Inter 3 x 0 Figueirense

Inter 3 x 0 Figueirense
Brasileiro B 2017

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Convite de Festa de Emiia Fernandes

Cuidado com o Apito

cidade Porto Alegre/RS Cuidado com o Apito
6 de julho de 2009
A terceira fase da segundona gaúcha irá iniciar. O Glória vem fazendo uma grande campanha o técnico Bagé é identificado com o Glória é um profissional que dá certo em nossa cidade. Conhece futebol e sabe montar boas equipes. A direção do Glória deve ficar de olho no apito segundo informações o E.C Pelotas é patrocinado pela empresa do Presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Chico Noveletto, o Riograndense de Santa Maria, uma cidade importante para economia do RS disputa a vaga para subir. Tem interesses nos bastidores, os dirigentes do Glória tem que ficar de olho no que ronda no extracampo. Na bola o Glória tem mostrado ser a melhor equipe do futebol gaúcho na segundona do RS. A experiência já mostrou quem não lembra de 2004 do Carlos Simon que tirou o Glória da final para salvar a final do Gaúchão daquele ano. O mundo do apito não é tão limpo assim principalmente aqui nos campos brasileiros os times pequenos sempre são prejudicados e setenciados pelos erros do apito.
Paulo Furtado
http://jornalnegritude.blog.terra.com.br
htp://jornalnegritude.blogspot.com
http://bolanaarquibancada.blog.terra.com.br

Piadas na Internet


G8 em Berlim



Ativistas fazem protesto contra o G8 em Berlim ; Não à expansão da base militar dos EUA em Vicenza

Neste sábado (4), cerca de 600 pessoas mostraram nas ruas da capital alemã sua solidariedade ativa com os protestos na Itália contra o G8 e a resistência contra "arquiteturas de segurança" na "Fortaleza Europa". Com o lema "Trema G8 – somos suas crises", a marcha começou em Kreuzberg, passando pela câmara do comércio italiana, em frente das embaixadas russa e britânica, e cruzando várias ruas do centro de Berlim, entre outros pontos da cidade. Vários lemas foram gritados durante o cortejo: "Berlim, L`Aquila, a resistência é internacional", "anti, anti, anti anticapitalista", “G8, G8, nós estamos aqui, o Bloco Negro de Gênova"...

Várias falações foram feitas ao mega-fone focalizando o G8 e as mudanças climáticas, o G8 o militarismo e a guerra, a mobilização na Itália, os protestos em Vicenza que aconteceram hoje (nota abaixo), os julgamentos forjados pela polícia em Gênova contra ativistas. Uma nota de solidariedade foi enviada à manifestação em Vicenza, na Itália. Camaradas italianos presentes no ato explicaram algumas datas dos dias de protestos contra a cúpula do G8 na próxima semana, na cidade de L'Aquila, no centro da Itália, onde líderes do grupo dos oito maiores países industrializados e principais países em desenvolvimento discutirão a situação da economia mundial, regulação financeira, mudanças climáticas, comércio e desenvolvimento.

No comício também foi demonstrada solidariedade com os dois anarquistas italianos, Sergio e Alessandro, que foram presos na sexta-feira (3), acusados de fazerem parte de uma "conspiração de anarco-insurrecionalista". Neste mesmo dia outros 40 anarquistas de várias cidades italianas sofreram uma batida policial domiciliar, num grande operativo das forças de repressão italianas. Segundo os repressores os companheiros presos estavam planejando uma sabotagem a linha ferroviária Orte-Ancona (no centro da Itália).

No final do protesto, na frente da embaixada francesa, as falas foram focadas à resistência antimilitarista no encontro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Estrasburgo e a seguinte repressão. Alguns ativistas alemães e franceses ainda estão presos, a espera de julgamento.

Aconteceram alguns enfrentamentos durante a manifestação. A polícia atacou e prendeu um ativista que foi acusado de ter pichado as paredes da prefeitura de Berlim com frases anti-G8. Ao menos um outro ativista foi preso no fim do ato, quando muitas pessoas já tinham se dispersado.

