Grêmio 1 x 0 Botafogo

Grêmio 1 x 0 Botafogo
Libertadores 2017

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Estado Inicia Mutirão

Estado inicia mutirão para emissão de 2ª via de documentos em 53 municípios atingidos por temporais
02/02/2010 10:05


O governo do Estado está realizando um mutirão para emissão de segundas vias de documentos em 53 municípios atingidos por tempestades, enxurradas e outros eventos climáticos. A medida beneficia pessoas que perderam documentos em consequência de desastres causados pelo clima. A ação teve início nessa segunda-feira, em Júlio de Castilhos, e beneficiou também os moradores de Tupanciretã. Das 9h até as 17 horas, 195 pessoas procuraram os serviços. Foram confeccionadas 120 carteiras de identidade, cinco carteiras de trabalho, três de motorista e emitidos 65 CPFs.

Nove municípios serão polos regionais do atendimento. Eles vão concentrar o serviço e receber a população de outras localidades próximas. Segundo a diretora de Relações Institucionais da Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social e coordenadora do mutirão, Nadine Dubal, o calendário prossegue nesta terça-feira (2), em Agudo. Depois, a agenda terá seguimento em Candelária (dia 3/quarta-feira), Igrejinha (dia 6/sábado), Três Coroas (dia 7/domingo), Salto do Jacui (dia 8/segunda-feira), Soledade (dia 9/terça-feira), Fontoura Xavier (dia 10/quarta-feira) e Marques de Souza (dia 11/quinta-feira).

Em Agudo, o atendimento será na Câmara de Vereadores e beneficiará também os moradores de Paraíso do Sul, Dona Francisca, Faxinal do Soturno. Pinhal Grande, São João Polêsine, Nova Palma, Vale Vêneto, Silveira Martins, Restinga Seca e Ivorá. Em Candelária, a população de Vera Cruz, Novo Cabrais e Cerro Branco será atendida na prefeitura.

Na cidade de Salto do Jacuí , os residentes em Jacuizinho, Tunas, Estrela Velha, Segredo, Arroio do Tigre, Sobradinho, Lagoa Bonita do Sul, Passa Sete, Lagoão e Ibarama deverão procurar o serviço também na prefeitura. Em Marques de Souza, a população de Relvado, Nova Bréscia, Arroio do Meio, Travesseiro, Forquetinha, Capitão, Doutor Ricardo e Pouso Novo poderá buscar os serviços do mutirão na Câmara de Vereadores.
Em Fontoura Xavier, o local também é a Câmara Municipal, onde serão recebidos moradores de Anta Gorda, Putinga, Arvorezinha, Ilópolis e São José do Herval. Em Soledade, será atendida também a população de Espumoso, Mormaço, Barros Cassal, Alto Alegre, Campos Borges e Quinze de Novembro, na prefeitura. Igrejinha terá o atendimento somente à população do próprio município, na prefeitura. E em Três Coroas, o mutirão ficará instalado no Ginásio Municipal e receberá também a população de Santa Maria do Herval.

Serão confeccionadas segundas vias de quatro documentos: CPF, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Carteira de Identidade e Carteira do Trabalho. Participam do mutirão as secretarias Geral de Governo e da Justiça e do Desenvolvimento Social, mais o Detran, Fundação Gaúcha do Trabalho e Assistência Social (FGTAS), Instituto-Geral de Perícias (IGP) e TudoFácil. Os cidadãos não terão qualquer custo para as carteiras de Habilitação e Identidade - o governo do Estado arca com esta despesa.

“Os interessados no serviço precisam levar fotos tamanho três por quatro”, informa Nadine Dubal. O serviço será prestado até o próximo dia 11 de fevereiro. Para isso, o governo do Estado conta com as parcerias de prefeituras e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag). O acordo envolve a oferta de espaço físico com pontos de acesso à internet e o transporte da população residente em área rural ou zona afastada do centro dos municípios.

Como o governo do Estado absorverá os custos da CNH e da Carteira de Identidade, as pessoas atendidas ficam livres das taxas de R$ 45,00 da CNH e de R$ 35,00 da Carteira de Identidade. Pela parte do governo, a equipe que prestará os serviços é composta por dez servidores públicos.

Fonte: www.estado.rs.gov.br

Cotnatos das Assessorias de Comunicação

Contatos das Assessorias de Comunicação Social da SSP
02/02/2010 10:15


Para facilitar e tornar mais ágil o trabalho dos profissionais de imprensa que buscam informações da Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP/RS) e seus organismos vinculados (Polícia Civil, Brigada Militar, Instituto-Geral de Perícias e Superintendência dos Serviços Penitenciários), principalmente aos finais de semana e feriados, informamos os telefones celulares funcionais das respectivas assessorias, bem como telefones convencionais e e-mails para outras demandas durante a semana.

Solicitamos aos profissionais da mídia para que busquem sempre com as assessorias a intermediação de demandas junto às fontes de cada instituição. Ressaltamos também que ao pé da página inicial do site da SSP ( www.ssp.rs.gov.br ), no banner Cadastre-se, pode ser efetuado o registro para recebimento do mailing diário de notícias da Secretaria.

SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA ( www.ssp.rs.gov.br )
Coordenador de Comunicação: Jornalista Amilton Belmonte
Fone: (51) 3288-1919/3288-1994 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8445-8670 *
e-mail: comunicacao@ssp.rs.gov.br
* Aparelho programado para receber apenas chamadas identificadas

POLÍCIA CIVIL ( www.pc.rs.gov.br )
Coordenador de Comunicação: Delegada Patrícia Tolotti Rodrigues
Fones: (51) 3288-2380/3288-2381 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celulares funcionais: (51) 8445-9454 e 8445-9748
e-mail: imprensa@policiacivil.rs.gov.br

BRIGADA MILITAR ( www.brigadamilitar.rs.gov.br )
Coordenador de Comunicação: Tenente-Coronel Valmor Araújo de Mello
Fones: (51) 3288-2930/3288-2932 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celulares funcionais: (51) 8501-6577 e (51) 8501-6575
e-mail: pm5-imprensa@brigadamilitar.rs.gov.br

SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS ( www.susepe.rs.gov.br )
Assessor de Imprensa: Jornalista Marco Antonio Vieira
Fone: (51) 3288-7285/3288-7289 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8443-6887
e-mail: imprensa@susepe.rs.gov.br

INSTITUTO-GERAL DE PERÍCIAS ( www.igp.rs.gov.br )
Assessor de Imprensa: Jornalista Maria da Graça Kreisner
Fone: (51) 3288-5165 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8445-8627
e-mail: comunicacao@igp.rs.gov.br

Feriado de Navegantes

Estado mantém regime de plantão no feriado de Navegantes
02/02/2010 10:19


Os serviços do Estado na Capital e em municípios que celebram o Dia de Nossa Senhora dos Navegantes têm alterações nesta terça-feira (2). Confira o hórário de funcionamento:

Segurança Pública
Telefones de Emergência
190 - Brigada Militar
193 - Corpo de Bombeiros
197 - Polícia Civil
198 - Comando Rodoviário da Brigada Militar
181 - Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança
0800 518 518 - Denarc, para denúncias envolvendo tráfico de drogas.
Atendimento 24 horas.

Banrisul – as agências estarão fechadas nos municípios que comemoram o feriado de Nossa Senhora dos Navegantes (2) e reabrem suas atividades na quarta-feira (3). Durante o feriado, os clientes terão acesso aos canais eletrônicos oferecidos pelo Banco: caixas eletrônicos, Agência Virtual (www.banrisul.com.br), Banrisul Celular e Banrifone.


CEEE – No dia 1º de fevereiro, as agências da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE-D) de Santo Antônio, Osório e a sede da Gerência Regional do Litoral Norte não abrirão devido ao feriado do dia do Eletricitário Gaúcho. As agências de Balneário Pinhal, Capão da Canoa, Torres, Tramandaí, Cassino e Chuí e o Departamento de Recuperação de Créditos do litoral Norte, em Osório, funcionarão normalmente, devido à demanda de atendimento aos veranistas.
Endereços: Balneário Pinhal - Av. Castelo Banco, 181; Capão da Canoa - Rua Ubatuba, 581; Cassino - Rua Rio de Janeiro, 329; Chuí - Rua Chile, 1393; Tramandaí - Rua Amâncio Amaral, 1138; Torres - Av. Silva Jardim, 111. O Departamento de Recuperação de Créditos está localizado na Av. Jorge Dariva, 745, sala 01, em Osório.

Ceasa/RS – O mercado da Ceasa/RS funcionará normalmente na terça-feira (2), das 13h às 19h.

Saúde
Salvar Samu – telefone 192- Plantão 24 horas - funcionamento normal

Central de Regulação Estadual – Av. Bento Gonçalves 3722, Bairro Partenon, Porto Alegre/RS

Centro de Informações Toxicológicas (CIT) – telefone 0800-7213000 - Plantão 24 horas - Endereço: Rua Domingos Crescêncio, 132, 8º andar- Porto Alegre/RS

Orientações sobre Gripe A, Febre Amarela e Dengue – telefone 150

Disque Aids – telefone 0800-5410197

Farmácia de Medicamentos Especiais – não funciona no feriado, mas retorna em horário normal na quarta-feira.

Daer – Atividades serão reforçadas nas estações rodoviárias e na fiscalização nas estradas. O telefone na Estação Rodoviária de Porto Alegre é (51) 3228-5232.

Fepam – O Serviço de Emergência Ambiental funciona 24 horas, inclusive aos finais de semana. O atendimento é feito pelo telefone (51) 9982-7840.

Jardim Botânico de Porto Alegre – Aberto à visitação pública das 8h às 17h
Rua Dr. Salvador França, 1427
Ingresso: R$ 2,00 adultos - R$ 1,00 estudantes. Crianças até 12 anos são
isentas
obs.: as Salas de Exposições do Museu de Ciências Naturais estarão fechadas

Parque Zoológico – Aberto à visitação pública das 8h30 às 17h
BR 116 - Sapucaia do Sul

Fonte: www.estado.rs.gov.br

Reclamação sobre os Pedágios

* Estava numa oficina de um amigo o qual o mesmo estava operando um rádio amador e um caminhoneiro reclamou sobre a via fácil que não está funcionando onde ocorreu muito movimento de veículos e caminhões e automóveis. A via fácil foi elaborado pela Rodosul que faz a concessão dos pedágios na via Vacaria RS. Os caminhoneiros pagam cartão passagem múltipla. O caminhoneiro nos relatou certo descaso com os motoristas. Citou que a ponte do Rio Pelotas que faz divisa entre Vacaria RS e Lages -SC desnivelada pode causar acidentes até mesmo a queda da referida ponte.
Paulo Furtado
Editor

Copa na África é um Erro

Presidente do Bayern diz que realização de Copa na África é "um erro"
O presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, afirmou nesta quarta-feira que a Fifa errou ao permitir que a Copa do Mundo-2010 seja disputada na África do Sul.

"Foi um grande erro, eu não irei lá", disse Hoeness, que sempre disse ser contra a realização de um Mundial em um país africano enquanto não houvesse garantias totais de segurança a jogadores, comissões técnicas e torcedores.

O dirigente, campeão do mundo como jogador com a seleção alemã na Copa-1974, comentou ainda que o presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, deve ter se arrependido da ideia de levar a sede do torneio a um continente onde ele ainda não foi disputado.

"Blatter precisava impor sua vontade de que a Copa fosse realizada na África, mas acredito que ele já se deu conta de que foi um erro", acrescentou.

Hoeness disse também que já não adianta mais reclamar e que a Fifa deve agora tentar tirar o melhor da situação.

http://www1. folha.uol. com.br/folha/ esporte/ult92u68 5328.shtml

************ ********* ********* ********* *********



Já to vendo como isso vai acabar... Se der errado vão dizer que a Africa Negra não tem condições de sediar nada.... Se der certo vão certamente lembrar que a Africa do Sul é colonizada por brancos!!!


