Rádio WNews

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Notícias da Prefeitura de Porto Alegre

Notícias da prefeitura na imprensa

Clique nos links abaixo para ter acesso a todas as notícias sobre a prefeitura veiculadas em jornal, TV, rádio e Internet:

Notícias em Jornal Notícias em TV Notícias em Rádio Notícias na Internet




Todas as Notícias
A MANCHETEEstrutura para o Carnaval está 70% concluída
Um público estimado em 160 mil pessoas vai contar um uma ampla infraestrutura durante o desfile das escolas de samba no Complexo Cultural do Porto Seco. Conforme o coordenador de manifestações populares da Secretaria da Cultura, Joaquim Lucena, a montagem das arquibancadas e dos camarotes será finalizada no dia 12. O evento, que ocorre nos dias 20, 21 e 22, é organizado por um convênio entre a prefeitura e a Associação das Entidades Carnavalescas de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul. Leia mais...

DESTAQUESHPS atendeu 234 vítimas de mordidas de cães neste ano
Foram 232 atendimentos ambulatoriais e dois hospitalares, contabilizando a média de seis vítimas assistidas diariamente. Os números referem-se aos casos recebidos do início do ano até ontem. De acordo com o cirurgião plástico Roberto Arnold, há 23 anos no hospital, a mordida causa infecção devido à grande quantidade de bactérias presentes na saliva dos cães, e a reconstituição do local do ferimento é geralmente bastante complicada. Leia mais...
ProJovem Urbano recebe pré-inscrições
Jovens entre 18 e 29 anos que não concluíram o Ensino Fundamental, mas sabem ler e escrever, podem fazer a pré-inscrição no ProJovem Urbano. Gerenciado pela Secretaria da Juventude, o programa é mantido com verbas federais e pretende reintegrar à educação formal jovens que abandonaram os estudos antes de concluir a 8ª série. Os alunos receberão qualificação profissional, iniciação à informática e bolsa-auxílio de R$ 100. Leia mais...

Minizoo da Redenção é alvo de vandalismo
Durante a madrugada, a parede do viveiro dos micos-prego foi pichada com a frase "não somos brinquedos – liberdade". Também foram furtadas duas mangueiras. Situado no Parque Farroupilha, o Minizoo Palmira Gobbi Dias possui 107 animais de 24 espécies, como faisão dourado, papagaio, arara, maitaca, pavão, marreco, jabuti, gavião e pomba. Leia mais...
Capital disputa liderança no ranking de cidades digitais
O fato de a cidade estar coberta por uma rede wireless (sem fio) e possuir infovia própria, com uma rede de fibra óptica de 400 quilômetros de extensão, poderá facilitar a liderança da capital gaúcha no futuro ranking das cidades digitais brasileiras, que será identificado pelo primeiro censo do setor. A avaliação é do diretor-presidente da Procempa, André Imar Kulczynski, que preside a Associação Brasileira de Entidades Municipais de Tecnologia da Informação e Comunicação. Leia mais...

Executivo destaca diálogo na elaboração do Plano Diretor
Esse foi o enfoque defendido hoje pelo prefeito em exercício José Fortunati, durante discurso na reabertura dos trabalhos da Câmara Municipal. “A revisão que encaminhamos aos vereadores representa um significativo avanço em relação à atual lei. Isso não quer dizer que temos uma proposta definitiva. Todas as contribuições serão muito bem recebidas”, afirmou. Na ocasião, foi instalada comissão especial para tratar do tema. Leia mais...

EVENTOSCamarotes para o Carnaval serão leiloados amanhã
Quem quiser assistir com mais conforto ao Carnaval de Porto Alegre poderá participar amanhã do leilão dos camarotes e frisas, a partir das 20h, na Usina do Gasômetro. Cada frisa é composta por uma mesa de apoio e oito cadeiras, a céu aberto, no mesmo nível da pista de desfile. Já o camarote tem capacidade para 15 pessoas e é um espaço reservado e coberto, cerca de quatro metros acima da pista. Os lances mínimos para os camarotes serão R$ 500 e para as frisas R$ 100. A venda de ingressos para as arquibancadas será nos dias 9 e 10 de fevereiro, das 8h às 17h, no Ginásio Tesourinha. Leia mais...

MAIS SERVIÇOSInscrições para a praça de alimentação do Carnaval começam amanhã
Interessados em comercializar lanches e outros alimentos no Complexo Cultural do Porto Seco nos dias 13, 14, 20, 21, 22 e 28 de fevereiro devem ficar atentos. As inscrições serão realizadas amanhã e sexta-feira, 6, das 9h às 12h e das 14h às 17h, na Supervisão de Economia Solidária da Smic (Av. Osvaldo Aranha, 308, sala 16). O sorteio público será no dia 9, às 10h, no auditório da secretaria. Informações pelos telefones 3289-4713 e 3289-4712. Leia mais...
Alimentos são distribuídos à população indígena
A última entrega de cestas com farinha de mandioca, farinha de trigo, arroz e feijão foi realizada hoje. "O reconhecimento das necessidades de populações específicas nos leva a esta ação pública com o objetivo de garantir a eles o mínimo de dignidade", afirmou o coordenador de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, Carlos Antônio da Silva. Desde o dia 28 de janeiro, charruas, caingangues e guaranis receberam 1,7 tonelada de alimentos, adquiridos com recursos do município. Leia mais...
Reduz o índice de infestação do mosquito da dengue
O levantamento realizado pela Secretaria da Saúde entre 20 e 22 de janeiro apurou Índice de Infestação Predial médio de 1% em Porto Alegre. No mesmo período do ano passado, o IIP médio foi de 1,8%, indicando uma redução importante. Foram pesquisados 18.711 imóveis, abrangendo 81 bairros, distribuídos em 30 grupos (agrupamentos de 8 mil a 12 mil imóveis). Os dados apontaram a presença do mosquito vetor da dengue em 50 (62%) dos 81 bairros amostrados. Leia mais...
Crianças assistem à peça de teatro na Colônia de Férias
A programação das tardes de quarta-feira está reservada ao teatro, com uma vivência cultural no Auditório Barbosa Lessa do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo. Em duas sessões, 144 crianças e 60 adultos assistiram à peça Jogo da Memória, do grupo Teatro Sarcáustico. Amanhã é dia de visitar a praia do Veludinho, em Belém Novo, com atividades na areia e banho de rio. Leia mais...
TEMPO HOJEVeja imagem de satélite
(Clique aqui)

VEJA PAUTAS DO DIAPautas para o dia 05 de fevereiro
(Clique aqui)



Editado pela Supervisão de Comunicação Social
E-mail - Telefones (51)3289.3900 / (51)3289.3932 / (51)3289.3926Newsletter desenvolvida pela PROCEMPA.

Ladrões presos

Indivíduos recebem dinheiro de extorsão na Argentina e são presos pela BM em Uruguaiana
04/02/2009 18:46


Nesta quarta-feira (04/02), às 13h30min, em Uruguaiana, policiais militares do 1º BPAF foram procurados por L.S.X, comunicando que, na segunda-feira (02/02), teve sua motocicleta Yamaha, de cor preta, ano 2007, roubada, e que tinha acabado de recuperá-la na cidade argentina de Paso de Los Libres, após ter pago a importância de R$ 2.000,00 aos indivíduos L..J. S.M e J.A.L.S, ambos brasileiros.

Uma guarnição deslocou-se até as proximidades da Ponte Internacional e abordou o veículo marca Fiat/Uno, cor cinza, que era tripulado pelos dois indivíduos, que foram presos e encaminhados à Delegacia de Policia, sendo que, no momento da abordagem, tinham em seu poder parte do dinheiro pago pela vitima.

Fonte: PM5-Imprensa-BM

BM prende traficante

Indivíduo é preso pela BM com 283 pedras de crack, em Porto Alegre
04/02/2009 18:54

Nesta quarta-feira (04/02), na Rua Carlos Salzano Vieira da Cunha, Vila Planaltina, em Porto Alegre, policiais militares do 20º BPM abordaram D.S.R. Com o individuo foram encontradas 283 pedras de crack.
O homem foi conduzido à delegacia.
Fonte: PM5-Imprensa-BM

Operação Caixa Forte

Operação Caixa-Forte prende sete indivíduos, sendo dois foragidos, e inspeciona 652 estabelecimentos bancários no RS
04/02/2009 19:01


A Secretaria da Segurança Pública, por meio da Brigada Militar, realizou nesta quarta-feira (04/02) a Operação Caixa Forte, que abrangeu 317 municípios gaúchos e mobilizou 746 servidores em 387 viaturas. No período, foram realizadas ações de inspeção e fiscalização em 652 estabelecimentos bancários e em 8.475 veículos. Sete indivíduos foram presos, sendo dois foragidos da Justiça. Os demais números da operação são os seguintes:

- Boletins de Ocorrência registrados – BO/COP: 09;

- Termos Circunstanciados – TC – 03;

- Prisões realizadas (exceto foragidos e TC BM): 05;

- Prisões realizadas (exceto foragido e TC BM): 02;

- Veículos autuados: 77;

- Veículos recolhidos: 03;

A Operação Caixa-Forte é realizada junto a estabelecimentos bancários e/ou que realizem transações financeiras, tem por objetivo de inibir a ocorrência de furtos, roubos a estabelecimentos bancários e demais delitos correlatos. A operação é realizada permanentemente, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, nos períodos de início e final de mês.

Fonte: PM-3/BM

CEN Brasil

CEN Brasil.
Acesse: http://www.cenbrasi l.org.br
Para fazer parte da lista de distribuição CEN BR, mande um e-mail para: cen_br-subscribe@ yahoogrupos. com.br

Centenário Dom Helder

04-02-2009



Brasil - Centenário de Dom Helder


Dom Demétrio Val entini *


Adital -

Nesta semana temos uma data especial a agendar. No dia 07 de fevereiro se completam cem anos do nascimento de D. Helder Camara. Para personagens com dimensão histórica, a roupagem adequada é a dos séculos.

De fato, o arco de um século situa melhor a importância e a grandeza de D. Helder. É muito acertada a iniciativa de se promover um "ano centenário", para recolher a grande herança deixada por ele.

A iniciativa parte de diversas instituições, a começar pela CNBB, com a presença do seu atual Presidente, D. Lyrio Rocha, na missa de abertura do "ano centenário", em Recife, defronte à Igreja das Fronteiras.

A Cáritas Brasileira se sente particularmente ligada à pessoa de D. Helder, que foi o seu fundador, no ano de 1956. Por isto, ela se antecipa, e promove uma homenagem especial ao seu primeiro secretário geral e presidente no dia 06 à noite. Quando a liturgia tem uma data especial a celebrar, ela começa no dia anterior, com as "primeiras vésperas". A Cáritas se incumbe de entoar os primeiros louvores, sinalizando que a celebração é de "primeira classe"!

Entre tantos predicados, D. Helder foi indiscutivelmente um grande profeta e um sonhador das grandes utopias humanas e cristãs.

Para descortinar os amplos horizontes suscitados pelo centenário do seu nascimento, podemos lembrar os dois grandes sonhos de D. Helder. Ambos em vista da passagem do milênio, que ele nem pôde ver. Como Moisés que não chegou a pisar a terra prometida, só a enxergando do alto do Monte Nebo, assim D. Helder deixou este mundo em 1999, antes da chegada do novo milênio, que ele sonhou com a generosidade de suas grandes utopias.

Pois bem, para o mundo, D. Helder sonhou o fim da miséria e da fome. Um mundo justo, em paz, reconciliado e fraterno, onde ninguém precisasse viver na miséria e passando fome. Este o mundo que D. Helder sonhou para o milênio que já estamos vivendo!

