonho que era possível, uma África unida em desenvolvimento para combater a injustiça social ea cooperação entre os países para a educação. Retorno a riqueza do continente, o African people era o seu mais profundo sono. Pensamento Lumumba assentava em três pilares: a justiça, independência e liberdade.

Hoje há 49 anos, morreu como um mártir da luta do povo contra as injustiças, desapropriação, as humilhações impostas por potências europeias aos quatro ventos que se dizem democráticos. É um mártir popular para a causa de uma sociedade mais justa e mais humana, de fraternidade humana. Lumumba foi assassinado, mas viverá para sempre em nossos corações. Ele faz parte do genocídio esquecido de milhões de outros africanos que têm caído na estrada para o mundo dos brancos, desfrutar de alguns confortos e acumular grandes fortunas encharcados de sangue inocente.

Sinto-me orgulhoso, como dezenas de milhares de licenciados que habitam os cinco continentes, tendo estudado na Universidade de Amizade dos Povos Patrice Lumumba, o centro do mundo de universitários de classe fundada em sua memória e gira 50 fevereiro próximo anos de vida na preparação de pessoal técnico para os países em desenvolvimento.
* Membro da Peoples 'Friendship Universidade Patrice Lumumba

"No abuso ou tortura brutalidade mudou porque eu prefiro morrer com a minha cabeça erguida, com uma fé profunda e duradoura e de confiança no futuro do meu país, a viver sob pisoteio e princípios sagrados. Um dia a história vai nos julgar, mas não será a história como Bruxelas, Paris, Washington ou a ONU, mas os países emancipados do colonialismo e seus fantoches ". (Carta escrita para sua esposa e filhos por Patrice Lumumba poucos dias antes de sua morte).


Por: Carlos Ml. Vega Bolaños


Santiago do Chile, fevereiro 3, 2010
Crónica Digital / TELESUR




-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Estado Autoriza Construção de Ginásios

Estado autoriza construção de ginásios do Programa de Prevenção à Violência
03/02/2010 20:11


O Governo do Estado começa a autorizar, na próxima semana, o início das obras, de sete dos 14 complexos esportivos integrantes do Programa de Prevenção à Violência (PPV), do Estruturante Nossas Cidades. De terça-feira ( 9) a quinta-feira (11), nos municípios de Montenegro, Santa Cruz do Sul, Novo Hamburgo, Canoas, Esteio, Torres e Passo Fundo serão assinadas as primeiras ordens de serviços de construção das quadras poliesportivas cobertas, com arquibancadas, salas de atividades múltiplas, sanitários e vestiários numa área total de 955,90 m2 e valor de R$ 550 mil, cada complexo, totalizando R$ 3,8 milhões em investimentos na primeira etapa.

Também receberão os complexos esportivos bairros carentes das cidades de Rio Grande, Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga, Alvorada, Porto Alegre, Pelotas e Caxias do Sul. As empresas vencedoras da licitação, após a assinatura das ordens de serviços, têm prazo de cinco dias úteis para iniciar as obras e 120 dias para a conclusão. O calendário com as primeiras ordens de início de Obras do PPV foi definido, no final da tarde desta quarta-feira (3), em reunião na Secretaria de Obras Públicas.

Calendário:

Terça-feira (9 de fevereiro)

10h Montenegro
15h Santa Cruz do Sul
- Inclui ordem de início
de obras em Passo Fundo

Quarta-feira (10 de fevereiro)

10h Novo Hamburgo
15h Canoas

Quinta-feira (11 de fevereiro)

10h Esteio
15h Torres

No encontro, conduzido pelo secretário das Obras Públicas, José Carlos Breda, participaram a responsável pelo Estruturante Nossas Cidades, Helena Hermany, a gerente do Projeto, Jane Maria Dalacorte Moreira, o diretor do Departamento de Monitoramento de Projetos, da Secretaria do Planejamento e Gestão, Josué Vieira da Costa, o secretário-adjunto das Obras Públicas, Lori Giombelli e o diretor de Assessoria Estratégica da SOP, Claudenir Figueiredo. "Estamos levando o Estado até as localidades mais carentes para participar e atuar na prevenção à violência. E sabemos que o esporte é um agente fundamental neste processo. Por isso estes ginásios vão fazer a diferença no futuro destas comunidades", disse o secretário.

