Rádio WNews

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Brasileiros em Angola


6/5/09

Brasileiros em Angola


 
Brasileiros em Angola - Comprando minha vaga no inferno
 
Recentemente; numa tarde ensolarada de Luanda, resolvi tomar uma cuca na estrada Luanda  - Benguela, exatamente no Benfica. Ao ouvir o meu sotaque alguém murmurou:
- hum….., Angola tá lixada ….. Zucas de todo o lado…, eu prefiro os chineses eles labutam sem parar , enquanto os zucas …..hum mm… são folgados …. - gostam de mulheres, futebol e praia….. até parecem conosco.
Fiquei calado; não fiz nenhum comentário pois, numa sexta feira de muito calor, final de semana muita cuca na cabeça do grupo , além disto eu era o único zuca naquela paragem. Ao retirar - me em direção a Gabela no Kuanza - Sul , depois de algumas horas de viagem curvei na esquerda , logo após a Escola Nacional de Petróleos, ali entrei numa auto estrada construída pela Odebrech   e Queiroz Galvão. No canteiro da obra havia baianos, pernambucanos, alagoanos, paulistas e angolanos de todo o país. A minha viagem estava apenas começando . da Kibala á Huambo; que maravilha levei poucas horas, logo cheguei ao entroncamento do Bié. Do entroncamento no  Bié ao Chitembo passei maravilhosamente bem numa estrada que estava ainda em construção. De Luanda ao Kuando Kubando fiz ao todo 10 horas. Em 1995,numa viagem pela UNAVEM foram 4 dias de estrada. Para mim;os brasileiros em Angola estão no “paraíso” . Ou melhor: esses trabalhadores tiveram a “Visão  do Paraíso” com motivos edênicos no redescobrimento de Angola.  Muito deles estão ganhando muito nas trocas culturais, afinal de contas, Angola não é o inferno é um Paraíso em construção. Como Antropólogo é o alimento da minha construção intelectual. Angola é dos angolanos, as agora é também dos baianos, pernambucanos, cariocas, paulistas, cearenses, paranaenses, paraenses, amazonenses, enfim um cantinho do Brasil na mãe África. 
 
Prof. Dr. Valêncio Manoel.  
 
— Em sáb, 2/5/09, Margarida Castro  escreveu:
De: Margarida Castro
Assunto: brasileiros- em-angola - Comprando minha vaga no Inferno
Para: forum_de_angolanist as@yahoogrupos. com.br
Data: Sábado, 2 de Maio de 2009, 7:49
brasileiros- em-angola
Comprando minha vaga no Inferno
http://opatifundio. com/site/ ?tag=brasileiros -em-angola

Maio 23, 2008 by Felipe Tonet 
Filed under ANGOLAFelipe TonetPOLÍTICATRAÇOS CULTURAIS
 Comprando minha vaga no InfernoAngola é um país repleto de brasileiros, estimam cerca de 37 mil. A maioria das grandes construtoras que temos estão aqui, Odebrecht, Queiroz Galvão, Camargo Correia, entre outras.
Encontrei conterrâneos baianos, cariocas, mineiros, paranaenses e pernambucanos. Muitos pernambucanos, creio que, juntamente com os baianos, são maioria.
Cada um com um motivo, uma história, uma expectativa. Conheci um engenheiro pernambucano que desistiu de uma vaga num concurso público. Desistiu da namorada, de 6 mil reais que ganhava do estado em um emprego concursado, e veio para Angola.
Outro pernambucano, porém, arquiteto, trabalhou 1 ano e meio na ONU, no PNUD, conheceu diversos países, hoje trabalha em uma empresa brasileira de engenharia, não visita o Brasil desde que saiu, passa suas férias pelo mundo. A África está no meio de tudo, é muito mais barato partir daqui.
Entre as muitas histórias que ouvi, a de um simpático baiano foi a que mais me chamou a atenção. Publicitário, está em Angola fazendo campanha política para o MPLA, partido do governo. Em setembro, serão realizadas eleições legislativas, a primeira desde o fim da guerra civil, que durou de 1975 até 2002.
A ONG Transparecia Internacional realiza anualmente um ranking que mede a percepção de corrupção em 180 países do mundo. A escala vai de 10 (países menos corruptos) até 0 (países mais corruptos).
Em 2007, como nos outros anos, as primeiras posições, com menor índice de corrupção, são ocupadas por países como Finlândia, Nova Zelândia e Dinamarca. O Brasil ocupa a posição de número 72 no ranking.
Angola, e o MPLA que está no poder desde 75, ocupam a posição de número 142, é o país lusófono mais mal posicionado. O que leva meu conterrâneo baiano a afirmar que está “comprando sua vaga no inferno”.
Estou aqui organizando um congresso, teoricamente independente da politicagem local, porém, meu salário é pago pela mesma fonte. Creio estar comprando minha vaga também.
** Créditos para a Flávia, que apesar de não ser jornalista, é muito boa em encontrar fontes.
 criado por jornalnegritude     12:21:59 am — Arquivado em: Sem categoria — Editar

Obras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sim