Para a Igreja, D. Helder sonhou, e divulgou, sua grande utopia, carregada de profundo simbolismo: a convocação do Segundo Concílio de Jerusalém! Para entender a força deste sonho, é preciso saber o que foi o primeiro concílio, descrito na Bíblia e realizado no começo da Igreja. Os apóstolos se congregaram em Jerusalém e perceberam a universalidade do Evangelho de Cristo, que precisava romper os limites estreitos do judaísmo e de quaisquer outras amarras culturais e religiosas, para ser levado a toda a humanidade, que o aguardava como terra sedenta de verdade e de amor, pronta para produzir os frutos do Reino de Deus.

Agora, um segundo "concílio de Jerusalém" implicaria a predisposição da Igreja em rever sua caminhada, e o convite ao mundo para se abrir ao Evangelho de Cristo, superando preconceitos e confrontos inúteis, e abrindo caminho para um novo tempo de reconciliação e de paz mundial.

Assim sonhava D. Helder. Ele vinculava seus sonhos a uma data, carregada de simbolismo, para dizer que estes sonhos ultrapassam as possibilidades concretas do nosso dia a dia, mas ao mesmo tempo começam a acontecer se lhes damos abrigo em nossas mentes e em nossos corações. Ele insistia na dimensão comunitária das utopias, alertando que um sonho que se sonha só, fica na ilusão, mas um sonho que sonhamos juntos, começa sua encarnação.

O "Ano centenário" é para voltarmos a sonhar como D. Helder, para nos comprometer com a realização concreta de suas grandes utopias. Apesar das nuvens carregadas de pessimismo que se abateram sobre o mundo no alvorecer deste novo milênio.

Em temos de borrascas os profetas precisam anunciar a bonança!


* Bispo de Jales



==================================================================================================================

Mensagem de Dom Helder Camara
Escrito por Frei Betto
03-Fev-2009

De: HelderCamara@ceu.com Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email


Para: amigos e amigas


Queridos: estivesse entre vocês, a 7 de fevereiro comemoraria 100 anos de idade. Quis o bom Deus, entretanto, antecipar-me a glória de desfrutar Sua visão beatífica. Aliás, o Céu nada tem daquela imagem idílica que se faz na Terra. Nada de anjos harpistas e nuvens cor-de-rosa, embora a música de Bach tenha muita audiência.


Entrar na intimidade das três Pessoas divinas é viver em estado permanente de paixão. Arrebatado por tanto amor, o coração experimenta uma felicidade indescritível.


A propósito, outro dia, Buda, de quem sou vizinho, me contou esta parábola que bem traduz o caminho da felicidade: numa feira da Índia, entre tantos restos de frutas e legumes, uma mulher fitava detidamente o chão. Viram que procurava algo. Um e outro perguntaram o quê. "Uma agulha". Não deram importância. Porém, quando ela acrescentou que se tratava de uma agulha de ouro, multiplicou o número dos que a auxiliavam na busca.


Súbito, um deles perguntou: "A senhora não tem idéia de que lado da feira a perdeu?" "Não foi aqui na feira", respondeu a mulher, "perdi-a em casa". Todos a olharam indignados. "Em casa?! E vem procurar aqui fora?" A mulher fitou-os e retrucou: "Sim, como vocês procuram a felicidade nas coisas exteriores, mesmo sabendo que ela se encontra na vida interior".


O Céu é terno, o que não impede que experimentemos indignações. Jesus não fez a fome e a sede de justiça figurar entre as bem-aventuranças? Quando olho daqui para a Igreja Católica confesso que sinto, não frustração, mas uma ponta de tristeza. O papa Bento XVI não transmite alegria e esperança. Faltam-lhe o profetismo de João XXIII e a empatia de João Paulo II.


Padres cantores atraem mais discípulos do que aqueles que se dedicam aos pobres, aos lavradores sem-terra, às crianças de rua, aos dependentes químicos. Nas showmissas os templos ficam superlotados, enquanto nos seminários o ensino de filosofia e teologia costuma ser superficial.


A vida de oração não é estimulada, muitos buscam o sacerdócio para obter prestígio social e, por vezes, o moralismo predomina sobre a tolerância, o triunfalismo supera o espírito ecumênico. Até quando homossexuais serão discriminados por quem se considera discípulo de Jesus?


Alegra-me, porém, saber que as Comunidades Eclesiais de Base estão vivas e se preparam para realizar o seu 12º encontro inter-eclesial, em Rondônia, no próximo julho. Dou graças a Deus ao constatar que o CEBI – Centro de Estudos Bíblicos – conta com mais de 100 mil núcleos espalhados pelo Brasil, integrados por gente simples interessada em ler a Bíblia pela ótica libertadora.


Preocupa-me, entretanto, a polêmica entre os irmãos Boff. Tanto Leonardo quanto Clodovis são teólogos de sólida formação. Não considero justa a acusação feita por Clodovis de que a Teologia da Libertação teria priorizado o pobre no lugar do Cristo. O próprio Evangelho nos mostra Cristo identificado com os pobres, como ocorre na metáfora da salvação em Mateus 25, 31-46.


Francisco de Assis, com quem sempre me entretenho em bons papos, lembra que sem referência ao pobre, sacramento vivo de Deus, Cristo corre o risco de virar um mero conceito devocional legitimador de um clericalismo que nada tem de evangélico ou profético.


Tenho dito a são Pedro que sonho com uma Igreja em que o celibato seja facultativo para os sacerdotes e as mulheres possam celebrar missa. Uma Igreja livre das amarras do capitalismo, e na qual os oprimidos se sintam em casa, alentados na busca de justiça e paz.


Quanto ao mundo, lamento que a fome, por cuja erradicação tanto lutei, ainda perdure, ameaçando a vida de 950 milhões de pessoas e causando a morte de cerca de 23 mil pessoas por dia, a maioria crianças.


Por que tantos gastos em formas de ceifar vidas, como armamentos, e investimentos que degradam o meio ambiente, como pesticidas, desmatamentos irresponsáveis e cultivo de transgênicos? Por que tão poucos recursos para tornar o alimento – dom de Deus – acessível à mesa de todos os humanos?


Ao comemorarem meu centenário, lembrem-se dos princípios e objetivos que nortearam a minha vida. Malgrado calúnias e perseguições, vivi 91 anos felizes, pois jamais esqueci do que disse meu pai quando comuniquei a ele minha opção pela vida sacerdotal: "Filho, egoísmo e sacerdócio não podem andar juntos".


Frei Betto é escritor, autor, em parceria com Leonardo Boff, de "Mística e Espiritualidade" (Garamond), entre outros livros.