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .
__._,_.___

3.000 Acessos

* Escutei numa emissora de rádio que um site de Vacaria RS tem 3.000 acessos. E o Blog do Jornal Negritude tem 6.000 e inclusive acessado no exterior. Tem gente que gosta de se exibir.
Paulo Furtado
Editor

Veja Porto Alegre






26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2010


111


Encontre na cidade: Restaurantes | Bares | Comidinhas | Cinema | Teatro


1
SHOWS
Metallica
O grupo volta a fazer turnê pelo Brasil depois de onze anos para mostrar músicas do novo álbum, Death Magnetic. O show na capital gaúcha acontece na quinta (28), no Parque Condor.




2
CINEMA
Nine
O musical tem elenco de estrelas: Daniel Day-Lewis, Penélope Cruz, Nicole Kidman, Judi Dench, Marion Cotillard, Sophia Loren, Kate Hudson, Giuseppe Cederna e Elio Germano. Estreia prevista para sexta (29).




3
SHOWS
The Wailers e Alpha Blondy
A banda que acompanhou Bob Marley faz show ao lado do cantor e compositor marfinense, terça (26), no Teatro do Bourbon Country. O repertório traz sucessos dos dois nomes.




4
RESTAURANTES
Atelier de Massas
Na última edição de VEJA PORTO ALEGRE, a casa levou o título de melhor restaurante italiano da cidade. Destaque para o tortelloni stefano, massa com recheio de queijo de cabra e cobertura de espinafre.




5
EXPOSIçõES
Basta Este Nada
A exposição, em cartaz na Galeria Lunara, reúne trabalhos de três artistas: Juliano Ventura, Letícia Bertagna e Eduardo Montelli. Até 28 de fevereiro. Informações: (31) 3212-5979.




6
CINEMA
Invictus
O longa, dirigido por Clint Eastwood, mostra como Nelson Mandela (Morgan Freeman) utilizou o rugby para tentar amenizar a segregação entre negros e brancos na década de 90.




7
COMIDINHAS
Di Argento
A casa tem o melhor sorvete da cidade, título concedido pelo júri da última edição de VEJA PORTO ALEGRE. Entre os sessenta sabores, encontram-se chocolate e doce de leite.



O que é
Esta newsletter informa o melhor da programação de gastronomia, lazer e entretenimento do Porto Alegre

Opus Dei

Carta O Berro............................................................................repassem


----- Original Message -----
From: vilemarfc@gmail.com





OPUS DEI - OS TENTÁCULOS DA SEITA NO BRASIL

Altamiro Borges (Miro), jornalista e escritor


O Opus Dei (do latim, Obra de Deus) foi fundado em outubro de 1928, na Espanha, pelo padre Josemaría Escrivá. O jovem sacerdote de 26 anos diz ter recebido a “iluminação divina” durante a sua clausura num mosteiro de Madri. Preocupado com o avanço das esquerdas no país, este excêntrico religioso, visto pelos amigos de batina como um “fanático e doente mental”, decidiu montar uma organização ultra-secreta para interferir nos rumos da Espanha. Segundo as suas palavras, ela seria “uma injeção intravenosa na corrente sanguínea da sociedade”, infiltrando-se em todos os poros de poder. Deveria reunir bispos e padres, mas, principalmente, membros laicos, que não usassem hábitos monásticos ou qualquer tipo de identificação. Reconhecida oficialmente pelo Vaticano em 1947, esta seita logo se tornou um contraponto ao avanço das idéias progressistas na Igreja. Em 1962, o papa João 23 convocou o Concílio Vaticano II, que marca uma viragem na postura da Igreja, aproximando-a dos anseios populares. No seu fanatismo, Escrivá não acatou a mudança. Criticou o fim da missa rezada em latim, com os padres de costas para os fiéis, e a abolição do Index Librorum Prohibitorum, dogma obscurantista do século 16 que listava livros “perigosos” e proibia sua leitura pelos fiéis. “Este concílio, minhas filhas, é o concílio do diabo”, garantiu Escrivá para alguns seguidores, segundo relato do jornalista Emílio Corbiere no livro “Opus Dei: El totalitarismo católico”.