Sacuda o G8! Trema G8!

Fotos: http://www.flickr.com/photos/kietzmann/sets/72157620819732991/

Não à expansão da base militar dos EUA em Vicenza

Milhares de manifestantes anti-G8 se reuniram neste sábado (4) na cidade italiana de Vicenza, para protestar contra os planos de expansão da base militar estadunidense, a maior dos EUA na Europa, e, também, contra a reunião do G8 do dia 8 ao dia 10 de julho, que será sediada pela Itália neste ano, em L'Aquila.

Registraram-se duros confrontos entre a polícia e manifestantes, que atiraram garrafas e outros objetos contra os policiais, inclusive artefatos explosivos. Não foi registrado nenhum ferido nos choques.

O governo italiano aprovou a construção de uma nova base militar de 6 mil metros quadrados no local do antigo aeroporto de Molin, nos limites da cidade de Vicenza. Apesar de ter sido aprovada por Roma, os habitantes da cidade rejeitaram a expansão da base em um referendo.

Ativistas afirmam que a base apresenta um risco à água subterrânea e é perigosa para os moradores e para o centro histórico de Vicenza, um tesouro da arquitetura renascentista.

O protesto em Vicenza foi o primeiro grande ato antes da reunião das nações mais ricas do mundo na semana que vem, onde manifestantes anti-capitalistas planejam uma série de protestos descentralizados, culminando numa grande manifestação.

agência de notícias anarquistas-ana

lá se vão as garças
vão pairando sobre o rio
vão cheias de graça



Gustavo Felicíssimo







--
DEFENDA O BANHADO E SUA GENTE! A PMSJC QUER CONSTRUIR UMA AVENIDA NO BANHADO E NO CAMBUÍ COM APOIO DO BID!

--------------------------------------------------------------------------------

Michael Jackson

http://www.youtube.com/watch?v=uG5NhkxQJQc&feature=channel
Veja os vídeos de Michael na TV Jornal Negritude no Youtube
http://br.youtube.com/jornalnegritude

Max dá vitória ao Grêmio



GRÊMIO
Maxi retomada
Na prática, a Era Paulo Autuori começa nesta semana. A direção entende que as decisões tomadas até agora foram em regime emergencial. Por isso, a goleada de 4 a 1, ontem, sobre o Atlético-PR, foi de grande importância.

Uma reunião, amanhã, com o departamento de futebol, definirá o futuro imediato da equipe, dispensas, trocas e negociações. Além disso, os próximos dias servirão para que ele se reúna também com as comissões técnicas de juniores e juvenis. Autuori implantará o esquema 4-4-2 e padronizará a parte técnica e física da garotada. Quer jogadores prontos para ingressar na equipe principal. Cada vez mais garotos como Mário Fernandes, Maylson, Isael, Douglas Costa e Roberson aparecerão no time ou na reserva.

– O mercado está complicado. Não podemos trazer jogadores por trazer – explica o técnico.

Mesmo negando a existência de uma lista de dispensas, a direção tenta colocar Fábio Ferreira, Jadílson, Makelele, Jonas e Alex Mineiro em alguma negociação. Alex Mineiro pode ir para o Atlético-PR ou para o Santos, em troca do zagueiro Fabiano Eller. Há carência de laterais no grupo. Ruy foi dispensado – deve se acertar com o Fluminense. Jadílson, por ser ala, parece sem função no esquema 4-4-2, que exige laterais. Fabrício, meia, ex-Atlético-PR pode vir do Catar indicado pelo técnico.

Apesar da goleada sobre os paranaenses, Autuori foi cauteloso ao comentar o desempenho do time. Admitiu erros, principalmente devido ao desgaste dos jogos contra o Cruzeiro na Libertadores. Mesmo com os dois gols de Maxi e outros dois de Herrera, o técnico não confirmou os argentinos como a nova dupla titular do Grêmio.