-----Anexo incorporado-----

_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Meio ambiente

Caro André,Caros do Grupo, você está certo ao afirmar que o motivo ensejador de o Estado de São Paulo ter legislado sobre a queimada de palha de cana, e previsto a "queima controlada" (ou seja, desde que cumprido alguns requisitos e mediante prévia autorização do órgão ambiental competente) é dar uma aplicação razoável as questões ambientais, ou seja, dar oportunidade das Usinas/Agricultores se adaptarem e não parar, abruptamente, com esse método que, inclusive, é admitido pela legislação federal (Código Florestal, art. 27, parágrafo único). Temos uma questão social delicada a ser trabalhada, realmente com toda essa gente que trabalha no campo colhendo cana-de-açúcar, uma parada repentina geraria um fluxo expressivo de migração para as cidades, teremos mais gente sem emprego e na informalidade, sem dinheiro para comer, morar e ajudar seus familiares. Teremos também mais gente sendo empurrada para a criminalidade, hoje sem controle por parte do Estado. Uma gente que já se envolve com o consumo e tráfico de drogas pesadas como a cocaina e seu subproduto "Crack", como foi alvo de uma matéria em um dos últimos programas do Fantastico. Também entendo que essa lei serve para reduzir as queimadas, gradativamente, e para, também, dar vigência aos princípios da ordem econômica, da livre iniciativa, da liberdade de economia e, ao final, da legalidade. Quanto a estudos, existem inúmeros que são conclusivos de que a queimada causa mal a saúde, muitos dos quais serviram de embasamento para laudos periciais, estes realizados pela Polícia Técnico-científica de São Paulo, e não só a saúde, como ao meio-ambiente. E não só na esfera criminal temos esta conclusão, alguns trabalhos que acompanhei, estes realisados na USP e na UFSC são também conclusivos neste sentido. Um bom pneumologista lhe apresentará de imediato inúmeras razões. Temos que entender que a queima de qualquer biomassa apresenta alguns aspetos positivos e outros negativos, sem contar que se esta for efetuada no campo, pode gerar passivos ambientais, os quais também foram comprovados para fins criminais. Se temos alguns aspectos positivos da queima no campo estes são, entre outros:
facilita o corte manual da cana e assim viabiliza maior número de empregos;
afugenta e/ou extermina animais peçonhentos, os quais estão entre as princiapias causas de acidentes no campo.
E em instalações apropiadas, entre outros:
permite o aproveitamento da energia com a queima da biomassa;
permite, como bem nos lembra o Engº Fendel (www.fendel.com.br), um dos principais especialista brasileiros no campo de energia: a palhada e o bagaço podem ser utilizados para produzir pó de carvão vegetal (para as siderurgias e fábricas de cimento) e com os gases provenientes do carvoejamento, tocar as usinas de etanol e fazer a cogeração... em qualquer escala... Bastando mudar as fornalhas das caldeiras nas usinas... para que entre material em excesso... e saia carvão vegetal... e os gases queimados ali mesmo, com adição de ar secundário e terciário... na própria caldeira...
Os aspetos negativos são, entre outros:
gera material particulado e fumos que são lançados à atmosfera, os quais necessitam de boa dissipação para que não causem mal à saúde de pessoas e animais. Sendo necessária, portanto, medições confiáveis. Normalmente para se ajustarem aos parâmetros legais requerem a utilização de filtros e purificadores especiais, o que é inviável quando a queima se dá no campo;
exige que a queima seja feita em instalações apropriados, como fornos ou caldeiras apropriadas para a queima de biomassa, para se assim obter um bom aproveitamento da energia;
com a queima no campo ou intalações apropriadas, perde-se o potencial de produção de álcool da celulose, embora saibamos que a tecnologia ainda está na esfera do debate e com pouco apoio ao investimento e liberdade de ação no campo privado, a ingerência estatal tem sido prejudicial ao desenvolvimento, principalmente pelo fato de que recursos gastos podem ser perdidos caso haja decisão política, principalmente ideológica ou com a finalidade de alimentar o clientelismo político;
concorre para a esterilização do solo, exigindo maior consumo de nitrogênio artificial, com o uso de produtos como nitrato de amônia ou uréia, os quais são produtos que possuem a sua origem a partir de derivados de petróleo e possuem uma infinidade de restrições ambientais quanto ao seu uso, em especial quanto a poluição de nascentes, rios e lagos existentes nas proximidades das plantações.
quando a queima ocorre no campo causa a morte de micro fauna e de pequenos animais, bem como, em maior intensidade, a destruição de ninhos de aves ou cobras;
concorre para o aquecimento global e efeito estufa, pois em qualquer caso, seja a queima no campo ou em instalações apropriadas, temos a queima incompleta e a emissão de gases como CO - monóxido de carbono e toda uma gama de NxOy - óxidos nitrosos, entre outros.
A queima de canaviais é ainda a tecnologia empregada por várias razões, dentre elas:
exige-se investimentos significativos para o corte e a colheita mecanizada, investimento este elevado devido a excessiva tributação, tanto na atividade de produção, quando reduz escandalosa e arbritariamente o lucro e sobre os equipamentos necessários, os quais são também abusivamente tributados, que com impostos diretos e indiretos chegam mais que dobrar de valor.
com o corte manual, ainda se gera emprego de pessoas com baixa escolaridade, sem um ensino fundamental de qualidade, o que é um dos principais problemas brasileiros, problema que decorre quando não se observa compromisso por parte dos políticos com o ensino fundamental, a começar pelo nosso presidente que se vangloria de não ter estudado, sendo um péssimo exemplo a toda a sociedade, as futuras gerações em especial, e não é exigido pela população em geral, muito mais preocupada hoje em se servir do Estado, dos impostos pagos por aqueles que trabalham, do que exigir compromisso com as futuras gerações. Servem-se do Estado seja através do capitalismo de comparsas ou socialismo de privilegiados que praticam.
De minha parte não recomendo uma legislação detalhada sobre o tema, mas que se faça referência a normas que seriam discutidas e consensadas por especialistas, engenheiros em especial. Tal qual é hoje feito em relação à "poluição" sonora, que também é alvo da Lei de Crimes Ambientais. Em resumo, a queimada é vantajosa em termos de geração de empregos, em especial para o tipo de brasileiro que os nossos políticos gostam de produzir, quando retiram todo o potencial dos brasileirnhos, e isso a gerações seguidas: sem um ensino fundamental de qualidade. Em termos ambientais é uma tragédia, ainda mais para nós brasileiros que não nos empenhamos em valorizar o desenvolvimento tecnológico, mas sim em dar sustentação a ideologias superadas pelo tempo e pelos resultados que produzem e produziram ou aceitar o clientelismo político como uma prática inerente à gestão pública. Infelizmente temos no Brasil a falta de entendimento de que desenvolvimento tecnológico se faz através da máxima liberdade que deve ser dada ao cidadão para que possa criar, inovar e empreender e fazer uso de seus bens, o que inclui a tecnologia desenvolvida, o que quase sempre exige intensos estudos e pesquisas. Também quando observamos pelo lado da segurança do trabalho e qualidade de vida do trabalhador, a queimada traz poucas vantagens, mas traz muitas desvantagens, entre elas casos comprovados de maior incidência de câncer, estas informações podem ser obtidas junto ao INCA ou juto aos Centros de Oncologia de seu Estado. Portanto temos que entender o cenário atual, a triste realidade brasileira, não dá para decidir e opinar sentado, é fundamental ir a campo. Quanto a regulamentação, é fundamental observarmos fielmente o princípio da subsidiariedade, pois uma comunidade local pode decidir melhor, frente a sua realidade, o que é e deve ser exigido. Uma coisa é um canavial em Cerquilho/SP (http://www.cerquilho.sp.gov.br/produto.php?idProduto=62) ou em Maringá/PR, que conta com boa qualidade de vida e que tem sua população com compromisso com um bom ensino fundamental, o que permite que empregados sejam deslcados desta para outras atividades, outra é no interior das Alagoas ou de qualquer estado nordetino, que se caracterizam por serem currais eleitoriais, os quais são comandados por parasitas, pregadores do clientelismo nacional, que possuem como chefe o Sr. José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, que somente se viabiliza no poder devido ao fato do brasileiro ser ignorante ou não questionar os nossos coeficientes eleitoriais. Cria-se uma conjuntura onde é inviável a aplicação do princípio da subsidiariedade e acreditar que lá posssa ocorrer o desenvolvimento tecnológico. Infelizmente entre os nossos legisladores e de carona todos do judiciário, não há e não se põe em prática no Brasil o princípio da subsidiariedade, este fundamental para uma sociedade efetivamente justa. Mas o que esperar de uma Constituição escrita ao sabor dos desejos e não da responsabilidade, a qual prega e incita a invasão de poderes, sendo as medidas provisórias o melhor exemplo desta invasão, que afronta o princípio da subsidiariedade, etc..
Eu entendo que para haver justiça devemos saber respeitar a liberdade, devemos ter regras claras de garantias ao direito de propriedade, do estado de direito e da economia de mercado. Deveríamos ter como base fundamental a fiel observância ao princípio da subsidiariedade. Mas nossa Constituição é uma afronta a ele, e aí está também uma das razões fundamentais do nosso fracasso como nação. Dificilmente um político sabe definir o princípio da subsidiariedade, muito menos observá-lo. Infelizmente são os políticos os eleitos para legislar, cabe ao judiciário então engolir a seco tanta idiotice, e fazer cumprir a lei, se é que se pode? Pior agora quando nossos políticos se tormam verdadeiros personagens do bestseller dos escritores Plinio Apuleyo Mendoza, Carlos Alberto Montaner e Álvaro Vargas Llosa, autores do Manual do Perfeito Idiota Latino Americano e de um sucesso mais recente, o livro A Volta do Idiota (http://rodrigoconstantino.blogspot.com/2007/12/volta-do-idiota.html).
Abraços, Gerhard Erich Boehme
gerhard@boehme.com.br
(41) 8877-6354
Skype: gerhardboehme
Caixa Postal 15019
80811-970 Curitiba PR “Um Estado, o chamado 1º Setor, deve apenas atuar subsidiariamente frente ao cidadão e não estar voltado para ocupar o papel que cabe ao 2º Setor - pois assim se cria o estado empresário e com ele fomenta-se o clientelismo, a corrupção e o nepotismo - ou 3º Setor - pois assim se promove o Estado populista que cria ou alimenta os movimentos (anti-)sociais, o paternalismo e o assistencialismo, bem como que abre espaço para a demagogia político e perda da liberdade e responsabilidade do cidadão. Caso contrário ele acaba criando o 4º Setor - quando o poder coercitivo (tributação, defesa nacional, justiça e segurança pública) do Estado deixa de ser exercido por ele e é tomado por parte de segmentos desorganizados ou não da sociedade - cria-se então o Estado contemplativo, que prega a mentira, pratica a demagogia e o clientelismo, com seu capitalismo de comparsas e socialismo de privilegiados, e cria o caos social através da violência e desrespeito às leis”. (Gerhard Erich Boehme) Entenda melhor: http://www.youtube.com/watch?v=GwGpTy-qpAw E quando falo em desrespeito as leis é importante entendermos a gravidade da situação em que nos encontramos. Não é à toa que somos um dos países mais violentos do mundo, onde mais de 10% de nosso PIB é gasto com a violência. Por conta de termos deputados e senadores deste tipo que perdemos mais vidas que em um país em guerra como o Iraque. Segundo o IPEA seriam 5%, eu estimo, e apresento as razões, que seja superior a 10%.
http://www.nevusp.org/portugues/index.php?option=com_content&task=view&id=199&Itemid=29

News Negro

Fórum Temático de Negros e Negras se reúne nesta quinta
pe360graus.com - Recife,Pernambuco, Brazil
O Fórum Temático de Negros e Negras realiza nesta quinta-feira (5) a 2ª reunião ordinária de 2009. Além da sociedade civil que representa a população negra ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Juliana Alves: ‘As pessoas tendem a achar que negras e mulatas são ...
Ego - Brazil
Juliana explica que é a favor das cotas para negros nas universidades. “Por mais que pareça injustiça com os brancos pobres. Temos de reverter uma dívida ...
Veja todos os artigos sobre este tópico Acusada de racismo, loja real retira boneco negro na Inglaterra
Abril - São Paulo,SP,Brazil
A direção de uma loja que vende souvenirs relacionados à Casa Real britânica confirmou hoje que retirou de venda os golliwogs, tradicionais bonecos negros ...
Veja todos os artigos sobre este tópico Movimento Negro e Cigano afirma que está sem apoio
Diário da Manhã - Goiânia - Goiânia,GO,Brazil
Líderes e representantes do Movimento Negro e Cigano do Estado de Goiás mostram insatisfação em relação à forma como tem sido conduzida a política de ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
__._,_.___

Angola

ANGOLA DEVE BUSCAR DRIBLAR A CRISE PARA MANTER CRESCIMENTO?
EFEITOS INDIRECTOS DA CRISE, A SAÍDA ESTÁ NO CURTO OU NO LONGO PRAZO?
Contrário a comentários anteriores, a crise já afecta a economia do País desde o final de Novembro. A economia de Angola , embora ainda aquecida por fortes gastos do governo, investimentos privados e cenário interno/externo favoráveis, apresenta sinais de enfraquecimento do seu ritmo de aceleração de crescimento. Apesar disso, investimentos privados em fase inicial de funcionamento poderão não sofrer retração, porém sem perder seus retornos efetivos, devido ainda a fraca competição no setor e grande capacidade de demanda interna dado o alta propensão a consumir dos Angolanos. Do lado Estatal, embora já revisto o orçamento para baixo, os investimentos públicos não diminuirão o ritmo dado ao cronograma de investimentos a ser cumprido, fazendo com que as empresas ancoradas ao ramo da infraestrutura continuem a obter seus ganhos, dado o efeito derivado dos gastos do Governo.Na iniciativa privada, a prudência torna-se norma. O ideal é procurar gerenciar as receitas advindas dos exercícos passados, mantendo -as capitalizadas em bancos ou contas remuneradas e de pouco risco. Manter a rentabilidade das empresas procurando adiar seus programas de expansão dos investimentos em market share.De modo geral, a imprudência e o consensual debate anterior acerca da imunidade da economia de Angola se mostra frágil, a medida que entramos no ano 2009, com a disparadas dos preços internos dos produtos alimentício, encarecimento da importação, queda no preço do petróleo mantida e corte da produção de petróleo abaixo de 2 milhões de barris diários. A confirmação foi dada pela revisão para "baixo" do orçamento do Estado pelo conselho dos ministros na primeira semana de Janeiro.
Visualiza-se um "arroxo" de política fiscal para 2009, que resultará em menor do crescimento do PIB, igual ou menor a 10%, redução na renda e consumo das pessoas menor.
Para o cidadão comum, a subida dos preços dos alimentos e demais itens de consumo é o ponto sensível, dando a noção de que o "cinto" terá de ser apertado para os próximos meses. A aprovação da revisão do orçamento para baixo neste 2009, é a certeza de que cenários desfavoráveis Receitas do Estado, sendo logicamente demonstrada a recente aprovação da revisão "para baixo" do orçamento geral do Estado para 2009, embora o Tesouro Nacional já a muito trabalhar num cenário conservador com base no preço do barril de petróleo aUSD 50,00, porém mostra-se necessário dado a oscilação em torno do USD 47,00.
Deliciam-se aqueles que, a bem pouco tempo alertaram sobre a necessidade de diversificar a economia de Angola, ou seja, se livrar da dependência das receitas externas PETRÓLEO E DOAÇÕES, e que ainda prevalece moderadamente em relação Dívida/PIB.
O Estado tem gastado, e aumento sua dívida interna atráves da venda dos títulos públicos, para financiar gastos e segurar a cotação do câmbio e inflação baixa, ritmo impulsionado pelo petróleo no, o gera estabilidade e garante ao investidores maior confiança no retorno dos seus investimentos, embora de declinante devido a crise.As perspectivas internas de continuidade dos projectos de zona industrial de Luanda e o decorrer das obras viárias Viana- Luanda, orçadas em 214 milhões e já dois anos no ritmo do anda para - anda para fragiliza os sectores correlacionados .A necessidade de manutenção de gastos para a conclusão de projectos torna-se um desafio ao orçamento que se prevê menor, associada uma arrecadação ainda menor e elevada envio de divisas para o exterior. Um orçamento menor implica em menor despesas, menor renda, menor consumo e menor crescimento do PIB via gastos do governo. Com isso, os compromissos com créditos pagos por petróleo, como é o caso com CHINA tendem a onerar mais ainda as receitas do governo e diminuir o crescimento das despesas com as obras públicas e de uma maneira geral dos serviços que necessitam do crescimento para se financiarem, embora haja garantido empréstimos de variadas ordens para contribuir para o crescimento do país embora comprometedoras para a estabilidade da Dívida/PIB, hoje em 14%.Além da dívida pública interna, a queima de reservas é vidente, visto a necessidade se manter os preços internos ( dentro das metas, dois dígitos) estáveis, o mecanismo poderá dar-se através do controle cambial, via injecção de moeda forte e/ou venda de título da dívida pública. A dívida externa poderá se tornar uma válvula de escape para a manutenção da actividade económica, porém evitável neste momento o que implica não comprometer a actividade futura do país, e nem aumentar a relação DIVIDA/ PIB, indicar de risco do país. Relação hoje inexpressiva dado o acumulo de reservas em moeda forte, solvência do país e forte crescimento apresentado. Finalizando: A VÁLVULA DE ESCAPE DA ECONOMIA ESTÁ NO LONGO PRAZO, NO CURTO PRAZO O GOVERNO DEVE REDUZIR OS GASTOS E O ENDIVIDAMENTO PÚBLICO, MANTENDO O CRONOGRAMA DE RECEITAS AJUSTANDO-AS A NOVA REALIDADE. EM RELAÇÃO AS EMPRESAS REDUZIR AS DESPESAS E EVITAR COMPROMISSOS DE LONGO FINANCEIROS QUE COMPROMETAM A ESTABILIDADE DA EMPRESA. Por: Paulo Burity-www.angolavi saoeconomica. blogspot. com/

Contatos do SSP RS

Contatos das Assessorias de Comunicação da SSP
06/02/2009 17:46


Para facilitar e tornar mais ágil o trabalho dos profissionais de imprensa que buscam informações da Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP/RS) e seus organismos vinculados (Polícia Civil, Brigada Militar, Instituto-Geral de Perícias e Superintendência dos Serviços Penitenciários), principalmente aos finais de semana e feriados, informamos os telefones celulares funcionais das respectivas assessorias, assim como fones convencionais e e-mails para outras demandas durante a semana.

