Anuncie em Nossa Revista de Classificados

Anuncie em  Nossa Revista de Classificados
Para Porto Alegre RS

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Arquivo Paulo Furtado


Arquivo Paulo Furtado


Arquivo Paulo Furtado


Editorial de Opinião

- Estava há pouco numa lanhouse o qual não vou citar nome, estava acessando a Internet e não percebi que o Delegado de Polícia Civil de Vacaria estava com seus agentes revistando um rapaz com notboock, o rapaz portava as notas do aparelho, achei meio estranho, mas hoje em dia em nossa cidade não se pode confiar em ninguém, ficou a dúvida entre os funcionários do estabelecimento se havia uma denuncia anônima. Nós aqui do Jornal Negritude vamos dar a dica as pessoas sempre portarem documentos dos seus aparelhos quando estiverem se deslocando para algum lugar.
Paulo Furtado
Editor
Leia a memória do Jornal Negritude no http://jornalnegritude.blog.terra.com.br

Certidão Eleitoral

Poa, 13/10/09

Muito interessante isso.

Beijos.

Deise Nunes.

Olha só este serviço do TSE.
Você ainda guarda aquelas tirinhas de papel, ridículas, para comprovar que votou nas últimas eleições?
Afinal de contas sem essa comprovação não dá para tirar Passaporte, CTPS, etc. não é mesmo?
Pode mandar suas tirinhas para reciclagem...
Basta apresentar a Certidão de Quitação Eleitoral, que não custa um centavo sequer e você mesmo imprime em sua casa.
Acessar o site abaixo e preencher com os dados que você encontra no seu Título de Eleitor:

http://www.tse.gov.br/internet/servicos_eleitor/quitacao_blank.htm


Gostou? Então, repasse esta dica...

Taxas

O novo cadastro da frota nacional de caminhões, para atender à lei da regulamentação do Transporte Rodoviário de Cargas, gera polêmica entre os transportadores autônomos e empresas, por falta de informações mais detalhadas.



- ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestre - garante que o cadastro é gratuito, remetendo ao transportador a responsabilidade dos documentos complementares e aquisição do adesivo.

- A empresa (a mesma do vale-pedágio) que desenvolveu o programa de cadastro, a DBTRANS firmou convênio com a CNT, Sindicatos e Federações.

- Os valores cobrados para o cadastro podem ser diferenciados entre estados e regiões.

- Prepondera a taxa de 75 reais por caminhão, mas pode chegar até 250 reais.



O deputado Francisco Appio – coordenador do SOS Caminhoneiro – diante do crescente aumento de queixas quanto aos valores, realizou duas audiências na Comissão de Direitos Humanos, onde mantém a Subcomissão dos Caminhoneiros, juntamente com os deputados Alexandre Postal , Marquinho Lang e Marisa Formolo . Nos últimos dias, deputados visitaram associações de motoristas para ouvir as reclamações da categoria.



Enquanto Francisco Appio visitou as Associações de Flores da Cunha, Garibaldi, Antônio Prado, Lagoa Vermelha, São José do Ouro, São João da Urtiga e Lagoa Vermelha, Francisco Dias, do SOS Caminhoneiro, reuniu-se com motoristas em Caxias do Sul – no encontro de caminhoneiros associados a um clube de PX, no sábado à noite em Forqueta.



Em Lagoa Vermelha, foram realizadas reuniões sábado e domingo, por ocasião da Festa dos Motoristas, tradicional evento daquela cidade, que reuniu centenas de transportadores.



Destes encontros foi possível concluir que a maioria não cadastrou, não sabe como fazê-lo e está confusa com o desencontro de informações sobre o valores. Muitos acreditam que trata-se da renovação do antigo cadastro e outros temem que se repita o “fiasco” do kit emergência, que exigiu despesas na compra, mas foi anulado e ninguém recebeu o dinheiro de volta. Alguns conseguiram cadastrar gratuitamente seus veículos, pagando apenas o valor do adesivo. Outros, preocupados com o prazo, tiveram que pagar até 250 reais para cadastrar um caminhão. E outros cadastraram fora do Estado, de onde recebem ofertas de taxas menores.



Em Ibiraiaras, a diretoria da COTRAIBI – Cooperativa dos Transportadores Autônomos – com mais de 1.300 associados, garantiu ao deputado Francisco Appio que a entidade, com o apoio da OCERGS promoverá o cadastro gratuito dos associados.



Em São José do Ouro, idêntico procedimento está sendo adotado pela cooperativa COOTRAOURO, que cadastra gratuitamente os transportadores associados da ASMOURO.



Em Garibaldi, uma das mais organizadas associações de motoristas do Estado, conseguiu convênio com a FECAM – que tem sede em Caxias do Sul – para a redução dos custos. Garante o cadastro por 30 reais, segundo seu presidente Artur Sartori.



Na Assembleia Legislativa, a Subcomissão dos Caminhoneiros que continua recebendo queixas de todo o Estado, transferirá sua reunião ordinária de quarta-feira (14/10), para sábado (17/10), às 10 horas, na cidade de São Marcos.



São Marcos, palco da maior festa de motoristas do sul do país, receberá dirigentes de associações de motoristas de 11 municípios. Debaterão com a Subcomissão, dirigentes de federações, sindicatos, ANTT e FECAM, procedimento rápido e menos oneroso.