– Esta não foi a nossa melhor atuação, é preciso reconhecer isso. Trabalho com conceitos e não há por que esconder quando a coisa não acontece – afirmou Autuori.

Hoje, os jogadores estarão de folga. A partir de amanhã, porém, Paulo Autuori começará a preparar a equipe para enfrentar o Corinthians, neste domingo, no Olímpico. A ideia é que uma sequência de bons resultados contra o campeão da Copa do Brasil, Coritiba e Inter possa colocar o Grêmio no G-4.

– Agora começo a pensar no Corinthians, o time de melhor conjunto do Brasil – concluiu Autuori.

zerohora.com

Em áudio , fotos e vídeo os gols da dupla argentina na goleada sobre o Atlético-PR.

leandro.behs@zerohora.com.br


Fonte: Grêmio

inter vence é Líder


06 de julho de 2009 | N° 16022AlertaVoltar para a edição de hojeINTER
Contra a depressão, Nilmar
Atacante fez os dois gols que garantiram a vitória sobre o Náutico e a liderança isolada do Campeonato BrasileiroCom dois gols, num intervalo de seis minutos, o centroavante garantiu a vitória do Inter por 2 a 0 sobre o Náutico, ontem, nos Aflitos, e amenizou a dor pela perda do título da Copa do Brasil. O resultado fez do time de Tite o líder isolado do Brasileirão, com 20 pontos. E, de quebra, ainda animou o grupo para a decisão da Recopa Sul-Americana, quinta-feira, no Equador, contra a LDU.

Nilmar fez mesmo a diferença. E mostrou que o destino do Inter talvez fosse outro na Copa do Brasil se ele não tivesse sido convocado por Dunga para a Copa das Confederações, na África do Sul. No primeiro tempo, período em que o Inter deixou-se envolver pela correria do Náutico, ele foi o único jogador a perturbar o adversário. Com sua velocidade, atordoou os zagueiros Vágner e Asprilla, só parando em lances de violência. Aos 29 minutos, lançado por Taison, Nilmar adiantou-se aos marcadores e sofreu pênalti de Galiardo. Na cobrança, D’Alessandro chutou sem a força habitual, permitindo a defesa de Eduardo no canto esquerdo.

Apesar da pressão, o Náutico só ameaçou em chutes de longa distância, um deles de Anderson Santana, defendido por Lauro.

No segundo tempo, apesar da forte chuva, Nilmar conseguiu ser ainda melhor. Seu rendimento cresceu com a entrada de Andrezinho. De uma cobrança de escanteio do meia, aos 26 minutos, após rebatida errada da defesa, surgiu o primeiro gol. No segundo, outra vez em passe de Andrezinho, Nilmar contou com o auxílio da arbitragem, que não percebeu que ele voltava de impedimento.

– Sabemos o quanto é ruim perder um título, ainda mais sendo o caminho mais fácil para a Libertadores. Era preciso que a recuperação viesse logo – disse o jogador.

Valorizado pelos gols, Nilmar torna-se um alvo cada vez mais atraente para clubes europeus. Seu procurador, Orlando da Hora, promete encaminhar uma oferta à direção ainda nesta semana. Segundo ele, Nápoli e Palermo estão fora da disputa. É possível que o Wolfsburg, da Alemanha, clube do também brasileiro Grafite, faça uma oferta.

– Se vendermos, vamos trazer um jogador equivalente para a posição. Foi assim com Pato, Fernandão e Alex. Mas, na maioria das vezes, são sondagens inconsequentes, especulações – disse o presidente Vitorio Piffero.

O vice de futebol, Fernando Carvalho, confirma que nenhuma proposta chegou até o momento. Mas disse que ainda irá esperar para ver como fica a situação do jogador até o final do ano.

Nilmar disse não ter pressa para ver definido o seu futuro. De olho em uma convocação para a Copa de 2010, admite que, dependendo do clube para o qual for vendido, poderá perder visibilidade.

zerohora.com

Em fotos, vídeo e áudio, os melhores momentos da partida.

