Rádio WNews

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Desfile do dia 07 de Setembro de 2014 em Vacaria RS parte 32

Desfile do dia 07 de Setembro de 2014 em Vacaria RS parte 31

Mestre Pastina

Fonte: Capoeiraexports.blogspot.com
A lição do velho Benedito
Conforme as palavras do próprio mestre que dizia ter aprendido a capoeira com a sorte...

"Quando eu tinha uns dez anos - eu era franzininho - um outro menino mais taludo do que eu tornou-se meu rival. Era só eu sair para a rua - ir na venda fazer compra, por exemplo - e a gente se pegava em briga.



Só sei que acabava apanhando dele, sempre”. Um dia, da janela de sua casa, um velho africano de nome Benedito, que sempre assistia as lutas de pastinha disse: “Vem cá, meu filho. Você não pode com ele, sabe, porque ele é maior e tem mais idade. O tempo que você perde empinando raia vem aqui no meu cazuá que vou lhe ensinar coisa de muita valia. Foi isso que o velho me disse e eu fui".

Este foi o início de mestre Pastinha na capoeira. Vicente Ferreira Pastinha nasceu em cinco de abril de 1889. Fruto da união entre um espanhol, José Señor Pastinha e de uma baiana, Eugênia Maria de Carvalho, nasceu na Rua do Tijolo em Salvador, Bahia.


Depois que o menino conheceu o velho Benedito, passou a frequentar a sua casa todos os dias, treinando e aprendendo as mandingas dos escravos, até que certa vez se encontrou com seu rival mas desta vez foi diferente. Pastinha acabou levando a melhor deixando o menino no chão e sem entender nada. Dizem os relatos que acabaram tornando-se amigos depois.

Durante esse período, o menino pastinha também frequenta o Liceu de Artes e Ofício, onde aprende entre outras coisas a arte da pintura. Em 1902 Pastinha entra para e escola de aprendizes marinheiros, onde passaria oito anos de sua vida. Lá ele ensina a arte da Capoeira aos seus colegas e aprende também a arte da esgrima e a tocar violão. Em 1910, deu baixa na marinha, com 21 anos, resolvido a se dedicar à pintura e ao ensino da capoeira (às escondidas porque a capoeira ainda era proibida pelo código penal), neste período começa a ensinar o seu primeiro aluno: “Raimundo Aberrê”, que conforme mestre Pastinha ia todos os dias à sua casa aprender a capoeira. De 1913 a 1934, Mestre Pastinha se afasta da capoeira devido à forte repressão da época que mantinha a sua prática na ilegalidade. Nesse tempo, mestre Pastinha que sempre desejou viver da sua arte, teve que trabalhar como, pintor, pedreiro, entregador de jornais e até tomou conta de casa de jogos. Este último relatado por ele próprio: 
 
“Passei a tomar conta de casa de jogo. Para manter a ordem. Mas mesmo sendo capoeirista eu não descuidava de um facãozinho de doze polegadas e de dois cortes que trazia comigo. Jogador profissional daquele tempo andava sempre armado. Assim quem estava sem arma nenhuma no meio deles bancava o besta. Vi muita arruaça, algum sangue, mas não gosto de contar causos de briga minha.”

A primeira academia
Em 1941 Mestre Pastinha é convidado pelo seu antigo aluno Aberrê a assisti-lo numa roda no bairro da Gengibirra, onde segundo o mestre, era um ponto de encontro dos maiores mestres de capoeira da Bahia. “Lá só havia mestre, não tinha alunos” – dizia Pastinha. Aberrê disse que perguntaram quem tinha sido seu mestre e ele dizendo o nome de Pastinha mandaram chamá-lo ao qual Aberrê imediatamente o fez. Ao chegar à roda, Pastinha foi apresentado para um mestre conhecido como “Amorzinho”, um guarda civil que tomava conta da roda e imediatamente entregou o berimbau e a responsabilidade para o mestre.  Estavam lançadas as sementes do que seria a primeira escola de Capoeira Angola. Foi fundado então o CECA, Centro Esportivo de Capoeira Angola, nome dado pelo próprio mestre, localizado no Largo do Cruzeiro de São Francisco.  Após a morte de Amorzinho, em 1943, o centro foi abandonado por todos os mestres, mas mesmo assim Pastinha continuou.

