Anuncie em Nossa Revista de Classificados

Anuncie em  Nossa Revista de Classificados
Para Porto Alegre RS

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Inter de Lages

A transição está completa
Bin entrega a camisa 5 a Brenno e faz a passagem de bastão entre gerações 
A transição de gerações está completa. Nesta quarta-feira, Martinho Bin, eterno camisa 5 do Colorado Lageano, entregou a camisa 5 a Brenno, atual titular da posição que durante 18 anos foi ocupada por Bin. Com isso, a ponte entre a velha e a nova geração está finalmente concluída.
A passagem de bastão é simbólica, o que não diminui sua importância no processo de reorganização do Internacional de Lages. Bin, o jogador que mais defendeu o clube na história, pendurou as chuteiras em 1994. No ano seguinte, o Inter fez péssima campanha no estadual e ficou quatro anos inativo.
A inatividade do clube, somada aos problemas administrativos e aos anos de acúmulo de dívidas, fizeram o Internacional perder apoio e descer até a terceira divisão do estadual, onde está hoje. Isso impediu que uma geração inteira de lageanos e serranos crescesse tendo o Inter como sua principal referência esportiva.
Em 2013, aos 56 anos de idade (ele completou 57 em setembro, no meio do campeonato), Bin voltou jogar profissionalmente para ser homenageado pelo clube. Mas, para além da homenagem, o retorno do ídolo ocorreu para que se fizesse a passagem de bastão que deveria ter sido feita quase duas décadas atrás.
O Inter está se reconstruindo. Bin e Brenno são testemunhas - e protagonistas - desse processo.

Inter x Flamengo: duelo de gigantes
Times master do Colorado Lageano e do rubro negro carioca se enfrentam no sábado
Os times master do Internacional e do Flamengo se enfrentam em Lages neste sábado, a partir das 16h. Será mais uma festa para celebrar o ano de início de reorganização administrativa e esportiva do Colorado Lageano.
Pelo Inter, ídolos dos anos 60, 70, 80 e 90 estarão em campo. Zezé, Anacleto, Bin, Roberto Sá, Muralha, Madruga, Dutra, Hélio Babão, Luizinho e vários outros enfrentarão o time do Flamengo que terá, entre outros, Andrade, Adílio e Júnior Baiano. Nos jogos preliminares, patrocinadores, imprensa e a equipe do programa Copa & Cozinha, da Band FM, estarão entre as atrações.
Os ingressos para a festa custam R$ 20 e já estão à venda nas lojas Laura Violandi. Uma ótima oportunidade para rever ídolos colorados e rubro negros. O duelo de master entre Inter e Flamengo é uma realização da Eficácia Produções e tem o apoio do Esporte Clube Internacional.

Aviso de pauta
O treino que parte do elenco do Inter fará na quadra de gramado sintético do Colégio Santa Rosa passou das 15h30min para as 16h. No período da manhã, parte do elenco já participou da atividade no colégio - e a festa foi grande. Logo mais as imagens estarão na fan page do Inter no Facebook: facebook.com/interdelages

NOS ANEXOS:
- Bin entrega a camisa 5 a Brenno
- O cartaz de divulgação do duelo de masters Inter x Flamengo

