Anuncie em Nossa Revista de Classificados

Anuncie em  Nossa Revista de Classificados
Para Porto Alegre RS

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Filha Sem Terra



Como Letícia Santos, filha sem terra,agora assentados da reforma agraria, chegou à faculdade

publicado em 20 de dezembro de 2014 às 16:33
leticia
Letícia Santos, 21 anos, estudante de Direito da turma Elizabeth Teixeira da Universidade Estadual de Feira de Santana, BA
por Patrick Mariano, especial para o Viomundo
Um amigo me enviou um texto sobre o livro de Jorge Amado A morte e a morte a Quincas Berro D’água.  Pediu que publicasse em meu blog Más caras?. Nunca tive muitas pretensões com o blog, sempre foi mais para meu desassossego e crônicas de cotidiano. Mas, gostei muito da sensibilidade da resenha do livro e perguntei quem era o autor ou autora.
Descobri que a autora se chama Letícia Santos. É de uma pequena localidade chamada Adustina, no nordeste baiano. Tem 21 anos e é filha de ex-trabalhadores rurais sem terra, hoje assentados da reforma agrária e estudante de Direito da turma Elizabeth Teixeira da Universidade Estadual de Feira de Santana. Junto com outros filhos de trabalhadores rurais, conseguiu chegar ao ensino superior através do PRONERA, programa do Ministério da Educação/Ministério do Desenvolvimento Agrário (MEC/MDA) que busca ampliar o acesso ao ensino superior à população que vive no meio rural.  O PRONERA FOI UMA CONQUISTA DO MST E  A TURMA DE DIREITO NA     BAHIA, TAMBEM
analfabetismo ainda assombra o meio rural brasileiro. Entre as pessoas de 15 anos ou mais, atinge 23,5%. É quase 5,5 vezes superior ao verificado na zona urbana: 4,3%. Um estudo do Observatório da Equidade alerta que se o “Brasil Rural” fosse um país, teria o 4º pior desempenho entre os países da América Latina e Caribe, melhor apenas que Haiti (45,2%), Nicarágua (31,9%) e Guatemala (28,2%).
Resolvi, diante disso, entrevistá-la para o Viomundo a fim de que pudesse falar sobre literatura, lutas, dificuldades no acesso ao conhecimento e um pouco sobre a trajetória de sua vida. A entrevista foi feita através de um chat.
Viomundo — Letícia, qual o significado da literatura para você, estudante de Direito e com uma trajetória familiar de luta pelo direito à terra?
Letícia Santos – Eu vejo na literatura um caminho a se percorrer. É uma porta que se abre à uma viagem intensa e fantástica. Por isso, é na literatura que eu consigo sentir a magia de uma bela obra literária. Não tenho o hábito de ler tanta literatura, mas cada vez que leio me sinto totalmente envolvida e percebo o quanto me faz bem. A melhor parte de tudo isso é se reconhecer dentro dos personagens e entender como a fantasia literária está ligada à vida real.
Viomundo — Jorge Amado escreveu com magia e retratou como poucos o povo baiano, sua simplicidade e as cores da Bahia. Como estudante de Direito você vê a literatura como necessária para o jurista conhecer melhor o mundo em que está metido?
Letícia Santos – Claro, não só o jurista. Todos devem aprender a entender melhor o mundo em que estamos e a literatura é um bom caminho para isso porque nos permite entender como os elementos culturais e como as regras sociais que as pessoas estabelecem estão descritas no nosso dia-a-dia.
Viomundo – Como foi sua chegada na Faculdade de Direito? Você sempre sonhou em fazer o curso? Conte um pouco da sua trajetória.
Letícia Santos – Eu nunca pensei em fazer Direito. Eu costumo dizer que eu não escolhi o Direito, o Direito me escolheu. Em um certo dia, meu pai chegou em casa com a notícia desse vestibular para beneficiários da reforma agraria. Era meu último ano no ensino médio, e resolvi me inscrever. Não tinha nada a perder, até porque mesmo que eu fosse reprovada, já seria uma grande experiência e no fim de tudo isso, felizmente, passei no vestibular.
Viomundo – Quais as maiores dificuldades que você encontrou para chegar ao ensino superior?
Letícia Santos –Uma das maiores dificuldades foi o medo, pois tudo aquilo era muito novo pra mim. Sair de casa, para uma cidade distante, ficar longe da família, era tão estranho pra mim que cheguei a pensar em desistir, mas hoje agradeço por não ter desistido, e por ter aprendido tanto.
Viomundo – Seus pais puderam estudar?
Letícia Santos –Eles não completaram o ensino fundamental.
Viomundo – Quantas pessoas da sua família têm curso superior? Você vê a academia brasileira distante da realidade dos trabalhadores rurais?
Letícia Santos – Eu sou uma das primeiras a fazer um curso superior. A academia aparece como algo distante da realidade dos trabalhadores e hoje se percebe que o saber acadêmico impera sobre o saber popular, e isso faz com que exista uma contradição entre essas duas realidades.
Viomundo – Quais seus planos para o futuro? O Direito pode ser um instrumento da transformação social?
Letícia Santos – Eu pretendo aproveitar essa oportunidade que a vida me deu porque acredito que o mundo pode ser melhor. O Direito é um instrumento de luta.
Viomundo –Você concorda com a frase de José Martí de que só o conhecimento liberta?
Letícia Santos –O conhecimento liberta, mas nem sempre o conhecimento é libertador.
Viomundo –Depende como é empregado, é isso?
Letícia Santos –Depende do sistema. Hoje estamos à mercê de um sistema opressor, que não tem nenhum intuito de que o povo tenha acesso ao conhecimento e de que ele possa se apoderar desse conhecimento.
Viomundo – Qual o recado que você gostaria de deixar para milhares de filhos e filhas de acampados da reforma agrária que sonham em um dia ter a terra, mas também romper as cercas do ensino superior no Brasil?
Letícia Santos – Para todos aqueles que acreditam num mundo menos egoísta e mais humano, digo que não parem de lutar, nós podemos romper todas as cercas que nos prendem.
Patrick Mariano é doutorando em Direito, Justiça e Cidadania no século XXI na Universidade de Coimbra, Portugal. Mestre em direito, estado e Constituição pela Universidade de Brasília, integrante da Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares-RENAP, do coletivo Diálogos Lyrianos da UnB e autor do livro 11 Retratos por 20 Contos.