MultimídiaNilmar arranca por meio da defesa pernambucana, como fez durante todo o tempo do jogo da tarde de ontem, no Estádio dos Aflitos, no RecifeFicha técnica
Fonte: ZEro

Violência da Brigada Militar contra Torcedores do Grêmio

04 de julho de 2009 | N°
EDITORIAIS
EXCESSO INADMISSÍVELOs policiais militares que bateram nos torcedores que tentavam entrar no Estádio Olímpico na última quinta-feira, que usaram cavalos e espadas para dispersar grupos de pessoas sem distinguir baderneiros e cidadãos ordeiros, mancharam o nome da Brigada Militar e reforçaram a imagem de truculência da polícia fardada, registrada recentemente pelo presidente Lula numa cerimônia em Porto Alegre. Os gaúchos sempre tiveram orgulho da Brigada como instituição, por sua história e por sua reconhecida atuação na defesa da segurança pública do Estado. Até por isso, são inadmissíveis os excessos cometidos por soldados mal preparados e mal orientados, que comprometem desta forma a corporação.

Não há justificativa para tanta agressividade. Se apenas um cidadão inocente tivesse sido atingido pela força demasiada, já seria condenável. Mas não foi um caso isolado. Muitas pessoas que se dirigiram ao estádio simplesmente para ver um espetáculo de futebol tiveram que voltar para casa em decorrência da ação desastrada dos policiais, várias delas com ferimentos causados pela repressão generalizada.

Havia arruaceiros, sim, tentando derrubar um dos portões do estádio e até mesmo provocando brigas com outros torcedores. Pois era contra estes que a Brigada tinha que agir. Para isso os soldados recebem – ou deveriam receber – instrução especializada. Se é para bater em todo mundo, ninguém precisa fazer treinamento especial. Também é incompreensível que oficiais preparados para comandar ações antitumulto tenham permitido a pancadaria generalizada.

Houve imprevidência por parte do clube, que teria calculado mal a relação entre sócios com direito a frequentar o estádio e ingressos a serem vendidos para o público. É bem provável que a origem da confusão esteja nesta irregularidade, que precisa ser bem apurada. A verdade é que muitos torcedores ficaram com ingresso na mão, sem poder entrar no estádio. Tanto, que a direção do Grêmio já se prontificou a ressarcir os prejudicados. Esta desorganização do clube, porém, não pode servir de justificativa para as agressões.

Qualquer cidadão sabe que uma ação policial contra infratores exige energia. Ninguém está sugerindo que a polícia tenha que pedir licença para impedir delitos, para conter agressores ou para prender marginais. Só o que não se pode aceitar é que servidores fardados, armados e pagos com os recursos dos contribuintes utilizem estas prerrogativas para bater em cidadãos que não cometeram qualquer transgressão.

O mínimo que se espera é que as responsabilidades por tais atos sejam apuradas, assim como também devem ser aferidas eventuais irregularidades cometidas pelos organizadores do espetáculo esportivo. Todas as partes envolvidas devem prestar contas da participação neste deplorável episódio, que ofendeu a cidadania, magoou pessoas e arranhou a imagem da Brigada Militar.



Fonte: Zero Hora

Curso Gestão Ambiental

Brigada Militar inicia nesta segunda curso de gestão em policia ambiental
05/07/2009 21:04



A Brigada Militar, por meio do Comando Ambiental, inicia nesta segunda-feira (06), em Porto Alegre, o curso de Especialização em Gestão de Policiamento Ambiental, direcionado para capitães e majores da corporação. O curso terá duração de 90 dias e acontecerá na sede do Comando Ambiental, com a aula inaugural sendo ministrada pelo subcomandante-geral da BM, coronel Lauro Binsfeld. A supervisão geral é do Departamento de Ensino da Brigada Militar.
Conforme o titular do Comando Ambiental, tenente-coronel Eduardo Passos Mereb, a iniciativa busca o constante aperfeiçoamento dos integrantes da Brigada Militar nas questões relativas à fiscalização e proteção dos recursos naturais, e também às atividades de educação ambiental.