O poder no Vaticano

Josemaría Escrivá faleceu em 1975. Mas o Opus Dei se manteve e adquiriu maior projeção com a guinada direitista do Vaticano a partir da nomeação do papa polonês João Paulo II. Para o teólogo espanhol Juan Acosta, “a relação entre Karol Wojtyla e o Opus Dei atingiu o seu êxito nos anos 80-90, com a irresistível acessão da Obra à cúpula do Vaticano, a partir de onde interveio ativamente no processo de reestruturação da Igreja Católica sob o protagonismo do papa e a orientação do cardeal alemão Ratzinger”. Em 1982, a seita foi declarada “prelazia pessoal” – a única existente até hoje –, o que no Direito Canônico significa que ela só presta contas ao papa, que só obedece ao prelado (cargo vitalício hoje ocupado por dom Javier Echevarría) e que seus adeptos não se submetem aos bispos e dioceses, gozando de total autonomia. O ápice do Opus Dei ocorreu em outubro de 2002, quando o seu fundador foi canonizado pelo papa numa cerimônia que reuniu 350 mil simpatizantes na Praça São Pedro, no Vaticano. A meteórica canonização de Josemaría Escrivá, que durou apenas dez anos, quando geralmente este processo demora décadas e até séculos, gerou fortes críticas de diferentes setores católicos. Muitos advertiram que o Opus Dei estava se tornando uma “igreja dentro da Igreja”. Lembraram um alerta do líder jesuíta Vladimir Ledochowshy que, num memorando ao papa, denunciou a seita pelo “desejo secreto de dominar o mundo”. Apesar da reação, o papa João Paulo II e seu principal teólogo, Joseph Ratzinger , ex-chefe da repressora Congregação para Doutrina da Fé e atual papa Bento 16, não vacilaram em dar maiores poderes ao Opus Dei. Vários estudos garantem que esta relação privilegiada decorreu de razões políticas e econômicas. No livro “O mundo secreto do Opus Dei”, o jornalista canadense Robert Hutchinson afirma que esta organização acumula uma fortuna de 400 bilhões de dólares e que financiou o sindicato Solidariedade, na Polônia, que teve papel central na débâcle do bloco soviético nos anos 90. O complô explicaria a sólida amizade com o papa, que era polonês e um visceral anticomunista. Já Henrique Magalhães, numa excelente pesquisa na revista A Nova Democracia, confirma o anticomunismo de Wojtyla e relata que “fontes da Igreja Católica atribuem o poder da Obra a quitação da dívida do Banco Ambrosiano, fraudulentamente falido em 1982”. O vínculo com os fascistas Além do rigoroso fundamentalismo religioso, o Opus Dei sempre se alinhou aos setores mais direitistas e fascistas. Durante a Guerra Civil Espanhola, deflagrada em 1936, Escrivá deu ostensivo apoio ao general golpista Francisco Franco contra o governo republicano legitimamente eleito. Temendo represálias, ele se asilou na embaixada de Honduras, depois se internou num manicômio, “fingindo-se de louco”, antes de fugir para a França. Só retornou à Espanha após a vitória dos golpistas. Desde então, firmou sólidos laços com o ditador sanguinário Francisco Franco. “O Opus Dei praticamente se fundiu ao Estado espanhol, ao qual forneceu inúmeros ministros e dirigentes de órgãos governamentais”, afirma Henrique Magalhães. Há também fortes indícios de que Josemaría Escrivá nutria simpatias por Adolf Hitler e pelo nazismo. De forma simulada, advogava as idéias racistas e defendia a violência. Na máxima 367 do livro Caminho, ele afirma que seus fiéis “são belos e inteligentes” e devem olhar aos demais como “inferiores e animais”. Na máxima 643, ensina que a meta “é ocupar cargos e ser um movimento de domínio mundial”. Na máxima 311, ele escancara: “A guerra tem uma finalidade sobrenatural... Mas temos, ao final, de amá-la, como o religioso deve amar suas disciplinas”. Em 1992, um ex-membro do Opus Dei revelou o que este havia lhe dito: “Hitler foi maltratado pela opinião pública. Jamais teria matado 6 milhões de judeus. No máximo, foram 4 milhões”. Outra numerária, Diane DiNicola, garantiu: “Escrivá, com toda certeza, era fascista”. Escrivá até tentou negar estas relações. Mas, no seu processo de ascensão no Vaticano, ele contou com a ajuda de notórios nazistas. Como descreve a jornalista Maria Amaral, num artigo à revista Caros Amigos, “ao se mudar para Roma, ele estimulou ainda mais as acusações de ser simpático aos regimes autoritários, já que as suas primeiras vitórias no sentido de estabelecer o Opus Dei com estrutura eclesiástica capaz de abrigar leigos e ordenar sacerdotes se deram durante o pontificado do papa Pio XII, por meio do cardeal Eugenio Pacelli, responsável por controverso acordo da Igreja com Hitler”. Outro texto, assinado por um grupo de católicas peruanas, garante que a seita “recrutou adeptos para a organização fascista ‘Jovem Europa’, dirigida por militantes nazistas e com vínculos com o fascismo italiano e espanhol”. Pouco antes de morrer, Josemaría Escrivá realizou uma “peregrinação” pela América Latina. Ele sempre considerou o continente fundamental para sua seita e para os negócios espanhóis. Na região, o Opus Dei apoiou abertamente várias ditaduras. No Chile, participou do regime terrorista de Augusto Pinochet. O principal ideólogo do ditador, Jaime Guzmá, era membro ativo da seita, assim como centenas de quadros civis e militares. Na Argentina, numerários foram nomeados ministros da ditadura. No Peru, a seita deu sustentação ao corrupto e autoritário Alberto Fujimori. No México, ajudou a eleger como presidente seu antigo aliado, Miguel de La Madri, que extinguiu a secular separação entre o Estado e a Igreja Católica. Infiltração na mídia Para semear as suas idéias religiosas e políticas de forma camuflada, Escrivá logo percebeu a importância estratégica dos meios de comunicação. Ele mesmo gostava de dizer que “temos de embrulhar o mundo em papel-jornal”. Para isso, contou com a ajuda da ditadura franquista para a construção da Universidade de Navarra, que possuí um orçamento anual de 240 milhões de euros. Jornalistas do mundo inteiro são formados nos cursos de pós-graduação desta instituição. O Opus Dei exerce hoje forte influência sobre a mídia. Um relatório confidencial entregue ao Vaticano em 1979 pelo sucessor de Escrivá revelou que a influência da seita se estendia por “479 universidades e escolas secundárias, 604 revistas ou jornais, 52 estações de rádio ou televisões, 38 agências de publicidade e 12 produtores e distribuidoras de filmes”. Na América Latina, a seita controla o jornal El Observador (Uruguai) e tem peso nos jornais El Mercúrio (Chile), La Nación (Argentina) e O Estado de S.Paulo. Segundo várias denúncias, ela dirige a Sociedade Interamericana de Imprensa, braço da direita na mídia hemisférica. No Brasil, a Universidade de Navarra é comandada por Carlos Alberto di Franco, numerário e articulista do Estadão, responsável pela lavagem cerebral semanal de Geraldo Alckmin nas famosas “palestras do Morumbi”. Segundo a revista Época, seu “programa de capacitação de editores já formou mais de 200 cargos de chefia dos principais jornais do país”. O mesmo artigo confirma que “o jornalista Carlos Alberto Di Franco circula com desenvoltura nas esferas de poder, especialmente na imprensa e no círculo íntimo do Geraldo Alckmin”. O veterano jornalista Alberto Dines, do Observatório da Imprensa, há muito denuncia a sinistra relação do Opus Dei com a mídia nacional. Num artigo intitulado “Estranha conversão da Folha”, critica seu “visível crescimento na imprensa brasileira. A Folha de S.Paulo parecia resistir à dominação, mas capitulou”. No mesmo artigo, garante que a seita “já tomou conta da Associação Nacional de Jornais (ANJ)”, que reúne os principais monopólios da mídia do país. Para ele, a seita não visa a “salvação das almas desgarradas. É um projeto de poder, de dominação dos meios de comunicação. E um projeto desta natureza não é nem poderia ser democrático. A conversão da Folha é uma opção estratégica, política e ideológica”. A “santa máfia” Durante seus longos anos de atuação nos bastidores do poder, o Opus Dei constituiu uma enorme fortuna, usada para bancar seus projetos reacionários – inclusive seus planos eleitorais. Os recursos foram obtidos com a ajuda de ditadores e o uso de máquinas públicas. “O Opus Dei se infiltrou e parasitou no aparato burocrático do Estado espanhol, ocupando postos-chaves. Constituiu um império econômico graças aos favores nas largas décadas da ditadura franquista, onde vários gabinetes ministeriáveis foram ocupados integralmente por seus membros, que ditaram leis para favorecer os interesses da seita e se envolveram em vários casos de corrupção, malversação e práticas imorais”, acusa um documento de católico do Peru. A seita também acumulou riquezas através da doação obrigatória de heranças dos numerários e do dizimo dos supernumerários e simpatizantes infiltrados em governos e corporações empresariais. Com a ofensiva neoliberal dos anos 90, a privatização das estatais virou outra fonte de receitas. Poderosas multinacionais espanholas beneficiadas por este processo, como os bancos Santander e Bilbao Biscaia, a Telefônica e empresa de petróleo Repsol, tem no seu corpo gerencial adeptos do Opus. Para católicos mais críticos, que rotulam a seita de “santa máfia”, esta fortuna também deriva de negócios ilícitos. Conforme denuncia Henrique Magalhães, “além da dimensão religiosa e política, o Opus Dei tem uma terceira face: da sociedade secreta de cunho mafioso. Em seus estatutos secretos, redigidos em 1950 e expostos em 1986, a Obra determina que ‘os membros numerários e supernumerários saibam que devem observar sempre um prudente silêncio sobre os nomes dos outros associados e que não deverão revelar nunca a ninguém que eles próprios pertencem ao Opus Dei’. Inimiga jurada da Maçonaria, ela copia sua estrutura fechada, o que frequentemente serve para encobrir atos criminosos”. O jornalista Emílio Corbiere cita os casos de fraude e remessa ilegal de divisas das empresas espanholas Matesa e Rumasa, em 1969, que financiaram a Universidade de Navarra. Há também a suspeita do uso de bancos espanhóis na lavagem de dinheiro do narcotráfico e da máfia russa. O Opus Dei esteve envolvido na falência fraudulenta do banco Comercial (pertencente ao jornal El Observador) e do Crédito Provincial (Argentina). Neste país, os responsáveis pela privatização da petrolífera YPF e das Aerolineas Argentinas, compradas por grupos espanhóis, foram denunciados por escândalos de corrupção, mas foram absolvidos pela Suprema Corte, dirigida por Antonio Boggiano, outro membro da Opus Dei. No ano retrasado, outro numerário do Opus Dei, o banqueiro Gianmario Roveraro, esteve envolvido na quebra da Parlamat. “A Internacional Conservadora” O escritor estadunidense Dan Brown, autor do best seller “O Código da Vinci”, não vacila em acusar esta seita de ser um partido de fanáticos religiosos com ramificações pelo mundo. O Opus Dei teria cerca de 80 milhões de fiéis, muitos deles em cargos-chaves em governos, na mídia e em multinacionais. Henrique Magalhães garante que a “Obra é vanguarda das tendências mais conservadoras da Igreja Católica”. Num livro feito sob encomenda pelo Opus Dei, o vaticanista John Allen confessa este poderio. Ele admite que a seita possui um patrimônio de US$ 2,8 bilhões – incluindo uma luxuosa sede de US$ 60 milhões em Manhattan – e que esta fortuna serve para manter as suas instituições de fachada, como a Heights School, em Washington, onde estudam os filhos dos congressistas do Partido Republicano de George W.Bush. Numa reportagem que tenta limpar a barra do Opus Dei, a própria revista Superinteressante, da suspeita Editora Abril, reconhece o enorme influência política desta seita. E conclui: “No Brasil, um dos políticos mais ligados à Obra é o candidato a presidente Geraldo Alckmin, que em seus tempos de governador de São Paulo costumava assistir a palestras sobre doutrina cristã ministradas por numerários e a se confessar com um padre do Opus Dei. Alckmin, porém, nega fazer parte da ordem”. Como se observa, o candidato segue à risca um dos principais ensinamentos do fascista Josemaría Escrivá: “Acostuma-se a dizer não”.