Em Sananduva, na sexta-feira (16/10), o debate sobre as dificuldades do cadastro de caminhões será as 20 horas na Câmara de Vereadores. O presidente da Associação de Motoristas de Sananduva, Odair Cirino Rodrigues, incluiu mais dois temas na pauta da reunião: Furto e Roubo de Cargas e a crítica situação das rodovias da região. Dirigentes de 7 associações foram convidados.



Em Vacaria, transportadores que procuram a Associação dos Motoristas são orientados pelo presidente Gerson Campagnaro a procurarem o Sindicam. O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros, Valderez Silveira de Oliveira, firmou convênio com a FECAM.



As empresas são orientadas pelo Sindicato das Empresas de Caxias do Sul. Vacaria não tem Sindicato das Empresas e, por causa disso, não consegue instalar os serviços do CAPIT, uma das unidades prestadoras de serviços do Sest/Senat, na ponta do transporte autônomo.



Em Caxias do Sul, a FECAM entrou em campo diante da falta de informações pela ANTT, que deveria ter promovido campanha de esclarecimentos, antes de abrir o cadastro. Éder Dal’Lago garante que haverá tempo e que o prazo de 16/12 não será prorrogado.



A FECAM com apoio da Fetransul, aparelhou vários municípios para o efetivo e rápido cadastro da frota gaúcha. Para o dirigente da Federação dos Caminhoneiros, o novo cadastro é necessário para organizar a frota nacional, em decorrência da regulamentação do Transporte Rodoviário de Cargas.



Em Porto Alegre, o SETCERGS – Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas – instruiu as empresas a promoverem o cadastro através das entidades, disponibilizando recursos humanos e materiais.





Deputado Estadual Francisco Appio - www.appio.com.br

Conflito Luanda

14-10-2009 10:23:40
Conflito Luanda-Kinshasa pode originar catástrofe, diz ONU

Kinshasa, 14 out (Lusa) - A concentração de dezenas de milhares de congoleses e angolanos na fronteira de Luvo-Lufu, expulsos por Angola e República Democrática do Congo (RD Congo, ex-Zaire), pode originar numa "catástrofe humanitária" na região, alerta o Gabinete dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas.
O relatório de situação do Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), elaborado após o envio para de uma missão que integra diversas agências das Nações Unidas para a região, sustenta que a possibilidade de a situação se tornar "catastrófica" vai depender da continuação ou suspensão das expulsões.
Na segunda-feira à noite, as autoridades dos dois países concordaram em cancelar as deportações e prosseguir o diálogo para achar uma solução para o conflito.
Os congoleses expulsos estão concentrados em províncias de fronteira como Baixo Congo, Bandundu e Kasai-Ocidental.
As agências humanitárias mostram-se particularmente preocupadas com a situação no Baixo Congo, onde já se encontram entre 15 mil e 20 mil repatriados, que ali chegaram na maioria ao longo dos últimos dois meses.
Kinshasa iniciou na semana passada a expulsão de angolanos, cujo número já teria chegado aos 30 mil.
Na província do Zaire foram contabilizados cerca de 24 mil e no Uíge cerca de 4,5 mil pessoas.
Citado pela agência de informação das Nações Unidas (IRIN), o relatório destaca que "grande número de expulsos está concentrado" próximo do posto fronteiriço Luvo/Lufu, na província angolana do Zaite, no norte do país.
A principal preocupação identificada é o transporte e estão sendo acompanhadas as necessidades de água, saneamento, medicamentos e alimentação da população ali concentrada.
O documento indica também que a última onda de repatriamentos forçados começou em janeiro e "atingiu o clímax entre o final de agosto e o presente".
"Desde o início desta vaga [onda], cerca de 18,8 mil cidadãos congoleses foram supostamente expulsos de Angola", adianta.
O documento afirma ainda que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados recolheu relatos de maus-tratos, detenções e roubos a emigrantes congoleses em situação irregular, expulsos da província angolana da Lunda Norte a partir de maio deste ano.
De acordo com a OCHA, cerca de 140 mil congoleses foram repatriados por Angola desde 2003.
Kinshasa invocou a reciprocidade de tratamento para iniciar a expulsão de angolanos, muitos deles vivendo no país desde a guerra civil angolana.

http://www.agencial usa.com.br/ index.php? iden=27518
************ ********* ********* ********* ****

Isso não vai acabar bem! Angola que estava esboçando um certo desenvolvimento, nãopode voltar a se meter num conflito seja interno ou com seus vizinhos!


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .

__._,_.___

ONU

14-10-2009 10:23:40
Conflito Luanda-Kinshasa pode originar catástrofe, diz ONU

Kinshasa, 14 out (Lusa) - A concentração de dezenas de milhares de congoleses e angolanos na fronteira de Luvo-Lufu, expulsos por Angola e República Democrática do Congo (RD Congo, ex-Zaire), pode originar numa "catástrofe humanitária" na região, alerta o Gabinete dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas.
O relatório de situação do Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), elaborado após o envio para de uma missão que integra diversas agências das Nações Unidas para a região, sustenta que a possibilidade de a situação se tornar "catastrófica" vai depender da continuação ou suspensão das expulsões.
Na segunda-feira à noite, as autoridades dos dois países concordaram em cancelar as deportações e prosseguir o diálogo para achar uma solução para o conflito.
Os congoleses expulsos estão concentrados em províncias de fronteira como Baixo Congo, Bandundu e Kasai-Ocidental.
As agências humanitárias mostram-se particularmente preocupadas com a situação no Baixo Congo, onde já se encontram entre 15 mil e 20 mil repatriados, que ali chegaram na maioria ao longo dos últimos dois meses.
Kinshasa iniciou na semana passada a expulsão de angolanos, cujo número já teria chegado aos 30 mil.
Na província do Zaire foram contabilizados cerca de 24 mil e no Uíge cerca de 4,5 mil pessoas.
Citado pela agência de informação das Nações Unidas (IRIN), o relatório destaca que "grande número de expulsos está concentrado" próximo do posto fronteiriço Luvo/Lufu, na província angolana do Zaite, no norte do país.
A principal preocupação identificada é o transporte e estão sendo acompanhadas as necessidades de água, saneamento, medicamentos e alimentação da população ali concentrada.
O documento indica também que a última onda de repatriamentos forçados começou em janeiro e "atingiu o clímax entre o final de agosto e o presente".
"Desde o início desta vaga [onda], cerca de 18,8 mil cidadãos congoleses foram supostamente expulsos de Angola", adianta.
O documento afirma ainda que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados recolheu relatos de maus-tratos, detenções e roubos a emigrantes congoleses em situação irregular, expulsos da província angolana da Lunda Norte a partir de maio deste ano.
De acordo com a OCHA, cerca de 140 mil congoleses foram repatriados por Angola desde 2003.
Kinshasa invocou a reciprocidade de tratamento para iniciar a expulsão de angolanos, muitos deles vivendo no país desde a guerra civil angolana.

http://www.agencial usa.com.br/ index.php? iden=27518
************ ********* ********* ********* ****

Isso não vai acabar bem! Angola que estava esboçando um certo desenvolvimento, nãopode voltar a se meter num conflito seja interno ou com seus vizinhos!


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .

__._,_.___

ONU

14-10-2009 10:23:40
Conflito Luanda-Kinshasa pode originar catástrofe, diz ONU

Kinshasa, 14 out (Lusa) - A concentração de dezenas de milhares de congoleses e angolanos na fronteira de Luvo-Lufu, expulsos por Angola e República Democrática do Congo (RD Congo, ex-Zaire), pode originar numa "catástrofe humanitária" na região, alerta o Gabinete dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas.
O relatório de situação do Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), elaborado após o envio para de uma missão que integra diversas agências das Nações Unidas para a região, sustenta que a possibilidade de a situação se tornar "catastrófica" vai depender da continuação ou suspensão das expulsões.
Na segunda-feira à noite, as autoridades dos dois países concordaram em cancelar as deportações e prosseguir o diálogo para achar uma solução para o conflito.
Os congoleses expulsos estão concentrados em províncias de fronteira como Baixo Congo, Bandundu e Kasai-Ocidental.
As agências humanitárias mostram-se particularmente preocupadas com a situação no Baixo Congo, onde já se encontram entre 15 mil e 20 mil repatriados, que ali chegaram na maioria ao longo dos últimos dois meses.
Kinshasa iniciou na semana passada a expulsão de angolanos, cujo número já teria chegado aos 30 mil.
Na província do Zaire foram contabilizados cerca de 24 mil e no Uíge cerca de 4,5 mil pessoas.
Citado pela agência de informação das Nações Unidas (IRIN), o relatório destaca que "grande número de expulsos está concentrado" próximo do posto fronteiriço Luvo/Lufu, na província angolana do Zaite, no norte do país.
A principal preocupação identificada é o transporte e estão sendo acompanhadas as necessidades de água, saneamento, medicamentos e alimentação da população ali concentrada.
O documento indica também que a última onda de repatriamentos forçados começou em janeiro e "atingiu o clímax entre o final de agosto e o presente".
"Desde o início desta vaga [onda], cerca de 18,8 mil cidadãos congoleses foram supostamente expulsos de Angola", adianta.
O documento afirma ainda que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados recolheu relatos de maus-tratos, detenções e roubos a emigrantes congoleses em situação irregular, expulsos da província angolana da Lunda Norte a partir de maio deste ano.
De acordo com a OCHA, cerca de 140 mil congoleses foram repatriados por Angola desde 2003.
Kinshasa invocou a reciprocidade de tratamento para iniciar a expulsão de angolanos, muitos deles vivendo no país desde a guerra civil angolana.

http://www.agencial usa.com.br/ index.php? iden=27518
************ ********* ********* ********* ****

Isso não vai acabar bem! Angola que estava esboçando um certo desenvolvimento, nãopode voltar a se meter num conflito seja interno ou com seus vizinhos!


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .

__._,_.___

ONU

14-10-2009 10:23:40
Conflito Luanda-Kinshasa pode originar catástrofe, diz ONU

Kinshasa, 14 out (Lusa) - A concentração de dezenas de milhares de congoleses e angolanos na fronteira de Luvo-Lufu, expulsos por Angola e República Democrática do Congo (RD Congo, ex-Zaire), pode originar numa "catástrofe humanitária" na região, alerta o Gabinete dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas.
O relatório de situação do Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), elaborado após o envio para de uma missão que integra diversas agências das Nações Unidas para a região, sustenta que a possibilidade de a situação se tornar "catastrófica" vai depender da continuação ou suspensão das expulsões.
Na segunda-feira à noite, as autoridades dos dois países concordaram em cancelar as deportações e prosseguir o diálogo para achar uma solução para o conflito.
Os congoleses expulsos estão concentrados em províncias de fronteira como Baixo Congo, Bandundu e Kasai-Ocidental.
As agências humanitárias mostram-se particularmente preocupadas com a situação no Baixo Congo, onde já se encontram entre 15 mil e 20 mil repatriados, que ali chegaram na maioria ao longo dos últimos dois meses.
Kinshasa iniciou na semana passada a expulsão de angolanos, cujo número já teria chegado aos 30 mil.
Na província do Zaire foram contabilizados cerca de 24 mil e no Uíge cerca de 4,5 mil pessoas.
Citado pela agência de informação das Nações Unidas (IRIN), o relatório destaca que "grande número de expulsos está concentrado" próximo do posto fronteiriço Luvo/Lufu, na província angolana do Zaite, no norte do país.
A principal preocupação identificada é o transporte e estão sendo acompanhadas as necessidades de água, saneamento, medicamentos e alimentação da população ali concentrada.
O documento indica também que a última onda de repatriamentos forçados começou em janeiro e "atingiu o clímax entre o final de agosto e o presente".
"Desde o início desta vaga [onda], cerca de 18,8 mil cidadãos congoleses foram supostamente expulsos de Angola", adianta.
O documento afirma ainda que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados recolheu relatos de maus-tratos, detenções e roubos a emigrantes congoleses em situação irregular, expulsos da província angolana da Lunda Norte a partir de maio deste ano.
De acordo com a OCHA, cerca de 140 mil congoleses foram repatriados por Angola desde 2003.
Kinshasa invocou a reciprocidade de tratamento para iniciar a expulsão de angolanos, muitos deles vivendo no país desde a guerra civil angolana.

http://www.agencial usa.com.br/ index.php? iden=27518
************ ********* ********* ********* ****

Isso não vai acabar bem! Angola que estava esboçando um certo desenvolvimento, nãopode voltar a se meter num conflito seja interno ou com seus vizinhos!


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .

__._,_.___

ONU

14-10-2009 10:23:40
Conflito Luanda-Kinshasa pode originar catástrofe, diz ONU

Kinshasa, 14 out (Lusa) - A concentração de dezenas de milhares de congoleses e angolanos na fronteira de Luvo-Lufu, expulsos por Angola e República Democrática do Congo (RD Congo, ex-Zaire), pode originar numa "catástrofe humanitária" na região, alerta o Gabinete dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas.
O relatório de situação do Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), elaborado após o envio para de uma missão que integra diversas agências das Nações Unidas para a região, sustenta que a possibilidade de a situação se tornar "catastrófica" vai depender da continuação ou suspensão das expulsões.
Na segunda-feira à noite, as autoridades dos dois países concordaram em cancelar as deportações e prosseguir o diálogo para achar uma solução para o conflito.
Os congoleses expulsos estão concentrados em províncias de fronteira como Baixo Congo, Bandundu e Kasai-Ocidental.
As agências humanitárias mostram-se particularmente preocupadas com a situação no Baixo Congo, onde já se encontram entre 15 mil e 20 mil repatriados, que ali chegaram na maioria ao longo dos últimos dois meses.
Kinshasa iniciou na semana passada a expulsão de angolanos, cujo número já teria chegado aos 30 mil.
Na província do Zaire foram contabilizados cerca de 24 mil e no Uíge cerca de 4,5 mil pessoas.
Citado pela agência de informação das Nações Unidas (IRIN), o relatório destaca que "grande número de expulsos está concentrado" próximo do posto fronteiriço Luvo/Lufu, na província angolana do Zaite, no norte do país.
A principal preocupação identificada é o transporte e estão sendo acompanhadas as necessidades de água, saneamento, medicamentos e alimentação da população ali concentrada.
O documento indica também que a última onda de repatriamentos forçados começou em janeiro e "atingiu o clímax entre o final de agosto e o presente".
"Desde o início desta vaga [onda], cerca de 18,8 mil cidadãos congoleses foram supostamente expulsos de Angola", adianta.
O documento afirma ainda que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados recolheu relatos de maus-tratos, detenções e roubos a emigrantes congoleses em situação irregular, expulsos da província angolana da Lunda Norte a partir de maio deste ano.
De acordo com a OCHA, cerca de 140 mil congoleses foram repatriados por Angola desde 2003.
Kinshasa invocou a reciprocidade de tratamento para iniciar a expulsão de angolanos, muitos deles vivendo no país desde a guerra civil angolana.

http://www.agencial usa.com.br/ index.php? iden=27518
************ ********* ********* ********* ****

Isso não vai acabar bem! Angola que estava esboçando um certo desenvolvimento, nãopode voltar a se meter num conflito seja interno ou com seus vizinhos!


|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
HEITOR (((((º_º))))) CARLOS
http://portodoscasa is.blogspot. com/
|||||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||||||| ||||
............ ......... ......... .

__._,_.___

Movimentos Sociais

‘É preciso acabar com a criminalização dos movimentos sociais’


“É preciso acabar com a ‘criminalização’ dos movimentos sociais, entre eles, o MST. Acho que a gente tem que superar esse espírito de criminalização dos movimentos sociais, o que não ajuda. Sou radicalmente contra esse ambiente de criminalização”, afirmou o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, em audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado.