Em fevereiro de 1944 há uma reorganização e em 23 de março do mesmo ano vão para o Centro Operário da Bahia. Em 1949, num domingo Pastinha foi convidado por dois camaradas para ver um terreno na fábrica de sabonetes Sicool no Bigode, onde recebeu o apoio e auxilio dos moradores. O centro ali se instalou e foram feitas as primeiras camisas em preto e amarelo, cores inspiradas no Clube Atlético Ypiranga, clube muito querido pelo mestre e pelas classes sociais mais populares de Salvador.  Uma das curiosidades dessa época é que Mestre Pastinha, avaliando cada um dos seus alunos, fazia um desenho na camisa, conforme os seus movimentos mais característicos.

Enfim o reconhecimento
Finalmente em 1° de outubro de 1952 o CECA foi oficializado. Veja o artigo  original abaixo:
“O Centro Esportivo de Capoeira Angola, fundado a 1° de Outubro de 1952, com sede na cidade de Salvador, Estado da Bahia, é constituído de número limitado de sócios, tem a finalidade de ensinar, difundir e desenvolver teórica e praticamente a capoeira de estilo genuinamente “Angola”, que nos foi legada pelos primitivos africanos aportados aqui na Bahia de Todos os Santos.”
Em maio de 1955, o CECA muda de endereço e vai para o Largo do Pelourinho n° 19, onde permaneceu por 16 anos. Durante esse tempo Mestre Pastinha ficou muito conhecido chegando a ser entrevistado por jornais e revistas importantes da época. Sua academia recebia visitas ilustres como, Jorge Amado, o ilustrador Carybé, o filósofo Jean Paulo Sartre, o ator Jean Paul Belmondo, além de turistas de todo o Brasil.

Em cinco de julho de 1957, Mestre Pastinha apresenta a capoeira angola com seus alunos no festival Bahiarte, na Lagoa do Abaeté onde ocorre o seu primeiro encontro com Mestre Bimba. Os dois demonstraram passividade e respeito um pelo outro, deixando transparecer que a rivalidade entre os angoleiros e regionais, era criada pelos alunos e não pelos Mestres. O CECA ainda foi apresentado em vários outros estados, como, Pernambuco, Minas-Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 1964 o Mestre publica o seu livro intitulado “Capoeira Angola”, onde o escritor Jorge Amado teve o prazer de escrever:

O mestre e Jorge Amado
“... mestre da Capoeira de Angola e da cordialidade baiana, ser de alta civilização, homem do povo com toda a sua picardia, é um dos seus ilustres, um dos seus abas, de seus chefes. É o primeiro em sua arte. Senhor da agilidade e da coragem, da lealdade e da convivência fraternal. Em sua escola no pelourinho, Mestre Pastinha constrói cultura brasileira, da mais real e da melhor...” 

Além do livro, o mestre gravou também um disco com cinco faixas. O disco intitulado “Pastinha Eternamente”, conta com depoimentos na voz do próprio mestre e músicas de capoeira, cantadas por Mestre Traíra. Este disco é simplesmente uma raridade e está disponível para download na internet. No final do post disponibilizarei o link para o download. 

Em abril de 1966, integrou a delegação brasileira no 1° Festival de Artes Negras, no Senegal, Dakar na África, onde recebe várias homenagens e confirma que na África não existe qualquer coisa que se pareça com a nossa capoeira. Com todo esse destaque Mestre Pastinha começa a receber o apoio de várias instituições governamentais até que em 1971 o destino (ou o sistema) lhe pregaria uma grande peça.