Os tentáculos da seita no Brasil

O Opus Dei fincou a sua primeira raiz em 1957, na cidade de Marília, no interior paulista, com a fundação de dois centros. Em 1961, dada à importância da filial, a seita deslocou o numerário espanhol Xavier Ayala, segundo na hierarquia. “Doutor Xavier, como gostava de ser chamado, embora fosse padre, pisou em solo brasileiro com a missão de fortalecer a ala conservadora da Igreja. Às vésperas do Concílio Vaticano II, o clero progressista da América Latina clamava pelo retorno às origens revolucionárias do cristianismo e à ‘opção pelos pobres’, fundamentos da Teologia da Libertação”, explica Marina Amaral na revista Caros Amigos. Ainda segundo seu relato, “aos poucos, o Opus Dei foi encontrando seus aliados na direita universitária... Entre os primeiros estavam dois jovens promissores: Ives Gandra Martins e Carlos Alberto Di Franco, o primeiro simpático ao monarquismo e candidato derrotado a deputado; o segundo, um secundarista do Colégio Rio Branco, dos rotarianos do Brasil. Ives começou a freqüentar as reuniões do Opus Dei em 1963; Di Franco ‘apitou’ (pediu para entrar) em 1965. Hoje, a organização diz ter no país pouco mais de três mil membros e cerca de quarenta centros, onde moram aproximadamente seiscentos numerários”.