A reportagem é de Renata Camargo e publicada pelo sítio Congresso em Foco, 13-10-2009.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, afirmou nesta terça-feira (13) que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) não repassou recursos para “entidades laranjas” do Movimento dos Sem-Terra (MST), como acusam parlamentares da oposição.

Segundo o ministro, o repasse de R$ 115,4 milhões foi feito para entidades que não mantêm ligações com o movimento. O repasse foi questionado pelo líder do DEM na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (GO), que acusou o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) de ter transferido R$ 115,40 milhões do governo federal a nove entidades vinculadas ao MST nos últimos cinco anos.

Caiado argumenta que a legislação brasileira impossibilita o repasse de recursos públicos para entidades que incitem e colaborem com a invasão de imóveis rurais e bens públicos e que, portanto, o repasse teria sido ilegal. “O deputado me perguntou sobre repasse para nove entidades que seriam ‘laranjas’ do MST. Esse tema sempre aparece atravessado. O Incra ou o MDA não repassou R$ 115 milhões para o MST”, respondeu Cassel.

De acordo com o ministro, os repasses questionados foram feitos para a Emater/RO, a Emater/RS e a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural. Também foram repassados recursos públicos para outras duas entidades ligadas ao Programa de Consolidação e Emancipação dos Assentamentos, constituído por meio de empréstimos com o Banco Mundial (BID).

“Repassamos, por exemplo, R$ 12 milhões para Emater/RO. E não me consta que o governador [de Rondônia] Ivo Cassol seja militante do MST. Repassamos também R$ 23,8 milhões para a Emater/RS. E também não me consta que a governadora Yeda Cruisius seja militante do MST. Também não acredito que o BID esteja a serviço do MST”, defendeu.

CPI

Cassel participou nesta terça-feira (13) de uma audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado. Ele disse à imprensa que não teme a instalação de uma CPI do MST, que deve ser aberta para investigar supostos repasses ilegais feitos pelo governo federal ao movimento.

“Tivemos a CPI da Terra e a CPI da ONGs. Nos dois casos fomos questionados e foram encaminhadas cópias de todos os contratos e convênios do Incra com o MST. Nenhum órgão é tão fiscalizado quanto o nosso. E a gente cumpre com isso”, disse Cassel.

Criminalização

O ministro afirmou que é preciso acabar com a "criminalização" dos movimentos sociais, entre eles, o MST. “Acho que a gente tem que superar esse espírito de criminalização dos movimentos sociais, o que não ajuda. Sou radicalmente contra esse ambiente de criminalização. Foi grotesco e injustificável [a ação do MST no laranjal em São Paulo]. Mas não estou aqui tratando desse tema. Estou tratando sobre o tema de que o MST não é financiado pelo governo federal”, declarou.

Em comissão esvaziada, o ministro rebateu os dados citados pela senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), que apresentou levantamento da ONG Contas Abertas, que traz repasses a entidades supostamente ligadas ao movimento. Cassel afirmou que no levantamento havia “coisas que são ridículas”, como a insinuação de que a entidade Caritas seria um “braço direito do MST”.

“Tem coisas aqui que são ridículas, para dizer o mínimo. (...) Não sou contra a investigar a aplicação de recursos públicos, mas não pode ser desta forma. Temos que superar o instinto persecutório contra o MST”, afirmou.

Ao sair da comissão, o ministro chamou de “achismo” os dados apresentados hoje pela presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM-TO). De acordo com o levantamento, 48% dos assentados não produzem o suficiente para sobreviver, 75% não têm acesso aos programas de crédito e 46% compraram suas terras de maneira ilegal. “Não reconheço esses dados”, disse Cassel.

Juçara Dutra em Vacaria RS


Plenária debate piso nacional e plano de carreira do magistério



Palestrante falou na União Operária(foto:Aldoir Santos) Os aspectos da lei que instituiu o piso salarial profissional nacional e as diretrizes nacionais de carreiras aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação foram os assuntos debatidos em um plenária realizada em Vacaria nesta terça-feira.
A professora Jussara Dutra Vieira(foto), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, abordou que tanto o piso e o plano de carreira devem contribuir para a qualidade da educação. Alerta que parte da lei está sendo questionada na Justiça.
A secretária municipal de educação Joara Dutra Vieira informa que em cada escola uma comissão está debatendo o assunto. A ideia é encaminhar um projeto ao Legislativo até o final deste ano.


Rádio Fátima AM (Jornalismo), 14/10/2009, 09h11

Lei Municipal que Regula Funcionamento de Bares

Prezado Paulo, encaminho abaixo a Lei solicitada, informo que a mesma pode serencontrada em nosso site também.


LEI Nº 2.517/2007

Estabelece Normas Especiais para Funcionamento de Bares e Similares, com Referência a Freqüência de Menores e dá Outras Providências

JOSÉ AQUILES SUSIN, Prefeito Municipal de Vacaria, no Estado do Rio Grande do Sul.

Faço saber que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:


Art. 1º - Fica vedado a entrada e permanência de crianças e adolescentes até 15 (quinze) anos de idade, sem o acompanhamento dos pais ou responsável legal, no horário entre 00:00 e 07:00 horas, em bares, casas noturnas, festas pagas e similares, que comercializam bebida alcoólica.

§ 1º - Os pais ou responsável legal poderão autorizar por escrito pessoa adulta para acompanhar seus filhos nos estabelecimentos mencionados no " caput" deste artigo.