-- 
Inter de Lages
Imprensa

www.interdelages.com.br


Inter de Lages SC

#TeVejoNoTioVida
Inter movimenta a cidade para o primeiro jogo da decisão do returno; previsão é de tempo bom
Lages respira os ares de mais uma decisão. Logo mais, às 20h30min desta quarta-feira, o Internacional enfrenta o Blumenau no primeiro jogo das finais do returno da divisão de acesso (a terceira divisão) do Campeonato Catarinense. O time treinou no estádio Vidal Ramos Júnior, o Tio Vida, na tarde desta terça e depois seguiu para uma concentração localizada fora da área urbana da cidade.
O segundo jogo decisivo será em Blumenau, às 17h. Com a melhor campanha do returno, o BEC chega às finais com os dois principais goleadores do campeonato (Negreiros e Matheus, com 13 gols cada um). O Inter, por sua vez, decide o título do returno já como pré-classificado para a decisão geral do campeonato por ter sido o campeão do turno.
Se o Inter for campeão também do returno, será declarado campeão da divisão de acesso, assegurando a vaga na segundona em 2014. O BEC precisa vencer o returno para levar a decisão para a final geral, prevista para os dias 24 e 30 de novembro.
Caso o Inter vença o primeiro jogo e o BEC vença o segundo, por exemplo, a segunda partida vai para a prorrogação. Nela, a vantagem do empate será do BEC, que terminou a fase de classificação do returno na ponta da tabela. O saldo de gols nos dois jogos finais não será considerado como critério de desempate.
Os ingressos para Inter x BEC começam a ser vendidos às 9h desta quarta-feira nas lojas Honolulu e Laura Violandi e no Posto Ipiranga Centenário, na avenida Presidente Vargas. Nas bilheterias do estádio Vidal Ramos Júnior, as vendas começam às 15h30min. O preço cheio da entrada é de R$ 20. Mulheres, aposentados, cadeirantes e estudantes com carteirinha válida podem pagar meia-entrada (R$ 10). Crianças de até 12 anos não pagam ingresso.
Não há previsão de chuva para esta quarta-feira em Lages. Como a partida não terá a concorrência de nenhum jogo decisivo das competições nacionais na TV, a expectativa é de que o número de pagantes supere os 3.479 mil torcedores da decisão do turno, contra o Jaraguá, realizada sob sensação térmica de 1 grau negativo.

Buzinaço e mobilização
Clube fará carreata na tarde desta quarta, às 15h; estádio poderá ter espaço extra para a torcida
A direção colorada organizou uma carreata para reforçar a convocação para o jogo de logo mais, contra o Blumenau. A concentração dos automóveis será no estacionamento do estádio Vidal Ramos Júnior, de onde a comitiva partirá pontualmente às 15h.
A iniciativa tem a supervisão da diretoria de trânsito (Diretran) da Secretaria de Segurança do município, para a qual foi encaminhada a solicitação antes de a convocação ser divulgada nos meios de comunicação e nas redes sociais. O trajeto incluirá algumas das principais avenidas da cidade (Luís de Camões, D. Pedro II, Carahá e Presidente Vargas) e também parte do Centro da cidade. O Leão Baio, mascote do clube, comandará a iniciativa desfilando em carro aberto.
Os esforços de mobilização para a partida já contaram, a partir desta terça, com um carro de som que percorreu a cidade durante boa parte do dia. Nele, o hino do clube e a narração de um gol colorado foram somados às gravações feitas pelos craques Brasão e Renan, dois dos destaques da equipe em 2013.
Em paralelo, no estádio, operários trabalhavam nesta terça-feira para cercar a área mais comprometida do antigo pavilhão das rádios, que tem arquibancadas de metal. A ideia é que, com o isolamento dessa parte do pavilhão, as arquibancadas inferiores dessa parte do estádio possam ser liberadas ao público.

NOS ANEXOS:
- A torcida colorada marcando presença no Vidal Ramos Júnior, o "Tio Vida" (Foto: José Spindola Júnior)
- O meia Thomaz conduz a bola no treino desta terça-feira
- O mascote Leão Baio em uma de suas entradas de gala no estádio municipal
- Operários isolam a parte danificada do antigo pavilhão do Vidal Ramos Júnior

-- 
Inter de Lages
Imprensa

www.interdelages.com.br


Bom Jesus RS


 Marjorie Bortolotto

 Marjorie Bortolotto







Praça Rio Branco

Boa tarde!
segue fotos e matérias do município de Bom Jesus para a divulgação dentro do possível.

Att;
Fabiana Soares (8857)
Assessora de Imprensa da Prefeitura Municipal de Bom Jesus.

Paulo Furtado: Nos Teus Braços

Paulo Furtado: Nos Teus Braços: Que coisa engraçada quando ti abraço E ti beijo parece que somos imortais Nos teus braços me sinto acolhido Sinto a energia que vem dentr...