Crescimento na ditadura

Durante a ditadura, a seita também concentrou sua atuação no meio jurídico, o que rende frutos até hoje. O promotor aposentado e ex-deputado Hélio Bicudo revela ter sido assediado duas vezes por juízes fiéis à organização. O expoente nesta fase foi José Geraldo Rodrigues Alckmin, nomeado ministro do STF pelo ditador Garrastazu Médici em 1972, e tio do atual presidenciável. Até os anos 70, porém, o poder do Opus Dei era embrionário. Tinha quadros em posições importantes, mas sem atuação coordenada. Além disso, dividia com a Tradição, Família e Propriedade (TFP) as simpatias dos católicos de extrema direita. Seu crescimento dependeu da benção dos generais golpistas e dos vínculos com poderosas empresas. Ives Gandra e Di Franco viraram os seus “embaixadores”, relacionando-se com donos da mídia, políticos de direita, bispos e empresários. É desta fase a construção da sua estrutura de fachada – Colégio Catamarã (SP), Casa do Moinho (Cotia) e Editora Quadrante. Ela também criou uma ONG para arrecadar fundos: OSUC (Obras Sociais, Universitárias e Culturais). Esta recebe até hoje doações do Itaú, Bradesco, GM e Citigroup. Confrontado com esta denúncia, Lizandro Carmona, da OSUC, implorou à jornalista Marina Amaral: “Pelo amor de Deus, não vá escrever que empresas como o Itaú doam dinheiro ao Opus Dei”. Ofensiva recente na região Na fase recente, o Opus Dei está excitado, com planos ousados para conquistar maior poder político na América Latina. Em abril de 2002, a seita participou ativamente do frustrado golpe contra o presidente Hugo Chávez, na Venezuela. Um dos seus seguidores, José Rodrigues Iturbe, foi nomeado ministro das Relações Exteriores do fugaz governo golpista. A embaixada da Espanha, governada na época pelo neo-franquista Partido Popular (PP), de José Maria Aznar – cuja esposa é do Opus Dei –, deu guarita aos seus fiéis. Outro golpista ligado à seita, Gustavo Cisneiros, é megaempresário das telecomunicações no país. Em dezembro do ano passado, o Opus Dei assistiu a derrota do seu candidato, Joaquim Laví, ex-assessor do ditador Augusto Pinochet, à presidência do Chile. Já em maio deste ano, colheu uma nova derrota com a candidatura de Lourdes Flores, declarada numerária do partido Unidade Nacional. Em compensação, a seita comemorou a vitória do narco-terrorista Álvaro Uribe na Colômbia, que também dispôs de milhões de dólares do governo George Bush. Já no México, outro conhecido simpatizante do Opus Dei, Felipe Calderon, ex-executivo da Coca-Cola, venceu uma das eleições mais fraudulentas da história deste país.



Altamiro Borges (Miro), jornalista e escritor

http://jenipaponews.blogspot.com/








--------------------------------------------------------------------------------

Ginetes disputam a Final no Rodeio de Vacaria RS

Ginetes novos disputam final
Dez ginetes concorrem ao prêmio de R$1.000 nesta segunda-feira.

Dos 60 ginetes novos que montaram nos dias 30 e 31, durante o 28º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria, classificaram-se dez para a final, que acontece nesta segunda-feira (01/02). Os classificados são os seguintes:

Dácio Antônio de Almeida Filho – Lagoa Vermelha/RS
Gustavo Jardim Torres – Dom Pedrito/RS
Thomaz Mello da Silva – Lagoa Vermelha/RS
Francisco Neto – Santa Vitória do Palmar/RS
Diego Bonato Guerreiro – Monte Alegre dos Campos/RS
Fernando Pereira – Bom Jardim da Serra/SC
Lucas Iago Cunha Parizotto – Vacaria/RS
Mikael Armilialdo da Silva – Lages/SC
Edicarlos Marcos Ribeiro - Lages/SC
Israel Cunha Parizotto – Vacaria/RS



Rádio Fátima AM (Jornalismo), 01/02/2010, 10h46

Cesta Básica

Cesta Básica tem deflação de 3,25% em janeiro

Foram necessários R$ 179,56 para adquirir os produtos pesquisados.

O primeiro mês de 2010 registrou uma queda de 3,25% no valor da cesta básica de Vacaria. De acordo com a pesquisa realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos foram necessários R$ 179,56 para adquirir os produtos pesquisados. Entre os itens que tiveram a deflação nos preços estão o feijão, tomate, café, óleo de soja e manteiga. Em comparação com o mês de dezembro de 2009, a cesta básica de Vacaria teve uma redução de R$ 6,04.


Tags: cesta básica
Rádio Fátima AM (Jornalismo), 02/02/2010, 08h15

Cesta Básica em Vacaria RS

Cesta Básica tem deflação de 3,25% em janeiro

Foram necessários R$ 179,56 para adquirir os produtos pesquisados.

O primeiro mês de 2010 registrou uma queda de 3,25% no valor da cesta básica de Vacaria. De acordo com a pesquisa realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos foram necessários R$ 179,56 para adquirir os produtos pesquisados. Entre os itens que tiveram a deflação nos preços estão o feijão, tomate, café, óleo de soja e manteiga. Em comparação com o mês de dezembro de 2009, a cesta básica de Vacaria teve uma redução de R$ 6,04.


Tags: cesta básica
Rádio Fátima AM (Jornalismo), 02/02/2010, 08h15

Comentarista de Rádio

* Segundo fontes me informaram que um comentarista de uma emissora de rádio o qual é gerente, no seu comentário matinal mostrou o seu lado de militante do PT, que todos desconheciam, defendeu a administração de Vacaria RS de unhas e dentes. Onde está a isenção da imprensa e a neutralidade?, o jornalismo sério, sóbrio e equilibrado, está há onde?
Paulo Furtado
Editor

PRF Registra Cinco Acidentes

PRF registra cinco acidentes nas últimas horas
Uma pessoa ficou ferida levemente. Nos outros acidentes foram registrados apenas danos materiais.