§ 2º - A autorização deverá conter obrigatoriamente o nome do Pai, da Mãe ou do responsável legal, bem como seu endereço e telefone para contato, e o nome da pessoa maior de 18 anos, que os acompanham.

§ 3º - A entrada e permanência de crianças e adolescentes poderá ser autorizada ou ter seu horário prorrogado, mediante solicitação de alvará de funcionamento do estabelecimento, conforme as peculiaridades do local e do lugar onde se encontra instalado com antecedência mínima de 15 dias do evento, desde que haja interesse público, preservada as condições de higiene e de segurança do público e do prédio e, em especial, a prevenção à violência, podendo o Administrador Público Municipal consultar o Conselho Municipal de Segurança sobre este aspecto.

§ 4º - Em caso de autorização ou prorrogação do horário, o alvará poderá condicionar o funcionamento a não-venda de bebidas alcoólicas ou que haja identificação, em forma de pulseira, das crianças e adolescentes, conforme as condições referidas no parágrafo anterior.

Art. 2º - A fiscalização incumbirá ao Conselho Tutelar e ao Departamento de Fiscalização do Município, podendo ser solicitado auxílio aos demais órgãos de segurança do município.

Parágrafo Único - A criança ou adolescente encontrado em desacordo com esta Lei, será entregue pelo Conselho Tutelar aos seus pais ou responsável legal, aplicando medidas protetivas, caso seja necessário.

Art. 3º - Os bares, clubes, casas noturnas e similares deverão fixar, em lugar de fácil visualização ao público, quadro onde constem:

I - O alvará de funcionamento expedido pela Administração Municipal;
II- O alvará de funcionamento expedido pela Vigilância Sanitária;
III - O horário de funcionamento;
IV - O aviso em letras legíveis e em destaque de advertência quanto a venda de bebidas alcoólicas e de produtos derivados do fumo, de acordo com as leis Federais 8.069/90 e 10.702/03.

Art. 4º - Aos infratores, nos termos desta Lei, serão aplicadas, pela ordem, as seguintes penalidades:


I - Notificação para regularização, no prazo de 30 ( trinta) dias, na primeira vez que desobedecer esta norma;
II - multa de 400 VRM (quatrocentos unidades do valor de referencia municipal), por adolescente ou criança encontrado em desacordo com essa Lei, tendo o mesmo já sido advertido;
III - fechamento administrativo do estabelecimento, em caso de, pela terceira vez ter sido encontrado alguma criança ou adolescente em desacordo com essa Lei.

§ 1º - Após o fechamento administrativo do estabelecimento, e transcrito o prazo de 12 ( doze) meses, o Executivo poderá conceder nova licença de funcionamento, atendida a legislação vigente.

§ 2º - Antes da aplicação das penalidade prevista neste artigo, o Poder Executivo, em conjunto com o legislativo, fará ampla divulgação da Lei.

Art. 5º - A presente Lei será regulamentada no prazo de 60 (sessenta dias) dias, contados da data de sua publicação.

Art. 6º - Os recursos para aplicação desta Lei correrão por conta do orçamento vigente, suplementados, se necessário.

Art. 7º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação revogadas as disposições em contrário.

GABINETE DO PREFEITO MUNICIPAL DE VACARIA, 04 de setembro 2007.


----- Original Message ----- From:
To:
Sent: Tuesday, October 13, 2009 9:19 AM
Subject: Novo Contato pelo site da Câmara Vacaria


> Nome: Paulo Furtado
> E-mail: jornalnegritude@yahoo.com.br
> Telefone: 81431164
> Sexo: Masculino
> Idade: 40-49
> Escolaridade: Médio
> Cidade: Vacaria
> Estado: RS
> Mensagem: Olá gostaria de saber o número da Lei Municipal de cita sobre o acesse de crianças e adolescente em Bares,Clubes e Boates em nossa cidade. Desde já agradeço. Um abraço
>

Deputada Estadual Marisa Formolo

Sarau do Professor

Estado, cultura e poder, onde está o professor?
Nesta quinta-feira (15), Sarau Pedagógico homenageia o professor pela passagem do seu dia, debatendo: Estado, cultura e poder, onde está o professor? Com a participação de Edla Eggert, professora doutora da Unisinos, e Ana Claudia Figueroa, professora doutora e diretora da Escola Santa Rosa de Lima.

O encontro será a partir das 18h30min, no Café da Oca - Rua João Teles, 512/Bom Fim e é aberto ao público bastando levar um brinquedo ou um quilo de alimento não perecível.

Após o debate haverá a apresentação do Grupo Cambatuque, que apresenta músicas que mesclam releituras e samba, refletindo o cotidiano. O evento é uma promoção do gabinete da vereadora Sofia Cavedon e terá o ator João França como mestre de cerimônia.

Informações: (51) 3210.4263

Fonte: Sofia Cavedon – 51.9953.7119



Porto Alegre, 13 de outubro de 2009.



Jorn. Marta Resing/5405

Ass. Comunicação

Gab. Ver. Sofia Cavedon/PT

51.9677.0941

Roda Viva

Jon “Maddog” Hall

Presidente da Linux International



Na próxima sexta-feira, dia 16 de outubro, o programa Roda Viva irá gravar um programa com Jon Hall, que tem formação em engenharia e ciência da computação.