A programação do curso prevê conteúdos sobre geografia do Estado, mineração, unidades de conservação, incêndio florestal, técnicas de salvamento e de marinheiro de convés, além de exercícios práticos de natação e tiro. Os instrutores são integrantes da Brigada Militar, técnicos da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e da Fepam, além de um promotor de justiça e uma socióloga.

Fonte: Ascom BM

Polícia pede Fitas de acusação de Racismo

04 de julho de 2009 | N° 16020AlertaVoltar para a edição de hojeGRÊMIO
Polícia pede fitas de atos racistasA 2ª DP de Porto Alegre vai requisitar ao Grêmio fitas de vídeo a fim de tentar identificar os torcedores que imitaram um macaco quando Elicarlos entrou em campo na partida entre Grêmio e Cruzeiro. O volante que denunciou Maxi López por racismo, foi recebido aos gritos de “uh, uh, uh, uh”, por parte da social.

– A partir das imagens tentaremos identificar os responsáveis e, se for o caso, enquadrá-los em caso de injúria qualificada ou racismo – disse a delegada Adriana Regina da Costa.

Segundo Adriana, como é prática de uma pessoa só (ou de um grupo), o clube não corre risco de punição, a não ser que estivesse incentivando. Na investigação, os policiais terão o auxílio da direção do Grêmio.



Fonte: Zero Hora

Brigada x Torcedores do Grêmio



04 de julho de 2009 | N° 16020AlertaVoltar para a edição de hojeGRÊMIO
Como nasceu a confusãoTorcedores que foram impedidos de entrar no Olímpico minutos antes da partida entre Grêmio e Cruzeiro, a partir de segunda-feira poderão recuperar o dinheiro ou trocar o ingresso por entradas para os jogos contra Atlético-PR e Corinthians. Sobre o tumulto de quinta, o Grêmio garante que tinha espaço no estádio. A Brigada Militar (BM) alega que não havia lugar para todos.

Quem fechou os portões?

A Brigada Militar. O Major Vieira, coordenador do evento, observava do gramado o ritmo de ocupação do estádio. Ele falava com outro policial que acompanhava o sistema de monitoramento do clube. Além do visual, sabia pelo rádio o número de torcedores que ingressavam no estádio. Conforme a lotação, solicitava o fechamento dos setores. Primeiro, foi impedida a entrada no portão 10, depois no 13 e 16. Depois, o acesso foi possível somente nos anéis superiores – portões 2, 6, 14 e 15. Até que todos foram fechados.

– Tinha mais gente querendo entrar do que a capacidade – informou Silva, com base nas observações do major Vieira.

– Tenho convicção de que fizemos o certo para evitar uma tragédia – afirmou o tenente-coronel Silanus, comandante do BOE, responsável pelo policiamento no jogo.

O que causou o tumulto?

O remanejo de torcedores sobrecarregou os acessos. Assim que o portão 10 fechou, os gremistas correram para o portão 13. Quando esse foi trancado, novo deslocamento, desta vez para o 16. E seguiu assim. Como os portões do Olímpico não têm balizamentos físicos (torcedores chegam direto à roleta), os mais desesperados forçaram a entrada. Aqueles sem ingresso, se misturaram à multidão. Irritados, alguns torcedores jogaram garrafas e latas ou forçaram as grades.

Havia ingressos a mais?

O Grêmio diz que não. O borderô divulgado aponta público total de 44.920 torcedores, abaixo da capacidade do Olímpico (46 mil, segundo o clube). Foram previstos 21 mil lugares para os 22 mil sócios com acesso liberado. Outras 20 mil entradas foram comercializadas para demais sócios e torcedores, incluindo os do Cruzeiro (receberam 2 mil lugares e ocuparam mil).