A 6ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal está mobilizada para garantir a segurança dos visitantes da 28ª edição do Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria, que teve início no 30 de janeiro e encerra no dia 7 de fevereiro.
Desde a última sexta-feira, 29/01, a PRF está com uma base avançada montada junto ao acesso principal do parque de exposições Nicanor Kramer da Luz, localizado na BR-116.
Neste final de semana, além de duas equipes de reforço vindas da 10ª Delegacia, em Ijuí e de policiais rodoviários federais de Lagoa Vermelha, a PRF contou com um posto móvel e com dispositivos de sinalização viária implantados no eixo da rodovia que, pela primeira vez neste evento, foram dotados de sistema de iluminação para balizar o acesso ao parque durante a noite.
Apesar do fluxo intenso de veículos constatado principalmente na noite de sábado 30/01, a Polícia Rodoviária Federal registrou apenas três acidentes e um ferido neste final de semana. Neste período, a polícia assegurou ainda, a segurança de centenas de cavalarianos nos deslocamentos pelas rodovias federais e para a passagem do desfile temático na manhã de domingo, quando também realizou a escolta da Governadora Yeda em conjunto com a Brigada Militar e Polícia Civil durante a visita oficial ao Parque Nicanor Kramer da Luz e às obras do Aeroporto Regional de Cargas.
Além dos órgãos de segurança do Estado, a Polícia Rodoviária Federal também está atuando em conjunto com a Guarda Municipal de Vacaria para garantir a fluidez do trânsito nos acessos ao parque.
O fato atípico foi registrado nessa segunda-feira, 1º/01, quando ocorreram cinco acidentes no período da manhã. O mais grave foi às 10 horas e 55 minutos. Ao tentar ultrapassar um outro veículo, na BR 285, KM 164, o condutor do Fiat Stylo, João Dias Ribeiro perdeu o controle, bateu no barranco e capotou. A mulher dele, Nelma Iolita Ribeiro, de 78 anos, que estava na carona sofreu lesões leves e foi atendida no Hospital Nossa Senhora da Oliveira.


Tags: PRF acidente veículos
Rádio Fátima AM (Jornalismo), 02/02/2010, 08h54

Vereadores Retomam as Atividades

Vereadores retomam as atividades legislativas
Após recesso, vereadores se reuniram pela primeira vez neste ano

A Câmara de Vereadores de Vacaria realizou a primeira sessão ordinária do ano de 2010, nessa segunda-feira, 1º/01. Neste ano, a presidência do legislativo está sob a presidência do Vereador Amadeu de Almeida Boeira (PSDB).
No primeiro encontro do ano, os vereadores discutiram cinco projetos, todos de origem do executivo, que tratam de abertura de crédito especial no orçamento em execução. O regime de urgência urgentíssima, para estes projetos foi rejeitado pelos vereadores e voltam para a pauta em segunda discussão nesta terça-feira, 02/02, às 18 horas.

Tags: Vereadores, legislativo
Rádio Fátima AM (Jornalismo), 02/02/2010, 09h11

A Croácia Acessa o Blog do Jornal Negritude


Parabéns! Você só teve a sua primeira visita de Croácia.




Visite Croácia na Wikipedia

Valores da Carteira de Identidade

IGP/DI comunica os novos valores da Carteira de Identidade Civil
01/02/2010 16:52


O Instituto-Geral de Perícias/Departamento de Identificação comunica os novos valores de confecção da Carteira de Identidade (1ª e 2ª vias), publicados no Diário Oficial do Estado, em 29/01/2010, página 105, que passam a ser:

Expedição da Cédula de Identidade Civil: 1ª Via - R$ 28,25

Expedição da Cédula de Identidade Civil: 2ª Via R$ 40,36


Período de vigência: 01/02/2010 a 31/01/2011

Fonte: Ascom IGP

Comentário do Leitor

José Roberto deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Comando do Terror":

Esclarecimento
A propósito da republicação no blog Cloaca News, e a seguir no site de V. Sas., de uma reportagem de 1968 da revista “O Cruzeiro”, em que meu nome é vinculado ao CCC, esclareço, pela enésima vez, que se trata de uma inverdade. A menção limita-se a uma única e falsa linha: “José Roberto Batochio esteve também no ataque à USP,” referindo-se à briga entre estudantes da Universidade Mackenzie e da Faculdade de Filosofia da USP, na rua Maria Antônia. O conflito se deu em 2 de outubro de 1968, quando eu já não era estudante. Saíra do Mackenzie havia um ano. Formei-me em 1967 e em 1968 era profissional da Advocacia. A pessoa da foto cuja legenda leva meu nome também não sou eu.
Atenciosamente,
José Roberto Batochio
Advogado – São Paulo



Postado por José Roberto no blog Jornal Negritude em 1 de fevereiro de 2010 13:16

Relações Institucionais


Relações Institucionais
Harmonia entre os Poderes é destacada na troca de comando do Tribunal de Justiça do Estado
Referência à boa relação entre Executivo e Judiciário foi feita na posse da nova Mesa Diretora do TJE, prestigiada pela governadora Yeda Crusius. Interior
Governo faz mutirão para emissão de 2ª via de documentos em 53 municípios atingidos por temporais
Serão confeccionados CPF, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Identidade e Carteira do Trabalho, sem custos, para pessoas que perderam documentação. Saúde
Governadora sanciona lei que inclui peixe na merenda escolar
Além do ganho nutricional aos alunos, mais de 25 mil famílias gaúchas que tiram o sustento da pesca no Estado poderão se beneficiar da medida. Gestão Pública
Procergs moderniza refrigeração para reduzir consumo de energia e aumentar eficiência
Investimento de R$ 1,9 milhão em novo sistema de ar-condicionado economizará 30% de energia e incrementará em 40% a capacidade de refrigeração da estatal. Ensino
Brigada Militar abre seleção para o Colégio Tiradentes de São Gabriel
Inscrições para o processo seletivo de admissão e classificação de alunos serão recebidas até o próximo dia 12 de fevereiro. Fazenda
Sorteio da série 22 do programa A Nota é Minha ocorre nesta quinta-feira
Os prêmios são relativos a notas fiscais emitidas entre 1º de julho e 31 de dezembro de 2009. Serão distribuídos 110 itens, mais 27 prêmios extras.

Mais um Pedaço

Mais um "pedaço" da história da ditadura, pedaço oculto até hoje.
----- Original Message -----
From: claudio cammarota


Caros generais, almirantes e brigadeiros

Marcelo Rubens Paiva

Eu ia dizer "caros milicos". Não sei se é um termo ofensivo. Estigmatizado é. Preciso enumerar as razões?

Parte da sociedade civil quer rever a Lei da Anistia. Sugeriram a Comissão da Verdade, no desastroso Programa Nacional de Direitos Humanos, que Lula assinou sem ler. Vocês ameaçaram abandonar o governo, caso fosse aprovado.

Na Argentina, Espanha, Portugal, Chile, a anistia a militares envolvidos em crimes contra a humanidade foi revista. Há interesse para uma democracia em purificar o passado.

