Destaque

Destaque

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dilma prioriza o comtabe à Pobreza

Dilma vai priorizar combate à pobreza

No primeiro pronunciamento, a presidente eleita falou da continuidade dos projetos sociais do governo federal<br /><b>Crédito: </b> jonne roriz / ae / cp
No primeiro pronunciamento, a presidente eleita falou da continuidade dos projetos sociais do governo federal
Crédito: jonne roriz / ae / cp
No primeiro pronunciamento, a presidente eleita falou da continuidade dos projetos sociais do governo federal
Crédito: jonne roriz / ae / cp


Dilma Rousseff (PT) se tornou ontem a 40 pessoa a ser eleita para o cargo de presidente da República. A partir de janeiro, será a primeira mulher a assumir essa tarefa. Ex-ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, foi alçada já em 2008 à condição de candidata pelo presidente Lula, que dava as primeiras indicações de que gostaria de ver uma mulher ocupando o posto mais importante no país. O primeiro pronunciamento de Dilma como presidente eleita ontem teve início às 22h em um hotel de Brasília. O discurso, dividido em dois momentos, foi marcado pelo caráter técnico que sempre caracterizou a ex-ministra. Ela ressaltou metas e compromissos do futuro governo e, num tom mais emocional, admitiu guardar algumas mágoas devido a "determinadas publicações da imprensa" e quando falou comovida do presidente Lula.

No trecho inicial, voltou a reafirmar os compromissos com a erradicação da pobreza, desenvolvimento econômico e sustentável e racionalização dos gastos públicos, mas sem reduzir verbas dos programas sociais. "A erradicação da miséria é uma meta que assumo. Peço o apoio de todos para o trabalho de superar esse abismo que nos separa de ser uma nação desenvolvida."

A presidente eleita destacou que terá preocupação especial com a economia, controlando a inflação, simplificando a tributação e mantendo a estabilidade.

Dilma destacou que se articulará com o Congresso para aprovar o fundo social e o marco regulatório do pré-sal. Ela afirmou também que pretende recorrer sempre que necessário ao atual presidente, Luiz Inácio Lula da Silva. "Baterei muito em sua porta, e tenho certeza de que a encontrarei sempre aberta." Dilma classificou como um "privilégio" a convivência com Lula e destacou a "inteligência" do presidente. Por fim, disse que a sua eleição era um sinal de amadurecimento do país.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sim