Inter de Lages SC

Em busca de mais uma decisão
De olho na final do returno, Inter se prepara para último jogo em casa pela fase de classificação
O Internacional fará em casa, no domingo, contra o Barra, seu último jogo em Lages pela fase de classificação da divisão de acesso (a terceira divisão) do Campeonato Catarinense. A partida será contra o Barra, de Balneário Camboriú, às 15h30min.
Os trabalhos do elenco foram retomados na tarde desta segunda-feira no Vidal Ramos Júnior sob o comando do preparador físico Izazé Cugnier Filho. O preparador fez um trabalho de regeneração dos atletas depois da folga imprevista dada aos jogadores no fim de semana - o jogo contra o Pinheiros, que ocorreria no domingo, foi cancelado.
Para a partida contra o Barra, depois de seguidos desfalques causados por lesões, o técnico Nasareno Silva deverá ter quase todo o elenco à disposição. O meia Tio Nanas ainda sente um desconforto no tornozelo direito, mas a contusão não é grave e ele também poderá ser relacionado, caso o treinador faça essa opção.
Pela fase de classificação do returno, o Inter ainda tem um jogo, fora de casa, na próxima semana. A partida será contra o Oeste, mas a permanência da equipe no campeonato segue uma incógnita depois que ela, assim como ocorreu com o Pinheiros, foi suspensa pela Federação Catarinense de Futebol por ter atrasado o pagamento de dívidas. O Oeste pagou alguns de seus débitos na última sexta-feira, mas não a tempo de poder realizar o jogo contra o Maga. Com isso, o Maga foi declarado vencedor do jogo por WO.
No momento, o Internacional é o vice-líder do returno da divisão de acesso, com 13 pontos em seis jogos. O clube pode ser alcançado pelo Jaraguá, que tem dez pontos e um jogo a menos - a equipe do norte do estado enfrenta o NEC na noite desta terça. O Inter tem vantagem no saldo de gols - o saldo colorado é de 23 gols e o do Jaraguá, de 10. O Blumenau lidera o returno, com 14 pontos.
NOS ANEXOS:
- Da esquerda para a direita: Jaiminho, Vitor Hugo e Thomaz batem bola no treino colorado
- Da esquerda para a direita: Dedo, Jaiminho e Vitor Hugo batem bola no treino do Inter

-- 
Inter de Lages
Imprensa

www.interdelages.com.br

Acesse o nosso site Jornal Negritude

Acesse
www.jornalnegritude.com.br

FS Temático 2014

FS Temático2014
Crise Capitalista, Democracia, Justiça Social e Ambiental
21 a 25 de janeiro de 2014 - Porto Alegre/RS/Brasil
UM OUTRO MUNDO POSSÍVEL!