Solicitamos aos profissionais da mídia para que busquem sempre com as assessorias a intermediação das demandas junto às fontes de cada instituição. Ressaltamos também que ao pé da página inicial do site da SSP ( www.ssp.rs.gov.br ), no banner Cadastre-se, pode ser efetuado o registro para recebimento do mailing diário de notícias da Secretaria.

SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA ( www.ssp.rs.gov.br )
Coordenador de Comunicação: Jornalista Amilton Belmonte
Fone: (51) 3288-1919/3288-1994 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8445-8670
e-mail: comunicacao@ssp.rs.gov.br

POLÍCIA CIVIL ( www.pc.rs.gov.br )
Coordenador de Comunicação: Comissário de Polícia Newton Ramos
Fones: (51) 3288-2380/3288-2381 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8445-9454, com Ellen Dick
e-mail: imprensa@policiacivil.rs.gov.br

BRIGADA MILITAR ( www.brigadamilitar.rs.gov.br )
Coordenador de Comunicação: Tenente-Coronel Valmor Araújo de Mello
Fones: (51) 3288-2930/3288-2932 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celulares funcionais: (51) 8501-6577 e (51) 8501-6575
e-mail: pm5-imprensa@brigadamilitar.rs.gov.br

SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS ( www.susepe.rs.gov.br )
Assessor de Imprensa: Jornalista Marco Antonio Vieira
Fone: (51) 3288-7285/3288-7289 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8443-6887
e-mail: imprensa@susepe.rs.gov.br

INSTITUTO-GERAL DE PERÍCIAS ( www.igp.rs.gov.br )
Assessor de Imprensa: Jornalista Maria da Graça Kreisner
Fone: (51) 3288-5165 (segunda a sexta-feira, horário comercial)
Celular funcional: (51) 8445-8627
e-mail: comunicacao@igp.rs.gov.br

Blog Cineasta

Prezados amigos e colegas

Este é o novo Blog do Cineasta Luiz Rangel.

Lá vocês irão encontrar muitas novidades, citações e opiniões.

Façam parte.

O endereço do Blog é: http://cineastaluizrangel.blogspot.com/

Sejam muito bem vindos!

Renata Rios



--------------------------------------------------------------------------------

Retrato Falado de ladrão de Carro do Prefeito de Porto Alegre

Policia Civil divulga retrato falado de suspeito de roubar carro do prefeito de Porto Alegre
06/02/2009 19:00


A Polícia Civil, por meio da 8ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, está divulgando
o retrato falado de um dos suspeitos de roubar o veículo particular do prefeito da Capital, José Fogaça.

O crime ocorreu nessa quinta-feira (05/02), no bairro Petrópolis, em Porto Alegre, após dois criminosos renderem o motorista particular do prefeito.

Informações e denúncias podem ser dirigidas à Polícia através dos telefones 197 e 181.

Fonte: Ascom PC

Revista Eletrônica

CARTA O BERRO. ..........repassem.







Trata-se de importânte contribuição de intelectuais que organizaram a Revista Eletrônica Arma da Critica

para aprofundar os estudos e o pensamento nesse momento significativo da sociedade capitalista.

Revista Eletrônica Arma da Crítica está inserida no âmbito do termo de cooperação acadêmica intermediado pelo Instituto de Estudos e Pesquisa do Movimento Operário da Universidade Estadual do Ceará (IMO/UECE)

Leia e contribua.

(clique abaixo)



Revista Eletrônica Arma da Critica http://www.armadacr itica.ufc. br/

APRESENTAÇÃO

Na sua Contribuição à crítica da filosofia do direito de Hegel de 1844, Marx afirma que “a arma da crítica não pode substituir a crítica das armas”. Com isso, esclarecia que a atividade intelectual, por si mesma, não pode superar o domínio do capital. Por conseguinte, defendeu até seus últimos dias a necessidade de a reflexão teórica fundar-se numa “força material” contraposta efetivamente à “força material” da burguesia. Isso ocorreu de inúmeras maneiras no Século XX. Os trabalhadores, da cidade e do campo, realizaram a “crítica das armas” ao capitalismo e a sua barbárie, em particular na Revolução Russa de Outubro, onde foi demonstrado de maneira vitoriosa, pela primeira vez na história, que as classes subalternas detêm a possibilidade de gerir a sociedade de acordo com os interesses da maioria.

É distante da perspectiva fundada por Marx qualquer desprezo pela teoria, enquanto explicitação do movimento do real, com suas contradições e possibilidades. Marx sabia, mais do que ninguém, que qualquer rebaixamento ou anulação da teoria a favor de um praticismo autocentrado favorece, em última instância, as tendências burocráticas e pró-burguesas presentes no movimento dos trabalhadores. Nesse sentido, no mesmo texto citado acima, Marx explicita que “a teoria em si torna-se também uma força material quando se apodera das massas”. Mas, não qualquer teoria, porque a “teoria só se realiza num povo na medida em que é a realização das suas necessidades”. É essa a orientação da Revista Eletrônica Arma da Crítica, que, ao se organizar sob as coordenadas teóricas do marxismo ontológico, pretende “agarrar as coisas pela raiz”. E no radicalismo da teoria, exercer a crítica aos limites do mundo regido pelo capital, apresentando as possibilidades da emancipação humana.

A constituição da Revista Eletrônica Arma da Crítica, antes de ser uma decisão acadêmica, é uma exigência do próprio mundo dos homens na atual conjuntura de crise do capital. Apesar dos discursos e ações a favor de uma “nova ordem mundial”, da “globalização” e da “cidadania planetária”, aprofundam-se cada vez mais as feições mais grotescas do capitalismo, da fome e violência extremas a um cotidiano cada vez mais ausente de sentido. Diante disso, as diversas matizes do irracionalismo pós-moderno e da razão instrumental-manipulatória, refrações ideais do mundo burguês, emudecem quanto às possibilidades de superação do horizonte da crise do capital. Ao mesmo tempo, as forças materiais do trabalho resistem de variadas maneiras à barbárie e reorganizam-se em ritmos diferenciados, o que, por inúmeras mediações, se expressa no plano da produção teórica, no aumento de publicações, linhas de pesquisas, centros de estudos e grupos referenciados no marxismo. Exemplo particular do interesse crescente pela orientação marxista revela-se, dentre nós, nos quinze anos de atuação do Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário – IMO da Universidade Estadual do Ceará – UECE e na Linha Marxismo, Educação e Luta de Classes, efetivada em fevereiro de 2008, no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Ceará – UFC. Entendemos, porém, que tais tendências não são arbitrárias. Lembrando novamente Marx: “Não basta que o pensamento procure realizar-se; a realidade deve igualmente compelir ao pensamento”.

Por esse prisma, a Revista Eletrônica Arma da Crítica pretende contribuir para o fortalecimento do debate marxista, veiculando a pesquisa produzida no contexto do IMO, da Linha Marxismo, Educação e Luta de Classes e dos Grupos de Pesquisas Trabalho, Educação e Luta de Classes e Ontologia Marxiana e Educação, bem como, favorecendo a interlocução com pesquisadores de outros grupos ou regiões, maiormente afinados com as premissas aqui esboçadas.

=====================================================================================================================

POLÍTICA EDITORIAL

A Revista Arma da Crítica é um periódico anual eletrônico organizado sob as coordenadas teóricas do marxismo ontológico, aberto à colaboração de intelectuais e militantes comprometidos com a luta pelo socialismo. Propõe articular as produções dos diversos grupos do pensamento marxiano que atuam na comunidade acadêmica brasileira e estrangeira, dando preferência a artigos originais, resultados de estudos e pesquisas concluídas ou em andamento, na forma de números temáticos (dossiês) e/ou ou não temáticos. A revista privilegia os temas vinculados às seguintes linhas de pesquisa: Ontologia, método e a perspectiva da emancipação; A relação teoria e prática e o problema da transição socialista; Marxismo e movimento operário; Ontologia marxiana, educação e formação do educador; A educação, a crise do capital e o avanço da luta ideológica; A reforma da educação brasileira sob o signo do mercado; O Movimento de Educação para Todos e a crítica marxista; Política educacional, financiamento da educação e reprodução do capital.

A Revista promove a publicação de resenhas de livros e procura debater temas de interesse geral através de entrevistas e/ou relatos de experiências. Publica também resumos de teses de doutorado e dissertações de mestrado, valorizando e estimulando a participação de autores pertencentes a duas ou mais instituições, aceitando, ainda, artigos em língua estrangeira. Nesse sentido, está aberta a colaborações, reservando-se o direito de publicar ou não os textos enviados espontaneamente à redação. Todos os artigos são submetidos à avaliação de dois pareceristas.

É importante destacar que a Revista Eletrônica Arma da Crítica está inserida no âmbito do termo de cooperação acadêmica intermediado pelo Instituto de Estudos e Pesquisa do Movimento Operário da Universidade Estadual do Ceará (IMO/UECE) entre o Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará - Linha de Pesquisa Marxismo, Educação e Luta de Classes (E-Luta) e o Curso de Mestrado Acadêmico em Educação do Centro de Educação da UECE (CMAE/UECE).