De acordo com Felipe Keunecke de Oliveira, responsável pelo Juizado Especial Criminal do Olímpico, se as pessoas tivessem entrado, poderia acontecer o que houve há 20 anos, na Inglaterra (quando 90 pessoas morreram esmagadas contra cerca do Estádio Hillsborough em partida da semifinal da Copa da Inglaterra entre Liverpool e Nottingham Forest, em 15 de abril de 1989).

– A BM evitou o pior – afirmou.

A Brigada abusou da força?

A BM disse que a cavalaria foi usada apenas nos portões onde havia exaltados. Para evitar depredação, os cavalos eram posicionados entre a grade e as pessoas no pátio. A BM também queria evitar que mulheres e crianças fossem esmagadas nas grades dos portões. O Grêmio disse que seus funcionários foram atropelados. Segundo o comandante do Policiamento da Capital, coronel Jones Calixtrato, queixas podem ser feitas no Batalhão de Operações Especiais.

Qual o balanço de feridos e depredações?

Funcionários do Grêmio trocaram ontem a porta do Quadro Social, quebrada na confusão. Segundo eles, não houve depredação de equipamentos.

A BM contabiliza 10 policiais e dois cavalos feridos, duas viaturas e duas motos depredadas. No posto da 2ª DP localizado no Olímpico foram registradas cerca de 50 ocorrências – 10 vezes mais do que a média normal. Casos de lesão corporal, abuso de autoridade, estelionato e queixas de pessoas com ingresso contra o Grêmio por ficarem fora do estádio. No Juizado Especial Criminal, foram registradas 15 ocorrências (desacato, vandalismo, agressões e posse de entorpecentes). Devido ao tumulto, as audiências foram transferidas, sem data.

Haverá ressarcimento?

O Grêmio promete ressarcir os torcedores a partir de segunda-feira. O torcedor pode recuperar dinheiro ou obter ingressos para os jogos contra Atlético-PR e Corinthians, pelo Brasileirão.

Haverá sanções?

Só se for comprovada venda de ingressos a mais pelo Ministério Público. As sanções seriam perda de mando de campo de, no mínimo, seis meses, segundo diz o Estatuto do Torcedor. Os torcedores mais incomodados podem até ingressar com ação por danos morais.



MultimídiaFuncionário recoloca vidro quebrado no tumulto da noite do jogoImpedidos de entrar no estádio, torcedores brigaram no pátio.
Fonte: Zero Hora

Denuncias de Lair parte 2


AS DENÚNCIAS DE LAIR
MPF e Lair não confirmam os relatosMesmo com o surgimento de documentos, Lair Ferst e o Ministério Público Federal (MPF) não confirmam a existência das denúncias. O chefe da Procuradoria Regional da República, Antônio Carlos Welter, disse que só hoje poderá confirmar se os ofícios a que ZH teve acesso saíram da Procuradoria.

Por ser domingo, ele não teria como consultar os arquivos da correspondência e, de memória, não poderia falar sobre expediente encaminhados ao então procurador-geral Antonio Fernando de Souza.

Welter também não confirmou a existência de acordo de delação premiada com Lair, sustentado pela deputada Luciana Genro (PSOL) em fevereiro. Disse que os procuradores não podem falar sobre acordos nem se manifestar sobre investigações que envolvem pessoas com foro privilegiado.

Já Lair nega a delação. Segundo ele, caso existam “alguns relatos”, devem ter saído de rascunhos que estariam com Magda Koenigkan, viúva de Marcelo Cavalcante. Lair disse não poder confirmar nada porque os fatos podem ser “objeto de investigações que os procuradores estejam fazendo”:

– Também não posso confirmar o conteúdo desses relatos. Há fatos que eu, realmente, presenciei e acompanhei, e outros dos quais fiquei sabendo, mas não posso dar autenticidade a essas informações. Teria de ver esse documento para dar o contexto.