Portal Geledes

Você está recebendo as atualizações do Portal Geledés.
Portal Geledés

Geledés

Em defesa dos direitos humanos. Combate ao racismo, preconceito, discriminação e violência contra a mulher.

Os 10 posts mais lidos em 2014 no Portal Geledés

Like Os 10 posts mais lidos em 2014 no Portal Geledés on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Os 10 posts mais lidos em 2014 no Portal GeledésOlá, sabemos que ainda não é o último dia do ano, mas fizemos um levantamento dos posts mais lidos em 2014 tomando por base a quantidade de visualizações da matéria pelo Google Analytics e selecionamos as 10 mais acessadas dentro do Portal Geledés O Portal Geledés agradece todos os acessos mas  nossos desejos é que durante […]Leia mais »

Você sabe o que é o estilo “Tomboy”?

Like Você sabe o que é o estilo “Tomboy”? on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Você sabe o que é o estilo “Tomboy”?Uma das grandes tendências da moda nos últimos tempos, o estilo tomboy permanece a cada temporada de moda misturando de uma maneira divertida o feminino e o masculino com peças chave caracteristicamente masculinas como calças de alfaiataria, camisas e blazers. Para quem não conhece, o estilo tomboy surgiu desde a época em que Chanel começou a introduzir a […] Leia mais »