MANIFESTO DE CONVOCAÇÃO
O FSM é um espaço aberto de encontro para o aprofundamento da reflexão, o debate democrático de idéias, a formulação de propostas, a troca livre de experiências e a articulação para ações eficazes, de entidades e movimentos da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo, e estão empenhadas na construção de uma sociedade planetária orientada a uma relação fecunda entre os seres humanos e destes com a Terra. É um processo de caráter mundial. Todos os encontros que se realizem como parte desse processo têm dimensão internacional.
Reúne e articula somente entidades e movimentos da sociedade civil de todos os países do mundo, mas não pretende ser uma instância representativa da sociedade civil mundial. É um processo que estimula as entidades e movimentos que dele participam a situar suas ações, do nível local ao nacional e buscando uma participação ativa nas instâncias internacionais, como questões de cidadania planetária, introduzindo na agenda global as práticas transformadoras que estejam experimentando na construção de um mundo novo solidário.
Ainda temos muitos motivos para lutar. A crise internacional do sistema capitalista chega ao seu auge com a desestruturação das economias dos países europeus e da retirada constante de direitos sociais de seus trabalhadores e trabalhadoras. Como parte deste processo de crise mundial há uma profunda crítica a capacidade de representação dos anseios políticos por parte dos partidos, inclusive dos partidos de esquerda. Este dois fatores colocam a sociedade civil internacional em alerta para possíveis retrocessos da agenda democrática mundial. A crise política e social não se arrefeceu desde 2012.
Na América Latina, apesar dos esforços de vários governos nacionais a estrutura econômica e social que provocam as profundas desigualdades permanecem intactas. Os governos norte-americanos, independente do viés democrata ou republicano, mantém a política de dominação e subordinação econômica e militar sobre o continente. Utilizam uma pretensa luta contra o tráfico de drogas para ocupar militarmente e com poderio bélico todos os países, em especial, da América Central. Mantém o bloqueio econômico a Cuba e campanhas de desmoralização política contra os governos da Venezuela, Bolívia, Argentina e Equador pelo simples fato destes países não se aliarem a sua agenda hegemonista. É preciso manter a sociedade latino-americana alerta e mobilizada contra eventuais golpes a democracia neste países como ocorreu em Honduras e Paraguai.
Da mesma forma a crise ambiental continua na ordem do dia. As falsas promessas de uma chamada “economia verde” ilude os governos nacionais e parte dos movimentos ambientalistas em torno de medidas que visam carrear recursos públicos para os setores privados sendo mais uma forma de acumulação capitalista, só que esta, feita em nome da proteção ambiental. Todos estes motivos nos levam a continuar na luta contra a crise capitalista e pela justiça social e ambiental.
A crise capitalista e o quadro de injustiça social e ambiental continuam na agenda do dia. Desde o seu surgimento, o FSM sempre foi um espaço da convergência de todas as organizações e movimentos sociais que acreditam ser possível e necessário um outro mundo. Neste momento da história o FSM continua sendo urgente e necessário. Precisa, no entanto, avançar nas definiçoes e açoes consensuais entre todas as organizaçoes e movimentos sociais. Ir além da reflexão e realizar mobilizações contra os abusos das transnacionais e da lógica excludente do sistema financeiro. A crise européia deve ser uma prioridade, bem como, a crítica a imposição militar como lógica nas relações políticas entre os países. Mais do que isso, o FSM deve ir além da crítica ao modelo capitalista. Deve criar condiçoes do debate sobre novas formas de construção e exercício do poder popular.
O Rio Grande do Sul através de seus movimentos sociais tem sido palco destes debates e mobilizaçoes. Por isso, convocamos aos militantes sociais do mundo para participarem de mais esta edição do Fórum Social Temático, Crise Capitalista, Democracia, Justiça Social e Ambiental a ser realizada nos dias 21 a 25 de janeiro de 2014, em Porto Alegre.
CONCLAMAMOS A TODAS AS REDES, ORGANIZAÇOES E MOVIMENTOS SOCIAIS DO BRASIL, AMÉRICA LATINA E DOS DEMAIS CONTINENTES QUE PARTICIPEM DO PROCESSO DE MOBILIZAÇAO E ORGANIZAÇÃO DE MAIS ESTE MOMENTO DE LUTA POR UM OUTRO MUNDO POSSÍVEL.


 Comitê de Organização Local


TERRITÓRIO SOCIAL TEMÁTICO
 Assembleia Legislativa do RGS; Câmara de Vereadores de Porto Alegre; Casa de Cultura Mário Quintana; Largo Zumbi dos Palmares; Memorial do Rio Grande do Sul; Parque Harmonia; Usina do Gasômetro; Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e outros.

PROPOSTA DE PROGRAMAÇÃO
21/Tarde – Abertura do Fórum Mundial de Educação – Canoas
22/Manhã – Rodas de Convergência e Articulação – Porto Alegre
                  TEMA: Crise Capitalista
                  - Mesas do Fórum Mundial de Educação – Canoas       
22/Tarde – Atividades Autogestionárias – Porto Alegre/RS
                  - Mesas do Fórum Mundial de Educação – Canoas
23/Manhã – Rodas de Convergência e Articulação – Porto Alegre
                        TEMA: Democracia Real
                        - Encerramento do Fórum Mundial de Educação - Canoas
23/Tarde – Marcha de Abertura – Porto Alegre/RS
24/manhã – Rodas de Convergências e Articulação – Porto Alegre/RS
                        TEMA: Justiça Social e Ambiental
24/Tarde – Atividades Autogestionárias – Porto Alegre/RS e Mundo do Trabalho
25/Manhã – Assembléia dos Movimentos Sociais
25/Tarde – Assembléia das Assembléias

IMPORTANTE: As atividades politico-culturais ocorrerão simultaneamente nos espaços e momentos dos debates e atividades política

Deputado Federal Alceu Moreira


 
 Limitação para o valor de multas tributárias 
Tributação
Limitação para o valor de multas tributárias
 
Um projeto apresentado nos últimos dias pelo deputado Alceu Moreira limita o valor das multas tributárias em 50% do valor original devido. Hoje as multas podem chegar a valores considerados muito altos, de até 200%, da dívida. O projeto prevê ainda a vedação para aplicação de multas pela simples negativa ou indeferimento de Pedido ou Requerimento Administrativo que trate sobre matéria fiscal ou tributária, o que garante a liberdade plena para o exercício do Direito de Petição.
 
