Destaque

Destaque

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Marcha

No próximo dia 20, diversas marchas estarão ocorrendo ao redor do Brasil. As informações contidas abaixo referem-se à marcha de São Paulo, mas são úteis para todos os que, no próximo dia 20, estarão nas ruas lembrando Palmares e seus construtores: Zumbi, Dandara, Acotirene, Ganga Zumba e todos os milhares de quilombolas anônimos que na Serra da Barriga edificaram um sonho de liberdade. Eles simbolizam os quilombolas que em tantos outros lugares em todo o Brasil ousaram desafiar o desumano sistema escravocrata.
E a população paulistana fica convocada a participar. Temos todos um compromisso com a História. Temos todos um compromisso contra o genocídio da juventude negra.

VIII  MARCHA DA CONSCIENCIA NEGRA
Dia 20 de Novembro de 2011
Concentração às 10 hs no Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista, na cidade de São Paulo.

         No próximo 20 de novembro, um domingo, estará sendo realizada nas ruas de São Paulo a VIII Marcha da Consciência Negra.
         Esta marcha  vem sendo realizada desde o ano de 2003, no dia Nacional da Consciência Negra, data dedicada ao líder negro Zumbi dos Palmares.
         Zumbi  foi o principal líder do Quilombo dos Palmares, um símbolo da resistência e de luta contra a escravidão.
         O Quilombo dos Palmares começou a ser construído no ano de 1597, nas terras da Serra da Barriga, no atual Estado de Alagoas. Em pouco tempo tornou-se uma referência da resistência e de  luta de homens e mulheres contra a escravidão e em busca da liberdade.
         Até que em 1695, quase cem anos depois do início de sua construção, uma expedição comandada por Domingos Jorge Velho destruiu  o Quilombo.
         Em 1995, depois de 300 anos de seu assassinato, Zumbi dos Palmares foi oficialmente reconhecido pelo governo brasileiro como herói nacional e o Quilombo de Palmares consagrado como um importante exemplo de luta e organização  da História do Brasil.
         No ano de 2006, o dia 20 de Novembro se tornou feriado na cidade de São Paulo, através da Lei 13.707/2004. Feriado  que acontece em muitas cidades do nosso país. O movimento negro tem se empenhado para que esta data, o Dia Nacional da Consciência Negra, seja um Feriado Nacional.

O 20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência  Negra

         A militância negra da década de 70 é a voz da nascente data política para o Brasil, que fazia uma releitura histórica através da adoção de Zumbi dos Palmares como herói nacional. Estava em jogo a desconstrução do mito da liberdade concedida, substituído pela combatividade negra durante todo o período de escravização e pela denúncia da ação do racismo, do preconceito e da discriminação racial no Brasil.
         O Grupo Palmares, fundado em 20 de julho de 1971, no Rio Grande do Sul, realizou uma série de atividades públicas – durante o regime militar – para evocação de ícones negros como Luiz Gama e Luíza Mahin. A reverência a Zumbi dos Palmares, ato de maior relevância daquele ano, ocorrera no Clube Náutico Marcílio Dias, em Porto Alegre , frequentado por negros e negras.

         Em 1978, o 20 de Novembro foi elevado a Dia Nacional da  Consciência Negra a partir da fundação do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial (MNUCDR).
VIII Marcha da Consciência Negra. Um dia de luta contra o genocídio da juventude negra.

O Movimento Negro contemporâneo, ao longo de sua trajetória de luta, conseguiu pautar alguns avanços voltados à população negra como: a lei Caó que criminaliza o racismo; a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial; o sistema de ingresso de estudantes negros em algumas universidades públicas estaduais e federais por meio de políticas afirmativas, a Lei 10.639/03, que institui no ensino básico a obrigatoriedade do ensino da História da África e dos africanos; a criação da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), no ano de 2003, no primeiro ano de governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
         Mesmo diante dessas conquistas, o racismo tem atingido a população negra em todos os aspectos de nossas vidas, as desigualdades sociais e raciais são visíveis e as condições de vida, na qual estamos inseridos, ainda são muito precárias.
         Desta forma, dando prosseguimento à luta negra no combate ao racismo, neste ano de 2011 iremos realizar mais uma edição da Marcha da Consciência Negra que trás em seu tema central o genocídio da juventude negra que é praticado cotidianamente pelo estado, estamos nos posicionando contra este genocídio e pedindo um fim.
         Historicamente a juventude negra vem sofrendo as consequências de um Estado que exerce determinadas ações que se configuram em práticas genocidas.  Entendemos o genocídio da juventude negra como um conjunto de violações intercaladas que resultem em crescente número de mortes por ação ou omissão do Estado como: violência policial, racismo institucional, encarceramento em massa, violência contra a mulher negra e jovem etc.
         Tudo isso combinados com ausência de políticas sociais que mantêm esta população totalmente à margem dos bens culturais e materiais que possibilitem à manutenção de uma vida digna. Desta forma restando apenas o desemprego, as drogas, a prisão, a fome, enfim, a expressão da manutenção da miséria social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sim