Após protesto, MP promete controle externo da PM em São Paulo

Like Após protesto, MP promete controle externo da PM em São Paulo on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Após protesto, MP promete controle externo da PM em São PauloO Ministério Público do Estado de São Paulo dará atenção especial na apuração de mortes decorrentes de ação policial, conforme já prevê regimento interno do órgão. O compromisso foi assumido pelo Procurador-Geral de Justiça, Márcio Fernando Elias Rosa, em audiência com representantes do movimento negro, na última quinta-feira (18). Ao mesmo tempo, cerca de 2 […] Leia mais »

Prêmio para literatura africana escrita em suaíli

Like Prêmio para literatura africana escrita em suaíli on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Prêmio para literatura africana escrita em suaíliJá comentei várias vezes os problemas da tradução e difusão internacional da literatura brasileira, escrita em português. Nosso idioma, apesar de ter cerca de 220 milhões de falantes é, na verdade, insular. Oitenta por cento dos que falam português são brasileiros, depois os portugueses e, nos países africanos, apenas uma elite fala o idioma. O […] Leia mais »

Heroína infantil sueca provoca debate sobre racismo

Like Heroína infantil sueca provoca debate sobre racismo on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Heroína infantil sueca provoca debate sobre racismoRACHEL DONADIO Desde que entrou em cena em 1945, com suas meias descasadas, sardas abundantes e duas tranças vermelhas saindo esticadas da cabeça, Píppi Meialonga, uma menina alegre, bagunceira e forte o suficiente para levantar cavalos, tornou-se um modelo para as crianças. Na Suécia, Píppi é mais do que isso: ela é um tesouro nacional, […] Leia mais »

Na pele do outro – como a realidade virtual pode combater o racismo

Like Na pele do outro – como a realidade virtual pode combater o racismo on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Na pele do outro – como a realidade virtual pode combater o racismoRacismo pode ser amenizado com experimento de realidade virtual, segundo cientistas Imagine colocar-se na pele de uma pessoa de uma etnia diferente da sua, ou de outro sexo, ou de outra matriz religiosa. Você acha que suas tendências ao racismo, xenofobia e preconceitos diminuiriam? Pesquisadores da Europa acreditam que sim – e têm obtido resultados positivos com […] Leia mais »

APESP recebe certificado Memória do Mundo com jornal abolicionista “A Redempção”

Like APESP recebe certificado Memória do Mundo com jornal abolicionista “A Redempção” on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
APESP recebe certificado Memória do Mundo com jornal abolicionista “A Redempção”O coordenador do Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP), Izaias Santana, participou da cerimônia de entrega dos diplomas às instituições detentoras de acervos documentais nominados ao Registro Nacional do Brasil em 2014. O evento aconteceu na quinta-feira, dia 11, às 17h, no auditório principal do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro. O diploma […] Leia mais »

Vamos parar de nos incomodar com mulheres que não querem filhos

Like Vamos parar de nos incomodar com mulheres que não querem filhos on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Vamos parar de nos incomodar com mulheres que não querem filhosKaren Mangiacotti Acho que todos concordamos que as mulheres estão sujeitas a uma vigilância ferrenha. Enorme. Estamos quase sempre muito gordas –a menos passemos do outro lado e nos tornemos “repugnantemente magras” ou “magrelas demais”. Temos que nos comportar, e escutamos essas ordens a todo o momento: “Sorria! “Sente-se!” “Não seja mandona!” “Não fale tão […] Leia mais »

Alteridade: a difícil arte de reconhecer o diferente

Like Alteridade: a difícil arte de reconhecer o diferente on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Alteridade: a difícil arte de reconhecer o diferenteGuilherme Spadini Alguém realmente gosta de se expor ao que lhe é estranho? Como qualquer outro animal, o ser humano deveria ser programado para evitar o diferente, tido como ameaçador. Sendo bem mais do que apenas um animal, sabemos que é possível escapar a essa tendência e apreciar a curiosidade e o estranhamento. Seres humanos […] Leia mais »

A cidade paulista que está protegendo um padre e dando uma lição contra o racismo