 
 Audiência sobre a cadeia produtiva da cebola será na terça 
Agricultura
Audiência sobre a cadeia produtiva da cebola será na terça
 
Será na próxima terça-feira, dia 19, às 14h30, a audiência pública proposta pelo deputado Alceu Moreira para debater a cadeia produtiva da cebola. O encontro deve ocorrer no plenário 6, do anexo II da Câmara. O deputado vem trabalhando em parceria com produtores gaúchos e órgãos como a Embrapa e ministérios, no estudo de melhorias genéticas para o produto, o que envolve desde a produção e armazenagem, até novas linhas de crédito.
 
 
 Exigência de análise de produtos agropecuários importados 
Agricultura
Exigência de análise de produtos agropecuários importados
 
Está pronto para ser votado de forma terminativa na Comissão de Constituição e Justiça o projeto que obriga a análise técnica de produtos agropecuários importados para o consumo no Brasil. O texto foi entregue pelo deputado Alceu Moreira, responsável pela relatoria. "Muitos produtos são contaminados em seus países de origem na estocagem longa ou durante o transporte, o que pode ocorrer facilmente nas commodities", justificou o relator. O autor do projeto é o deputado Luiz Carlos Heinze.
 
 
 Comitiva conhece produção na Nova Zelândia 
Subleite
Comitiva conhece produção na Nova Zelândia
 
O deputado Alceu Moreira integra nesta semana uma comitiva que viaja para a Nova Zelândia no intuito de conhecer o sistema de produção leiteira no país. Alceu Moreira, que preside a Subcomissão do Leite e redigiu a política nacional do setor, frisou que "o país da Oceania é o maior exportador de leite do mundo, sendo referência em genética, tecnologia e planejamento de produção a custo baixo e alta produtividade". Integram ainda a comitiva os deputados Celso Maldaner, Giacobo, Bernardo Vasconsellos, Onyx Lorenzoni, Domingos Sávio e Davi Alves, e o secretário-adjunto de Agricultura de SC, Airton Spies.
 
 
 Aproveitamento do bônus de adimplência fiscal 
Economia
Aproveitamento do bônus de adimplência fiscal
 
Um projeto apresentado no último mês pelo deputado Alceu Moreira prevê a regulamentação para o aproveitamento do bônus de adimplência fiscal pelos contribuintes, tendo em vista os diversos empecilhos que são impostos pelo Fisco atualmente. O texto prevê que o contribuinte que estiver em dia com seus tributos na data do aproveitamento da adimplência fiscal fará jus ao bônus, mesmo que, eventualmente, tenha pago algum DARF em atraso nos últimos cinco anos, desde que com todos os encargos aplicáveis.
 
 
 Globo Rural: Fazenda deve apresentar propostas sobre crédito de lácteos 
Imprensa
Globo Rural: Fazenda deve apresentar propostas sobre crédito de lácteos
 
O Ministério da Fazenda se comprometeu a apresentar no dia 20/11 uma proposta sobre a readequação do acúmulo de créditos futuros de PIS/Cofins do setor lácteo. Segundo o deputado Alceu Moreira, presidente da subcomissão do Leite da Câmara dos Deputados, as empresas devem entregar no dia 20 ao governo os relatórios com os valores retidos ou que não foram contabilizados, para dar prosseguimento às conversações.
 

 
www.alceumoreira.com.br

Deputado Santini


21/11/2013

Governo atende solicitação liderada por Santini e apresenta orçamento de R$ 250 milhões para a Saúde