O golpe, a ingratidão,  o descaso
Em 1971 aos oitenta e dois anos de idade, Pastinha já quase cego por causa de uma catarata, é obrigado pela prefeitura a se retirar do casarão, que entraria em reformas, com a promessa de que assim que estivesse pronto poderia voltar. E voltou?
Mestre Pastinha teve então que se mudar. Foi morar na Rua Alfredo Brito n° 14 no Pelourinho, em um quarto escuro, úmido e sem janelas. Único lugar que dava para pagar com o mísero salário que recebia da prefeitura, já que não podia contar mais com o dinheiro das aulas. Ainda na mudança, foram perdidos muitos móveis, quadros que o mestre pintava e fotografias, que juntos hoje, constituiriam um grande acervo cultural da nossa história.
Para piorar o prédio foi doado para o Patrimônio Histórico da Fundação do Pelourinho que posteriormente o vendeu para o SENAC que transformou o prédio em um restaurante. 
Este foi um dos maiores absurdos praticados contra a nossa cultura. Mestre Pastinha foi usado, enganado e abandonado.

Tristeza
Após a mudança e a perda de sua academia, Pastinha entra em uma profunda depressão e em 1979 com 90 anos é vítima de um derrame cerebral, que o levou a ficar internado por um ano em um hospital público. Após esse período foi enviado para o abrigo para idosos Dom Pedro II, onde permaneceu até a sua morte. Mestre Pastinha morreu cego, quase paralítico e abandonado.
  
No dia 13 de novembro de 1981, aos 92 anos, o Brasil perdia um dos seus maiores mestres. Não só o mestre da capoeira angola, mas o mestre da filosofia popular. O menino fraco e magrinho que conquistou o respeito e admiração do mais forte.

A estrela ainda brilha
Mestre Pastinha foi um dos maiores ícones da cultura do Brasil. Dedicou sua vida inteira em favor da nossa cultura, ajudou a tirar a capoeira da ilegalidade e a colocá-la no seu devido lugar como prática esportiva e cultural, preservou e divulgou a nossa arte até fora do país, ensinou jovens e adultos a enxergar a vida de uma forma simples, mas nobre. Mestre Pastinha foi uma estrela que veio para a terra em forma de homem, para nos ensinar a filosofia da simplicidade, mas teve que voltar ao céu, pois o seu brilho já não cabia mais aqui em um lugar tão pequeno. Um homem que transformou e formou crianças em grandes adultos e fez os mais velhos brincarem como crianças, literalmente de pernas pro ar.

Os frutos
Os mais antigos discípulos do mestre em atividade são: Mestre João Pequeno, que reabriu o CECA um ano depois da morte de Pastinha, no Forte de Santo Antônio do Carmo e Mestre João Grande, que reside em Nova York desde 1990, onde ensina capoeira para pessoas do mundo todo.
Hoje a memória de Mestre Pastinha continua viva nas rodas de capoeira que se espalharam pelos quatro cantos do mundo. E em cada uma dessas rodas, onde são entoadas as ladainhas da Capoeira Angola, Mestre Pastinha está lá.

AXÉ

Obras póstumas
Em 2000 foi lançado em VHS um documentário sobre a vida do mestre chamado “Pastinha uma vida pela capoeira”, sendo relançado em DVD em 2009 com extras inéditos e disponível em vários idiomas. O DVD pode ser encontrado em lojas de artigos para capoeira e nas melhores livrarias.

Artigos relacionados:

Desfile do dia 07 de Setembro de 2014 em Vacaria RS parte 30

João Carlos Braga Destaque do Site e Blog do Jornal Negritude


João Carlos Braga (Joãozinho) recebe o destaque do Site e Blog do Jornal Negritude.