Like A cidade paulista que está protegendo um padre e dando uma lição contra o racismo on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
A cidade paulista que está protegendo um padre e dando uma lição contra o racismopor : Marcos Sacramento Moradores da pequena Adamantina, no interior de São Paulo, promoveram a antítese das manifestações reacionárias que acontecem pelo Brasil após as eleições presidenciais. No último dia 07, cerca de 2 mil pessoas, segundo informações do Estadão, protestaram durante a missa na Igreja Matriz da cidade contra a transferência do padre Wilson […] Leia mais »

Nós, Madalenas: uma palavra pelo Feminismo

Like Nós, Madalenas: uma palavra pelo Feminismo on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Nós, Madalenas: uma palavra pelo FeminismoPor Jarid Arraes Maria Ribeiro é a fotográfa responsável por transformar em realidade o projeto “Nós, Madalenas”: uma série fotográfica que tem como proposta convidar mulheres de diferentes contextos, corpos e vivências para que escolham uma palavra que simbolize o que o Feminismo representa em suas vidas. Entre termos como “cura”, “resiliência” e “sororidade”, diversas […] Leia mais »

De Rui sobre Olivia: mulher negra que tem a face do estado

Like De Rui sobre Olivia: mulher negra que tem a face do estado on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
De Rui sobre Olivia: mulher negra que tem a face do estadoPor Aparecido Silva Como o Bocão News já havia antecipado, o governador Rui Costa anunciou Olivia Santana como a futura secretaria de Políticas para Mulheres. Ex-vereadora de Salvador, Olivia disputou a eleição para deputada estadual, mas foi derrotada. Em rápido discurso, Rui ressaltou a importância de ter uma mulher negra no secretariado. “Uma mulher negra […] Leia mais »

Estudantes de cinema apresentam seus filmes pela primeira vez

Like Estudantes de cinema apresentam seus filmes pela primeira vez on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Estudantes de cinema apresentam seus filmes pela primeira vezProduções independentes da Escola Livre de Cinema Social Cine Brazza serão projetadas neste sábado Um caso de racismo e o cotidiano de uma vendedora ambulante de balinhas na rodoviária do Plano Piloto. Essas são as histórias contadas nos filmes “À flor da pele” e “Tayse”, respectivamente, produzidos pelos alunos da Escola Livre de Cinema Social […] Leia mais »

Fraternidade é suspensa por foto com boneca inflável de ‘Beyoncé’

Like Fraternidade é suspensa por foto com boneca inflável de ‘Beyoncé’ on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Fraternidade é suspensa por foto com boneca inflável de ‘Beyoncé’Enviado por Fernando Moreira A fraternidade Phi Delta Theta da Universidade da Pensilvânia (EUA) foi suspensa durante investigação sobre um cartão natalino postado no seu Facebook. Na imagem, alunos brancos aparecem com uma boneca inflável negra representando a cantora Beyoncé. A direção nacional da Phi Delta Theta publicou uma nota pedindo desculpa. A fraternidade é […] Leia mais »

Abigail Moura e sua Orquestra Afro-Brasileira

Like Abigail Moura e sua Orquestra Afro-Brasileira on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Abigail Moura e sua Orquestra Afro-BrasileiraPor Jota A. Botelho Orquestra Afro-Brasileira do Maestro Abigail Moura (Arquivo Carlos Negreiros-RJ) A ORQUESTRA AFRO-BRASILEIRA Fundada pelo maestro Abigail Moura (1904-1970) em 1942, o grupo musical lançou apenas dois discos, sendo que o de 1968 foi considerado um clássico da música popular brasileira. O som mesclava, entre outros ritmos, o opanijé e alujá (especiais para Omolú […] Leia mais »
Copyright © 2014 Geledés Instituto da Mulher Negra
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no Portal Geledés.

Geledés Instituto da Mulher Negra
Rua Santa Isabel 137 - 4º andar
São PauloSP 01221-010
Brazil

Add us to your address book


sair desta lista    atualizar preferências