A ampliação do orçamento da Saúde para 2014, de R$ 90 milhões para R$ 250 milhões,  aprovado na Comissão de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle, nesta quinta-feira (21), no Plenarinho da Assembleia Legislativa, foi uma conquista histórica para os hospitais filantrópicos gaúchos. A aprovação da proposta consolidou a importância e a representatividade da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas na Área da Saúde do RS para o segmento.
Na condição de vice-líder do governo e presidente da Frente, o deputado estadual Ronaldo Santini (PTB) foi o principal interlocutor das discussões entre governo do Estado e Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do RS. A proposta inicial do Piratini previa R$ 90 milhões para o próximo ano, recurso que foi ampliado em R$ 100 milhões, devido a um apelo dos deputados da Frente Parlamentar, e da Federação das Santas Casas, presidida pelo Dr. Júlio Dornelles de Matos.
Porém, a necessidade de amenizar a dramática situação financeira dos hospitais gaúchos, que possuem deficit superior a R$ 400 milhões, motivou uma nova rodada de debates com o secretário estadual de Saúde, Ciro Simoni, e com membros do Executivo. Na última quarta-feira, uma reunião na Casa Civil, com a presença dos secretários estaduais, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, e de Planejamento, João Mota,  além dos representantes hospitalares definiu o encaminhamento de mais R$ 60 milhões ao orçamento anual, totalizando os R$ 250 milhões objetivados.
O deputado destacou a sensibilidade e a compreensão do governador Tarso Genro, em destinar mais recursos para o custeio dos hospitais gaúchos. “O aumento do orçamento estadual representa um grande avanço para o segmento, graças à mobilização popular e ao entendimento da importância das casas filantrópicas de saúde que representam mais de 70% dos atendimentos do SUS no Estado”, comentou.
Ao receber espaço de pronunciamento na comissão, cedido pelo seu colega José Sperotto (PTB), Santini aproveitou para agradecer o apoio de todos os deputados integrantes da Frente Parlamentar, ao relator do orçamento Carlos Gomes (PRB) e ao presidente do órgão, Marlon Santos (PDT). Grande número de diretores hospitalares participaram da reunião.

Legenda: Deputado e dirigentes hospitalares comemoraram ampliação do orçamento
Créditos: Ederson da Rocha MTB 13365

--


Gabinete do Deputado Estadual Ronaldo Santini - PTB
Assessoria de Comunicação
Jornalista: Ederson da Rocha - MTB 13.365
51 3210 1903 - 51 9548 3591
Acompanhe e siga o deputado Ronaldo Santini (PTB/RS):