==================================================================================

EXPEDIENTE

Editores
Susana Jimenez
Jackline Rabelo
Maria das Dores Mendes Segundo
Frederico Jorge Ferreira Costa

Coordenação editorial
Jackline Rabelo


Comitê editorial
Susana Jimenez (susana_jimenez@uol.com.br)
Jackline Rabelo (jacklinerabelo@uol.com.br)
José Ferreira de Alencar (in memoriam)
Frederico Jorge Ferreira Costa (frederico1917@yahoo.com.br)
Maria das Dores Mendes Segundo (mendesegundo@uol.com.br)
Betânia Moraes (betania.moraes@uol.com.br)
Ruth de Paula Gonçalves (ruthm@secrel.com.br)
Edna Bertoldo (edna_bertoldo@hotmail.com)


Conselho Editorial
Betânia Moraes (UECE)
Cleide Quixadá (UnB)
Cristiane Porfírio do Rio (UFC)
Edna Bertoldo (UFAL)
Eduardo Chagas (UFC)
Frederico Jorge Ferreira Costa (UECE)
George Mészáros (Warwick University, Coventry, UK)
Gilmaísa Macedo da Costa (UFAL)
Hermínio Borges Neto (UFC)
Helena Freres (IMO/UECE)
Ivo Tonet (UFAL)
Jackline Rabelo (UFC)
José Álbio Moreira Sales (UECE)
Liana Brito de Castro Araújo (UECE)
Luís Távora Furtado Ribeiro (UFC)
Luzia Siqueira Vasconcelos (PUC/Campinas)
Lúcia Aparecida Valadares Sartório (Centro Educacional São Camilo/ SP)
Marcos Del Roio (UNESP/Campus de Marília)
Manoel Fernandes de Sousa Neto (USP)
Maria das Dores Mendes Segundo (UECE)
Maria do Socorro Lucena Lima (UECE)
Maurilene do Carmo (UECE)
Maria Isabel Batista Serrão (UFSC)
Osterne Maia (UECE)
Paulo Tumolo (UFSC)
Raquel Dias Araújo (UECE)
Ruth de Paula Gonçalves (UECE)
Sérgio Lessa (UFAL)
Sueli Terezinha Ferreira Martins (UNESP/Campus de São José do Rio Preto)
Susana Jimenez (UECE)
Waldemarin Coelho Gomes (UFPB)

Revisão
Helena Freres

Frederico Costa

Fortaleza, janeiro de 2009
-----Anexo incorporado-----

_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Bloco Afro

Bloco Afro vai esquentar carnaval de Ouro Preto










No dia 23 de fevereiro, segunda-feira de carnaval, às 13 horas será lançado oficialmente o Bloco Alfro Mineiro, cujo objetivo é resgatar as tradições da cultura negra da cidade de Ouro Preto. O Bloco Afro Mineiro é composto pela Escola de Samba Inconfidência Mineira, Maracatu Lua Nova de Belo Horizonte e Instituto Candongueiros. O Bloco Afro do carnaval de Ouro Preto foi idealizado pelo Firop-Forum Pela Promoção da Igualdade Racial de Ouro Preto e tem o apoio do FOMENE-Forum Mineiro de Entidades Negras, Unegro-União de Negros Pela Igualdade e Grupo de Capoeira Cativeiro.







Público do bloco: 800 pessoas







Local da concentração do Bloco Afro Mineiro:Praça Antonio Dias, número 29

horário da saída do bloco: 13 horas







informações: Teko-Coordenador Artístico: 31-87281978

Estefane: 31-3559-3282

email:firop@uai.com.br

foppirmg@yahoo.com.br

Semana da Mulher

Semana Municipal da Mulher



Com o objetivo de valorizar a mulher como esposa, mãe, dona de casa, profissional, entre outras tarefas a ela atribuídas, a III Semana Municipal da Mulher terá como tema “A Mulher como Agente Transformadora da Sociedade”.

A terceira edição da Semana que acontece de 08 a 14 de março, conta com programação diversificada e aberta a todos os públicos, como palestras sobre Gravidez na Adolescência e Doenças Sexualmente Transmissíveis, a Atuação dos Pais na Educação dos Filhos, a Mulher – Conquistas, superação e expectativas no Mercado de Trabalho, a Operacionalização da Lei Maria da Penha, o Conselho Tutelar e o Relacionamento com Escola e Família, a história contata com bom humor diferenciando Homens e Mulheres, Economia Doméstica – Reaproveitamento de Alimentos e a Sabedoria da Mulher na Administração do Lar-Família.

Ainda conta com a Caminhada Vida Saudável, Futebol de Mulheres, Poesia na Praça e a valorização de mulheres através das suas histórias de vida, com o concurso Mulher Conte sua História, onde prêmios interessantes serão entregues para as dez melhores histórias inscritas e ainda, um dia todo especial no Mercado Público, onde uma Ação Social é organizada para promover o bem-estar e incentivar a mulher no seu dia-a-dia, proporcionando cortes de cabelo, escova, maquiagem, atendimentos psicológicos, jurídicos, nutricionistas, terapeutas, psicopedagogas, recreacionistas, entre outros profissionais.

A Semana da Mulher tem o apoio da Universidade de Caxias do Sul, com os alunos de Educação Física, Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Secretaria da Saúde, Secretaria de Desenvolvimento e Habitação, Liga Feminina de Combate ao Câncer, Rotary Club Vacaria dos Pinhais, Grupos de 3ª Idade e empresários que fazem deste evento, um verdadeiro sucesso.

A Semana Municipal da Mulher foi criada em 2007, com projeto de lei apresentado pela Vereadora Elisabete Ritter de Vargas Silva, e aprovado por unanimidade entre os vereadores.
Maiores informações, podem ser obtidas com a Vereadora Elisabete, na Câmara de Vereadores - 54 3232 1003.

Segunda mulher Prefeita em Vacaria




SENSIBILIDADE PARA ADMINISTRAR


Nesta segunda-feira (09), pontualmente às 8h, a Prefeita Municipal de Vacaria em exercício Vera Marcelja ocupou, pela primeira vez, a cadeira máxima do Poder Executivo da cidade. Sobre sua mesa, rosas recebidas na transmissão de cargo se mesclam com sua agenda e outros documentos administrativos. Com olhar sereno e sorriso aberto, Vera dá início a uma semana de reuniões e comprimissos públicos, enquanto o Prefeito Elói cumpre sua agenda em Brasília.


Data: 09/02/2009








Fonte: Prefeitura de Vacaria

Homem preso por atentado ao pudor

Polícia Civil prende homem acusado de atentado ao pudor na cidade de Torres
09/02/2009 13:33

Policiais da Equipe de investigações da Delegacia de Polícia de Torres, prenderam, nesta segunda-feira (09/02), às 10h30min, no distrito de Jacaré, interior de Torres, um homem, de 62 anos de idade. Segundo o chefe da Equipe de investigações, Carlos Alberto Linhares Silveira, havia um mandado de prisão expedido pela comarca local contra o indivíduo por atentado violento ao pudor.
O condenado cumprirá sete anos de reclusão no Presídio Estadual de Torres.

Fonte: Ascom PC

Revolução na Bolívia

Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009
http://altamiroborges.blogspot.com/
Uma década da revolução bolivariana
Empossado em 2 de fevereiro de 1999, o presidente Hugo Chávez completa 10 anos a frente da "revolução bolivariana" na Venezuela. Sua inesperada eleição, em dezembro de 1998, com 56% dos votos, foi uma resposta à devastação neoliberal e representou duro golpe ao bipartidarismo oligárquico imperante neste país desde 1958 – através do pacto de "Punto Fijo". Ela deu início a uma experiência inédita na América Latina, com a vitória de inúmeros governantes progressistas, antineoliberais, e recolocou na agenda política o debate sobre o "socialismo do século 21".

Nesta uma década, Hugo Chávez, que chegou ao governo sem contar com partidos estruturados e movimentos sociais consistentes, enfrentou enormes obstáculos. Além dos problemas estruturais de um país miserável, ele foi alvo da fúria das elites racistas, das conspirações do imperialismo e do cerco da mídia. Com base no apoio popular e num núcleo nacionalista das forças armadas, ele derrotou o golpe de estado de abril de 2002, o locaute petroleiro de dezembro/janeiro de 2003 e incontáveis iniciativas de desestabilização do seu governo. Segundo pesquisa recente, atuam no país 271 organizações não-governamentais financiadas pelos EUA e com propósitos golpistas.

"A palha e o furacão revolucionário"

Num processo radicalizado, ele insistiu na via democrática, ao contrário do que alardeia a mídia. Hugo Chávez enfrentou e venceu três eleições presidenciais (1998, 2000 e 2006), três referendos constitucionais (dois em 1999 e outro em 2004), quatro pleitos executivos (2000, 2004, 2005 e 2008) e dois legislativos (1999 e 2005). Na mais recente disputa, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) conquistou 17 dos 23 governos estaduais e 233 prefeituras (80% das existentes). Nesta trajetória, ele sofreu apenas uma derrota, no referendo de dezembro de 2007.

A cada nova vitória, Chávez foi firmando sua convicção no projeto bolivariano. "Eu sou apenas uma débil palha arrastada pelo furacão revolucionário", explica. Após derrotar o golpe de 2002, ele exonerou os generais golpistas e acelerou os programas sociais. Com a derrota do locaute, ele demitiu a casta de diretores e gerentes endinheirados e assumiu, de fato, o comando da poderosa empresa de petróleo da Venezuela – a PDVSA. Ele também enfrentou a ditadura midiática, não renovando a concessão pública da RCTV e incentivando rádios e TVs comunitárias. A partir da eleição presidencial de 2006, Chávez anunciou sua idéia híbrida do "socialismo do século 21".

Mudanças políticas radicais

Vários fatores explicam os avanços da revolução bolivariana, com seus ziguezagues e lacunas. A primeira é a radical mudança política no país, com o governo apostando na participação ativa das camadas populares – na chamada democracia protagônica. Através dos comitês bolivarianos, das missiones (programas sociais sob controle da sociedade) e dos conselhos, há um enorme esforço pedagógico para envolver os "excluídos". Na retaguarda deste processo movimentista aparecem as forças armadas. "Nossa revolução é pacífica, mas não é desarmada", enfatiza sempre Chávez.

O debate político na Venezuela é dos mais intensos e democráticos. As sucessivas eleições e as várias instâncias de participação popular procuram superar a fragilidade dos movimentos sociais e a debilidade de um processo centrado num único líder. Nesta empreitada se dá a guerra contra a ditadura midiática. Balanço recente indica que, além dos quatro veículos estatais, hoje já existem 250 rádios comunitárias, 24 emissoras de TV sob controle popular, 300 periódicos alternativos e uma potente rede de internet – de 640 mil usuários em 2002 pulou para 4,142 milhões em 2008.

Avanços no campo econômico

Outro fator determinante para os avanços da revolução bolivariana são as mudanças no terreno econômico. Inicialmente, o processo foi até conservador, cauteloso. Com o tempo, as mudanças ganharam ritmo – com a estatização, de fato, da PDVSA, introdução de tributos sobre ganhos das multinacionais e medidas de controle do fluxo de capitais, entre outras de cunho antineoliberal. Procura-se diversificar a base produtiva do país, que continua muito dependente do petróleo, no que se batizou de economia endógena. Há também o estímulo às cooperativas e às propriedades sociais. Com base nestas medidas, a economia cresceu em média 11,2% nos últimos cinco anos.

Na fase recente, a revolução bolivariana acelerou o processo de estatização de áreas estratégicas, comprando empresas privadas na telefonia (Cantv), energia (AES), siderurgia (Sidor) e bancos (Santander). A proposta do "socialismo do século 21" ainda é uma peça de propaganda. Diante da grave crise mundial do capitalismo, que afeta duramente o preço e o volume das exportações de petróleo, o governo tenta atrair o chamado setor produtivo. Em julho passado, promoveu um encontro com 300 empresários e lançou um forte programa de subsídios às empresas. Há muita polêmica sobre o lançamento de uma nova NEP, a exemplo do ocorrido na revolução soviética.

A força dos programas sociais

O que dá forte impulso à revolução bolivariana, porém, são os programas sociais implantados nestes 10 anos. Três reportagens recentes – "Uma década de Chávez", da revista Carta Capital; "Chávez, as dez vitórias e a mídia", do jornal mexicano La Jornada; e "A nova Venezuela do presidente Chávez", do periódico francês Le Monde Diplomatique – evidenciam o esforço do governo para melhorar a vida da sua população. A oligarquia racista, o imperialismo e a mídia venal até hoje não entenderam estas mudança. Vale à pena listar alguns dados do período 1998-2007:

- Miséria extrema: baixou de 20,3% para 9,4%;

- Pobreza: de 50,4% para 33,07%;

- Diferença entre riqueza/pobreza: de 28,1% para 18%;

- Mortalidade infantil: de 21,4 para 13,9 para cada mil nascidos vivos;

- Desemprego: de 16,06% para 6,3%;

- Salário mínimo: de 154 dólares para 286 dólares, o mais alto da América Latina;

- Aumento do poder aquisitivo: 400%;

- Investimento na educação: de 3,38% para 5,43% do PIB;

- Educação básica: de 89,7% para 99,5% das crianças;

- Educação superior: de 21,8% para 30,2% dos estudantes;

- Investimento em saúde: de 1,36% para 2,25% do PIB.