Desfile do dia 07 de Setembro de 2014 em Vacaria RS parte 29

Desfile do dia 07 de Setembro de 2013 em Vacaria RS parte 28

Assalto em Jaquirana

FOTOGRAFIAS E VIDEO NO PERFIL DAS DELEGACIAS DE POLICIA DE VACARIA NO FACEBOOK NO SEGUINTE LINK:
 


POLICIAIS CIVIS E POLICIAIS MILITARES DAs REGIÕES DE VACARIA, CAXIAS E GRAMADO ESTÃO NESTE MOMENTO FAZENDO BUSCAS NOS ACESSOS DE JAQUIRANA  e região Á PROCURA DOS QUATRO CRIMINOSOS QUE ATACARAM O BANCO DO BRASIL DE JAQUIRANA, OU DE PISTAS QUE POSSAM LEVAR À IDENTIFICAÇÃO.
 
POR VOLTA DAS 03H30MIN FOI ESCUTADA A PRIMEIRA DAS TRES EXPLOSÕES.
 
DOIS CRIMINOSOS, USANDO ARMAS LONGAS (PROVAVELMENTE METRALADORA) FICARAM CONTROLANDO E RETENDO A REAÇÃO DOS POLICIAIS E OUTROS DOIS EXPLODIRAM OS DOIS CAIXAS ELETRÕNICOS E O COFRE DA AGENCIA.
 
NAO FOI CONFIRMADO SE CONSEGUIRAM O INTENTO DE ABRIR O COFRE.
 
TESTEMUNHAS INFORMARAM QUE OS CRIMINOSOS SAÍRAM DISCUTINDO, PELO POUCO DINHEIRO OBTIDO NA AÇÃO.INCLUSIVE COLOCARAM MIGUELITOS A BRIGADA MILITAR

ELES ESTAVAM NUM GM CRUZE COR BRANCA.
 
FUGIRAM EM DIREÇÃO À RS 110 E ROTA DO SOL.
 
HÁ QUASE EXATOS DOIS ANOS HOUVE UMA AÇÃO IDÊNTICA EM JAQUIRANA.
 
A DELEGACIA DE ROUBOS A BANCO DO DEIC TAMBEM VAI PARTICIPAR DAS INVESTIGAÇÕES COM A DP JAQUIRANA, CUJO RESPONSÁVEL É O DELEGADO DE POLÍCIA ANDERSON SILVEIRA DE LIMA (TITULAR DA DP VACARIA).
 
NÃO HOUVE REFÉNS, FERIDOS E NEM CONFRONTO.
 
AGORA HA POUCO FORAM ENCONTRADOS  DOIS VEÍCULOS,  O GM CRUZE E UM VOYAGE PRETO,  ABANDONADOS NA SERRA DO UMBÚ, PERTO DE SÃO FRANCISCO DE PAULA.
 



ANDERSON SILVEIRA DE LIMA,Delegado de Polícia.
Delegacia de Polícia de Vacaria.
(
54.3231.1212)


Desfile do dia 07 de Setembro de 2014



Vacaria RS

Inter de Lages SC

Prezados,
Por um erro operacional, enviamos para parte de nossa lista de contatos o release sobre a partidaInter 2 x 1 Guarani com fotos demasiadamente pesadas. Isso pode ter congestionado as caixas de e-mails de alguns de vocês, e por esse eventual transtorno, pedimos desculpas. Pelo deslize, nosso estagiário já está ajoelhado na grimpa :-)
UM LEMBRETE: foi justamente para não congestionar as caixas de e-mails da imprensa que criamos um perfil oficial do Inter de Lages no Flickr. Sintam-se à vontade para ver e baixar fotos do clube, que estão lá em alta resolução para atender as necessidades da imprensa. Todas as fotos de nosso Flickr estão organizadas em álbuns e trazem informações sobre data, resultado do jogo e uma legenda explicativa do personagem retratado. Nosso perfil no Flickr está neste link.
Saudações e bom trabalho a todos.

-- 
Inter de Lages
Imprensa

www.interdelages.com.br

NPC

Já está pronta a programação do 20º Curso Anual do NPC! Para conferir, basta clicar aqui!
A ficha de inscrição também está disponível. É só clicar aqui, preencher e depois enviar para o email npiratininga@piratininga.org.br.
Para maiores informações, entre em contato pelo telefone (21) 2220-5618 ou (21) 99628-5022 e pelo email npiratininga@piratininga.org.br. 