A Secretaria das Obras Públicas é responsável pelo projeto arquitetônico e pela construção do complexo esportivo que estará aberto, principalmente nos finais de semana, para a comunidade. Além das Obras Públicas, integram o programa as secretarias de Saúde, Turismo, com a Fundergs, Educação, Segurança Pública, Cultura e Justiça e Desenvolvimento Social.

Redução da violência
O projeto do PPV visa a beneficiar bairros carentes das cidades contempladas, por deter um índice alto de violência, buscando através da prática de esportes, aliada as melhorias das estruturas de lazer, saúde e segurança, integrar jovens das comunidades em projetos socioeducativos e culturais. Através desta política pública, com gestão integrada e articulada, pincipalmente com os municípios, e ainda focalizada nas comunidades de maior risco, o Estado pretende contribuir para a redução dos índices de violência que se constitui em um problema endêmico no Rio Grande Sul.

Fonte: www.estado.rs.gov.br

Vida de cabelos Brancos vence o Festival

Vida de Cabelos Brancos vence o Festival
A música foi interpretada por Nilton Ferreira.

No início da madrugada desta quinta-feira,04/02, foi conhecida a música vencedora do Festival Cante uma Canção em Vacaria.
A música Vida de Cabelos Brancos interpretada por Nilton Ferreira foi a grande vencedora. A letra é de Rômulo Chaves. A canção também foi escolhida a Mais Popular.
Em segundo lugar ficou a música Nos Tempos de Ferro e Fogo interpretada pelo Grupo Buenas e me Espalho.
Em terceiro lugar Bem Mais do que Viver de João Chagas Leite .
O melhor instrumentista foi Elias Rezende.
O melhor intérprete ficou com o grupo Buenas e me Espalho.
O festival recebeu 284 músicas. No final foi prestada uma homenagem ao coordenador geral do Festival Antonio Adalmir Alves que faleceu a poucos dias.
No PODCAST você pode ouvir as três músicas.



Rádio Fátima AM (Jornalismo), 04/02/2010, 08h13

Mutirão para Refazer Documentos Perdidos

Mutirão para refazer documentos perdidos nas enchentes vai até o dia 11
03/02/2010 20:15


Em três dias, cerca de 350 pessoas tiveram refeitos seus documentos perdidos em função de alagamentos e temporais no Estado. O mutirão para emissão dos novos papéis, uma iniciativa do governo do Estado coordenada pela Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social (SJDS), já passou pelas cidades de Agudo, Candelária e Júlio de Castilhos.

O mutirão segue até o dia 11 de fevereiro, nas cidades de Igrejinha (dia 6/sábado), Três Coroas (dia 7/domingo), Salto do Jacuí (dia 8/segunda-feira), Soledade (dia 9/terça-feira), Fontoura Xavier (dia 10/quarta-feira) e Marques de Souza (dia 11/quinta-feira). Participam da ação as secretarias Geral de Governo e da Justiça e do Desenvolvimento Social, o Detran, a Fundação Gaúcha do Trabalho e Assistência Social (FGTAS), o Instituto-Geral de Perícias (IGP) e o TudoFácil. Os cidadãos não terão qualquer custo para as carteiras de habilitação e identidade - o governo do Estado arca com a despesa.

No primeiro dia de trabalhos, houve quase 200 atendimentos em Júlio de Castilhos: foram confeccionadas 120 carteiras de identidade, 65 CPFs, cinco carteiras de trabalho e três carteiras de motorista, para moradores do município e da vizinha Tupanciretã. Já em Agudo, 35 documentos foram emitidos, visto que houve dificuldades no deslocamento dos moradores até o local da ação. De acordo com a diretora de Relações Institucionais da SJDS, Nadine Dubal, em Candelária, apenas na manhã desta quarta-feira (3), foram encaminhados 54 CPFs, 56 identidades e seis carteiras de trabalho.

Os interessados no serviço precisam levar fotos tamanho três por quatro. Para a prestação do serviço, o governo do Estado conta com as parcerias de prefeituras e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag).