As 12 páginas do documento confirmam parte das denúncias feitas por líderes do PSOL em fevereiro. A primeira delas: os procuradores da República realmente têm em mãos um depoimento de Lair. Na oportunidade, o partido relatou nove episódios de suposta corrupção na corrida eleitoral de 2006 e no início do governo. A maior parte dos casos aparece nos relatos do lobista. O documento, porém, não confirma a existência de vídeos comprovando as denúncias, mas apenas de áudios. Em 17 dos 20 fatos listados no documento, há indicação de existência de áudio.

Há, porém, algumas divergências nas versões. O PSOL afirmou que Aod Cunha, ex-secretário da Fazenda, teria recebido R$ 100 mil por fora do empresário Humberto Busnello, o que não aparece no relato de Lair. Também não há menção a uma suposta reunião em que Aod e outros teriam recebido R$ 500 mil da MAC Engenharia. Segundo Lair, no entanto, ex-secretário da Fazenda estava presente na reunião em que foi acertada a doação de R$ 400 mil por duas fumageiras. Aod teria pedido, em nome de Yeda, que os valores fossem entregues sem recibo.

Aod afirma nunca ter pedido ou recebido recursos durante a campanha. Diz que era chamado para encontros com empresários para falar do plano de governo, do qual foi coordenador. Aod confirma ter ido ao encontro dos representantes das fumageiras, ouvido suas queixas sobre o setor e deixado a sala sem pedir ou receber qualquer valor.


Fonte: Zero Hora

Denuncias de Lair


06 de julho de 2009 | N° 16022AlertaVoltar para a edição de hojeAS DENÚNCIAS DE LAIR
As suspeitas contra o governo
Pivô do escândalo do Detran, Lair Ferst entregou ao MPF acusações envolvendo campanha de Yeda e início da administraçãoDesde fevereiro, quando a deputada Luciana Genro deu entrevista ao lado do vereador Pedro Ruas, ambos do PSOL, revelando denúncias que teriam sido feitas por Lair Ferst contra a governadora Yeda Crusius, os gaúchos convivem com a dúvida sobre se o pivô do escândalo do Detran estaria colaborando com as investigações. A confirmação veio ontem por meio de documentos a que Zero Hora teve acesso.

No ofício OF/SECRIM/PRRS/Nº 2669, datado de 16 de abril, o procurador Alexandre Schneider encaminha ao então procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, um texto escrito por Lair detalhando 20 supostas irregularidades que teriam sido cometidas na campanha de 2006 e no início do governo de Yeda. ZH teve acesso a 12 páginas das 13 páginas escritas em computador por Lair, rubricadas e numeradas pelo protocolo da Procuradoria-Geral da República.

Lair conta desde sua aproximação da campanha até suposta oferta de propina à governadora feita pelo grupo responsável pela fraude no Detran. No relato, afirma que a casa de Yeda foi comprada por R$ 1 milhão, e não por R$ 750 mil, como está no contrato, e que a diferença foi paga com caixa 2.

São levantadas suspeitas sobre mais de 30 pessoas ou empresas. Lair descreve um cenário de farto caixa 2. Um dos 20 fatos afirma que a SP Alimentação, fornecedora de merenda escolar para a prefeitura de Canoas, doou R$ 500 mil que foram utilizados no início da organização da campanha. Os valores teriam chegado ao comitê por meio de Chico Fraga, então secretário de Governo de Canoas. A SP é suspeita de envolvimento na fraude no município.

O dinheiro não contabilizado normalmente era recebido por Marcelo Cavalcante, ex-assessor morto em fevereiro, e por Walna Meneses, assessora de Yeda e, segundo o depoimento, “controladora do caixa 2”. Lair faz ataques ao ex-marido de Yeda. Conta que Crusius era avisado da chegada de doações. Muitas vezes, à noite, diz o relato, Crusius buscava dinheiro no comitê e levava para o apartamento da candidata. Os recursos nunca mais retornavam.



Fonte: Zero Hora