Desfile do Dia 07 de Setembro 2014




Sobre o PT Nas Redes Sociais

Lisandra De Moraes Caieron mencionou você em um comentário.
Lisandra escreveu: "Lanna Campos as agressoes partiram unicamente de você, portnto você nao precisa baixar teu nível porque ele já está no chao. O que eu coloquei da grandiosidade da corrupcao é algo que está estampado em várias revistas nacionais e inclusive em jornais internacionais, mas é claro que você seguindo o exemplo do nosso ex-presidente e atual presidente também nao sabe de nada. Nao sabe porque nao lê. O Paulo Furtado Furtado unicamente postou no mural dele um artigo que saiu na folha de Sao Paulo. Sequer fez um comentário e você, que se acha de nível, o saiu agredindo, usando palavras que o desqualificam, unicamente porque mostrou algo com o qual voce nao concorda. Típico de Petista...partem para a agressao, gritam, esperneiam.... depois fiz um comentário colocando o meu ponto de vista e você, uma pessoa que vive numa democracia, que se considerada fina, educada, elegante e culta, faz o quê? Supoe algo que nao aconteceu, pois você nao conhece minha realidade, caso contrário, nao falaria tanta bobagem. Realmente quem tem argumento é você.....as tuas palavras refletem unicamente você. A mim, você nao atinge, meu nível é outro. Te convido para fazermos uma mesa redonda e conversarmos sobre política, te dou uma aula e nao cobro nada por isso."

NPC

Boletimdo NPC

20º Curso Anual do NPC: programação e inscrições

17 de setembro de 2014
NOTÍCIAS DO NPC

NPC se despede de um grande lutador. Camarada Didi, presente!

NOTÍCIAS DO NPC

Curso de Comunicação Popular vai a São Paulo

NPC INFORMA

III Curso de Comunicação Comunitária do Jornal O Cidadão, da Favela da Maré

NPC INFORMA

Elizabeth Lorenzotti analisa modelo mídia ninja

NPC INFORMA

Júlia Gaspar lança “Pele de dentro”

DE OLHO NA VIDA

Sindicato dos trabalhadores da carne inaugura biblioteca em Santa Catarina

DE OLHO NA MÍDIA

MP investiga denuncia sobre a série ‘Sexo e as Negas’, da Globo

DE OLHO NA MÍDIA

Patrícia Poeta foi tragada pela “destruição criadora”

DE OLHO NA VIDA

De vítima a vilão

DE OLHO NO MUNDO

165 médicos cubanos irão combater o Ebola na África

PROPOSTA DE PAUTA

ONU reconhece que racismo no Brasil é ‘estrutural e institucionalizado’

DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

Dilma aponta banda larga como prioridade

MEMÓRIA

Carta Capital registra descobertas da Comissão da Verdade

ARTIGOS

Comissão da Verdade convocará a Globo?

DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

Plataforma Pela Democratização da Comunicação no Estado do RJ

DICAS

DÍVIDA PÚBLICA BRASILEIRA – A soberania na corda bamba

PÉROLAS

Por Gregório Duvivier

Edição 278
Para jornalistas, dirigentes, militantes e assessores sindicais e dos Movimentos Sociais
Índice
Receba o Boletim NPC
E-mail
Nome
Cidade
Estado
NPC - Núcleo Piratininga de Comunicação
Contato
Rua Alcindo Guanabara, 17, sala 912, Cinelândia
Rio de Janeiro – RJ - CEP 20031-130
Tel. (21) 22205618
www.piratininga.org.br
npiratininga@uol.com.br
Equipe
Coordenação: Vito Giannotti
Edição: Claudia Santiago (MTB 14.915)
Redação: Claudia Santiago Colaboraram nesta edição: Eric Fenelon (RJ), Sheila Jacob (RJ), Marina Schneider (RJ), Rosângela Gil (SP), Sergio Domingues (RJ), Tatiana Lima (RJ).