Fonte: www.estado.rs.gov.br

Data Cidade Endereço Horário
Sábado (dia 6) Igrejinha rua Marechal Artur Costa Silva, 543-sala 7 8h30min às 11h30min
Domingo (dia 7) Três Coroas - atende a São José do Herval
Santa Maria do Herval rua Luis Volkart, 115 - Centro 8h às 11h30min e das 13h às 17h
Segunda-feira (dia 8) Salto do Jacuí -atende a
Jacuizinho
Tunas
Estrela Velha
Segredo
Arroio do Tigre
Sobradinho
Lagoa Bonita do Sul
Passa Sete
Lagoão
Ibarama Rua Julio B. Pereira, s/nº das 11h30min às 17h30min
Terça-feira (dia 9) Soledade - atende a
Espumoso
Mormaço
Barros Cassal
Alto Alegre
Campos Borges
Quinze de Novembro
Avenida Júlio de Castilhos, 1.292 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 18h
Quarta-feira (dia 10) Fontoura Xavier - atende a
Anta Gorda
Putinga
Arvorezinha
Ilópolis
São José do Herval
avenida Vinte e Cinco de Abril, 584 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h
Quinta-feira (dia 11) Marques de Souza - atende a
Relvado
Nova Bréscia
Arroio do Meio
Travesseiro
Forquetinha
Capitão
Doutor Ricardo
Pouso Novo endereço ainda não fornecido

Data Cidade Endereço Horário
Sábado (dia 6) Igrejinha rua Marechal Artur Costa Silva, 543-sala 7 8h30min às 11h30min
Domingo (dia 7) Três Coroas - atende a São José do Herval
Santa Maria do Herval rua Luis Volkart, 115 - Centro 8h às 11h30min e das 13h às 17h
Segunda-feira (dia 8) Salto do Jacuí -atende a
Jacuizinho
Tunas
Estrela Velha
Segredo
Arroio do Tigre
Sobradinho
Lagoa Bonita do Sul
Passa Sete
Lagoão
Ibarama Rua Julio B. Pereira, s/nº das 11h30min às 17h30min
Terça-feira (dia 9) Soledade - atende a
Espumoso
Mormaço
Barros Cassal
Alto Alegre
Campos Borges
Quinze de Novembro
Avenida Júlio de Castilhos, 1.292 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 18h
Quarta-feira (dia 10) Fontoura Xavier - atende a
Anta Gorda
Putinga
Arvorezinha
Ilópolis
São José do Herval
avenida Vinte e Cinco de Abril, 584 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h
Quinta-feira (dia 11) Marques de Souza - atende a
Relvado
Nova Bréscia
Arroio do Meio
Travesseiro
Forquetinha
Capitão
Doutor Ricardo
Pouso Novo endereço ainda não fornecido

Yeda Crusius e Prefeito de Canoas Firmam Protocolo

Yeda Crusius e prefeito de Canoas firmam protocolo para a construção do primeiro presídio por PPP
04/02/2010 13:20


Um ato histórico marcou, nesta quinta-feira (4), uma evolução no sistema penitenciário do Rio Grande do Sul: a governadora Yeda Crusius e o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, assinaram, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), protocolo de intenções para construção do primeiro presídio gaúcho no sistema de parceria público-privada (PPP). O novo complexo deverá abrir 3 mil novas vagas e ficará localizado no bairro Fazenda Guajuviras, em Canoas, numa área de 50 hectares.

"Queremos uma sociedade menos violenta, mais justa e desenvolvida. Essa inovação reduz custos, produz resultados e faz mais com menos", disse a governadora. De acordo com Yeda, a penitenciária será um novo paradigma para a segurança pública. "Isso tem que vir junto com um programa de desenvolvimento das comunidades e das pessoas, para prevenir a reprodução da violência", frisou, ao destacar as ações do Programa de Prevenção da Violência (PPV).

A governadora comunicou que o Estado deve zerar o déficit de vagas prisionais no sistema semiaberto ainda em fevereiro. Também anunciou que serão assinados, na próxima semana, convênios com empresários interessados na oferta de empregos a apenados.

O novo complexo prisional terá cinco unidades independentes, que permitirão aos apenados a progressão de regime dentro do próprio local. Haverá apoio à ressocialização, assistência médica e oficinas profissionalizantes.