Estudantes Africanos


ADITAL JOVEM
23.08.2013
Estudantes africanos no Ceará: o desafio de integrar diferentes culturas
Tatiana Félix
Adital
João Domingos Tavares Semedo apenas chorava e queria voltar para sua casa em Cabo Verde, quando chegou ao Brasil vindo daquela pequena ilha na África e cruzar o Atlântico para estudar Bacharelado em Humanidades na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), sediada em Redenção, Ceará, no Nordeste brasileiro.
Um ano e dois meses depois, o cabo-verdiano recorda a tristeza que ele e outros estudantes estrangeiros sentiram ao chegar à cidade de 226 km² e pouco mais de 26 mil habitantes: "foi um choque porque a cidade era pequena e não estávamos preparados. A gente tinha informação do Rio de Janeiro, mas não de Redenção. Assim que chegamos aqui muitos estudantes começaram a adoecer por causa do clima [semiárido]. O atendimento no Hospital [público] Paulo Sarasate era péssimo e feito sem diagnóstico. A [falta de] condição de saúde deixou a gente muito triste”.
Foi por meio do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC_G) firmado entre o governo brasileiro e os governos dos países africanos com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais, que o jovem de 24 anos chegou à Unilab. Mas, ao se instalar em Redenção, o que João e outros universitários estrangeiros - a maioria africana - encontraram foi uma infraestrutura básica de saúde, moradia e lazer ‘muito precária’.
Segundo ele, as casas para alugar não têm boas estruturas, mas como a universidade ainda não oferece residência estudantil, os alunos precisam se juntar para pagar o aluguel que, em geral sai por R$ 600,00 – mesmo valor da bolsa para auxílio-moradia que eles recebem pelo PEC-G. Todos os alugueis da cidade foram inflacionados pelo valor da bolsa. João divide sua casa e as despesas com mais cinco estudantes de Cabo Verde.
A integração com seus colegas, as atividades extracurriculares, a beleza e a alegria das festas de São João, além do idioma e do clima parecido com o seu país foram fundamentais para ajudar na sua adaptação. Ele também destaca o acolhimento da população local com os estudantes africanos devido à história da cidade de Redenção, que foi a primeira a abolir a escravidão no país em janeiro de 1883, cinco anos antes da abolição oficial em 1888.
Hoje, namorando uma brasileira, e ainda faltando quatro anos para concluir sua graduação, João não pensa em voltar para Cabo Verde. Tudo o que ele quer é continuar estudando até chegar ao doutorado e trabalhar na área de antropologia "para pesquisar sobre os povos indígenas, quem sabe”. Ele ainda não decidiu o tema de estudo, mas sabe que quer continuar mergulhando na história dos povos do mundo.
"O sonho de estudar é um sonho meu”
Com a determinação de quem sabe o que quer, Domingos Nunes Indunque Dju, de 31 anos, aproveitou ‘com unhas e dentes’ a oportunidade para cursar uma graduação no Brasil, quando, em 2009, uma faculdade particular do Ceará apresentou ao seu país, Guiné-Bissau, uma oportunidade para alcançar a tão desejada qualificação profissional.
Embora a única "facilidade” conquistada ao passar no vestibular fosse a vaga para estudar em Fortaleza, o guineense decidiu deixar sua família e sua casa em Bissau, capital do país, e enfrentar o desafio que exigia arcar com todos os custos para viver e estudar em outro continente. Para ele, as dificuldades sempre existem, mas é preciso ser forte para encarar os obstáculos: "Quando cheguei aqui tive dificuldade, mas a pessoa tem que saber se sair para resolver o problema”.
O problema é que trabalhar é proibido. Domingos explicou que, segundo o termo de responsabilidade do convênio, o dinheiro para o custeio dos estudos deve ser enviado pelos familiares, já que o visto para permanecer no Brasil é "meramente de estudante”, o que não permite ao aluno trabalhar. Porém, disse ele, como sabemos, o nosso país está sempre em conflito político ou militar e já houve certos entraves para a família conseguir trabalho lá e lhe mandar "qualquer coisa” aqui.
Em virtude disso, o estudante guineense teve que se virar como pode e arranjar um emprego informal, mesmo sendo proibido, para poder arcar com as despesas mensais nos momentos de aperto. "Na verdade, já fiz muitos trabalhos informais levando em conta a minha situação financeira e não posso parar porque o sonho de estudar é um sonho meu. Eu quero estudar e não posso parar porque a minha família não está me mandando nada (...). Não é que a gente queira [trabalhar ilegalmente], mas o momento é propício para você fazer isso. Então, a gente se encarrega das despesas, tem que pagar a faculdade, o aluguel, tem que manter a alimentação, o transporte, tudo isso gera uma dificuldade ‘muito enorme’ (sic) pra gente”.