Veja Porto Alegre




O melhor da capital no seu e-mail Cadastre-se para receber este boletim.
Assine VEJA




03 a 09 de fevereiro de 2009


59


Encontre na cidade: Restaurantes | Bares | Comidinhas | Cinema


1
RESTAURANTES
Baumbach Ratskeller
O melhor variado da capital, segundo o júri de VEJA Porto Alegre, tem como especialidade a cozinha alemã, mas no bufê há também outras sugestões da cozinha internacional.




2
SHOWS
Jair Oliveira apresenta Simples
Um dos nomes da nova geração da MPB se apresenta no Santander Cultural, quarta (4). Além das novas canções do CD Simples..., estão também no repertório o resultado do projeto Os Desafinados.




3
CINEMA
Estreia de Verônica
Andréa Beltrão é a professora de um menino cujo os pais foram assassinados. Ao tentar ajudar o garoto, ela descobre que a policia está envolvida no caso e os dois passam a ser perseguidos.




4
CINEMA
Grávidas na prisão
São essas mulheres que protagonizam o filme argentino Leonera, dirigido por Pablo Trapero. Julia está numa penitenciária para mães e grávidas sentenciadas. Lá ela reencontra sua própria mãe, a quem não via há anos.




5
BARES
Caverna do Ratão
Nem as cinco décadas de existência derrubam a qualidade do melhor chope da capital, segundo os jurados de VEJA Porto Alegre. Em dias de muito movimento, são servidos 600 copos em média.




6
CINEMA
O Leitor , com Kate Winslet
Hanna (Kate) foi uma mulher solitária durante grande parte da vida até quando se envolve com o adolescente Michael (Ralph Fiennes e David Kross). O filme tem estreia prometida para sexta (6).




7
EXPOSIÇÕES
20 anos da Constituição de 1988
Obras de artistas como Clara Pechanski (foto) e Iberê Camargo estão reunidos nesta exposição no Museu Júlio de Castilhos. A mostra também é formada por imagens e cartazes do período histórico.



O que é
Esta newsletter informa o melhor da programação de gastronomia, lazer e entretenimento do Porto Alegre

Carmen Miranda



Carmen Miranda, uma frágil mulher escondida sob um chapéu de frutas
Seg, 09 Fev, 10h09



Alicia García de Francisco.

PUBLICIDADE

Redação Central, 9 fev (EFE).- Por baixo do chapéu de frutas mais famoso da história do cinema se escondia uma pequena mulher muito mais frágil do que suas canções e apresentações refletiam: Carmen Miranda, a brasileira mais universal de todas, que nasceu em Portugal, há exatamente 100 anos.



Veja a galeria de fotos no Flickr


Uma mulher que se casou com o único homem que lhe pediu em casamento, que lutou contra sua família para chegar a ser artista e que sofreu de uma terrível dependência de medicamentos, obscuras facetas da personalidade de quem, apesar de morrer com apenas 46 anos, chegou a ser a estrela mais bem paga de Hollywood.


Com apenas 1,52 metro de estatura e sobre um salto de 20 centímetros, Carmen Miranda conquistou Hollywood desde o momento em que atracou no porto de Nova York.


Com um punhado de palavras mal pronunciadas em inglês, ganhou a simpatia de maneira instantânea do público americano, como destaca um dos documentários mais importantes sobre sua vida: "Carmen Miranda: Bananas Is My Business", de 1995, dirigido por Helena Solberg.


As palavras mal pronunciadas de Maria do Carmo Miranda da Cunha ao chegar, aos 30 anos, em Nova York, marcaram seu destino nos Estados Unidos. Os americanos gostaram tanto de seu jeito de falar que Carmen nunca pôde mostrar seus progressos no inglês e teve de manter em público um terrível e cômico acento que a marcou tanto como os saltos, os chapéus, as frutas e as roupas que deixavam sua barriga à mostra.


Sua personagem popularizou o samba, um ritmo novo que ela introduziu nos Estados Unidos apesar de seu gosto pelo tango, primeiro ritmo que interpretou no início de sua carreira no Brasil.


Desde muito jovem queria ser artista, apesar da oposição de sua família, e começou a cantar em festas enquanto trabalhava em uma chapelaria, quando começou a desenhar chapéus com uma enorme imaginação.


O início de seu sucesso como cantora chegou em 1930, depois que gravou a marcha "Pra Você Gostar de Mim". Menos de 10 anos depois, ela desembarcou nos Estados Unidos.


Carmen participou com enorme sucesso de vários musicais da Broadway - onde recebeu o apelido de "a bomba brasileira" - e depois se consagrou em Hollywood, onde participaria de 14 filmes entre 1940 e 1953.


A "Pequena Notável" se transformou em uma grande estrela internacional, e em 1945 tinha o melhor salário de Hollywood, acima de nomes como Cary Grant e Humphrey Bogart.


Como cantora, vendeu mais de 10 milhões de discos no mundo todo, e emplacou sucessos atemporais como "Mamãe Eu Quero" e "Tico-Tico No Fubá".


O sucesso a levou a um ritmo de trabalho infernal, com até três espetáculos diários, combinados com rodagens de filmes e reuniões, o que só conseguia suportar com grandes quantidades de anfetaminas, em uma época na qual seu consumo em Hollywood era bastante generalizado e muito pouco ou nada criticado.


E para congestionar ainda mais sua concorrida agenda, foi nomeada embaixadora da política de boa vizinhança em direção à América Latina impulsionada pelo presidente Franklin D. Roosevelt.


Uma ocupadíssima e bem-sucedida vida profissional muito distante do fracasso da pessoal. Carmen passou por várias relações, um aborto (acidental ou provocado, segundo as versões) e um matrimônio com o produtor David Sebastian pela simples razão de que foi o único homem que lhe pedir em casamento.


Carmen Miranda realizou sua última aparição pública no programa televisivo de Jimmy Durante, em 4 de agosto de 1955, no qual, muito deteriorada fisicamente, ainda foi capaz, embora a tropeções, de fazer uma de suas típicas apresentações.


Morreu poucas horas depois de infarto, em seu quarto, enquanto um grupo de amigos participava de uma festa no primeiro andar de sua mansão. Ela tinha apenas 46 anos. EFE


Envie a notícia Comente com amigos Versão para impressão

Inclua em seus favoritos RECOMENDE ESTA NOTÍCIA
Minha recomendação:

Média (15 votos)

Manchetes de Veja

SEXTA-FEIRA
6 de fevereiro de 2009



Eurípedes Alcântara
Diretor de redação

Caro leitor,

a newsletter comentada não estará disponível nesta semana. Convido-os a clicar aqui e ler a versão com o índice completo. Volto a selecionar e comentar as reportagens de VEJA no próximo fim de semana.

Um forte abraço.
Canais de Oferta:


Assine VEJA
agora por apenas
9x R$ 38,55! E mais: A Abril paga uma parcela para você!



Assine VOCÊ S/A
por apenas 9x R$ 13,00! Não perca!



Assine VIP
por apenas 9x R$ 10,70! E mais: A Abril paga uma parcela para você!



Assine VIAGEM
E TURISMO
e só comece a pagar só em 07/04!



Assine CLAUDIA
por 1 ano e a Abril paga uma parcela para você! Aproveite!



Assine PLACAR
agora por apenas 9 x R$ 12,00! Confira!



Ofertas válidas
por tempo
limitado.
Confira as promoções
no site.






Quais as vantagens de ser assinante de VEJA?
Você recebe, toda semana,
a mais completa análise
sobre os fatos que marcam
o país e o mundo. Tem informações úteis
para sua carreira
e sua vida pessoal.

Além disso, só o assinante de VEJA acessa gratuitamente:
• Todas as áreas do VEJA ON-LINE, incluindo informações adicionais das reportagens publicadas na revista;

• Conteúdo integral da VEJA, Veja
São Paulo, Veja Rio e Especiais
a partir das 6 da manhã de sábado; • Arquivo da revista, desde 1997,
e busca de todas as imagens de
capa de VEJA desde 1968.
Uma fonte riquíssima de pesquisa
para toda a família;

• Seções de Educação, Saúde, Testes,
Em dia e edições especiais on-line.




Você está recebendo esta mensagem pois seu e-mail está cadastrado para receber Informações de Produtos e Parceiros do Terra. Caso seja de seu interesse interromper o recebimento destes e-mails com este conteúdo, envie uma mensagem para remover@informacao.terra.com.br
Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados

Redação de Veja

7 de fevereiro de 2009



Eurípedes Alcântara

Diretor de Redação Caro leitor,

a newsletter comentada não estará disponível nesta semana. Convido-os a clicar aqui e ler a versão com o índice completo. Volto a selecionar e comentar as reportagens de VEJA no próximo fim de semana.

Um forte abraço,


Eurípedes Alcântara
Diretor de Redação



Clique aqui para cancelar o envio deste e-mail
Nosso serviço de cadastramento solicitará seu e-mail e senha. Se não souber a senha, digite seu e-mail e clique no item "Esqueci minha senha". Uma senha provisória será enviada para sua caixa postal para possibilitar o acesso ao serviço.



copyright © Editora Abril S.A. - todos os direitos reservados

Revista Veja

7 de fevereiro de 2009
------------------------------------------------

Caro leitor,

a newsletter comentada não estará disponível nesta semana. Convido-os a acessar e ler a versão com o índice completo. Volto a selecionar e comentar as reportagens de VEJA no próximo fim de semana.
http://veja.abril.com.br/newsletter/newsletter.html

Um forte abraço,


Eurípedes Alcântara
Diretor de Redação


------------------------------------------------
http://www.veja.com.br


Acesse http://veja.abril.com.br/pst/newsletter para cancelar o envio deste e-mail
Nosso serviço de cadastramento solicitará seu e-mail e senha. Se não souber a senha, digite seu e-mail e clique no item "Esqueci minha senha". Uma senha provisória será enviada para sua caixa postal para possibilitar o acesso ao serviço.

Operação Esforço Concentrado

Operação Esforço Concentrado efetua sete prisões e fiscaliza 13.516 veículos no RS
07/02/2009 10:34


A Secretaria da Segurança Pública, por meio da Brigada Militar, realizou nessa sexta-feira (06/02) mais uma edição da Operação Esforço Concentrado, que abrangeu 413 municípios gaúchos. Durante as ações, desenvolvidas no período entre 12h e 18h, foram utilizados 1.075 servidores em 480 viaturas. Ao todo foram presas sete pessoas e fiscalizados 13.516 veículos.

Confira os demais resultados da operação:

- Apreensões de CNH: 30;
- BO/COP elaborados: 27;
- Inspeções em bares: 197;
- Inspeções em casas noturnas: 11;
- Inspeções em desmanches: 09;
- Termos Circunstanciados – TC: 02;
- Veículos autuados: 443;
- Veículos recolhidos: 21;
- Estabelecimentos bancários fiscalizados: 488.

A Operação Esforço Concentrado têm por objetivo atuar na redução dos 12 indicadores de criminalidade, ocorrendo em dias e horários que não coincidam com as demais operações, e em locais de real ou potencial incidência dos indicadores, apurados por estudo estatístico continuado do Comando-Geral da Brigada Militar.