Ele trabalha com informática desde 1969 e é um defensor do software livre. A Linux International é uma associação sem fins lucrativos que promove sistemas operacionais baseados em Linux.



Para enviar a sua perguntar, favor visitar o site do programa: www.tvcultura.com.br/rodaviva



Para cancelar o recebimento dos emails do Roda Viva , por favor, acesse:
http://www.tvcultura.com.br/rodaviva/comenteeparticipe-cancelar.asp.







Produção - Roda Viva

Rua Cenno Sbrighi, 378 - CEP: 05036-900

Notícias da Prefeitura de Porto Alegre


Todas as Notícias

A MANCHETE
Prefeitura substitui todo o parque de iluminação da Capital

As obras do projeto Porto Alegre + Luz começam amanhã. As lâmpadas de vapor mercúrio dos 80,5 mil pontos de luz da cidade serão substituídas por lâmpadas de vapor de sódio, que consomem até 40% menos energia e garantem o dobro de eficiência em relação às atuais. Às 15h, o prefeito José Fogaça assina a ordem de início dos trabalhos na Divisão de Iluminação Pública (DIP) da Smov (rua Engenheiro Antônio Carlos Tibiriçá, 363, Jardim Botânico). Quatro regiões serão atendidas simultaneamente: Restinga, Centro, Sarandi e 4º Distrito. Leia mais...

DESTAQUES
Definidas empresas para construção de emissário dentro e fora do Guaíba

A tubulação vai levar o esgoto da Ponta da Cadeia, junto ao Gasômetro, até o Cristal. De lá, os dejetos seguirão por rede subaquática até a Serraria. A obra terrestre, de 7,3 quilômetros, foi vencida pela Saenge Engenharia de Saneamento. Já a submersa, com 10,2 quilômetros, pelo Consórcio ICCILA/Archel. Com o emissário, Porto Alegre ultrapassará as Metas do Milênio, estabelecidas pela ONU, de reduzir pela metade o déficit de acesso à água e esgoto até 2015. Leia mais...

Motoristas autuados por estacionar em local proibido perto do aeroporto

As ações de fiscalização começaram hoje, efetuadas por agentes da EPTC. Das 8h às 11h30, foram autuados 25 motoristas por desrespeito à sinalização. Cerca de 60 carros estavam estacionados de modo irregular, muitos com os motoristas dentro ou perto dos veículos. Foram autuados apenas aqueles que permaneceram em local proibido. Não houve guinchamentos. Leia mais...

Câmara recebe proposta orçamentária amanhã

O documento prevê R$ 3,6 bilhões em recursos para o município. Os valores para 2010 superam em 12% os do orçamento de 2009, de R$ 2,82 bilhões. Amanhã, às 17h30, a proposta será entregue pelo prefeito José Fogaça ao presidente da Câmara Municipal, Sebastião Melo, no salão nobre da presidência do Legislativo. O documento destina-se aos 21 programas estratégicos do governo, detalhando despesas, identificando fontes de recursos e descrevendo projetos e atividades do Executivo. Leia mais...

Fóruns regionais de planejamento escolhem delegados

Começam hoje as eleições de novos delegados e conselheiros nos oito Fóruns Regionais de Planejamento. A primeira etapa será na Sala Ana Terra da Câmara Municipal, a partir das 19h. Um total de 1.369 porto-alegrenses está cadastrado para votar, um número 19,04% maior que o registrado em 2007. "Esse aumento demonstra o interesse da comunidade nas questões relativas ao planejamento urbano”, observou o secretário do Planejamento Municipal, Márcio Bins Ely. Leia mais...

Começa transferência da Dique para ampliação do aeroporto

Cinco mil pessoas, que moram em condições precárias na beira da pista do aeroporto, passarão a viver em uma área com redes de água, esgotos, energia elétrica e ruas pavimentadas. Na quinta-feira, começa a transferência da comunidade da Dique para as residências do terreno de 21 hectares do Porto Seco. São casas e sobrados de 40 metros quadrados, com dois dormitórios. Com a transferência da vila, será possível ampliar a pista do Salgado Filho. Leia mais...

EVENTOS
Novo sinal de trânsito é matéria de aula no Colégio Militar

Uma das mais tradicionais escolas do Brasil, o Colégio Militar de Porto Alegre apresentou a campanha de respeito às faixas em sala de aula. O novo sinal virou tema de uma peça de teatro, feita por alunos do ensino médio, a ser apresentada amanhã, das 7h30 às 8h. O evento será acompanhado por autoridades municipais. Leia mais...

Curso de educação ambiental na Reserva do Lami

A Reserva do Lami volta a formar ecoeducadores amanhã, a partir das 9h, no Centro de Educação Ambiental Augusto Carneiro. Coordenadas pela administradora da reserva, a bióloga Patrícia Witt, as atividades buscam qualificar as visitas orientadas àquela unidade de conservação. Leia mais...

Amor e morte em cartaz na Usina

A Serpente será apresentada hoje, às 20h, na Usina do Gasômetro. A direção é de Caco Coelho, especialista em Nelson Rodrigues. Nessa contundente tragédia carioca, duas irmãs, Guida e Lígia, casaram no mesmo dia com Paulo e Décio. Um ano depois, Lígia, infeliz, desfaz seu casamento e quer morrer. Guida, tentando impedir o suicídio da irmã, oferece a ela uma noite de amor com seu marido. Forma-se, então, um triângulo amoroso, capaz de alcançar todos os extremos. O espetáculo integra o projeto Usina das Artes, da Secretaria da Cultura. Leia mais...