Ao justificar a aceitação do município em receber o presídio, o prefeito de Canoas afirmou que segurança e desenvolvimento andam juntos: "Queremos presídios onde pessoas possam trabalhar e estudar, e construir a ressocialização". Jairo Jorge anunciou que a prefeitura doou a área: "Ela é isolada e garante tranquilidade à população. Queremos contribuir. Só em Canoas temos mais de mil presidiários". Entre as novidades destacadas por Jairo Jorge no projeto da penitenciária, estão bloqueadores de celulares e unidades escolar e de trabalho.

As medidas compensatórias do Estado ao município incluem ações do PPV, como a compra de 40 câmaras de vídeos e monitoramento, construção de uma delegacia de homicídios, um novo batalhão da Brigada Militar (BM), oito viaturas para a Polícia Civil (PC) e instalação de uma Unidade de Pronto-Atendimento no bairro Guajuviras, além da construção de uma escola para 700 estudantes e de 400 unidades populares de moradia.

PPPs

O Comitê Gestor das PPPs foi instituído pela governadora Yeda Crusius no final de 2007. Por meio de resolução, o governo do Estado lançou editais de chamamento de interesse público, que permitiram ao setor privado apresentações de autorização para estudos de viabilidade de projetos. Os passos seguintes foram análise técnica das propostas e aprovação, pelo Comitê, com sugestões de adequação.

Um dos projetos em andamento é a construção da RS-010 - a chamada Rodovia do Progresso - planejada como alternativa para desafogar a BR-116 e abrangendo, em 68,5 quilômetros, os municípios de Cachoeirinha, Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Novo Hamburgo e Sapiranga. Em janeiro, uma comitiva do governo do Estado esteve na Europa para conhecer as experiências de PPPs em presídios da Grã-Bretanha e da Espanha.



Fonte: Portal do Governo do Estado do RS

Complexo Prisional

Canoas receberá reforço de investimentos com instalação de complexo prisional
04/02/2010 16:20


Ações nas áreas de segurança, saúde e educação serão reforçadas com a instalação de um complexo prisional para 3 mil apenados em Canoas. A governadora Yeda Crusius e o prefeito Jairo Jorge assinaram, nesta quinta-feira (4), protocolo de intenções para construção do empreendimento por meio de Parceria Público-Privada (PPP). "Junto com o presídio, chegarão todas as medidas do Programa de Prevenção da Violência (PPV)", afirmou a secretária-Geral de Governo, Ana Pellini.

"Vamos construir ginásio de esportes, conjuntos habitacionais e dar incentivos fiscais ao distrito industrial de Canoas", prosseguiu. Conforme a secretária, os problemas do sistema penitenciário são grandes e complexos e não se resumem apenas à construção de prédios. "Por isso, um novo paradigma", disse. Destacou que as chances de reinserção no molde atual é praticamente mínima e enfatizou que a massa carcerária é composta, em grande parte, por jovens.

Para o secretário do Planejamento, Mateus Bandeira, as políticas de combate à criminalidade são transversais. "Parcerias na área prisional são mais uma iniciativa do conjunto de esforços do governo para resolver o problema da segurança pública", destacou. "Esta é uma ação concreta e efetiva para a redução da criminalidade e para resolver o déficit prisional", completou.

De acordo com o secretário da Saúde, Osmar Terra, o PPV trata a violência como um problema de saúde. Ele explicou que o programa está integrado e focalizado em municípios com maiores indicadores de criminalidade, para atender de forma preventiva e promover reinserção social. Até 2009, foram investidos R$ 30 milhões. Terra também disse que o acompanhamento das crianças através do Programa Primeira Infância Melhor (PIM) é "uma maneira de reduzir a violência".

O secretário de Segurança Pública, Edson Goularte, enfatizou o ganho do setor com o aumento dos efetivos das polícias gaúchas em 10 mil agentes e a ampliação da frota de veículos. Já o secretário da Justiça e do Desenvolvimento Social, Fernando Schüler, afirmou que políticas de igualdade representam uma estratégia para reduzir os indicadores de criminalidade.

Fonte: Portal do Governo do Estado do RS