Aqui, teimam em não abrir mão do perdão. E têm aliados fortes, como o presidente do Supremo, Gilmar Mendes, e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que apesar de civil apareceu num patético uniforme de combate na volta do Haiti. Parecia um clown.

Vocês pertencem a uma nova geração de generais, almirantes, tenentes-brigadeiros. Eram jovens durante a ditadura. Devem ter navegado na contracultura, dançado Raul Seixas, tropicalistas. Usaram cabelos compridos, jeans desbotados? Namoraram ouvindo bossa nova? Assistiram aos filmes do Cinema Novo?

Sabemos que quem mais sofreu repressão depois do Golpe de 64 foram justamente os militares. Muitos foram presos e cassados. Havia até uma organização guerrilheira, a VPR, composta só por militares contra o regime.

Por que abrigar torturadores? Por que não colocá-los num banco de réus, um Tribunal de Nuremberg? Por que não limpar a fama da corporação?

Não se comparem a eles. Não devem nada a eles, que sujaram o nome das Forças Armadas. Vocês devem seguir uma tradição que nos honra, garantiu a República, o fim da ditadura de Getúlio, depois de combater os nazistas, e que hoje lidera a campanha no Haiti.

Sei que nossa relação, que começou quando eu tinha 5 anos, foi contaminada por abusos e absurdos. Culpa da polarização ideológica da época.

Seus antecessores cassaram o meu pai, deputado federal de 34 anos, no Golpe de 64, logo no primeiro Ato Institucional. Pois ele era relator de uma CPI que investigava o dinheiro da CIA para a preparação do golpe, interrogou militares, mostrou cheques depositados em contas para financiar a campanha anticomunista. Sabiam que meu pai nem era comunista?

Ele tentou fugir de Brasília, quando cercaram a cidade. Entrou num teco-teco, decolou, mas ameaçaram derrubar o avião. Ele pousou, saltou do avião ainda em movimento e correu pelo cerrado, sob balas.

Pulou o muro da embaixada da Iugoslávia e lá ficou, meses, até receber o salvo-conduto e se exilar. Passei meu aniversário de 5 anos nessa embaixada. Festão. Achávamos que a ditadura não ia durar. Que ironia...

Da Europa, meu pai enviou uma emocionante carta aos filhos, explicando o que tinha acontecido. Chamava alguns de vocês de "gorilas". Ri muito quando a recebi.

Ainda era 1964, a família imaginava que fosse preciso partir para o exílio e se juntar na França, quando ele entrou clandestinamente no Brasil.

Num voo para o Uruguai, que fazia escala no Rio, pediu para comprar cigarros e cruzou portas, até cair na rua, pegar um táxi e aparecer de surpresa em casa. Naquela época, o controle de passageiros era amador.

Mas veio a luta armada, os primeiros sequestros, e atuavam justamente os filhos dos amigos e seus eleitores - ele foi eleito deputado em 1962 pelos estudantes.

A barra pesou com o AI-5, a repressão caiu matando, e muitos vinham pedir abrigo, grana para fugir. Ele conhecia rotas de fuga. Tinha um aviãozinho. Fernando Gasparian, o melhor amigo dele, sabia que ambos estavam sendo seguidos e fugiu para a Inglaterra. Alertou o meu pai, que continuou no País.

Em 20 de janeiro de 1971, feriado, deu praia. Alguns de vocês invadiram a nossa casa de manhã, apontaram metralhadoras. Depois, se acalmaram. Ficamos com eles 24 horas. Até jogamos baralho. Não pareciam assustadores. Não tive medo. Eram tensos, mas brasileiros normais.

Levaram o meu pai, minha mãe e minha irmã Eliana, de 14 anos. Ele foi torturado e morto na dependência de vocês. A minha mãe ficou presa por 13 dias, e minha irmã, um dia.

Sumiram com o corpo dele, inventaram uma farsa (a de que ele tinha fugido) e não se falou mais no assunto.

Quando, aos 17 anos, fui me alistar na sede do 2º Exército, vivi a humilhação de todos os moleques: nos obrigaram a ficar nus e a correr pelo campo. Era inverno.

Na ficha, eu deveria preencher se o pai era vivo ou morto. Na época, varão de família era dispensado. Não havia espaço para "desaparecido". Deixei em branco.

Levei uma dura do oficial. Não resisti: "Vocês devem saber melhor do que eu se está vivo." Silêncio na sala. Foram consultar um superior. Voltaram sem graça, carimbaram a minha ficha, "dispensado", e saí de lá com a alma lavada.

Então, só em 1996, depois de um decreto-lei do Fernando Henrique, amigo de pôquer do meu pai, o Governo Brasileiro assumiu a responsabilidade sobre os desaparecidos e nos entregou um atestado de óbito.

Até hoje não sabemos o que aconteceu, onde o enterraram e por quê? Meu pai era contra a luta armada. Sabemos que antes de começarem a sessão de tortura, o brigadeiro Burnier lhe disse: "Enfim, deputadozinho, vamos tirar nossas diferenças."

Isso tudo já faz quase 40 anos. A Lei da Anistia, aprovada ainda durante a ditadura, com um Congresso engessado pelo Pacote de Abril, senadores biônicos, não eleitos pelo povo, garante o perdão aos colegas de vocês que participaram da tortura.

Qual o sentido de ter torturadores entre seus pares? Livrem-se deles. Coragem.


















-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Fiscalização da Prefeitura de Vacaria RS

* Recebi uma informação que uma senhora que possuía uma carrocinha de cachorro quente estabelecida no meio da praça vendedora ambulante. Segundo a informação um fiscal da Prefeitura pediu o seu alvará o qual estava em dia, o mesmo deu um prazo para ela permanecer no local, a senhora tem dificuldades financeiras. Recebi reclamações que os fiscais da Prefeitura de Vacaria RS são um pouco autoritários e truculentos contra os ambulantes do nordeste do nosso país. Mas nós pelos do Blog do Jornal Negritude nunca observamos o trabalho desses fiscais para avaliar as suas ações. Mas sabemos que tem um movimento de alguns empresários locais que são contra os vendedores ambulantes. Vacaria é de todos?
Paulo Furtado
Editor