Oficina de teatro ensina interação entre ator e espectador

Jogos e exercícios teatrais do método do Teatro do Oprimido, criado por Augusto Boal, fazem parte da oficina de 20 horas que começa amanhã, na Usina do Gasômetro. O programa inclui a montagem de um teatro-fórum, baseado em experiências de opressão que os participantes viveram. As aulas serão nas quartas e sextas-feiras, das 19h às 21h30, até 6 de novembro. Inscrições a R$ 80,00 pelo telefone 9161-5014 ou e-mail celso.veluza@gmail.com. Leia mais...

PREVISÃO DO TEMPO
Confira a previsão do tempo desta quarta-feira, dia 14
(Clique aqui)

TEMPO HOJE
Veja imagem de satélite
(Clique aqui)

VEJA PAUTAS DO DIA
Pautas para o dia 14 de outubro
(Clique aqui)




Editado pela Supervisão de Comunicação Social
E-mail - Telefones (51)3289.3900 / (51)3289.3932 / (51)3289.3926
Newsletter desenvolvida pela PROCEMPA.

Piratini


Segurança
Governo do Estado entrega em Montenegro mais 76 vagas para o sistema prisional
Com estas novas vagas, o governo totaliza a entrega de 156 acomodações prisionais em menos de uma semana. Desenvolvimento
Governo viabiliza investimentos para São José do Hortêncio
Grupo investirá R$ 5,1 milhões em unidade destinada à exploração e engarrafamento de água mineral. Verão Legal RS
Estado recebe inscrições para contratar salva-vidas temporários
Período de serviço será entre dezembro e março, podendo ser prorrogado conforme a necessidade. Detran
Novo processo de exames de direção será apresentado nesta quarta-feira
Entre as mudanças, há uma redução de R$ 50,00 nos valores das taxas a partir de 1º de janeiro de 2010. Agricultura
Rio Grande do Sul comemora o Dia Internacional da Alimentação
Entre esta terça-feira até o dia 16, a Ceasa promoverá uma série de atividades sobre o tema. Energia
CEEE promove final do Rodeio de Eletricistas
A competição tem como objetivos a segurança do trabalho e a agilidade no atendimento dos serviços.

Piratini


Destaques do Dia
Estado entrega 76 novas vagas no presídio de Montenegro
O secretário da Segurança Pública, Gen. Edson Goularte, em seu discurso durante a solenidade de entrega de 76 novas vagas na Penitenciária Modulada de Montenegro.


Local: Montenegro - RS
Data: 13/10/2009
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 32100

Estado entrega 76 novas vagas no presídio de Montenegro
Vista parcial das novas instalações da Penitenciária Modulada de Montenegro.


Local: Montenegro - RS
Data: 13/10/2009
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 32103

Alunos de Caxias do Sul visitam mostra de artesanato indígena no espaço do governo do RS
Alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Matteo Gianella, de Caxias do Sul, durante visita à mostra de artesanato indígena, que integra o projeto Emater Educando na Praça, no espaço do governo do RS, na praça da Matriz, em Porto Alegre.


Local: Porto Alegre - RS
Data: 13/10/2009
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 32107

Estado entrega 76 novas vagas no presídio de Montenegro
O secretário de Obras Públicas, José Carlos Breda, em seu discurso durante a solenidade de entrega de 76 novas vagas na Penitenciária Modulada de Montenegro.


Local: Montenegro - RS
Data: 13/10/2009
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 32101

Estado entrega 76 novas vagas no presídio de Montenegro
Os secretários,(esq/dir), de Obras Públicas, José Carlos Breda, da Fazenda, Ricardo Englert e da Segurança Pública, Gen. Edson Goularte, durante vistoria as novas instalações da Penitenciária Modulada de Montenegro.


Local: Montenegro - RS
Data: 13/10/2009
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 32106

Convite

Caxias do Sul, 13 de outubro de 2009.



Convite



Ao cumprimentá-lo( a), venho por meio deste convidar – lhe para a atividade que se realizará no dia 17 de outubro das 09hrs ás 17hrs “Caminhando e Construindo a Igualdade” no Auditório do Centro Administrativo – Prefeitura Municipal de Caxias do Sul, com a seguinte programação:

· 09:00 - Abertura Oficial

· 09:15 - Palestra com Haroldo Antônio da Silva Coordenador Nacional do MNU – RJ e Coordenador do Conneb

· 10:30 – Coffe Break

· 10:45 – Retorno para debates

· 11:30 – Espaço cultural

· 12:00 – Almoço na UAB União das Associações de Bairro

· 13:30 – Retorno ao Auditório

· 13:45 – Espaço cultural

· 14:30 – Carta de Caxias do Sul para a 3º Marcha Zumbi de Palmares

· 17:00 – Encerramento e espaço cultural

Desde já agradeço sua atenção, e contamos com sua ilustre presença.





Diógenes Antônio de Oliveira Brazil

Coordenador da Coordenadoria

de

Promoção da Igualdade Racial

Nenhum vírus encontrado nessa mensagem recebida.
Verificado por AVG - www.avgbrasil. com.br
Versão: 8.5.421 / Banco de dados de vírus: 270.14.12/2431 - Data de Lançamento: 10/12/09 13:01:00


__._,_.___