Anuncie em Nossa Revista de Classificados

Anuncie em  Nossa Revista de Classificados
Para Porto Alegre RS

terça-feira, 19 de abril de 2016

Geledes

Você está recebendo as atualizações do Portal Geledés.
Portal Geledés
Para sair desta lista, clique aqui.

Geledés

Em defesa dos direitos humanos. Combate ao racismo, preconceito, discriminação e violência contra a mulher.

Militância negra repudia obras de rafucko

Like Militância negra repudia obras de rafucko on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Militância negra repudia obras de rafuckoExposição de anti-souvenirs do artista e humorista Rafael Puetter, o Racfucko, tem cunho racista, de acordo com movimento negro Por Pedro Borges Do Alma Preta No dia 12 de Abril, militantes do movimento negro organizaram ato em frente ao Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro, para manifestar desconforto e repúdio às obras da […] Leia mais »
Copyright © 2016 Geledés Instituto da Mulher Negra
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no Portal Geledés.

Geledés Instituto da Mulher Negra
Rua Santa Isabel 137 - 4º andar
São Paulo, SP 01221-010
Brazil

Add us to your address book


sair desta lista    atualizar preferências

Outras Palavras

Boletim de atualização - Nº 645 - 17/4/2016


​DOSSIÊ ESPECIAL: GOLPE, RESISTÊNCIA E ALTERNATIVAS
Numa seleção das análises publicadas por Outras Palavras, as origens da crise política, o projeto ultraconservador das elites e a hipótese de lançar, a partir da mobilização social, uma agenda de reformas reais

I – A Trama dos sem-voto


A geopolítica da Lava Jato
As instituições norte-americanas têm a geopolítica na veia. As brasileiras têm na cabeça apenas o Código Penal e a Constituição. Encantam-se quando conhecem os EUA
Por Luis Nassif, no GGN (publicado em 2/3/16)
Mídia atinge a democracia à queima-roupa
Crise demonstra: a frágil democracia brasileira não pode continuar a conviver com mídia oligopolizada — que ameaça e chantageia os poderes, enquanto mantém na ignorância milhões de brasileiros
Por Celso Vicenzi (publicado em 10/4/16)
Polícia Federal, da esperança ao pavor
História de um desastre: escorregão do governo Lula e irresponsabilidade de José Eduardo Cardozo criaram corporação superpoderosa, que flerta com Estado policial
Por Luis Nassif, no GGN (publicado em 31/3/16)
O golpismo na época de sua reprodutibilidade técnicaÀ ausência de limites éticos soma-se nestes tempos sombrios certa regressão estética; dos memes às manifestações, das citações cafajestes a dancinhas cafonas
Por Alceu Luís Castilho (publicado em 11/3/16)


II – Que pretendem as elites


Boulos: eis o programa do Golpe

Nos quatro eixos de eventual governo Temer, o projeto da elite brasileira: contra-reforma trabalhista, ataque a programas sociais, privatização disfarçada da Petrobras e abafamento dos escândalos de corrupção
Por Guilherme Boulos (publicado em 15/4/16)
Impeachment: a pauta oculta
Pré-Sal para petroleiras globais. Fim da demarcação indígena. “Direito” ao armamento pessoal. Veto à família homoafetiva e muito mais. Que projetos escondem-se atrás da suposta “luta contra corrupção”
Por Cristina Fróes de Borja Reis, Tatiana Berringer e Maria Caramez Carlotto (publicado em 16/3/16)
Temer e sua Ponte para o PassadoRever Constituição de 1988. Cortar recursos obrigatórios para Saúde e Educação. Reduzir benefícios previdenciários. Privatizar tudo. Retomar alinhamento com EUA. Análise revela: programa do vice é delícia das elites
Por Fernando Marcelino (publicado em 4/4/16)

III – Os impasses do lulismo

Crise de um projeto, risco de golpe e luta de classes
André Singer analisa: por que empresários abandonaram quem os enriqueceu. Nas Jornadas de 2013, divisor de águas irrepetível. “Ajuste fiscal”, o erro dramático de Dilma. Projeto de Lula está nas cordas, mas não morreu
Entrevista a João Vitor Santos, no IHU
O dia em que a jararaca mordeuQuando começou seu calvário, Lula sentiu finalmente que a conciliação é vã. Pode ser tarde demais – mas a análise de sua fala revela que a luta de classes, tantas vezes enterrada, está mais viva que nunca
Por Priscila Figueiredo (publicado em 29/3/16)
Déficit” da Previdência: a grande fraude
Uma economista disseca os cálculos que fabricam a "crise" e contra-ataca: objetivo do discurso é transferir à aristocracia financeira fundos que garantem direitos sociais
Coryntho Baldez, no Jornal da UFRJ (publicado em 20/1/16)
Duas receitas opostas contra a criseQuem julga o "ajuste fiscal" de Dilma inevitável deveria ao menos estudar uma alternativa singela: o programa adotado por Lula, diante da recessão global de 2008. As diferenças são chocantes
Por João Sicsu, em Carta Capital (publicado em 16/2/15)
Por que o Pré Sal brasileiro está ameaçadoProjeto de Renan Calheiros e José Serra extingue “regime de partilha” e afasta Petrobras. Medida provocaria exploração predatória, em benefício de transnacionais petroleiras
Por Marcelo Zero, no Dialogo Petroleiro (publciado em 24/2/16)

Congresso: a agenda dos horrores voltouPrivatizações. Código de Mineração devastador. Lei “antiterror”. Maioridade penal. Saiba o que parlamentares querem impor à sociedade este ano – para resistir melhor
Por Carlos Eduardo, no Congresso em Notas (publicado em 4/2/16)