Fonte: PM3/BM

MST em Luto

sexta-feira, 06 de fevereiro de 2009
MST está de luto


Nota de Solidariedade e Pesar

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) manifesta publicamente seu pesar pelo falecimento, na manhã de quinta-feira, do companheiro deputado federal Adão Pretto, soma-se e se solidariza com a família neste momento de perda para a sociedade brasileira.

Desde o início de sua militância social nas Comunidades Eclesiais de Base e no Sindicalismo Rural, Adão Pretto caracterizou-se pela defesa intransigente da reforma agrária, tendo papel destacado na articulação das famílias de trabalhadores sem terras e de apoiadores desde as primeiras ocupações de terra no Rio Grande do Sul, ainda durante o Regime Militar. Esteve presente na organização e fundação do MST, do Partido dos Trabalhadores e do Departamento Rural da Central Única dos Trabalhadores.

No Congresso Nacional, denunciou e combateu as ações da bancada ruralista, e tornou-se um dos pilares do Núcleo Agrário do Partidos dos Trabalhadores. Apresentou Projetos de Lei que buscavam acelerar o processo de reforma agrária, permitir o acesso à educação para os camponeses e melhorar a qualidade de vida no campo. No último ano, esteve empenhado em denunciar a alteração da faixa de fronteira para beneficiar a instalação de empresas transnacionais da celulose no Rio Grande do Sul.

Mais que um parlamentar, Adão sempre foi um camponês, com seu jeito simples, honesto e contundente, mas acima de tudo um lutador. Sempre presente nas lutas dos movimentos sociais, sempre levando as reivindicações e bandeiras populares para o parlamento, denunciando a criminalização e a repressão da luta do povo.

No ano em que completamos 25 anos, perdemos um de nossos fundadores e um de nossos mais valorosos companheiros. Em sua homenagem, seguiremos fazendo aquilo que Adão Pretto sempre fez em vida: lutar sempre.

Coordenação Nacional do MST


PERDEMOS UM GRANDE LUTADOR SOCIAL!!!

Conheci nosso querido Adão pretto há mais de 30 anos. Nos conhecemos numa atividade de pastoral da diocese de Frederico, onde ele era um líder de sua comunidade e ministro da eucaristia. Frei Sergio Gorgen o apresentou fazendo muito boas referências, de que se tratava de um pequeno agricultor, lutador, honesto, trabalhador, pai de nove filhos. E que tinha muito futuro. Criava sua familia com o trabalho na roça, nas costas do rio Miraguai.

Naqueles tempos de ditadura militar, era muito difícil encontrar pessoas corajosas, que se dispusessem a defender os interesses da comunidade. Desde o início o admirei por sua sensibilidade social, por sua coerência, e franqueza. Nos encontros, costumava colocar em versos singelos, as idéias que matutava e as avaliações que fazia da politica.

Por sua liderança e didicação, foi eleito presidente do sindicato dos trabalhadores rurais do municipio de Miraguai, naqueles finais da década de setenta, na onda das oposições sindicais, que renovaram nosso movimento sindical.

No sindicato, dedicou-se a organizar os pequenos agricultores na luta por preços melhores, e também, com tantos sem-terra na sua base, passou a organizar o Movimento dos Sem Terra.

Logo, transformou-se numa referência política em toda região. Lembro dele, também, da romaria da terra que realizamos em 1981, na encruzilhada Natalino, com nosso primeiro grande acampamento. Adão Pretto declamou, com um filho pequeno, uma trova gauchesca denunciando as formas capitalistas de exploração dos pequenos agricultores e a necessidade da luta. Impactou a todos os mais de 25 mil participantes.

O tempo foi passando, e em 1986 organizamos a maior ocupação de terras no Rio Grande do Sul, que foi a então fazenda Annoni. Com mais de 2,5 mil familias. E lá estava o Adão Pretto.

Naquele mesmo ano, elegeu-se deputado estadual. Seria o primeiro deputado estadual camponês a tomar posse na Assembléia Legislativa. Uma grande vitória do movimento camponês do Rio Grande do Sul.

No início muitos colunistas da imprensa burguesa riam de seu pouco estudo, afinal tinha apenas a terceira série do primário. A resposta veio numa atuação exemplar em defesa dos pequenos agricultores e sem-terra que impactou a toda sociedade gaúcha, e lhe deu o Prêmio Springer de melhor deputado.

Depois elegeu-se deputado federal, defendendo com a mesma garra e coerência na Câmara dos Deputados e no dia-a-dia os interesses da classe trabalhadora.

Adão Pretto não era o parlamentar padrão que conhecemos. Não gostava da tribuna. Mas estava presente em todas as lutas sociais que se realizaram nesses últimos vinte anos. E as fazia repercutir no parlamento, na forma de leis ou de denúncia.

Sempre o mesmo. Simples. Com uma coerência impressionante. Nunca titubeou. O critério básico que usava em sua vida e na participação política, era se perguntar: o que interessa aos trabalhadores? E independente de tudo, os defendia.

Também deu exemplo na sua forma de fazer campanha política. Nunca aceitou receber nenhum centavo de ajuda financeira de nenhuma empresa. Por mais que seus colegas o debochavam de perder oportunidades de receber polpudas ajudas das aracruzes, Vales, e outros corruptores. Todas as campanhas foram realizadas pela militância, e em debates das idéias e de projetos.

Os trabalhadores, o povo gaúcho perde um de seus grandes lutadores sociais. O MST e a Via Campesina perde um de seus líderes mais coerentes e dedicados. Todos nós perdemos.
Mas fica seu exemplo. Que certamente o imortalizará.

Grande Adão pretto, nos deixará saudades a todos.

João Pedro Stedile - membro da coordenação nacional do MST
MENSAGEM DE COMPROMISSO LIDA NA DESPEDIDA NA TUMBA. COMPANHEIRO ADAO PRETTO

Como soldados em terras perseguidas, trilhamos as mesmas serras e campos. sem estradas.
Você, como o mais experiente, foi na frente abrindo as picadas e foi nos alertando dos cuidados.
Crescemos, com o mesmo espírito, revoltado, buscando com as massas todas as soluções.
Vencemos, tempestades e furacões, sem nunca perder de vista a utopia pendurada no horizonte.
Bebemos, a água límpida das fontes, de nossos formadores que plantaram nas montanhas o otimismo.
Defendemos com eles o socialismo, e todas as conquistas verdadeiramente humanitárias.
Cerzimos as costuras da reforma agrária, em todos os recantos das belas terras brasileiras.
Plantamos, esperanças em todas as trincheiras, sem nunca rejeitar sequer uma missão.
Cantamos a revolução, em versos, trovas e poesias, sem nunca tropeçar na métrica das rimas.
Cultivamos os valores e a auto-estima, procurando pôr em ordem o comportamento e a coerência.
E, juramos com a força da consciência, de jamais se render, vender ou se deixar cooptar.
Agora, nesta hora, no momento da partida, não queremos que seja uma despedida, mas uma continuidade.
Continuarás presente em todos os momentos, principalmente em nossos movimentos, que se orgulham de tê-lo conhecido, como um dos filhos mais queridos, que até hoje fez nascer, a humanidade.

( Nosso companheiro Adão pretto foi enterrado com a copia desse poema de Ademar Bogo, e depois cada militante depositoum um pubnhado de terra do assentamento SEPE TIARAJU, QUE ELE ajudou a conquistar)

Cemiterio parque da Paz, 6 de janeiro de 2009.

Indique o MST Informa para um amigo ou uma amiga
Indique pelo menos, mais um correio eletrônico e envie para letraviva@mst.org.br com assunto "cadastro letraviva", para continuarmos a difundir e colocar para a sociedade as análises e posições do MST.
MST Informa é uma publicação quinzenal do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, enviada por correio eletrônico.
Sugestões de temas, artigos, formato: letraviva@mst.org.br. Incluir ou remover correios eletrônicos no cadastro do MST Informa.
O MST não modera ou coordena nenhuma comunidade no Orkut e ninguém está autorizado a fazê-lo em seu nome.
Opine www.mst.org.br Recibe en Español English Svenska




--------------------------------------------------------------------------------


_______________________________________________
Letraviva - MST Informa
http://www.mst.org.br
Para sair da lista acesse:
http://www.listasbrasil.org/mailman/options/letraviva

Quilombolas

Revisão de áreas quilombolas de Alcântara gera mal estar no governo


Causou mal estar no interior do governo a decisão do ministro da Defesa, Nelson Jobim, de recorrer à Advocacia Geral da União (AGU), pedindo que seja revista a demarcação de terras de quilombolas em Alcântara, no Maranhão.

A reportagem é de Roldão Arruda e publicada no jornal O Estado de S.Paulo, 05-02-2009.

"Estou surpreso com essa atitude ", disse ontem o ministro da Secretaria da Promoção da Igualdade Racial, Edson Santos. "Nas negociações que tivemos, não houve objeções à demarcação final da área. Isso gera inquietação junto às comunidades quilombolas e cria um desgaste desnecessário."

A decisão também surpreendeu o Ministério do Desenvolvimento Agrário, ao qual está subordinado o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) - órgão responsável pela identificação e delimitação da área de 78,1 mil hectares de Alcântara destinada aos quilombolas. Na verdade, no pedido à AGU, Jobim aponta que o conflito é entre seu ministério e o Incra.

Apesar da surpresa, o ministro Guilherme Cassel, do Desenvolvimento Agrário, não quis comentar o caso. No documento que enviou à AGU, no início de dezembro, o ministro Jobim pediu a instalação de uma Câmara de Conciliação para dirimir "conflitos de interesses públicos". Afirmou que a demarcação trará sérios prejuízos ao Programa Nacional de Atividades Espaciais - um dos itens prioritários da Estratégia de Defesa Nacional, divulgada em dezembro.

De acordo com o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação, produzido pelo Incra e publicado no Diário Oficial no dia 3 de dezembro, a área reservada ao programa espacial é de 8,7 mil hectares. É uma área insuficiente, segundo o ministro.

Para ter sua continuidade assegurada, disse Jobim, o programa precisa que o centro de lançamento avance para a área norte de suas instalações atuais. Sem essa área, destinada aos quilombos, a empresa binacional Brasil-Ucrânia Cyclone Space não poderá desenvolver plenamente suas atividades.

Pelo que foi acordado, segundo representantes dos quilombolas, a Aeronáutica cederia à binacional uma parte da área que ocupa em Alcântara. A Aeronáutica, porém, afirma que só concordou com essa decisão de forma provisória. Não aceita que seja definitiva.

Em Alcântara, a divulgação da atitude do Ministério da Defesa também causou surpresa. "É preocupante: o governo firma um acordo com os quilombolas e depois diz que não vai cumpri-lo", disse ontem um dos líderes do Movimento dos Atingidos pela Base Espacial, Sérvulo Borges. "Nós vamos à Justiça defender nossos direitos. Estamos ocupando todas essas terras há mais de 200 anos. Nós é que estamos cedendo uma parte para a base - e não o contrário."

As câmaras de conciliação da AGU foram criadas para resolver conflitos entre órgãos do governo. Ainda não se sabe, porém, se o pedido de Jobim será aceito pelo advogado-geral, José Antonio Dias Toffoli. Existe a possibilidade de devolver o pedido, para que seja feita nova tentativa de entendimento diretamente com o Incra.