Segundo ele, essa é a maior dificuldade que os estudantes de países africanos enfrentam para estudarem nas faculdades particulares do Ceará. "Todos os meus conterrâneos passaram por isso e para se manter tiveram que fazer um trabalho informal até que consigamum estágio, que é o mais formal”, completou. Como não são vinculados ao PEC-G, que seleciona estudantes estrangeiros para estudar em universidades públicas, os alunos que vêm para as instituições privadas não podem contar com o auxílio de uma bolsa do governo.
União entre compatriotas
Nas horas de lazer, Domingos e seus amigos gostam de se juntar com outras comunidades guineenses para jogar futebol ou para fazer a noite africana. "A gente procura estar juntos para matar aquela saudade um pouquinho", diz.E também é pensando em ajudar seus irmãos guineenses que Domingos preside a Associação de Estudantes de Guiné-Bissau no Estado do Ceará, desde 26 de agosto de 2012.
Segundo ele, a entidade presta apoio nos momentos difíceis dos estudantes em casos de problemas relacionados com a faculdade ou dívidas no pagamento das mensalidades dos cursos superiores que, em média, giram em torno de R$ 400,00. "A Associação está se preocupando com as dívidas dos estudantes, essa dívida é meramente com o estudo (...), não das outras dívidas pessoais. A prioridade da associação é da pessoa não ter dívida da faculdade e têm muitos estudantes com dificuldade para pagar”, enfatiza.
Mas, para dar esse apoio, a instituição sem fins-lucrativos também precisa de ajuda financeira e faz um apelo para empresas ou pessoas interessadas em contribuir: "Gostaríamos de ter esse apoio de instituições ou pessoa para que possamos tirar nossos compatriotas da dívida com a faculdade. Estamos angustiados para que isso aconteça. Estamos apelando para quem quer seja que possa nos ajudar, estamos de braços abertos e dispostos a fazer um monitoramento de toda essa situação (...) para que possamos sair da inadimplência”.
Por enquanto, a Associação de Estudantes de Guiné-Bissau pode contar com o apoio institucional da Prefeitura de Fortaleza, através da Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (COPPIR). Segundo Cristiano Pereira, coordenador especial da COPPIR, o órgão tem acompanhado os estudantes guineenses que têm procurado apoio para realização de debates e eventos. "A Prefeitura está aberta para apoiá-los no momento em que eles quiserem”, afirmou.
O mesmo senso de união foi o que motivou a criação do Movimento Pastoral Africano no Ceará, presidido pelo estudante Alberto Imbunde, também de Guiné-Bissau. Segundo ele, a ideia inicial deste movimento foi dar continuidade ao caminho cristão, mas com os problemas que foram surgindo decidiram fortificar o grupo que "hoje é referência no Ceará devido a grandes conquistas e participação nos encontros nacionais dos estudantes”.
Trocas de experiências
Falando o mesmo idioma e respeitando a cultura local, já que "imperativamente” teria que conviver com o povo cearense, Domingos e afirma que não tem problemas com a vizinhança, apesar de não sentir necessidade de interação. "Eu vejo o cearense assim, como uma pessoa tranquila na sua casa, se você não fala com a pessoa, a pessoa não fala contigo. E nós também não sentimos aquela vontade de intervir na vida da pessoa, de falar muito com a pessoa. Então, fica cada qual no seu canto".
Já Alberto Imbunde, que está há quatro anos no Ceará, conta que apesar de falarem oficialmente o mesmo idioma, o sotaque e a diferença no significado de palavras iguais renderam momentos divertidos: "Aqui encontramos tudo ao contrário, por exemplo, fila em Guiné-Bissau é bicha, blusa é camisola”.
Segundo relato dos estudantes, tanto em Cabo Verde quanto em Guiné-Bissautambém se fala o dialeto criolo, uma espécie de "português mal falado”, como definiu o guineense Domingos. Ainda em comum, os três universitários disseram que sentem falta de um atendimento médico especializado em saúde do africano, quando buscam assistência nos postos de saúde ou hospitais públicos, "porque é diferente a saúde do africano e a do brasileiro. Alguns remédios que precisamos tomar não fazem efeito. Não sei se é questão tropical, alguma coisa deste tipo. Por isso, sugerimos um médico especializado para conosco”, explica Domingos.
Estudantes africanos no Ceará
Apenas na Unilab, com sede na cidade de Redenção, no Ceará, existem atualmente 299 estudantes africanos/as, oriundos, principalmente, de Guiné-Bissau, Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. A Unilab foi criada em julho de 2010 para contribuir com a integração entre o Brasil e demais países de Língua Portuguesa, em especial, os africanos. Já na Universidade Federal do Ceará (UFC) são pouco mais de 100 alunos, metade deles de Cabo Verde, matriculados nos mais diferentes cursos.
Todos esses alunos/as são beneficiários do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC_G)que possibilita a estudantes estrangeiros com idade entre 18 e 23 anos e ensino médio completo, cursar gratuitamente a graduação no país.O custeio das despesas para viver no Brasil é de responsabilidade do aluno, mas o Itamaraty, por meio do Ministério das Relações Exteriores, oferece oportunidade de bolsas no valor de R$ 622,00 em casos específicos.