IV – A possível virada e as reformas urgentíssimas

Para qualificar as jornadas pela democracia
Evitar impeachment e retrocesso é crucial. Mas os limites do governo Dilma estão claríssimos. É hora de um novo projeto de paísPor Carla Ferreira e Mathias Luce (publicado em 31/3/16)
Boaventura: Brasil ainda pode evitar o pior
Judiciário e mídia ferem democracia. Lava Jato não é comparável a Mãos Limpas. Na raiz da crise, ilusão grosseira do PT. Guerra não está perdida; é preciso mudar já.
Por Boaventura de Sousa Santos (publicado em 21/3/15)
Lula salvará o governo Dilma?
Volta do ex-presidente será inútil, se não significar mudança completa de rumos do governo. Eis alguns pontos essenciais.
Por Antonio Martins (publicado em 14/3/15)


--
Boletim de atualização do site Outras PalavrasA reprodução é bem-vinda. Interessados em recebê-lo devem clicar aqui. Para deixar de receber, aqui. Acompanhe nossas novidades também no Facebook


_______________________________________________
Boletimdiplo mailing list
Boletimdiplo@listas.tiwa.net.br
https://listas.tiwa.net.br/listinfo/boletimdiplo
Descadastrar: envie email a Boletimdiplo-unsubscribe@listas.tiwa.net.br

Deputado Afonso Hamm

Deputado Afonso Hamm é o primeiro gaúcho a dizer SIM ao IMPEACHMENT

​Foto Alex Ferreira – Câmara dos Deputados
 
O primeiro voto do sul do país na Sessão de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff , na Câmara dos Deputados, foi do deputado federal gaúcho Afonso Hamm.

Ao ser chamado para declarar o voto, Hamm disse: Em nome do povo gaúcho, povo do meu Estado, em nome do povo brasileiro para votarmos a favor da Mudança, a favor da Esperança, Sim ao Impeachment”.
 
 
---------------
www.afonsohamm.com.br
  - facebook.com/depafonsohamm
Jornalista responsável – Márcia Godinho Marinho – MTB 10.868 – (61) 3215-5604 / (61) 99099010
Caso não queira mais receber mensagens, solicite através do e-mail imprensamarciamarinho@gmail.com
 

Twitter


Marido de Deputada é Preso Por Corrupção

Marido de deputada que votou a favor do impeachment é preso por corrupção

Marido da deputada Raquel Muniz é acusado de fraude em hospitais de Montes Claros (MG). Foto: REPRODUÇÃO
Marido da deputada Raquel Muniz é acusado de fraude em hospitais de Montes Claros (MG). Foto: REPRODUÇÃO
Do GGN
No domingo (17), a deputada federal Raquel Muniz, do PSC, votou sim no processo de admissibilidade do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Ela disse que votava pelo seu marido contra “essa maldita corrupção”.
Nesta segunda (18), o marido, Ruy Adriano Borges Muniz, prefeito de Montes Claros foi preso preventivamente pela Polícia Federal. Ele é acusado de usar meios fraudulentos para inviabilizar o funcionamento de hospitais da cidade. Entre eles, o Hospital Universitário Clemente Faria, Santa Casa, Aroldo Tourinho e Dilson Goldinho. A ideia era prejudicar esses hospitais para favorecer o Hospital das Clínicas Mario Ribeiro da Silveira que, segundo a PF, pertence ao prefeito e seus familiares.
O prefeito e a secretária de saúde do município, Ana Paula Nascimento, devem responder pelos crimes de falsidade ideológica majorada, dispensa indevida de licitação pública, estelionato majorado, prevaricação e peculato. A operação “Máscara da Sanidade II – Sabotadores da Saúde” deve cumprir quatro mandados de busca e apreensão na Prefeitura, Secretaria de Saúde e na casa dos envolvidos.
No final do ano passado, prefeito e deputada, marido e esposa, foram acusados pela Receita Federal de praticarem estelionato, lavagem de dinheiro, advocacia administrativa, evasão de divisas, descaminho, associação criminosa e falsidade ideológica. Eles teriam tentado comprar equipamentos hospitalares na Alemanha, usando o CNPJ da Associação de Promoção e Assistência Social, vinculada à Prefeitura. O problema é que os equipamentos seriam instalados no Hospital das Clínicas do Grupo Soebras, grupo econômico ao qual eles pertencem.
Depois de concluídas as investigações, a Receita concluiu que “Ruy Adriano Borges Muniz e Tânia Raquel Queiroz Muniz arquitetaram a fraude para importar tais bens por meio da Amas Brasil, Soebras e Hospital das Clínicas Mário Ribeiro da Silveira, associações formais cujos integrantes dos Conselhos Fiscais e Diretorias são interpostas pessoas laranjas”.
Os equipamentos médicos foram apreendidos por dano ao erário e são avaliados em quase R$ 9 milhões. “As decisões judiciais, tanto na primeira instância quanto na segunda, foram, até o momento, desfavoráveis aos autuados, incluindo a sentença que denegou a segurança. Da mesma forma, a empresa exportadora, alegando não ter recebido a importância comercializada, ajuizou mandado de segurança para devolução dos bens ao exterior, mas também obteve decisão judicial desfavorável”, informou a Receita em nota. A Receita enviou o caso para o Ministério Público Federal, que passou a dar andamento à ação criminal.
A deputada anticorrupção ainda não comentou os desvios. Ela pode acabar presa junto com o marido.