Fonte: MST

Reforma Agrária

Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009
MST e a reforma agrária de Veríssimo
Na semana em que o MST comemora 25 anos de “teimosia” na luta pela reforma agrária, uma crônica do escritor Luis Fernando Veríssimo ajuda a entender o drama de milhões de expulsos da terra e a rechaçar o discurso preconceituoso de parte da sociedade, sempre ampliado pela mídia. O texto acaba de ressurgir no livro “Mais comédias para ler na escola”, recordista de vendas no final do ano. A obra irreverente e deliciosa de ler reúne assuntos sérios, mas sempre com humor inteligente, e outros nem tanto, mas risíveis. Reproduzo a crônica, intitulada “provocações”:


“A primeira provocação ele agüentou calado. Na verdade, gritou e esperneou. Mas todos os bebês fazem assim, mesmo os que nascem em maternidade, ajudados por especialistas. E não como ele, numa toca, aparado só pelo chão. A segunda provocação foi a alimentação que lhe deram, depois do leite da mãe. Uma porcaria. Não reclamou porque não era disso. Outra provocação foi perder a metade dos seus dez irmãos, por doença e falta de medicamento. Não gostou nada daquilo. Mas ficou firme. Era de boa paz. Foram provocando por toda a vida.

Não pôde ir à escola porque tinha que ajudar na roça. Tudo bem, ele gostava de roça. Mas aí lhe tiraram a roça. Na cidade, para onde teve que ir com a família, era provocação de tudo que era lado. Resistiu a todas. Morar em barraco. Depois perder o barraco, que estava onde não podia estar. Ir para um barraco pior. Ficou firme, firme. Queria um emprego, só conseguiu um subemprego. Queria casar, conseguiu uma submulher. Tiveram subfilhos. Subnutridos. Os que morriam eram substituídos. Para conseguir ajuda, só entrando em fila. E a ajuda não ajudava.

Estavam provocando. Gostava da roça. O negócio dele era a roça. Queria voltar pra roça. Ouvira falar de uma tal de reforma agrária. Não sabia bem o que era. Parece que a idéia era lhe dar uma terrinha. Se não era outra provocação, era uma boa. Terra era o que não faltava. Passou anos ouvindo falar em reforma agrária. Em voltar à terra. Em ter a terra que nunca tivera. Amanhã. No próximo ano. No próximo governo. Concluiu que era provocação. Mais uma.

Finalmente ouviu dizer que desta vez a reforma agrária vinha mesmo. Pra valer. Garantida. Se animou. Se mobilizou. Pegou a enxada e foi brigar pelo que pudesse conseguir. Estava disposto a aceitar qualquer coisa. Só não estava mais disposto a aceitar provocação. Aí ouviu que a reforma agrária não era bem assim. Talvez amanhã. Talvez no próximo ano... Então protestou. Na décima milésima provocação, reagiu. E ouviu, espantado, as pessoas dizerem, horrorizadas com ele: Violência não!”.

“Sou um gigolô das palavras”

De forma leve e cativante, o novo livro de Veríssimo fala de algumas coisas sérias, incomodas, no meio de várias histórias amalucadas do cotidiano. Numa penada, já que não dá para parar de ler, o leitor é provocado na sua consciência. O livro faz rir e pensar. Como afirma a professora Marisa Lajolo, no prefácio, ele reúne crônicas que “falam tanto de filosofia quanto de galinhas, de romances e de lingüiças... Se livro fosse remédio – que tem bula e rótulo –, aqui se leria que estas Mais Comédias para Ler na Escola não têm contra-indicação... [É] garantia de boas risadas e de boa leitura. Que não fica menos divertida ao se acompanhar de alguma reflexão”.

Luis Fernando Veríssimo brinca com as palavras. Como ele mesmo confessa numa das crônicas, “sou um gigolô das palavras. Vivo as suas custas. E tenho com elas exemplar conduta de cáften profissional”. Para ele, “o importante é comunicar. E, quando possível, surpreender, iluminar, divertir, mover”. Sem dúvida, Veríssimo consegue. Mesmo quando se discorda de algumas das suas maluquices, não há dúvida sobre o talento deste que é um dos maiores escritores brasileiros.

Crise Alimenta Xenofobia

5 DE FEVEREIRO DE 2009 - 13h06

Crise alimenta xenofobia no mercado de trabalho dos EUA


Do Congresso aos movimentos populares, ativistas anti-imigração encontram na recessão dos EUA um prato cada vez mais cheio para aumentar seus protestos. E, embora os slogans não sejam inéditos, o novo contexto econômico oferece a cultura ideal para a proliferação de ecos perigosos, dizem analistas.


Veio do Congresso o exemplo mais recente da pressão. Quando a Microsoft anunciou no último dia 22 que demitiria mais de 5.000 por causa da crise, o senador republicano Chuck Grassley, de Iowa, escreveu uma carta à empresa pedindo que seu executivo-chefe dispensasse primeiro trabalhadores estrangeiros com visto H-1B (de trabalho qualificado temporário).


"A Microsoft tem uma obrigação moral de proteger os trabalhadores americanos ao priorizar seus empregos durante esses tempos difíceis", disse.
Organizações civis seguem na mesma linha. A Coalizão para o Futuro do Trabalhador Americano (CFAW), que reúne grupos anti-imigração, iniciou em 2009 uma campanha de TV associando o desemprego aos trabalhadores estrangeiros, como os com o visto H-1B.


"No ano passado, 2,5 milhões de americanos perderam seus empregos", diz o comercial. "Ainda assim, o governo continua a trazer para os EUA 1,5 milhão de estrangeiros por ano para pegar os postos de trabalho americanos. Será o seu emprego o próximo?"


O analista do Council on Foreign Relations Edward Alden, autor de "O Fechamento da Fronteira Americana" ("The Closing of the American Border", HarperCollins), diz que nem a Microsoft pode legalmente demitir só estrangeiros nem os cálculos da CFAW estão corretos. "Mas sem dúvida ambos encontram na recessão um ambiente social muito propício a aceitar esses argumentos."


Alden afirma que a cifra de 1,5 milhão sugerida pela CFAW é baseada em estimativas antigas e inclui imigrantes legais e ilegais. Segundo ele, entram com o H-1B no máximo 65 mil estrangeiros anualmente. Outros 20 mil que fazem pós-graduação também recebem o visto. "Não vejo possibilidade de o número cair por causa da recessão. Nos últimos anos, a demanda foi praticamente o dobro da oferta de trabalhadores com H-1B", disse.


Ele também se diz pouco alarmado com a campanha do CFAW, que "usa qualquer argumento para falar contra a imigração". "Mas um senador pedir a demissão de estrangeiros é bastante preocupante", afirmou. "Quando o governo investe cada vez mais em empresas privadas, como prevê o pacote de estímulo, vamos ter mais e mais pressão na linha de que "o dinheiro deve ser gasto só com cidadãos dos EUA"."


Isso já está acontecendo. Republicanos alegam que provisões do pacote de US$ 900 bilhões proposto pelo governo Obama direcionarão fundos para os estimados 12 milhões de imigrantes ilegais nos EUA, o que democratas contestam.


Para Alden, a justificativa se baseia em noções incorretas. "Não há estudos que mostrem que estrangeiros "tomem" empregos americanos", diz. Mas nota que, em serviços sem qualificação, imigrantes forçam queda nos salários pela maior oferta de trabalhadores. De toda forma, o impulso contra estrangeiros tem pouca fundamentação nos números.


Imigração em queda


Como é comum em recessões, o fluxo de imigrantes ilegais que entram no país pela fronteira com o México caiu de 800 mil por ano entre 2002 e 2006 para 500 mil em 2008 (dados do Centro de Pesquisas Pew). A detenção de ilegais na fronteira caiu em 2008 para 723 mil. O pico, em 2000, foi de 1,8 milhão. E, no governo Bush (2001-2009), o número de deportações triplicou e chegou a 300 mil no último ano.


Apesar do clima inóspito, há em Washington quem continue disposto a abordar a reforma migratória – ou ao menos a amolecer a repressão da era Bush. Um deles é Janet Napolitano, nova secretária de Segurança Doméstica. Ela defende criar um caminho para a cidadania aos trabalhadores ilegais já em 2009.


O republicano John McCain, co-autor de uma proposta bipartidária de reforma migratória enterrada no Senado em 2007, também indicou que pode tentar de novo.


Mas a maioria no governo é contra tocar no assunto na recessão. "Minha expectativa é que Obama adie mesmo a discussão", disse Alden. "Mas, quando a economia começar a se recuperar, poderá ter uma ótima oportunidade."


Fonte: Folha de S.Paulo





--------------------------------------------------------------------------------

Mãe do Pac


4 DE FEVEREIRO DE 2009 - 16h55

2010: coletiva de imprensa mostra que ''mãe do PAC'' entrou na disputa



A coletiva de imprensa organizada nesta quarta-feira (4) pela Casa Civil para fazer um balanço dos dois anos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) mostrou a força da provável candidatura da ministra Dilma Roussef à Presidência da República em 2010. Boa parte dos jornalistas que foram à coletiva pareciam pouco interessados em dados do PAC e mais afoitos por uma opinião da ministra em relação a sua provável candidatura presidencial. Mas Dilma preferiu a cautela: ''Essa resposta vocês não tiram de mim nem amarrada'', disse a ministra diante da insistência dos jornalistas.



Pouco antes, ela havia dito que o governo gostaria de ter um candidato à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2010 para garantir que as obras do PAC sejam concluídas no próximo mandato.



''Eu desejo bastante que o governo tenha um candidato, mas se serei eu ou não, não posso dizer'', afirmou ela.



Pesquisa CNT/Sensus


A curiosidade dos jornalistas foi aguçada pelos números da última pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta terça-feira (3). A pesquisa mostra que a ministra vem crescendo nas intenções de voto para a sucessão presidencial, enquanto o presidente Lula bate novo recorde de popularidade . De acordo com o levantamento, tanto o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), quanto o de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), mantêm a liderança, mas sofreram queda.


No primeiro cenário, Serra, que tinha 46,5% em dezembro, manteve a liderança, mas caiu para 42,8%, enquanto Dilma subiu de 10,4% para 13,5%. A ex-senadora Heloísa Helena (PSOL) oscilou de 12,5% para 11,2%. Na hipótese em que Aécio Neves é o candidato do PSDB, o tucano vai de 25,3% para 23,3%. Heloísa Helena, que está em segundo lugar nesse cenário, foi de 19,1% para 18,2%. Já Dilma, em terceiro, subiu de 12,9% para 16,4%. (leia mais)


Lula: ''pessoa mais qualificada''


Ontem, em entrevista à BBC Brasil, o presidente Lula voltou a defender a candidatura pelo PT da ministra Dilma Rousseff à Presidência, a quem apelidou, em evento no ano passado, de ''mãe'' do PAC.


''Ela é a pessoa mais qualificada hoje para governar o Brasil'', afirmou. ''Ela coordena os principais programas de desenvolvimento e conhece muito bem o Brasil. É uma gerente extraordinária.''


''Mas na verdade eu nem gostaria muito de falar em 2010, porque quem tem pressa para 2010 é a minha oposição''. disse o presidente.


Quando perguntado se o Brasil estaria preparado para ter uma mulher na Presidência, Lula respondeu: ''Todos nós, homens casados, sabemos o peso que a mulher tem em nossa casa. Sabemos a força que a mulher tem''.



PAC: aumentar os investimentos



Na coletiva sobre o PAC, Dilma informou que dos R$ 503,9 bilhões estimados para serem gastos com o Programa de Aceleração do Crescimento até 2010, cerca de dois quintos já foram gastos, o que representa cerca de R$ 201,5 milhões.


''Quanto mais aproxima de 2010, mais aumenta a capacidade de investimento do governo'', destacou.


Segundo ela, o momento é de aumentar os investimentos, pois os projetos já estão escolhidos e estruturados: ''Pedimos empenho dos ministros, porque os projetos já estão escolhidos''.



No lançamento do programa, há dois anos, o governo previa investir R$ 503,9 bilhões até 2010. Hoje, foi anunciado um acréscimo de R$ 142,1 bilhões no período. (leia mais)



Da redação,
com agências





--------------------------------------------------------------------------------