Anuncie em Nossa Revista de Classificados

Anuncie em  Nossa Revista de Classificados
Para Porto Alegre RS

quinta-feira, 24 de março de 2016

Negros

NEGROS S/A – O FOMENTO DA ILEGALIDADE


Meus Amigos e Minhas Amigas.
O país está atravessando uma crise política sem precedentes. Paralelamente, o governo e o congresso vivem uma imensa crise moral, de falta de ética e de atitudes antipatriotas. Os atingidos por esse mar de lamas são, principalmente, os negros e os nordestinos, que forma a camada mais pobre e excluída dos projetos do governo.

A cada fase da Operação Lava Jato se descortina a teia de corrupção montada pelo governo Dilma em conluio como o PT, PMDB, PP e com as principais empreiteiras do país.  Empreiteiras cujos executivos e funcionários ao sentirem o peso das mãos da justiça resolveram colaborar. Vão delatar todo o esquema sujo de lavagem de dinheiro e assalto aos cofres públicos, cujo principal alvo foi a Petrobras.

O mais leviano de toda essa sujeira é o governo e seus aliados atirarem contra as ações da justiça. Acostumados com a impunidade e só vir negros, nordestinos, homossexuais e prostitutas irem presos, a quadrilha de corruptos ao vir seus comparsas brancos e ricos irem parar atrás das grades – e fazer delação premiada para amenizar as penas – estão de todas as formas tentando desqualificar as ações do Juiz Sérgio Moro. E, para isso, conta com a militância raivosa de vândalos e depredadores dos patrimônios públicos. Entre essa corja, eis que se levanta de braço erguido e mão cerrada os vendilhões da raça dos movimentos negros.

Por mais que essa horda tente se igualar em resistência, honradez e moral ao gesto símbolo dos Panteras Negras, ficam muito  aquém na essência do gesto.

O governo fala mal do Sérgio Moro, fala mal do Ministério Publico Federal fala mal da Policia Federal, fala mais da imprensa, mas não diz uma palavra sequer contra os corruptos que afundaram a Petrobras numa divida de mais de Quarenta Bilhões de Reais. Não fala uma palavra sequer para amenizar o povo do sofrimento do desemprego e da fome. Não fala uma palavra sequer para tentar resolver o caos instalado no sistema de saúde do país.

Um amigo paulista desabafou num e-mail que me foi enviado: - Aí, a dupla Dilula (Dilma + Lula) utiliza um subterfúgio para burlar o processo contra corrupção. Lula é nomeado ministro – logo ele, que condenava o artifício antes de ser governo. Os torcedores do PT comemoram. Os torcedores do outro lado – incluindo os torcedores do PSDB-Alkimin – protestam mesmo ignorando os escândalos e desmandos do governador de SP. Juiz cassa a nomeação: os torcedores do PT protestam, os torcedores do PSDB comemoram. Corrupção mesmo, ninguém tá nem aí. E ninguém faz passeata por uma reforma política. Cada lado argumenta utilizando os pobres e a pobreza e, infelizmente, os negros para justificar o seu argumento.
Protestam com veemência contra a corrupção. Desde que não seja as dos seus "times".
Para os seus times, vale tudo. E o Brasil, rachado. Se eu fosse um sobrevivente da ditadura que tivesse lutado pela democracia, acho que teria dado um tiro na cabeça, tamanha a depressão.
Ninguém fala dos quase três bilhões de reais devolvidos aos cofres públicos que estavam nas contas bancárias dos corruptos.
Ninguém fala dos chefões das empreiteiras, que foram presos e estão delatando as corporações criminosas, montadas para esvaziar verbas públicas; ninguém pode falar contra o governo e o partido do governo, muito menos falar contra os aliados do governo porque recebem pesadas injúrias e fortíssimas ameaças.

O desabafo do meu amigo paulista é a síntese dos horrores ideológicos hipócritas que assolam o país, motivadas por uma esquerda petrolão. Para não fugir a regra, essa tal esquerda aliada de Renan Calheiros, Maluf, Sarney, Collor, Jader Barbalho, Sérgio Cabral e outros, compraram com cargos públicos e propinas os vendilhões da raça dos movimentos negros que, como subalternos passivos, agem como cães raivosos investindo sobre seus iguais, destilando toda sua raiva e hipocrisia.

Os corruptos e os corruptores usam como estratégia apontar falhas da justiça, e ignoram descaradamente o quão nociva para o país tem sido a corrupção. Desemprego em massa, recessão, economia desacelerada, pobreza e miséria em ascensão, indústrias, fábricas e empresas produtivas fechando as portas...

Noticiários televisivos dessa Terça-Feira, 23/03, mostravam no subúrbio do Rio uma imensa fila, formada por uma grande maioria de homens e mulheres negras, em busca de emprego. A fila dobrava dois quarteirões. Outro noticiário mostrou a dificuldades que famílias negras e nordestinas estão enfrentando para pagar a altíssima conta de luz. Com lágrimas nos olhos, uma senhora negra, de 72 anos, moradora de São Gonçalo, Grande Rio, alegava estar há mais de um mês sem colocar um pingo de café na boca. Já providenciamos a ida à casa dessa senhora proporcionando-lhe a possibilidade do tão precioso café.

Essa situação é uma tragédia? Para população negra e nordestina sim. – Não para a Corporação Negros S/A, antro de vendilhões da raça formado pelos lixos politiqueiros UNEGRO; MNU; CEN; CONAQ; Comissão da Igualdade Racial da OAB/RJ; ABPN; QUILOMBAÇÃO; CIRCULO PALMARINO; UNEAFRO BRASIL; CEDENINE, COMDEDINE e outras centenas saladas de siglas com tempero de inutilidades.
O lucro que essa hedionda corporação adquire com o genocídio de jovens negros, o racismo, a exclusão social do negro, os infortúnios legados às mulheres negras, abandono e o descaso com os Quilombos no Brasil inteiro, inércia com  a depredação dos cultos de matriz africana e a perseguição contra seus praticantes, o golpe da luta pela igualdade racial – e outras mazelas que pesam sobre a negritude – é bem rentável.

A corporação Negros S/A opera, in loco, os nefastos balcões de negócios que negociam, irmanados com as entidades negras, líderes negros, movimentos negros,conselhos estaduais e municipais de defesa do negro e da igualdade racial.Balcões onde os títulos da Causa Negra e da Causa Quilombola são lançados no mercado da hipocrisia e do entreguismo, gerando cargos públicos e verbas públicas para projetos nunca realizados.

E a corporação Negros S/A o que tem feito para amenizar as dores dessa gente?    – Tem elaborando orçamentos de projetos inexistentes para a negritude, mas de muita valia para suas contas bancárias – desabafou num e-mail enviado a mim, uma notória socióloga negra fluminense. Os vendilhões da raça da Negro S/A são legítimos sucessores dos ancestrais que capturavam seus irmãos negros na África e vendiam como escravos para o novo mundo; são também sucessores dos ancestrais feitores e capitães do mato.

Uma notória e respeitada Yalorixá fluminense enviou-me um e-mail criticando o fato de eu colocar todas as lideranças negras honradas no mesmo plano dos pseudos líderes, mas reconheceu que as minhas cartas tem – um lado positivo porque desmascara alguns hipócritas infiltrados nos movimentos negros.

Templos de matriz africana sendo depredados e praticantes desses cultos perseguidos e os defensores da igualdade racial e da luta contra a intolerância religiosa fazendo manifesto contra o uso do vocábulo acarajé como nome de uma operação da Polícia Federal. Mas nenhum deles falou nada contra os corruptos que indevidamente usaram o nomeacarajé como forma de camuflar suas falcatruas. Isso denota que os vendilhões da raça da corporação Negros S/A estão sempre ao lado dos bandidos, e se colocam sempre contra a legalidade.

É preciso que a negritude do bem, a esmagadora maioria honrada, saiba que está se travando no país uma guerra de torcidas organizadas. De um lado os verdes e amarelos querendo o fim da corrupção e, do outro, os vermelhinhosquerendo a todo custo a manutenção da roubalheira, e os corruptos fora da cadeia.

E nessa promiscuidade, a Negro S/A desempenha o seu hediondo papel de miquinho amestrado das esquerdas. A tal esquerda que tem o Renan Calheiros como conselheiro, o Sarney como mentor, o Jader Barbalho como estrategista, o Collor como exemplo de presidente cassado, o Sérgio Cabral como exemplo de enriquecimento ilícito e o pezão como exemplo de incompetência generalizada.

Entre as centenas de e-mails que recebo, um chamou-me a atenção. Vem de uma senhora da Distante Tutóia, interior do Maranhão. Ela se descreve como Quilombola, agricultora familiar. Diz ela: – Os Quilombos Maranhenses estão abandonados, entregues a própria sorte. E olha que no Estado do Maranhão existem dezenas de associações de defesas Quilombola com a finalidade de intermediar as verbas para melhoria dos Quilombos. Verbas que nunca chegam ao seu devido destino.

Imagina, minha senhora, a cara de pau desses defensores dos Quilombolas até onde pode chegar. Já noticiei que em Brasília, distrito onde não 
existe sequer um Quilombo, o Sindicato dos Bancários resolveu abrir uma confederação Quilombola para lutar pelos direitos dos Quilombos. 
É sarcástico, promíscuo, indecente, mas é a verdade.

No Rio de Janeiro não é diferente. Inventam Quilombos em áreas nobres, onde nunca existiu um Quilombo; também abrem confederações Quilombolas, cuja diretoria jamais sequer pisou num Quilombo, e se o fez foi para levar politico atrás de votos. Ou tirar fotos com Quilombolas, postar nas páginas sociais, e usar como prova do trabalho sociais desenvolvidos em prol dos Quilombolas. Com isso, inventam orçamentos dos quais usurpam verbas públicas direcionadas as ações sociais nos Quilombos. Esses ilícitos tem o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil, OAB, que cede dependências das suas sedes, logo transformadas em covil, onde as pseudas ações sociais em prol da Causa Negra e da Causa Quilombola recebem o nome de comissão da igualdade racial.

Vai que sejam proféticas as falas de um funcionário dos Correios, aposentado, de Gurupi, estado de Tocantins, num e-mail enviado a mim. – Que caiam sobre esses negros vendilhões da raça as sete pragas do Egito!

A negrada já está começando a se revoltar!

Abraços a todos.
Flávio Leandro
Cineasta, Professor de Produção Audiovisual, Professor de Produção Teatral.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sim